Subjects -> FORESTS AND FORESTRY (Total: 130 journals)
    - FORESTS AND FORESTRY (129 journals)
    - LUMBER AND WOOD (1 journals)

FORESTS AND FORESTRY (129 journals)                     

Showing 1 - 12 of 12 Journals sorted alphabetically
Acta Brasiliensis     Open Access  
Advance in Forestry Research     Open Access   (Followers: 7)
Advances in Forestry Science     Open Access   (Followers: 4)
Agrociencia     Open Access  
Agroforestry Systems     Open Access   (Followers: 15)
Annals of Forest Research     Open Access  
Annals of Forest Science     Hybrid Journal   (Followers: 5)
Annals of Silvicultural Research     Open Access  
Appita Journal: Journal of the Technical Association of the Australian and New Zealand Pulp and Paper Industry     Full-text available via subscription   (Followers: 6)
Arboricultural Journal : The International Journal of Urban Forestry     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Artvin Çoruh Üniversitesi Orman Fakültesi Dergisi / Artvin Coruh University Journal of Forestry Faculty     Open Access  
Asian Journal of Forestry     Open Access   (Followers: 1)
Asian Journal of Research in Agriculture and Forestry     Open Access   (Followers: 1)
Australian Forest Grower     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
Australian Forestry     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Banko Janakari     Open Access  
Bartın Orman Fakültesi Dergisi / Journal of Bartin Faculty of Forestry     Open Access  
BIOFIX Scientific Journal     Open Access  
Bosque     Open Access   (Followers: 2)
Canadian Journal of Forest Research     Hybrid Journal   (Followers: 28)
Canadian Journal of Plant Science     Full-text available via subscription   (Followers: 11)
Central European Forestry Journal     Open Access   (Followers: 1)
Ciencia forestal en México     Open Access   (Followers: 1)
Colombia Forestal     Open Access   (Followers: 1)
Current Forestry Reports     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Current Landscape Ecology Reports     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Dissertationes Forestales     Open Access   (Followers: 1)
East African Agricultural and Forestry Journal     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Eurasian Journal of Forest Science     Open Access  
European Journal of Forest Engineering     Open Access  
European Journal of Forest Research     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Expert Opinion on Environmental Biology     Hybrid Journal  
Folia Forestalia Polonica. Seria A - Forestry     Open Access  
Forest Ecology and Management     Hybrid Journal   (Followers: 61)
Forest Ecosystems     Open Access   (Followers: 5)
Forest Pathology     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Forest Policy and Economics     Hybrid Journal   (Followers: 21)
Forest Science     Hybrid Journal   (Followers: 8)
Forest Science and Technology     Open Access   (Followers: 2)
Forest@ : Journal of Silviculture and Forest Ecology     Open Access  
Foresta Veracruzana     Open Access  
Forestry : Journal of Institute of Forestry, Nepal     Open Access  
Forestry Chronicle     Full-text available via subscription   (Followers: 9)
Forestry Letters     Open Access   (Followers: 1)
Forestry Studies     Open Access  
Forestry: An International Journal of Forest Research     Hybrid Journal   (Followers: 14)
Forests     Open Access   (Followers: 2)
Forests, Trees and Livelihoods     Partially Free   (Followers: 4)
Frontiers in Forests and Global Change     Open Access   (Followers: 2)
Ghana Journal of Forestry     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
iForest : Biogeosciences and Forestry     Open Access   (Followers: 3)
Indian Forester     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Indonesian Journal of Forestry Research     Open Access   (Followers: 1)
INNOTEC : Revista del Laboratorio Tecnológico del Uruguay     Open Access  
International Forestry Review     Full-text available via subscription   (Followers: 5)
International Journal of Agriculture and Forestry     Open Access   (Followers: 6)
International Journal of Agriculture, Forestry and Life Sciences     Open Access  
International Journal of Forest Engineering     Hybrid Journal   (Followers: 1)
International Journal of Forestry Research     Open Access   (Followers: 2)
Iranian Journal of Forest and Poplar Research     Open Access  
Journal of Agriculture, Forestry and the Social Sciences     Full-text available via subscription   (Followers: 5)
Journal of Biodiversity Management & Forestry     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Journal of Bioresources and Bioproducts     Open Access  
Journal of Environmental Extension     Full-text available via subscription  
Journal of Forest and Natural Resource Management     Open Access  
Journal of Forest Economics     Hybrid Journal   (Followers: 5)
Journal of Forestry     Hybrid Journal   (Followers: 15)
Journal of Forestry Research     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Journal of Horticulture and Forestry     Open Access   (Followers: 6)
Journal of Natural Resources Policy Research     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Journal of Research in Forestry, Wildlife and Environment     Open Access   (Followers: 5)
Journal of Sustainable Forestry     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Journal of Wood Chemistry and Technology     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Journal of Wood Science     Open Access   (Followers: 3)
Jurnal Ilmu Kehutanan     Open Access  
Jurnal Penelitian Kehutanan Wallacea     Open Access  
Jurnal Penelitian Sosial dan Ekonomi Kehutanan     Open Access  
Jurnal Pertanian Terpadu     Open Access  
Jurnal Sylva Lestari     Open Access  
La Calera     Open Access  
Landscapes     Hybrid Journal   (Followers: 18)
Lesnoy Zhurnal     Open Access  
Madera y Bosques     Open Access  
Maderas. Ciencia y tecnología     Open Access  
Natural Areas Journal     Full-text available via subscription   (Followers: 10)
New Forests     Hybrid Journal   (Followers: 2)
New Zealand Journal of Forestry Science     Open Access   (Followers: 3)
Open Journal of Forestry     Open Access   (Followers: 1)
Ormancılık Araştırma Dergisi / Turkish Journal of Forestry Research     Open Access  
Parks Stewardship Forum     Open Access  
Peer Community Journal     Open Access   (Followers: 4)
Proceedings of the Forestry Academy of Sciences of Ukraine     Open Access  
Quebracho. Revista de Ciencias Forestales     Open Access  
Research Journal of Forestry     Open Access   (Followers: 2)
Revista Chapingo. Serie Ciencias Forestales y del Ambiente     Open Access  
Revista Cubana de Ciencias Forestales     Open Access  
Revista de Agricultura Neotropical     Open Access  
Revista Ecologia e Nutrição Florestal - ENFLO     Open Access   (Followers: 1)
Revista Forestal Mesoamericana Kurú     Open Access  
Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável     Open Access   (Followers: 2)
Revue forestière française     Full-text available via subscription   (Followers: 4)
Rural Sustainability Research     Open Access   (Followers: 2)
Rwanda Journal     Full-text available via subscription  
Savannah Journal of Research and Development     Open Access  
Scandinavian Journal of Forest Research     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Science, Technology and Arts Research Journal     Open Access   (Followers: 1)
Selbyana     Open Access  
Silva Balcanica     Open Access  
Small-scale Forestry     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Southern Forests : a Journal of Forest Science     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Tanzania Journal of Forestry and Nature Conservation     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
Textual : Análisis del Medio Rural Latinoamericano     Open Access  
Trees     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Trees, Forests and People     Open Access   (Followers: 1)
Urban Forestry & Urban Greening     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Wahana Forestra : Jurnal Kehutanan     Open Access  
Wood and Fiber Science     Full-text available via subscription   (Followers: 2)

           

Similar Journals
Journal Cover
BIOFIX Scientific Journal
Number of Followers: 0  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Online) 2525-9725
Published by Universidade Federal do Paraná Homepage  [3 journals]
  • NÚMEROS ATUAIS DA CERTIFICAÇÃO FLORESTAL NO BRASIL

    • Authors: Carlos Roberto Sanquetta, Celine Mildemberg, Leticia Maria Sella Marques Dias
      Pages: 1 - 8
      Abstract: A certificação florestal é um importante instrumento de gestão e garantia da sustentabilidade no setor florestal. Para avaliar o estado atual da certificação é necessário se ter números atualizados e detalhados. Este estudo visou analisar os números atuais da certificação florestal no Brasil. Para a análise, foram utilizados dados disponibilizados nas plataformas da internet dos sistemas FSC® (Forest Stewardship Council) e Cerflor/PEFC® (Sistema Brasileiro de Certificação Florestal/Plan for the Endorsement of Forest Certification Schemes), considerando os sistemas e as certificadoras, os tipos de certificação, a localização e os produtos certificados. A maior área florestal certificada no Brasil atualmente é pelo sistema FSC. Há mais florestas plantadas certificadas do que nativas. Minas Gerais é o Estado com a maior área de manejo certificada, tanto pelo FSC quanto pelo Cerflor/PEFC. Imaflora e SCS são as certificadoras com mais certificados e áreas certificadas de manejo florestal. O produto predominante declarado pelas unidades de manejo florestal certificadas é a madeira em toras. Há um número muito superior de certificações CoC (cadeia de custódia) pelo FSC do que pelo CERFLOR. A maioria das certificações CoC refere-se a indústrias de produtos madeireiros, notadamente materiais de papel e de madeira serrada. As certificadoras mais atuantes em CoC são Imaflora, SCS e Control Union. Os números da certificação florestal em manejo florestal no Brasil ainda são modestos, considerando a dimensão de sua cobertura florestal. O mesmo pode ser dito em relação ao número de indústrias certificadas em cadeia de custódia. Por isso há um amplo espaço para crescimento.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.81042
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
  • EFFECTS OF GLYPHOSATE ON GERMINATION AND PHOTOSYNTHESIS IN Prosopis alba
           G.: A BIOCHEMICAL APPROACH

    • Authors: Diego Ariel Meloni, María José Nieva, Carlos Alberto Martínez
      Pages: 9 - 16
      Abstract: In recent decades, the phytogeographic region of the Western Chaco has been subjected to heavy deforestation. The native forest was gradually replaced by agricultural crops using high doses of herbicides. Glyphosate is the most widely used herbicide, and its impact on the surrounding native flora is unknown. The aim of this work was to determine the effect of glyphosate on the germination of Prosopis alba seeds and the photosynthesis of seedlings.  Seeds were placed between paper towels, moistened with solutions of 0, 10, 20, 20, 30 and 40 mg a.i. glyphosate l-1, in a growth chamber at 25 oC and a 12 h photoperiod. The percentage of germinated seeds and the mean germination time were calculated. The respiratory rate was measured in these seeds, and the activity of complexes I and III of the respiratory chain was quantified. The shikimate concentration and antioxidant response of the seeds were also quantified. Chlorophyll a fluorescence emission variables were measured in the cotyledons. It was concluded that glyphosate inhibits germination in P. alba seeds and decreases the speed of the process.  This effect can partly be explained by inhibition of respiration, mainly at the level of complex III of the mitochondrial electron transport chain. It is also due to oxidative stress produced by the herbicide, since the antioxidant response of the seeds fails to compensate for the high production of reactive oxygen species. Glyphosate inhibits the photochemical stage of photosynthesis on P. alba cotyledons.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.81308
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
  • APORTES METODOLÓGICOS PARA A IMPLANTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE EXPERIMENTOS
           COM SEMENTES EM RELAÇÃO A GERMINAÇÃO E AO VIGOR

    • Authors: Thiago Costa Ferreira, Manoel Rivelino Gomes de Oliveira, Aldrin Martin Perez-Marin
      Pages: 17 - 26
      Abstract: A avaliação de sementes e plântulas em vias experimentais é uma importante fonte de conhecimentos úteis para a produção agrícola sustentável. Neste sentido este artigo tem como base a reunião e compilação de informação sobre os principais métodos de avaliação de experimentos com sementes, em relação à germinação e ao vigor. Para tal, foram enumerados pontos como a qualidade de sementes, protocolos experimentais e suas respectivas exemplificações. Assim, pode ser percebido que a utilização de outros testes e variáveis podem ser ligadas a experimentação com sementes, permitindo um uso melhor dos planos experimentais a fim de contribuir com uma melhor caracterização a este processo científico. A pesquisa com sementes pode ser melhor otimizada para que seus resultados possam ser entendidos e aplicados no ambiente agrícola com maior ênfase.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.81336
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
  • PRIMING EM SEMENTES: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA CONCISA E
           ATUALIZADA

    • Authors: Thiago Costa Ferreira, Aldrin Martin Perez-Marin
      Pages: 27 - 36
      Abstract: Resistência às mudanças climáticas, necessidades de alta produção e um melhor desenvolvimento de cultivos vegetais pelo mundo têm sido as buscas da comunidade científica atual. Nesse contexto, ainda são atrelados conceitos econômicos e sociais, aos quais embasam a discussão sobre quais técnicas apresentam características que favoreçam sua utilização. Dentre tais técnicas, a utilização de priming em sementes tem sido apontada como uma das mais promissoras, pois permite condições melhores de germinação e vigor, frente aos desafios já descritos. Neste sentido, visualizando a importância que estas tecnologias podem tomar em relação a produção agrícola mundial, ao aumento produtivo, resistência a fatores estressantes e a quebra de dormência, logo este artigo tem como objetivos discorrer e discutir as bases e ponderações sobre a utilização de técnicas de priming em lavouras que são propagadas por semntes, pelo mundo. Portanto, foram buscados artigos e livros atuais sobre a temática, ainda pouco desenvolvida no Brasil, e os resultados foram compilados de maneira a favorecer a prática e a pesquisa com tecnologias de priming no país. Assim sendo, puderam ser compilados mais de cinquenta textos que reúnem em suas ideias como a utilização do priming em sementes pode ser vantajosa frente às necessidades de resistência às mudanças climáticas, necessidades de alta produção e um melhor desenvolvimento de cultivos vegetais.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.81337
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
  • PROMOÇÃO DE VIGOR E GERMINAÇÃO EM SEMENTES DA CAATINGA PELA
           UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS DE PRIMING

    • Authors: Thiago Costa Ferreira, Marcelo da Costa Patrício, Manoel Rivelino Gomes de Oliveira, Aldrin Martin Perez-Marin
      Pages: 37 - 45
      Abstract: A utilização de técnicas sustentáveis para a melhoria da germinação e vigor de sementes florestais como as técnicas de Primings tem sido difundida na atualidade. O Hydropriming (imersão em água) e o Biopriming (veiculação de agente biológico) têm sido estudadas no mundo inteiro, porém ainda foram pouco estudadas com sementes da Caatinga. Assim, o objetivo desta pesquisa foi testar a possibilidade da promoção de vigor e germinação em sementes provenientes do bioma Caatinga pela utilização em conjunto de Biopriming e Hydropriming. Assim, esta pesquisa teve como espécies trabalhadas Ceiba speciosa, Pseudobombax marginatum, Handroanthus impetiginosus, Tabebuia aurea, Anadenanthera colubrina, Libidibia ferrea e Cenostigma pyramidale, tratadas em imersão (25±2°C por 24h) em solução aquosa com a presença de Trichoderma, ou não (controle, imersão em água destilada). Após, foram semeadas em papel germitest e avaliadas quanto a variáveis de germinação e vigor, em condições de laboratório. Em relação aos resultados obtidos nesta pesquisa, a promoção de vigor e germinação em sementes provenientes do bioma Caatinga pela utilização em conjunto de Biopriming e Hydropriming não foram alcançadas com sementes de Ceiba speciosa, Pseudobombax marginatum, Handroanthus impetiginosus, Tabebuia aurea, Anadenanthera colubrina, Libidibia ferrea e Cenostigma pyramidale nas condições referidas nesta pesquisa. Pesquisas com esta mesma temática, com o uso de padrões diferenciados podem ser úteis para que se possa promover vigor e germinação em relação às espécies trabalhadas.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.81424
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
  • CELULARES, APLICATIVOS E OPERADORES NA MENSURAÇÃO FLORESTAL

    • Authors: Charlote Wink, Suely Bezerra de Lima, Rafaella De Angeli Curto, Emanuel José Gomes de Araujo
      Pages: 46 - 52
      Abstract: A acesso as tecnologias têm permitido mensurar as árvores de forma rápida, com menor custo e precisão, igualando-se as medições com equipamentos tradicionais. O objetivo foi avaliar a precisão de celulares, aplicativos e operadores na mensuração da altura de árvores em plantio de eucalipto. A altura total foi mensurada em 54 árvores, localizadas em 18 parcelas distribuídas sistematicamente, por dois operadores, usando os aplicativos Measure Height® e o Hypsometer® e os celulares Samsung Galaxy J7® e Motorola Moto G7 Power®, comparada a altura real obtida com Hipsômetro Vertex IV®. Os resultados foram analisados pelo teste de normalidade de Kolmogorov-Smirnov e teste de Dunnett, ambos a 1% de probabilidade, análise gráfica de resíduos e estatística complementar. A altura total real média foi 31,04m (desvio padrão de 1,93 e coeficiente de variação de 6,21%), com distribuição normal (K-S d = 0,07475 a 0,20142) e análise de variância (p<0,0001), ambos significativos. Pelo teste de Dunnett, somente a altura total estimada pelo Measure Height® nos dois celulares diferiu da altura total real obtida pelo Vertex. Independentemente do celular, o aplicativo Hypsometer® se aproximou do valor real. O celular Samsung® e operador 2 foram mais eficientes na estimativa, devido a distribuição de resíduos ser menos tendenciosa e mais homogênea, com menor diferença entre a estimativa e o valor real. Portanto, a exatidão na medição da altura total das árvores depende do celular, especialmente das características dos sensores, que pode influenciar no desempenho dos aplicativos, bem como na habilidade do operador na mensuração florestal.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.81648
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
  • VOLUMETRIC MODELING OF Pinus taeda L. FROM ORBITAL IMAGES

    • Authors: Carla Talita Pertille, Marcos Felipe Nicoletti
      Pages: 53 - 60
      Abstract: This work aimed to investigate the potential of image-derived indices derived from Sentinel-2/MSI images in the volumetric modeling of a stand of Pinus taeda L. located in Bom Retiro, State of Santa Catarina. For this purpose, field data derived from a forest inventory were used, by the fixed area method and simple random sampling with an allocation of 18 circular plots of 400 m². The remotely located data comprised an orbital image from the Sentinel-2/MSI sensor. From this image, 14 average vegetation indices per plot were calculated. These indices were correlated with the volume by plot (m³ 0.04 ha-1) derived from the inventory. The indices with the best correlation for volume by plot (m³ 0.04 ha-1) were the Generalized Difference Vegetation Index (GDVI) and Adjusted Soil Vegetation Index (SAVI) with 0.39 and 0.36, respectively. The best regression model completed using these VIs estimated the volume by plot with R² controls of 0.9402 and Syx of 1.44%. The use of spectral indices generated from Sentinel-2/MSI sensor data enabled the volumetric estimate of the Pinus taeda L. stand, not revealing differences between the volume accumulated by forest inventory and by orbital images. However, it is worth pointing out that new tests be carried out on other forest species and with medium to high spatial resolution sensors.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.82066
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
  • CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-MECÂNICA DA MADEIRA DE Dodonaea
           viscosa Jacq.

    • Authors: Rodrigo Otávio Schneider Souza, Laura Hoffmann de Oliveira, Luciane Gorski, Guilherme Valcorte, Roberta Rodrigues Roubuste, Clóvis Roberto Haselein
      Pages: 61 - 65
      Abstract: O uso da madeira de espécies nativas pode ser visto como alternativa de renda para produtores rurais, no entanto ainda existe uma grande lacuna a ser preenchida pelas instituições de pesquisa a respeito das características dessa a fim de embasar sua utilização. Neste sentido, o presente estudo objetivou caracterizar as propriedades físico-mecânicas da madeira de Dodonaea viscosa Jacq. Para tanto, foram utilizadas neste estudo exemplares da espécie Dodanaea viscosa, conhecida popularmente como faxina vermelha ou vassoura-vermelha, com aproximadamente quinze anos de idade. Os corpos de prova foram confeccionados seguindo as dimensões descritas nas respectivas normas de cada ensaio. Após a confecção, os mesmos foram acondicionados em câmara climatizada a uma temperatura de 20°C e 65% de umidade relativa, onde permaneceram até atingirem umidade de equilíbrio de 12%.  Posteriormente, foram avaliados: massa específica aparente, flexão estática, flexão dinâmica e dureza Janka.  A partir dos resultados obtidos neste estudo, pode-se perceber que a madeira de Dodonaea viscosa pode ser classificada como de alta densidade, possui bom desempenho nas propriedades mecânicas, como módulo de ruptura, módulo de elasticidade, dureza Janka e resistência ao impacto. Além disso, apresenta alto valor de cota dinâmica, caracterizando-a como uma madeira resiliente.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.82112
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
  • EFEITO DA IDADE SOBRE O POLINÔMIO DO QUINTO GRAU PARA AFILAMENTO DE
           Pinus taeda L.

    • Authors: Saulo Jorge Téo, João Henrique Esteves
      Pages: 66 - 73
      Abstract: A forma dos troncos das árvores é um importante parâmetro de qualidade e necessária para calcular e estimar o volume dos troncos das árvores, contudo varia conforme uma série de fatores, entre eles a idade das árvores. O objetivo deste estudo é demonstrar o efeito da idade sobre os parâmetros do polinômio do quinto grau e, consequentemente, sobre a forma do tronco de árvores de Pinus taeda L., visando a formulação de funções de afilamento, que podem representar troncos de diferentes formas. Os dados são provenientes de 631 árvores, com idades variando de 4 a 31 anos, de diversos povoamentos florestais na região Meio Oeste do estado de Santa Catarina, Brasil. Foi ajustado e testado o polinômio do quinto grau sem qualquer alteração, e com seus coeficientes expressos como função linear da idade, por meio do procedimento PROC NLIN do aplicativo computacional SAS® OnDemand for Academics. O polinômio do quinto grau, com os coeficientes  e  ajustados como função linear da idade, apresentou o melhor desempenho estatístico, realismo biológico e conformidade com o conhecimento teórico sobre a forma dos troncos das árvores de Pinus taeda. Dessa forma, apenas uma equação de afilamento foi capaz de estimar diâmetros ao longo do tronco de árvores de diferentes formas, com precisão e exatidão.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.82184
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
  • QUALIDADE ESTRUTURAL DO SOLO APÓS O CORTE FLORESTAL POR HARVESTER DE
           PNEUS E ESCAVADEIRA HIDRÁULICA ADAPTADA

    • Authors: Leandro Tonhato, Eduardo da Silva Lopes, Carla Krulikowski Rodrigues, Jean Alberto Sampietro, Allan Libanio Pelissari, Matheus Kaminski Cândido da Silva
      Pages: 74 - 79
      Abstract: O objetivo foi avaliar a qualidade estrutural do solo após corte florestal com harvester de pneus e escavadeira hidráulica adaptada em LATOSSOLO VERMELHO distrófico típico. O experimento foi delineado de forma inteiramente casualizada com instalação de quatro unidades amostrais com três pontos de repetição. Além disso, foram coletadas amostras de solo na trilha de tráfego dos rodados da máquina nas camadas de 0 a 0,10; 0,11 a 0,20; 0,21 a 0,30; e 0,31 a 0,40 m de profundidade para determinação dos parâmetros de densidade e porosidade total e, também, foi mensurada a resistência do solo à penetração na trilha dos rodados e entre rodados. Dessa forma, foi possível determinar que a densidade e a porosidade total média antes do tráfego das máquinas foram de 1,10 g cm-3 e 53,85%, respectivamente, ocorrendo efeitos significativos nessas variáveis após o tráfego do harvester de pneus em todas as camadas avaliadas. Quanto a resistência do solo à penetração, verificou-se que houve aumento significativo na trilha dos rodados do harvester, tanto de pneus como de escavadeira, contudo, havendo incremento de cerca de 77% na camada de 0,10 m após tráfego do harvester de pneus.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.82329
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
  • CARACTERIZAÇÃO DAS ESPÉCIES FLORESTAIS EM PLANOS DE MANEJO FLORESTAL
           SUSTENTÁVEL EM PEQUENA ESCALA NO ESTADO DO AMAZONAS

    • Authors: Filipe Campos Freitas, Eirie Gentil Vinhote, Alberto Carlos Martins Pinto
      Pages: 80 - 88
      Abstract: O manejo em pequena escala é uma alternativa de uso dos recursos madeireiros para pequenos produtores no estado do Amazonas. Estudos florísticos são importantes para o conhecimento da flora regional e seus potenciais diversos. O objetivo deste estudo foi avaliar a composição florística e estrutura florestal em planos de manejo em pequena escala a fim de se conhecer quais espécies tem sido mais visada pelos pequenos produtores rurais do Amazonas e verificar se a diversidade de espécies dessas áreas condiz com o esperado para a região Amazônica. Foram utilizadas planilhas de inventário florestal de planos de manejo licenciados no ano de 2013. Foi realizada a análise da estrutura horizontal considerando os parâmetros de densidade, dominância, frequência e valor de importância das espécies. A diversidade da vegetação foi avaliada a partir dos índices de diversidade de Shannon-Wiener (H') e equabilidade de Pielou (J). Houve um total de 5716 indivíduos mensurados, representando 158 espécies e 35 famílias botânicas. As 10 famílias com maior riqueza de espécies foram Fabaceae (37), Lauraceae (18), Lecythidaceae (15), Sapotaceae (9), Moraceae (9), Chrysobalanaceae (8), Malvaceae (7) Myristicaceae (6), Anacardiaceae (5) e Caryocaraceae (4). As 10 espécies com maior valor de importância foram Micropholis williamii, Goupia glabra, Couratari tauari, Chrysophyllum L., Scleronema micranthum, Licania heteromorfa, Couepia subcordata, Tachigali paniculata, Peltogyne densiflora e Dipteryx odorata. A diversidade de espécies em planos de manejo em pequena escala condiz com o esperado para a ragião amazônica, sendo considerada alta.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.82333
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
  • PERCEPÇÃO DA COMUNIDADE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ EM RELAÇÃO
           ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

    • Authors: Carlos Roberto Sanquetta, Milena Pereira Kozlowski
      Pages: 89 - 97
      Abstract: O assunto das mudanças climáticas é amplamente discutido atualmente, mostrando a importância do mesmo. As Universidades são vistas como geradoras de conhecimento e de profissionais que farão parte do mercado de trabalho a curto, médio e longo prazo. Portanto, é imprescindível que se realize um diagnóstico do conhecimento da comunidade acadêmica quanto às mudanças climáticas, o qual foi objeto do presente estudo. Para isto, criou-se um formulário contendo perguntas fechadas a respeito da percepção de risco, de urgência e de responsabilidade quanto às mudanças climáticas. Trata-se de uma amostra não-probabilística e intencional, pois o público-alvo era de pessoas diretamente ligadas à Universidade Federal do Paraná (UFPR). Em geral, a comunidade acadêmica da UFPR possui um conhecimento considerado intermediário das mudanças climáticas e reconhece a importância do assunto. As principais fontes de conhecimento utilizadas são a internet, a televisão e a própria Universidade, demonstrando a importância das mídias sociais na formação de conhecimento técnico e crítico. A maioria da amostra acredita que as atividades humanas influenciam o clima terrestre e que uma das principais atividades que podem agravar a situação é o desmatamento. Além disso, a principal responsabilidade com relação à tomada de decisão e ação com relação às mudanças climáticas foi direcionada a órgãos públicos, instituições privadas e órgãos internacionais. A amostra demonstra compreender os principais conceitos, causas e consequências ligados às mudanças climáticas. Com os resultados obtidos, pode-se fazer uma melhor curadoria de assuntos a serem tratados em uma possível campanha de conscientização.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.82663
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
  • IMPACTO FINANCEIRO DA NÃO-INTEGRAÇÃO DE ESTRADAS EM MODELOS DE
           AGENDAMENTO TÁTICO DE COLHEITA

    • Authors: Linamara Smaniotto Ferrari, Julio Eduardo Arce, Allan Libanio Pelissari, Cassius Tadeu Scarpin, Renata Naoko Correa
      Pages: 98 - 103
      Abstract: No planejamento tático florestal, as decisões relacionadas ao agendamento da colheita são altamente interligadas às decisões do planejamento de estradas. Porém, devido à complexidade de integrar problemas de colheita florestal e estradas em um mesmo modelo, a abordagem desse tipo de problema tem sido tradicionalmente realizada em duas etapas sequencialmente vinculadas. Por esse motivo, este estudo tem como objetivo comparar as consequências financeiras da não integração do planejamento das estradas em modelos de agendamento tático da colheita florestal através da aplicação da Programação Linear Inteira Mista (PLIM). O modelo PLIM foi implementado em uma floresta pertencente a uma indústria brasileira de base florestal. Com base em dados geoespaciais, foi aplicado o algoritmo de Dijkstra para gerar os caminhos mais curtos entre cada talhão florestal e o destino final (fábrica). No entanto, tendo em vista a seleção prioritária de determinados tipos de estradas, o algoritmo de Dijkstra foi adaptado para penalizar de maneira mais intensa os trechos de estrada com menor capacidade de tráfego de caminhões e maquinários, como por exemplo estradas estreitas e de terra. Os cenários testados resultaram em soluções inteira ótima em menos de um minuto de processamento computacional. Além disso, a aplicação de um modelo integrado de agendamento da colheita florestal com o planejamento das estradas elevou em 0,6% a receita líquida total do planejamento florestal tático, bem como reduziu em 21% a quantidade de estradas necessárias às operações de colheita da madeira.
      PubDate: 2022-01-03
      DOI: 10.5380/biofix.v7i1.82745
      Issue No: Vol. 7, No. 1 (2022)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 3.236.234.223
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-