Followed Journals
Journal you Follow: 0
 
Sign Up to follow journals, search in your chosen journals and, optionally, receive Email Alerts when new issues of your Followed Journals are published.
Already have an account? Sign In to see the journals you follow.
Similar Journals
Journal Cover
Revista Ensino de Geografia (Recife)
Number of Followers: 0  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Print) 2594-9616
Published by Universidade Federal Rural de Pernambuco Homepage  [10 journals]
  • Editorial

    • Authors: Francisco Kennedy Silva dos Santos
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • OS CARTOCAST’s COMO FERRAMENTA PARA O APRENDIZADO CARTOGRÁFICO E O
           DESENVOLVIMENTO DA DIDÁTICA.

    • Authors: Tuane Telles Rodrigues, Roberto Cassol
      Pages: 1 - 16
      Abstract: Novas tecnologias educacionais têm surgido como estratégias para o aprendizado eficiente e promovendo a conciliação simultânea entre teorias e práticas. Esta evolução no ensino traz benefícios tanto para os discentes quanto para os docentes que encontram nessas ferramentas a possibilidade de aperfeiçoamento profissional e desenvolvimento didático. É o caso da pesquisa que apresentamos neste artigo, realizada durante o estágio de docência orientada I, na disciplina de Geografia Ensino I, que tem como proposta auxiliar os futuros professores no desenvolvimento da didática e a percepção sobre como os alunos aprendem e compreendem os conteúdos da cartografia escolar. Ela teve como objetivo a criação de CartoCast’s (podcasts cartográficos) como forma de desenvolver a organização, a narrativa e a criatividade na transmissão de conteúdos de cartografia sem o uso de imagens, fazendo dela uma ferramenta didático-pedagógica. O método utilizado consistiu em aulas teóricas; realização de um minicurso sobre o uso do software utilizado na produção; criação por parte dos integrantes da turma, apresentação e publicação em site para que ficasse disponível a todos. Os resultados foram verdadeiramente interessantes, pois houve desde produções bem construídas a superação da timidez por parte da turma, o que valida o recurso em relação aos objetivos propostos.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • ESTÁGIO E ENSINO DE GEOGRAFIA: DESAFIOS NA PERSPECTIVA DA
           INCLUSÃO.

    • Authors: Adriano Santos Medeiros, Marluce Silvino
      Pages: 17 - 29
      Abstract: A sala de aula é o lugar onde os graduandos, em seu período de estágio, se defrontam com estudantes que apresentam diferentes necessidades, físicas/cognitivas, para o processo de ensino-aprendizagem. Nesse sentido, os estagiários têm que se atentar em utilizar metodologias que proporcionem o desenvolvimento de todos. Seguindo esse viés, o presente artigo tem por objetivo investigar como os graduandos praticam seus estágios em turmas com alunos que necessitam de atenção mais especializada e se há esforços para adequar as metodologias de ensino que visam a inclusão.  Os sujeitos pesquisados foram estudantes do curso de Geografia-licenciatura da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) – campus de Caicó/RN. Para a obtenção dos dados foram aplicados questionários semiestruturados, presencialmente e via e-mail. Com as informações coletadas construímos um gráfico demonstrando a quantidade de discentes que estagiam em turmas com alunos especiais, assim como apresentamos a porcentagem de estagiários que utilizam metodologias inclusivas. Dessa forma refletimos como o curso de Geografia prepara o graduando para atuar em sala de aula no período de regência, visto que esse momento abarca a metade do curso, e como a grade curricular está estruturada para uma formação docente que vise a inclusão.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • CONCEITOS-CHAVE DA GEOGRAFIA EM SALA DE AULA:UMA VIVÊNCIA EM TURMAS
           DO ENSINO FUNDAMENTAL

    • Authors: Wellington Barbosa Lira
      Pages: 30 - 46
      Abstract: Este trabalho registra uma experiência vivenciada junto a turmas do oitavo ano do ensino fundamental em escolas públicas do Recife-PE. Considerando os indicativos dos Parâmetros Curriculares Nacionais, buscou-se trabalhar as categorias de análise geográfica em meio ao cotidiano dos alunos. Para tanto, utilizaram-se os espaços do entorno das escolas, e da cidade como elementos dialéticos. Inicialmente investigou-se o perfil de entendimento dos conceitos geográficos por parte dos alunos, em seguida, buscou-se a promoção de uma atividade que lhes demonstrassem que estes conceitos poderiam estar presentes no seu cotidiano. Ao final da atividade voltou-se a investigar como ficara os conceitos-chave da geografia após a sua descoberta, ou a sua redescoberta. O que se pode identificar é que houve uma significativa mudança no perfil das turmas, aquelas que não detinham o domínio dos conceitos passaram não só a compreendê-los como também entender a sua aplicação, e aquelas que detinham um conhecimento superficial passam a compreenderem a sua aplicabilidade e constataram que estes realmente se fazem presentes no seu dia-a-dia. Dessa forma, o presente trabalho visa ser um indicativo instrumental no processo de ensino e aprendizagem da ciência geográfica, especialmente em séries do ensino fundamental.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • O ENSINO DE GEOGRAFIA E AS REDES VIRTUAIS: ATANDO NÓS ENTRE A
           INFORMAÇÃO E O CONHECIMENTO

    • Authors: Mateus Ferreira Santos
      Pages: 47 - 63
      Abstract: As redes digitais têm invadido todos os setores sociais e tem obrigado a “todos” um reconhecimento desse processo de ressignificação da comunicação, entretenimento e conhecimento. No ensino de geografia não tem sido diferente, principalmente porque os aparelhos móveis têm invadido os espaços escolares e modificado comportamentos, possibilitado novas formas de aprendizagens e fortalecido a ideia da geografia em redes. A geografia tem se energizado bastante com tais avanços, principalmente na troca instantâneo de informações entre sujeitos conectados virtualmente que tem se beneficiado com o maior acesso ao conhecimento. Partindo desse cenário, este trabalho procurou analisar as concepções dos Professores de Geografia de Escolas Técnicas Estaduais de Pernambuco, localizadas no município de Recife, quanto ao uso das redes digitais no seu saber-fazer pedagógico. O estudo parte da concepção de que a apropriação das redes digitais pode mobilizar saberes geográficos e possibilitar a construção da aprendizagem colaborativa em sala de aula. Nessa direção, utilizou-se da pesquisa qualitativa, optando-se pelos seguintes instrumentos de coleta de dados: revisão bibliográfica e entrevista semiestruturadas com seis professores de Geografia de cinco escolas. Por meio dos resultados, foram evidenciados afinidades e limitações dos professores quanto a utilização das redes digitais em seus fazeres pedagógicos, apontando a necessidades de formação continuada dos profissionais e adequação das escolas às realidades tecnológicas digitais.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS ATRIBUÍDAS AO (SUB)ESPAÇO GEOGRÁFICO ESCOLA
           NO SÉCULO XXI


    • Authors: Kinsey Santos Pinto
      Pages: 64 - 75
      Abstract: O presente trabalho tem por objetivo apresentar a compreensão do espaço escolar como um subespaço que faz parte do todo – uma possibilidade de leitura da intersecção conceitual do Espaço Escolar e do Espaço Geográfico –. A partir de uma metalinguagem da Geografia onde é possível entendermos a escola como um (Sub)espaço. O (Sub)espaço Geográfico Escola. Temos de início uma inquietude como problemática da proposta: como os sujeitos que compõe o Espaço Geográfico lêem esse (sub)espaço escola' A partir dessa leitura e da interação, que os sujeitos estabelecem nesse espaço, pode-se estudar as categorias do espaço apontando como a identidade escolar se faz, ou não, presente nas práticas escolas e de ensino de Geografia. A metodologia da pesquisa qualitativa de Flick que fora empregada durante o processo de elaboração desta pesquisa nos possibilitou o uso da análise de entrevistas em profundidade e análise de desenhos de Sujeitos alunos em escolas públicas. A pesquisa desenhada a partir do método do paradigma da complexidade, de Edgar Morin, não tem a proposta de fornecer um resultado definitivo ao seu final, contudo, buscamos apresentar uma possibilidade de interpretação do (Sub)espaço Geográfico Escola dotada de sentido nestes que se apresentam como complexos espaços: o escolar e o geográfico.

      Palavras-chave: (O presente trabalho tem por objetivo apresentar a compreensão do espaço escolar como um subespaço que faz parte do todo – uma possibilidade de leitura da intersecção conceitual do Espaço Escolar e do Espaço Geográfico –. A partir de uma metalinguagem da Geografia onde é possível entendermos a escola como um (Sub)espaço. O (Sub)espaço Geográfico Escola. Temos de início uma inquietude como problemática da proposta: como os sujeitos que compõe o Espaço Geográfico lêem esse (sub)espaço escola' A partir dessa leitura e da interação, que os sujeitos estabelecem nesse espaço, pode-se estudar as categorias do espaço apontando como a identidade escolar se faz, ou não, presente nas práticas escolas e de ensino de Geografia. A metodologia da pesquisa qualitativa de Flick que fora empregada durante o processo de elaboração desta pesquisa nos possibilitou o uso da análise de entrevistas em profundidade e análise de desenhos de Sujeitos alunos em escolas públicas. A pesquisa desenhada a partir do método do paradigma da complexidade, de Edgar Morin, não tem a proposta de fornecer um resultado definitivo ao seu final, contudo, buscamos apresentar uma possibilidade de interpretação do (Sub)espaço Geográfico Escola dotada de sentido nestes que se apresentam como complexos espaços: o escolar e o geográfico.

      Palavras-chave: (Sub)espaço Geográfico Escola, Complexidade, Ensino de Geografia.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • ANÁLISE HISTÓRICA E EPISTEMOLÓGICA DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE
           GEOGRAFIA: PERSPECTIVAS, IMAGINÁRIO ACADÊMICO-SOCIAL, FASES DA CARREIRA
           E RACIONALIDADES PARA A PRÁTICA.

    • Authors: Pedro Luís Mendonça Carvalho, Mário Bezerra Britto Neto, Francisco Kennedy Silva Santos, Marcelo Henrique Melo Rocha
      Pages: 76 - 85
      Abstract: A literatura pedagógica vem informando com bastante frequência, a respeito das pesquisas que englobam o professor e sua formação que estão sendo realizadas ao longo do tempo. As investigações estão ligadas diretamente com as perspectivas políticas e epistemológicas que vem definindo a função do professor ao longo dos tempos. No debate de ideias sobre a formação do docente de Geografia é de crucial importância que seja realizada uma análise histórica da sua profissionalização, no Brasil e no mundo. Visando fazer uma análise envolvendo eixos da formação do docente em Geografia tais como: perspectivas, imaginário acadêmico-social, fases da carreira e racionalidades para a prática, foi feito um levantamento bibliográfico em trabalhos de autores como : (ARROYO,1985; CAVACO,1991; FREIRE,1999; GUARNIERE,1996; HUBERMAN,2000; MARCELO,1998; NÓVOA,1999; SANTOS,2011; SOUZA,2009; TARDIF, 1991). O trabalho apresentará um histórico da formação docente no Brasil e no mundo, saberes necessários para a prática docente, práticas docente e visão do professor pela sociedade tendo, como eixo norteador o Docente enquanto ser epistêmico e os desafios para a sua formação.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • A CONTRIBUIÇÃO DA GEOGRAFIA NA PERSPECTIVA DO TRABALHO COMO
           PRINCÍPIO EDUCATIVO

    • Authors: Luana Caroline Kunast Polon
      Pages: 86 - 99
      Abstract: Nos documentos oficiais da Educação brasileira, principalmente após a publicação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB 9394/96), o conceito de trabalho vem sendo apresentado como princípio educativo juntamente com o conceito de pesquisa como princípio pedagógico. Estes conceitos são também reforçados pelas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) publicadas no ano de 2013. Nota-se, portanto, uma necessidade de compreensão dos conceitos relativos ao trabalho, bem como as formas pelas quais as várias áreas do conhecimento contribuem para efetivar essas concepções. O objetivo do presente artigo é apresentar a Geografia como componente curricular cujos conteúdos são uma fonte de análise sobre as formas pelas quais conceber o trabalho como princípio educativo. A produção do espaço geográfico por meio do trabalho é o eixo norteador da discussão. A fundamentação teórico-metodológica tem como base referenciais bibliográficos que abordam o conceito de trabalho, outros que relacionam os conteúdos da Geografia com a produção do espaço geográfico, bem como as concepções de trabalho e pesquisa contidas nos documentos oficiais da Educação brasileira. A partir das discussões efetuadas, pôde-se perceber que a Geografia, como ciência que estuda as relações entre a sociedade e a natureza, com vistas ao entendimento crítico de que o trabalho modifica o meio, é uma das áreas do conhecimento que contribui no sentido de construir uma concepção de trabalho como princípio educativo. As perspectivas apontadas direcionam para uma superação da visão alienada de trabalho, e a expansão de um conceito de trabalho como elemento formativo, de cunho educativo.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • GEOGRAFIA ESCOLAR E AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM: UMA REFLEXÃO A PARTIR
           DAS AULAS DE GEOGRAFIA EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE SÃO JOÃO DO SABUGI-RN

    • Authors: Elaine Cristina de Medeiros Pereira, Djanní Martinho dos Santos Sobrinho, Tânia Cristina Meira Garcia
      Pages: 100 - 119
      Abstract: O trabalho pedagógico da Geografia Escolar necessita está bem organizado, pautado em planejamentos que visem a selecionar conteúdos de ensino, propor metodologias e realizar a avaliação da aprendizagem por meio de instrumentos avaliativos que influenciem significativamente no interesse em aprender do educando e proporcione mecanismos que ajudem esse sujeito a assumir posições diante das mais diversas situações sociais. Assim, esse trabalho busca compreender as práticas avaliativas dos professores nas aulas de Geografia dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, na Escola Estadual Senador José Bernardo, localizada na cidade de São João do Sabugi – RN. Em se tratando de percurso metodológico, foram realizadas pesquisas bibliográficas a autores como: Libâneo (1994), Luckesi (2011), Rabelo e Bueno (2015), Stefanello (2009), Turra (1986), Villas Boas (2004), entre outros, além de pesquisa documental e de campo, através de visitas a instituição, registradas a partir de fotografias e observações das aulas de Geografia. A partir dos dados coletados, constatou-se que o mais importante durante o processo avaliativo do aluno é que o docente seja capaz de identificar as dificuldades existentes e, através disso, buscar soluções para suprir as necessidades, com o intuito de permitir que o sujeito aprenda e desenvolva seus aspectos cognitivos.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • Apropriação da Educação Ambiental no Ensino Fundamental nas Aulas de
           Geografia no Âmbito do Programa Despertar no Município de São
           Desiderio-BA-Brasil.

    • Authors: Gersica Linhares dos Santos Flores de Araujo, Robson Soares Brasileiro
      Pages: 120 - 139
      Abstract: O presente artigo analisa o Programa Despertar criado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/FAEB). Este encontra-se alicerçado nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), que por sua vez, insere a Educação Ambiental nos currículos escolares por meio do tema transversal meio ambiente, eixo norteador do programa.Para inseriresta temática no currículo das escolas rurais do município de São Desidério Programa Despertar tem como base a metodologia Pedagogia por Projetos, porsuas práxis, proporciona a ampliação dos limites da sala de aula, por meio de situações práticas e um ensino contextualizado.Opresente trabalho analisa como os conteúdos sobre Educação Ambiental estão sendo trabalhadosno componente curricular de geografia no âmbito do Programa Despertar, bem como, a partir de que ações pedagógicas os estudantes demonstram o empoderamento das ações efetivadas. Para isso, foram realizadas observações empíricas ecoleta de informações. No presente artigo é abordado a relação das questões ambientais na perspectiva do ensino da geografia e sua aproximação aos estudos ambientais por meio da relação sociedade e natureza,apresenta-se e discute as formas de inserçãodo tema Educação Ambiental nos processos educativos nas aulas de geografia no âmbito do referido programa.  Palavras-chave: São Desidério;Educação Ambiental; Programa Despertar;Geografia.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • OS SENTIDOS DO SER PROFESSOR DE GEOGRAFIA EM PROCESSO FORMATIVO

    • Authors: Laís Rodrigues Campos
      Pages: 140 - 151
      Abstract: Este artigo traz algumas reflexões sobre a formação inicial docente em Geografia a partir do processo de estágio em curso superior, no sentido de demonstrar os obstáculos e avanços do percurso formativo de professores. Assim, o estudo aqui apresentado é resultado de atividades da disciplina Estágio Supervisionado com alunos do curso de licenciatura em Geografia, no intuito de problematizar esse contexto a partir de três momentos: observação em sala, construção de portfólios e a roda de conversa com os alunos da graduação. Após essas etapas foram realizados dois tipos de análise dos dados: do conteúdo dos relatos escritos e dos discursos nos espaços de diálogos. Desse modo, conclui-se que os sentidos atribuídos pelos alunos à categoria professor aparece ancorada nos fundamentos teórico-metodológicos para formação inicial docente e na busca cada vez mais aproximada da relação universidade-escola.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA INTEGRAR SABERES AMBIENTAIS NOS SEXTOS ANOS
           DO ENSINO FUNDAMENTAL

    • Authors: Natália Lampert Batista, Márcia Silveira Cassol, Tascieli Feltrin
      Pages: 152 - 165
      Abstract: No atual contexto, devem-se desenvolver propostas pedagógicas voltadas a Educação Ambiental, que conduzam aos estudantes a reflexões sobre o Planeta em que vivemos e a sua qualidade ambiental. Neste sentido, o presente trabalho teve como objetivo relatar uma sequência didática desenvolvida com alunos de 6ºs anos, da EMEF Junto ao CAIC Luizinho de Grandi, que buscou: debater a “Carta da Terra para Crianças” (VIANA; GONÇALVES, 2003) e confeccionar uma “Carta da Terra do CAIC” com sugestões dos alunos para uma escola e um bairro melhor de se viver; estudar a Pegada Ecológica dos/com os estudantes para refletir sobre os impactos individuais no Planeta Terra; e promover uma Saída de Campo para um espaço de conservação ambiental – O Jardim Botânico da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). A proposta motivou os alunos e possibilitou a sensibilização frente à Educação Ambiental.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • Alfabetização Cartográfica no Ensino de Geografia

    • Authors: José Ricardo Gomes Dos Santos
      Pages: 166 - 178
      Abstract: O processo de ensino-aprendizagem da geografia necessita, com urgência, de melhorias de caráter prático, sobretudo, no que diz respeito a noções básicas de cartografia. O presente estudo tem como objetivo valorizar a relação entre alguns conceitos fundamentais da alfabetização cartográfica e o ensino de geografia, dentre os quais se destacam o de lateralidade e orientação espacial. Em seguida, fizemos uma abordagem de como os referidos assuntos são aplicados na realidade escolar, assim como, uma análise da garantia dos mesmos nos documentos oficiais que estrutura o ensino escolar. Tais saberes absorvidos pelos estudantes ajuda-os na interpretação de mapas enquanto linguagem específica de suma importância na leitura do espaço geográfico. Porém, antes disso, outras habilidades são necessárias, sendo a utilização do corpo uma ferramenta didática indispensável no desenvolvimento amplo do sujeito. Por fim, sugerimos uma proposta prática de atividade onde se utiliza a lateralidade e orientação espacial na relação corporal com o lugar, a paisagem e seus objetos. Portanto, apesar das inúmeras questões que prejudicam o processo de alfabetização cartográfica, outras diretrizes são postas em prática com grande sucesso por parte dos professores e estudantes.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • TENSÕES E POSSIBILIDADES ACERCA DA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES NO
           BRASIL: A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA

    • Authors: Pedro França Vinicius, Juliana Costa Rocha, Luiz Arthur Saraiva
      Pages: 179 - 192
      Abstract: A discussão em relação ao processo de formação inicial de professores constitui-se como temática central no contexto das principais questões que compõem o cenário da educação no Brasil. Os modelos de formação aligeirada, estruturações curriculares que se configuram mais ao bacharelado do que à licenciatura e as consequências práticas das recém-aprovadas políticas educacionais: Reforma do Ensino Médio (Lei nº 13.415/2017), Base Nacional Curricular Comum (BNCC) e Residência Pedagógica são exemplos de tensões que integram e influenciam tais reflexões sobre a conjuntura de formação no país. Nesse contexto, o objetivo da presente pesquisa é abordar essas e outras tensões com a finalidade de refletir e propor possíveis caminhos que resultem em uma melhor compreensão e aperfeiçoamento da realidade atual, dando ênfase à formação do professor de Geografia. Os procedimentos metodológicos adotados pautaram-se em pesquisa documental e na revisão bibliográfica de autores que tratam a respeito do tema. Os resultados obtidos demonstram que ainda são muitos os dilemas e dificuldades que compõe o âmbito da formação inicial de professores de Geografia, assim, insistir na continuidade de pesquisas e diálogos (particulares e comuns) acerca do assunto é fundamental na finalidade de melhor discerni-lo, propondo outros caminhos e possibilidades.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA NO ENSINO MÉDIO: PRÁXIS
           NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES/AS EM UMA ESCOLA PÚBLICA ESTADUAL EM ÁREA
           RURAL DE IGACI/ALAGOAS

    • Authors: Ricardo Santos de Almeida, Aparecida Mendonça Silva Germano
      Pages: 193 - 209
      Abstract: Este artigo resulta-se das reflexões realizadas ao longo do Estágio supervisionado IV, no curso de Geografia modalidade a distância da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e objetiva-se por descrever e analisar as práticas metodológicas vivenciadas no período de seis semanas em uma escola pública estadual, dos resultados apresentados à interação dos futuros professores com turmas do ensino médio proporcionam um aprendizado importante e ganho de habilidades e competências que servem de base para o futuro profissional. Para esta análise foram utilizados referenciais teóricos como Libâneo, Freire e Pimenta, e utilização do plano de aula que foi acompanhando pelo professor responsável pelo estágio, foram analisados documentos da escola como Projeto Político Pedagógico e relatórios institucionais que serviram de base para a sistematização, assim as reflexões estão divididas em seções: o ensino de geografia em discussão: a escola como espaço de produção do conhecimento por se entender que é fundamental conhecer a escola e seu entorno para se buscar valorizar a realidade local dos alunos/as, o estudante como agente no processo de construção do conhecimento, o professor como agente de transformação: ações metodológicas utilizadas pelo professor-regente em sala de aula e uma descrição do Diário das atividades: Regência uma ação prática do ensino de Geografia.  STUDY PRACTICE SUPERVISED IN GEOGRAPHY IN MIDDLE SCHOOL: PRACTICE IN THE TRAINING OF TEACHERS IN A STATE PUBLIC SCHOOL IN RURAL AREA OF IGACI/ALAGOAS Abstract: This article is a result of the reflections carried out along the supervised stage IV, in the course of Geography distance modality of the Universidade Federal de Alagoas (UFAL) and aims to describe and analyze the methodological practices experienced in the six-week period in a state public school, of the results presented to the interaction of the future teachers with high school classes provide important learning and gain of skills and competences that are the basis for the future professional. For this analysis, theoretical references such as Libâneo, Freire and Pimenta were used, and the use of the lesson plan that was followed by the teacher responsible for the internship, analyzed documents of the school as a Political Pedagogical Project and institutional reports that served as a basis for systematization. the reflections are divided into sections: geography teaching under discussion: the school as a space for the production of knowledge because it is understood that it is fundamental to know the school and its surroundings in order to seek to value the local reality of the students, the student as an agent in the process of knowledge construction, the teacher as agent of transformation: methodological actions used by the teacher-regent in the classroom and a description of the Diary of the activities: Regence a practical action of the teaching of Geography.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • REPRESENTAÇÃO DO ESPAÇO E AS GEOTECNOLOGIAS PARA A GEOGRAFIA ESCOLAR: A
           LINGUAGEM CARTOGRÁFICA COMO RECURSO PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

    • Authors: Lineu Aparecido Paz e Silva, WERIK FOLHA NERES
      Pages: 210 - 227
      Abstract: A representação do espaço geográfico através de recursos audiovisuais é o assunto abordado no presente artigo que tem por objetivo analisar como os mapas enquanto recurso audiovisual pode contribuir enquanto novas tecnologias digitais para o ensino de Geografia. Diante disso, disserta-se sobre o uso das tecnologias da informação como importantes recursos a serem utilizados pelos professores de maneira geral, e em especial pelo professor de Geografia através de aplicativos como o Google Maps e Google Earth para a localização de determinados espaços no planeta. A pesquisa de campo realizada junto a 3 professores e 7 alunos na cidade de Gilbués Piauí, apontou que estes recursos ainda são pouco explorados em sala de aula, embora os alunos já convivam em seu cotidiano com essas ferramentas.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • Tecnologia e espaço geográfico: breves reflexões para o
           ensino de Geografia

    • Authors: Luciano Bezerra de Vasconcelos Júnior
      Pages: 228 - 240
      Abstract: Esse trabalho buscou realizar uma reflexão teórica sobre a relação entre tecnologia/tecnologias e o espaço geográfico, apontando ao final algumas breves possibilidades do uso dessa relação para discussão em sala de aula quando do ensino da Geografia nos anos iniciais. Nossa metodologia baseou-se em uma pesquisa qualitativa pautada na busca de referenciais sobre o tema que serviram de fundamentação teórica para o embazamento de nossas ideias e na realização de uma síntese, amparados em uma perspectiva qualitativa de análise. Por fim concluímos que a aproximação entre o advento e produção das tecnologias e as modificações/permanências no/do espaço geográfico se constituem como uma das inúmeras possibilidades de discussões no ensino da Geografia escolar nos anos iniciais do Ensino Fundamental.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
  • LUTA PELA ESCOLA; DEFESA DO TERRITÓRIO

    • Authors: Diogo Marçal Cirqueira
      Pages: 241 - 246
      Abstract: Resenha:CARVALHO, Ediléia. “Tem que partir daqui, é da gente”: a construção de uma escola “outra” no Quilombo Campinho da Independência, Paraty-RJ. Rio de Janeiro: Imperial Novo Milênio, 2016. p. 230.
      PubDate: 2019-02-02
      Issue No: Vol. 1, No. 3 (2019)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 35.169.107.85
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-