A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  

  First | 1 2        [Sort alphabetically]   [Restore default list]

  Subjects -> ARCHITECTURE (Total: 219 journals)
Showing 201 - 264 of 264 Journals sorted by number of followers
The Journal of Integrated Security and Safety Science (JISSS)     Open Access   (Followers: 14)
Nepalese Culture     Open Access   (Followers: 13)
Journal of Delta Urbanism     Open Access   (Followers: 12)
International Journal of Student Project Reporting     Hybrid Journal   (Followers: 12)
Journal of Architectural and Engineering Research     Open Access   (Followers: 7)
UOU Scientific Journal     Open Access   (Followers: 6)
Journal of Public Space     Open Access   (Followers: 6)
Cultural Heritage and Science     Open Access   (Followers: 4)
Actas de Arquitectura Religiosa Contemporánea     Open Access   (Followers: 1)
Revista de Design, Tecnologia e Sociedade     Open Access   (Followers: 1)
Creative Space     Open Access   (Followers: 1)
Oz : the Journal of the College of Architecture, Planning &Design at Kansas State University     Open Access   (Followers: 1)
On the w@terfront. Public Art. Urban Design. Civic Participation. Urban Regeneration     Open Access   (Followers: 1)
Estructuras     Open Access  
Sinektika : Jurnal Arsitektur     Open Access  
Arquitectura Más (Arquitectura +)     Open Access  
interFACES     Open Access  

  First | 1 2        [Sort alphabetically]   [Restore default list]

Similar Journals
Journal Cover
interFACES
Number of Followers: 0  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Print) 1516-0033
Published by Universidade Federal do Rio de Janeiro Homepage  [22 journals]
  • Apresentação

    • Authors: Zadig Gama
      Pages: 6 - 8
      PubDate: 2021-12-30
      Issue No: Vol. 31, No. 2 (2021)
       
  • O centenário do Goncourt de Proust: da “proustituição” a uma
           consagração en abyme, um lugar de memória

    • Authors: Luciana Persice Nogueira-Pretti
      Pages: 9 - 30
      Abstract: Com um início de carreira conturbado, em que é visto como esnobe decadente, para, mais tarde, ser rotulado de esteta burguês, Marcel Proust enfrenta críticas pessoais e descrença quanto ao seu talento literário. A obtenção do Prêmio Goncourt por seu segundo romance, em 1919, abre caminho para uma nova fase na recepção de sua obra, de um leitorado mais amplo, mas não garante que ela seja predominantemente positiva: os ataques persistem, e a decisão do júri será vista, por alguns críticos mais acerbos, como escandalosa “proustitution”. Cem anos depois, o Prêmio Goncourt será uma festa, de eleição de mais um título, mas também de rememoração de À l’ombre des jeunes filles en fleurs, numa celebração múltipla, e en abyme, do romance, de seu autor, de seu editor, e do próprio concurso. Percorremos o roteiro de luz e sombra da relação entre a obra proustiana e seus críticos, com vistas a ressaltar e (re)dimensionar a importância do Prêmio Goncourt de 1919 e de sua celebração em 2019, inclusive enquanto “lugar de memória” (COMPAGNON 1992, NORA 2013, LAGET 2020)
      PubDate: 2021-12-30
      Issue No: Vol. 31, No. 2 (2021)
       
  • Le Prix de la critique ACBD de la bande dessinée québécoise:
           construction, limites et réceptions d’un objet contradictoire

    • Authors: Maël Rannou
      Pages: 31 - 42
      Abstract: Le prix de la critique ACBD de la bande dessinée québécoise a été créé en 2015 en grande partie pour faire connaître cette riche production en Europe. Cet article revient sur l’origine du prix, sa création et ses ambitions et met ces données en perspective face aux titres récompensés et aux retombées médiatiques, en s’appuyant notamment sur des entretiens avec les trois coordonnateurs successifs du prix.
      PubDate: 2021-12-30
      Issue No: Vol. 31, No. 2 (2021)
       
  • Literatura Amazônica à margem do cânone, apesar de premiada

    • Authors: Regina Barbosa Costa, Edvaldo Santos Pereira
      Pages: 43 - 55
      Abstract: O cerne deste trabalho está pautado em indagações a respeito da escolha de obras literárias e autores para o cânone brasileiro, colocando-se em discussão a querela que envolve o reconhecimento qualitativo de uma obra e, consequentemente, de um autor. Para isso aponta-se, por um lado, autores premiados que não alcançam o cânone e, por outro, autores de discutível qualidade literária promovidos ao cânone. Nesse sentido, destacam-se dois autores do Norte que obtiveram premiações em concursos nacionais: o poeta Bruno de Menezes, premiado no concurso “Onze chaves de ouro de Guilherme de Almeida”, promovido pela Academia de Letras de Ilhéus, e o romancista Dalcídio Jurandir, premiado no concurso “Dom Casmurro”, realizado pela editora Vecchi, do Rio de Janeiro, dentre outras honrarias. Apesar de premiados e estudados amplamente pelas universidades paraenses, esses escritores continuam à margem da história da literatura brasileira que, mesmo em constante reconstrução, é escrita de forma subjetiva pelos construtores de uma crítica literária nacional que seleciona obras, privilegiando produções de locais hegemônicas do Brasil, salvo raras exceções. Assim, é mantida a escolha de autores com obras nem sempre de boa qualidade, deixando à margem do cânone, autores de outras regiões, merecedores de reconhecimento.
      PubDate: 2021-12-30
      Issue No: Vol. 31, No. 2 (2021)
       
  • O Prêmio Strega e sua evolução do pós-guerra ao
           3º milênio

    • Authors: Clara Maria Salvador Pereira da Costa, Doris Nátia Cavallari
      Pages: 56 - 70
      Abstract: Este trabalho tem o objetivo de apresentar sucintamente o Premio Strega, o mais famoso entre os reconhecimentos concedidos a uma obra narrativa italiana. Apesar de pouco conhecido no Brasil, na Itália o concurso tem forte influência sobre o público leitor, impacto nas atividades editoriais e ampla cobertura midiática. Em primeiro lugar, fizemos uma breve retrospectiva de seus 75 anos de história: criadores e sucessores, vencedores emblemáticos, jurados ilustres e seu processo de expansão e modernização. A segunda parte do artigo lista os principais pontos do regulamento, com foco em atualizações recentes. Em seguida, apontamos as predileções do Strega que suscitam polêmicas: escassez de autoras mulheres e baixa alternância de editoras entre os contemplados, aspectos ainda mais evidentes na comparação com outros renomados prêmios italianos. Por fim, relacionamos características narrativas e temáticas presentes nos romances vencedores dos últimos 20 anos, traduções no Brasil e adaptações para o cinema.
      PubDate: 2021-12-30
      Issue No: Vol. 31, No. 2 (2021)
       
  • A Escolha do Goncourt no Brasil: Zadig Gama entrevista Joice Armani Galli

    • Authors: Zadig Gama
      Pages: 71 - 80
      Abstract: Em entrevista realizada por e-mail com a Professora Doutora Joice Armani Galli, que está à frente do Choix Goncourt du Brésil (Escolha do Goncourt no Brasil) desde sua criação, em 2019, ficaremos sabendo um pouco mais a respeito da relação dessa iniciativa com as instituições de promoção da francofonia no país e sobre sua atuação enquanto responsável por um dos grupos de leitura dos romances concorrentes.
      PubDate: 2021-12-30
      Issue No: Vol. 31, No. 2 (2021)
       
  • A representação dos espaços em Au Bonheur des dames, de
           Émile Zola

    • Authors: Eduarda Araújo da Silva Martins
      Pages: 81 - 105
      Abstract: Este artigo abordará o espaço na literatura, a partir da análise do romance Au Bonheur des dames (1883), do escritor naturalista francês Émile Zola (1840-1902). Para isso, buscaremos demonstrar como o espaço urbano e o espaço social (BRANDÃO, 2007) são representados na obra, refletindo, igualmente, sobre a percepção da cidade através dos sentidos (KANASHIRO, 2003; NEVES; SOBRAL, 2019). Sabendo que a estética naturalista é altamente referencial, discutiremos como a noção de real é compreendida teoricamente por Zola antes de se realizar no texto literário. 
      PubDate: 2021-12-30
      Issue No: Vol. 31, No. 2 (2021)
       
  • Rir até o fim: a filosofia da morte na escrita de Aldo Palazzeschi

    • Authors: Eric da Silva Santiago
      Pages: 106 - 124
      Abstract: O presente artigo visa apresentar um espectro da relação entre a escrita poética, narrativa e ensaística, palazzeschiana e a temática da morte, dando enfoque para possível criação de uma filosofia da morte no pensamento e obra do autor. Aldo Palazzeschi foi um autor italiano nascido em 1885 que, até a data de sua morte em 1974, produziu uma pluralidade de textos que variam entre poesias, novelas, romances, ensaios e manifestos, contudo, o autor é mais notoriamente conhecido por ter participado ativamente do Futurismo italiano ao lado de grandes artistas da época, como o pintor e escultor Umberto Boccioni (1882 – 1916), o pintor Carlo Carrà (1881 – 1966) e o também escritor, e fundador do Futurismo, Filippo Tommaso Marinetti (1876 – 1944). Já em sua fase futurista a temática da morte é presente e potente, estando presente em suas poesias e sobretudo em seu manifesto, porém, com o decorrer de sua escrita a temática evolui e ganha novas dimensões e texturas. Para a análise da obra palazzeschiana e sua relação com a morte serão utilizados alguns pensamentos sobre o processo da morte nas obras de Nietzsche (2011; 2017) e Schopenhauer (2015), alguns apontamentos sobre a escrita de Palazzeschi feitos por Curi (2007) e Tellini (2007; 2017), as considerações sobre o cômico, a comicidade e o riso de Bergson (2018), Berger (2017), D’Angeli e Paduano (2007) e Pereira (2017), e principalmente as propostas e ponderações do manifesto do próprio Palazzeschi (1994).
      PubDate: 2021-12-30
      Issue No: Vol. 31, No. 2 (2021)
       
  • Ecos naturalistas e veristas na obra de Gabriele D’Annunzio: uma
           leitura de La madia

    • Authors: Julia Lobão
      Pages: 125 - 144
      Abstract: Antes de ser reconhecido como o representante do decadentismo italiano, Gabriele D’Annunzio aventurou-se pelo naturalismo (francês) e o verismo (italiano). Tais movimentos surgem em resposta ao romantismo e dão voz a trabalhadores e à população silenciada. Influenciado pelas narrativas de Giovani Verga e Guy de Maupassant, D’Annunzio compõe crônicas que revelam ora a zoomorfização do verismo, ora a denúncia social do naturalismo. O resultado dessa apropriação são inúmeros contos sobre a terra natal de D’Annunzio, posteriormente editados e republicados em um único volume: Novelle della Pescara (1902). O presente artigo tenciona investigar os traços veristas e naturalistas em La Madia, um dos contos pertencentes à obra de 1902, buscando revelar mais uma das facetas do poliédrico D’Annunzio.   
      PubDate: 2021-12-30
      Issue No: Vol. 31, No. 2 (2021)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 44.200.137.63
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-