A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  

  Subjects -> ANTHROPOLOGY (Total: 398 journals)
The end of the list has been reached or no journals were found for your choice.
Similar Journals
Journal Cover
Ethnoscientia : Brazilian Journal of Ethnobiology and Ethnoecology
Number of Followers: 0  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Online) 2448-1998
Published by Sociedade Brasileira de Etnobiologia e Etnoecologia Homepage  [1 journal]
  • PREFÁCIO

    • Authors: Carla Giovana Souza Rocha, Monique Medeiros, Luis Mauro Santos Silva, Claudia Isabel Camacho Benavides, Emmanuel Duarte Almada, Nemer E Narchi, Víctor Gayol, Octavio A Montes Vega
      Pages: 1 - 3
      Abstract: Atreladas a uma Sindemia Global, na qual articulam-se as epidemias de desnutrição, obesidade e mudanças climáticas, desigualdades e vulnerabilidades de distintas sociedades foram se consolidando ao longo dos anos. Intensificadas pela crise sanitária decorrente da Covid-19, tais desigualdades e vulnerabilidades, por um lado, enfatizam os limites de um modelo de desenvolvimento puramente economicista e, por outro lado, fortalecem a importância de uma sensibilidade agroecológica na construção de sistemas alimentares mais territorializados como estratégica na superação desse modelo de desenvolvimento.Em distintos recantos da América Latina e do Caribe, a agricultura high tech, ou 5.0, vem sendo imposta com o argumento de impulsionar essas regiões a consolidarem-se como as maiores produtoras e exportadoras de commodities do globo. Entretanto, nesses cenários, coexiste com o denominado ‘progresso’ a dificuldade de acesso a alimentos em quantidade e qualidade adequadas por boa parte da população. Na esfera ambiental, assistimos a desastres climáticos, sabidamente catalisados pela manutenção de uma ideia hegemônica de desenvolvimento econômico que, consequentemente, invisibiliza a sociobiodiversidade.De forma contra-hegemônica, evidenciam-se múltiplas experiências, pautadas em      etnossaberes e      práxis agroecológicas, potencializadoras do reequilíbrio das forças que estimulam dietas mais saudáveis, priorizam o uso da terra para uma agricultura justa, limpa e sustentável e reduzem substancialmente as emissões de gases de efeito estufa. Mais precisamente na América Latina e Caribe, pulsam pesquisas que resgatam, dialogam e valorizam experiências das mais diversas formas de relações entre os seres humanos de diferentes sociedades e a natureza, com atenção especial para saberes e práticas agroecológicas, na perspectiva do “Bem Viver”. Justamente com a proposta de evidenciar tais formas de construir e partilhar conhecimento nos mais diferentes contextos da América Latina e Caribe, este dossiê apresenta desde artigos de embasamento mais teóricos até relatos de experiências.O artigo intitulado “Sai gordura trans, entram vegetais orgânicos”: seriam as lógicas taylorista e fordista dos fast foods com tempero de pós-modernidade'”, de Monique Medeiros, utiliza a pesquisa bibliográfica com o intuito de responder às questões: quais os motivos que levam os consumidores a procurarem alimentos mais saudáveis' O que motiva a incorporação de alimentos orgânicos nos cardápios de fast food' O que significa associar alimentos orgânicos a uma lógica de comercialização e distribuição de produtos alicerçada a uma organização empresarial taylorista/fordista'Por sua vez, o artigo “El policultivo de cacao (Theobroma cacao L.) y la cultura qato’ok de Tuzantán, Chiapas, México. Una aproximación etnoecológica”, de Ronny Roma Ardón, Anne Ashby Damon e Wilber Sánchez Ortiz, tem como objetivo de determinar, a partir do enfoque etnoecológico, os conhecimentos associados ao policultivo de cacau do povo Qato’ok de Tuzantán, Chiapas, México. Os autores documentam o conhecimento atual, bem como suas mudanças históricas, como forma de explorar as relações entre o cacau, como espécie local, cultivada e promovida, e o ecossistema circundante, outras culturas e espécies introduzidas, como parte de diversos sistemas alimentares que têm caído em desuso. Este trabalho traz novos conhecimentos sobre um sistema pouco estudado na literatura agroecológica, mas de grande importância para a recuperação de dietas diversas e para a promoção do manejo integrado das florestas onde se desenvolve.               O artigo “Agricultura tradicional amazônica: sistemas de cultivo huni ku' da Terra Indígena Kaxinawá de Nova Olinda, Acre, Brasil”, de Tomaz Ribeiro Lanza, Lin Chau Ming, Moacir Haverroth e Almecina Balbino Ferreira, tem como cerne      caracterizar os sistemas de cultivo e práticas agrícolas utilizados por famílias indígenas      consideradas essencialmente agroecológicos. Os autores relacionam tais sistemas e práticas, embasados por conhecimentos tradicionais associados,      com a manutenção da biodiversidade local e regional e com a soberania alimentar. O artigo “Home gardens in Latin America: wild foods in the mesoamerican Ekuaro of P’ure'pechas, Mexico and the andean Chakra of Kichwas, Ecuador”, de Tania González-Rivadeneira e Radamés Villagómez-Resendiz, documentou, a partir de uma pesquisa etnográfica, a relação entre a diversidade de alimentos silvestres e a soberania alimentar na Mesoamérica e nos Andes, considerando aspectos da mudança cultural, e visando contribuir com a discussão sobre alimentos que se situam em um continuum entre o selvagem e o domesticado.O artigo “La integridad científica y el patrimonio biocultural derivado de la investigación etnocientífica como elemento de justicia social, sostenibilidad y democracia”, de Edgar Oswaldo Pineda Martínez e Paula Andrea Orozco Pineda, a partir de uma pesquisa etnobotânica envolvendo      plantas medicinais de      com...
      PubDate: 2022-09-02
      DOI: 10.18542/ethnoscientia.v7i4.12911
      Issue No: Vol. 7, No. 4 (2022)
       
  • “SAI GORDURA TRANS, ENTRAM VEGETAIS ORGÂNICOS”: SERIAM AS LÓGICAS
           

    • Authors: Monique Medeiros
      Pages: 4 - 13
      Abstract: Concomitante ao decorrer dos anos e à facilitação ao acesso à informação, novas preocupações acometem a sociedade levando consumidores a questionarem seus hábitos alimentares. Com a atenção voltada a este consumidor, grandes empresas de fast food incorporaram hortaliças, carnes magras e sucos naturais a seus cardápios. Nesse nicho de mercado é que alimentos orgânicos conquistam espaço. Possuir rótulos de orgânicos em produtos comercializados nessas lojas pode evocar a imagem de um alimento produzido de forma mais simples, livre de produtos químicos industrializados, no entanto, a contradição se dá quando analisamos que a existência desse rótulo é produto da própria indústria. As transformações nos padrões de consumo, e consequentemente no fornecimento de alimentos, que ocorreram nos últimos tempos nos levam a questionar: quais os reais motivos que levam os consumidores a procurar alimentos mais saudáveis' O que motiva a incorporação de alimentos orgânicos nos cardápios de fast food' O que significa associar alimentos orgânicos a uma lógica de comercialização e distribuição de produtos alicerçada a uma organização empresarial taylorista/fordista' Com o intuito de refletir sobre esses questionamentos, o presente artigo se embasa em estudos acadêmicos e publicações não científicas da primeira década dos anos 2000, momento de maior emergência dos alimentos orgânicos nas redes de fast food no mundo.
      PubDate: 2022-09-02
      DOI: 10.18542/ethnoscientia.v7i4.12802
      Issue No: Vol. 7, No. 4 (2022)
       
  • EL POLICULTIVO DE CACAO (Theobroma cacao L) Y LA CULTURA QATO’OK DE
           TUZANTÁN, CHIAPAS, MÉXICO: UNA APROXIMACIÓN ETNOECOLÓGICA

    • Authors: Ronny Waldemar Roma Ardón, Anne Ashby Damon, Wilber Sánchez Ortiz
      Pages: 14 - 32
      Abstract: El territorio que habita el pueblo qato’ok de Tuzantán, se localiza entre la planicie costera y las estribaciones de la Sierra Madre de Chiapas, donde a lo largo del tiempo desarrollaron estrategias de adaptación y sobrevivencia. Dada la política nacional de corte integracionista, este pueblo sufrió acciones punitivas que castigaron el uso de la lengua, la indumentaria y la expresión de su cultura, lo cual redujo a recuerdos, guardados en la memoria de los adultos mayores, el uso de la lengua y sus significados. Desarrollando entrevistas semiestructuradas a sujetos sociales, recorriendo parcelas y buscando información en diferentes bibliotecas, bajo el enfoque etnoecológico se determinaron los conocimientos asociados al policultivo del cacao que este pueblo construyó a través de los años. Los resultados encontrados muestran el papel de los saberes locales en la práctica de la agricultura, tanto de subsistencia, teniendo como base el cultivo del maíz bajo asocio milpa, como bajo el manejo del cacao en policultivo, mostrando el importante aporte local que esta planta tenía en la forma de vida y economía de las familias campesinas hasta antes de la llegada de las enfermedades, que mermaron su productividad e incidieron en el abandono de las plantaciones. El reto será en articular procesos que permitan transmitir el conocimiento, que aún resguardan los adultos mayores, hacia los jóvenes, donde las instituciones y la academia puedan contribuir, siendo este un papel que está llamado a realizar el Jardín Etnobiológico de las Selvas del Soconusco, antes de que esta memoria se pierda.
      PubDate: 2022-09-02
      DOI: 10.18542/ethnoscientia.v7i4.12777
      Issue No: Vol. 7, No. 4 (2022)
       
  • AGRICULTURA TRADICIONAL AMAZÔNICA: SISTEMAS DE CULTIVO HUNI KUI DA TERRA
           INDÍGENA KAXINAWÁ DE NOVA OLINDA, ACRE, BRASIL.

    • Authors: Tomaz Ribeiro Lanza, Lin Chau Ming, Moacir Haverroth, Almecina Balbino Ferreira
      Pages: 33 - 49
      Abstract: O presente trabalho teve como objetivo caracterizar os sistemas de cultivo e práticas agrícolas utilizados pelas famílias da Terra Indígena Kaxinawá de Nova Olinda (TIKNO), localizada no município de Feijó, Acre, Brasil. A pesquisa foi realizada entre 2016 e 2020, onde foram realizadas entrevistas semiestruturadas e visitas nas áreas de produção de 35 famílias da terra indígena. Os dados coletados foram processados e avaliados por meio de análises descritivas e qualitativas, caracterizando-se quatro principais sistemas de cultivo: roçado tradicional, bananal, cultivo de praia e quintal agroflorestal, cada um com características técnicas, econômicas e culturais particulares. Foram descritas as etapas de preparo de cada um dos sistemas de cultivo, a época do ano mais adequada para cada etapa e as principais culturas agrícolas presentes em cada sistema. Foi possível identificar uma complexa rede de conhecimentos associados à agricultura e gestão da agrobiodiversidade pelas famílias da TIKNO, alinhados a um profundo conhecimento dos aspectos ecológicos locais e da cosmovisão dessa população. Concluiu-se que essas práticas e sistemas agrícolas essencialmente agroecológicos contribuem significativamente para a manutenção da biodiversidade local e soberania alimentar dessas famílias, bem como para a preservação dos conhecimentos tradicionais associados e conservação da biodiversidade regional.
      PubDate: 2022-09-02
      DOI: 10.18542/ethnoscientia.v7i4.12776
      Issue No: Vol. 7, No. 4 (2022)
       
  • LA INTEGRIDAD CIENTÍFICA Y EL PATRIMONIO BIOCULTURAL DERIVADO DE LA
           INVESTIGACIÓN ETNOCIENTÍFICA COMO ELEMENTO DE JUSTICIA SOCIAL,
           SOSTENIBILIDAD Y DEMOCRACIA

    • Authors: Edgar Oswaldo Pineda Martinez, Paula Andrea Orozco Pineda
      Pages: 50 - 67
      Abstract: La amalgama de procesos y prácticas, que aglutina la investigación etnocientífca, posibilita una emergencia por delimitar las prácticas de ética e integridad científica sobre patrimonio biocultural para la generación de justicia social, sostenibilidad y democracia. Por tal razón, el presente artículo se basa en la experiencia y sistematización de una investigación de corte etnobotánico en plantas medicinales, con el fin de indagar sobre el papel protagónico de las epistemologías ancestrales como reivindicación del acervo patrimonial de riqueza biológica y cultural que poseen dichos pueblos a través de sus conocimientos tradicionales y desde esta forma, plantear un código de buenas prácticas para la colaboración etnocientífca y la conservación del patrimonio biocultural desde principios etnoecológicos que garanticen la justicia social.
      PubDate: 2022-09-02
      DOI: 10.18542/ethnoscientia.v7i4.12772
      Issue No: Vol. 7, No. 4 (2022)
       
  • FEIRA NA PALMA DA MÃO: UMA PLATAFORMA DIGITAL PARA A VENDA DIRETA DOS
           PRODUTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR

    • Authors: Luiz Carlos Leonardi Bricalli, Fabiane de Souza Correia, Joelma de Carvalho Barbosa, Nathália Messina Zouain
      Pages: 68 - 75
      Abstract: Em virtude da pandemia instalada em todas as partes do mundo pelo Covid-19, as relações comerciais sofreram muitas mudanças. O avanço das tecnologias digitais que permitem a comunicação instantânea e em tempo real independente da distância geográfica onde estão as pessoas, mudaram diversas atividades cotidianas, dentre elas, a forma de comprar e vender. No caso da agricultura, a venda direta dos produtos agrícolas aos consumidores finais, através das redes sociais, emerge como uma nova forma de negócio rural. Entretanto, a aproximação entre as partes interessadas ocorre, na maioria das vezes, de maneira informal, cabendo aos produtores e consumidores a tarefa de “se encontrarem” para comercializar. Nesse sentido, o que o projeto se propôs foi atuar como agente articulador dessas duas pontas para que essa aproximação fosse facilitada. Para tanto, foi desenvolvida uma metodologia de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) com o objetivo de criar uma plataforma digital (aplicativo e site) que permitisse que esses negócios fossem realizados com mais rapidez e credibilidade. A área de pesquisa os locais que já têm produtores e consumidores capazes de atender a essa nova dinâmica do mercado. Assim foram escolhidos os oito municípios que possuem Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar de Pequeno Porte (SUSAF) e incluídos outros quatro devido à proximidade da Região Grande Vitória, onde está localizada a maioria dos consumidores do Estado do Espírito Santo.
      PubDate: 2022-09-02
      DOI: 10.18542/ethnoscientia.v7i4.12773
      Issue No: Vol. 7, No. 4 (2022)
       
  • AÇÕES AGROFLORESTAIS DO PROJETO ARTICULAFITO - CADEIAS DE VALOR
           EM PLANTAS MEDICINAIS.

    • Authors: Nina Lys Nunes, Albertina Lopes Da Silva, Keylah Borges, Daniella Vasconcelos, Valcler Rangel Fernandes, Joseane Costa
      Pages: 76 - 92
      Abstract: O artigo apresenta um relato da experiência realizada durante a sindemia de COVID-19, a partir das ações de implantação de sistemas agroflorestais voltados para a inclusão produtiva, a saúde e a qualidade de vida na Aldeia Koyakati - Terra Indígena Mãe Maria -, em Bom Jesus do Tocantins-sudeste do Pará. Essas ações integram o projeto ArticulaFito e resultam de um diagnóstico da base produtiva nacional de plantas medicinais e produtos da sociobiodiversidade, onde a necessidade de recuperação e conservação de áreas degradadas foi apontada como um fator de fragilidade das relações produtivas, especialmente no que tange aos territórios de populações e comunidades tradicionais, pressionados por modelos produtivos predatórios que impactam negativamente os modos de vida e a saúde dessas populações. A metodologia Value Links-B foi aplicada no diagnóstico com vistas à elaboração de um plano de ação voltado para os desafios diagnosticados na cadeia da castanha-do-brasil (Bertholletia excelsa Bonpl.), espécie categorizada como ameaçada de extinção por declínio populacional. Em seguida, indica os sistemas agroflorestais, para garantir o manejo adequado das espécies agroextrativistas nativas e, desse modo, conservar a biodiversidade, bem como garantir o acesso à matéria-prima. As ações de implantação de Unidade de Experimentação Agroecológica (UEA) são aqui descritas, com o objetivo de fortalecer os sistemas produtivos e, assim, gerar emprego e renda, no intuito de melhorar os indicadores de saúde nesses territórios.
      PubDate: 2022-09-02
      DOI: 10.18542/ethnoscientia.v7i4.12770
      Issue No: Vol. 7, No. 4 (2022)
       
  • SABERES AGROECOLÓGICOS E ETNOECOLOGIA NA EDUCAÇÃO DO CAMPO
           EM TEMPOS DE PANDEMIA

    • Authors: Thiago Leandro da Silva Dias
      Pages: 93 - 98
      Abstract: A proposta desta comunicação é socializar o processo de pesquisa-ação concebido e desenvolvido no contexto de formação de professores(as) do curso de Licenciatura em Educação do Campo com habilitação em Ciências da Natureza da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). A partir dos pressupostos da Pedagogia da Alternância, da Agroecologia e da Etnoecologia, atravessados pela pandemia de Covid-19, foi possível desenvolver coletivamente um projeto de ensino por investigação que resultou na elaboração e socialização de materiais educomunicativos para as escolas do campo - vídeo documentário sobre a bata do feijão, podcast sobre o manejo agroecológico da mandioca e herbário didático virtual, dentre outros. A mobilização dos saberes agroecológicos no contexto do referido projeto estabelece um diálogo propositivo levando em consideração que a formação por área de conhecimento na Educação do Campo objetiva contribuir com novas estratégias de seleção de conteúdos, o que torna a Agroecologia e os modos de apropriação dos agroecossistemas elementos primordiais para análise, planejamento e orientação pedagógica.
      PubDate: 2022-09-02
      DOI: 10.18542/ethnoscientia.v7i4.12771
      Issue No: Vol. 7, No. 4 (2022)
       
  • TROCAS DE EXPERIÊNCIAS E SABERES SOBRE AGROECOLOGIA NA COMUNIDADE SÃO
           JOÃO XXIII, URUARÁ, BRASIL

    • Authors: Jaynne da Silva Quanz, Carla Giovana Souza Rocha, Maristela Marques da Silva, Elias Soares da Silva
      Pages: 99 - 118
      Abstract: O objetivo é refletir sobre as concepções e práticas agroecológicas de camponeses, para propor metodologias que visem aprimorar ações educativas agroecológicas na região da Transamazônica, Sudoeste do estado do Pará. A abordagem foi de pesquisa qualitativa, e a técnica de produção de dados foi reunião com grupo focal. Na reunião organizada na comunidade São João XXIII localizada no município de Uruará, e foi mediada por estudantes e professora do curso de Licenciatura em Educação do Campo, na qual foram discutidos o conceito, princípios e práticas agroecológicas, pela perspectiva teórica e dos saberes dos camponeses e camponesas presentes. Diante das informações trocadas foi percebido que a contaminação por agrotóxicos é um dos problemas socioambientais da agricultura convencional mais mencionado pelos agricultores. Outro fator importante identificado foi o papel fundamental da mulher na manutenção de práticas agroecológicas por terem maior preocupação com a qualidade dos alimentos e com a saúde. Foi verificado pelos próprios agricultores que os mesmos adotavam práticas agroecológicas que estão desaparecendo devido à imposição de outras tecnologias pelo mercado e pela desvalorização dos conhecimentos ditos tradicionais.
      PubDate: 2022-09-02
      DOI: 10.18542/ethnoscientia.v7i4.12774
      Issue No: Vol. 7, No. 4 (2022)
       
  • HOME GARDENS IN LATIN AMERICA: WILD FOODS IN THE MESOAMERICAN EKUARO OF
           P'URÉPECHAS, MEXICO AND THE ANDEAN CHAKRA OF KICHWAS, ECUADOR

    • Authors: Tania Ivanova González-Rivadeneira, Radamés Villagómez Reséndiz
      Pages: 119 - 141
      Abstract: Agroforestry systems comprise important spaces for biodiversity involving traditional ecological knowledge in their management. In Latin America, within Mesoamerican region as well as Andean exists a prominent kind of agroforestry system called home gardens, distinguished by the presence of domesticated plants and animals, coexisting with wild foods. In this paper, we addressed a comparative view on home gardens between p’urhépecha ekuaro and kichwa chakra to document qualitatively the relationship between diversity of wild food and food sovereignty in Mesoamerica and Andean regions, within a context of cultural change, and to contribute to the discussion of wild-domesticated continuum related to plants in different home gardens. The ethnographic research shows three main elements: 1) that the diversity of forms of lives domesticated and wild that coexist in the home gardens form part of a food sovereignty system; 2) cultural change does not just affect home gardens in negative ways; 3) wild foods are in a very complex process of domestication in which it is difficult to define the lines between wild and domesticated. Wild food studies have to consider a broad approach to how wild food relates to human cultures.
      PubDate: 2022-09-14
      DOI: 10.18542/ethnoscientia.v7i4.11207
      Issue No: Vol. 7, No. 4 (2022)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 44.210.85.190
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-