Subjects -> HEALTH AND SAFETY (Total: 1464 journals)
    - CIVIL DEFENSE (22 journals)
    - DRUG ABUSE AND ALCOHOLISM (87 journals)
    - HEALTH AND SAFETY (686 journals)
    - HEALTH FACILITIES AND ADMINISTRATION (358 journals)
    - OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY (112 journals)
    - PHYSICAL FITNESS AND HYGIENE (117 journals)
    - WOMEN'S HEALTH (82 journals)

PHYSICAL FITNESS AND HYGIENE (117 journals)                     

Showing 1 - 118 of 118 Journals sorted alphabetically
ACSMs Health & Fitness Journal     Full-text available via subscription   (Followers: 14)
Acta Facultatis Educationis Physicae Universitatis Comenianae     Open Access   (Followers: 3)
Acta Kinesiologiae Universitatis Tartuensis     Open Access   (Followers: 1)
ACTIVE : Journal of Physical Education, Sport, Health and Recreation     Open Access   (Followers: 32)
Adapted Physical Activity Quarterly     Hybrid Journal   (Followers: 5)
Ágora para la Educación Física y el Deporte     Open Access  
Al.Qadisiya journal for the Sciences of Physical Education     Open Access  
American Journal of Sexuality Education     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Annals of Applied Sport Science     Open Access   (Followers: 11)
Annals of Work Exposures and Health     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Applied Physiology, Nutrition and Metabolism     Hybrid Journal   (Followers: 37)
Arab Journal of Nutrition and Exercise     Open Access   (Followers: 1)
Arquivos em Movimento     Open Access   (Followers: 1)
Arrancada     Open Access  
Asian Journal of Sport and Exercise Psychology     Open Access   (Followers: 8)
Baltic Journal of Sport and Health Sciences     Open Access   (Followers: 4)
BMC Obesity     Open Access   (Followers: 6)
BMC Sports Science, Medicine and Rehabilitation     Open Access   (Followers: 42)
Child and Adolescent Obesity     Open Access   (Followers: 8)
Childhood Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 24)
Clinical Journal of Sport Medicine     Hybrid Journal   (Followers: 39)
Comparative Exercise Physiology     Hybrid Journal   (Followers: 23)
Cultura, Ciencia y Deporte     Open Access   (Followers: 1)
Eating and Weight Disorders - Studies on Anorexia, Bulimia and Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 23)
eJRIEPS : Ejournal de la recherche sur l'intervention en éducation physique et sport     Open Access  
Environmental Health and Preventive Medicine     Open Access   (Followers: 4)
Éthique & Santé     Full-text available via subscription  
Fat Studies : An Interdisciplinary Journal of Body Weight and Society     Partially Free   (Followers: 3)
Food Science and Human Wellness     Open Access   (Followers: 4)
Frontiers in Sports and Active Living     Open Access   (Followers: 4)
Gelanggang Pendidikan Jasmani Indonesia     Open Access  
German Journal of Exercise and Sport Research : Sportwissenschaft     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Geron     Full-text available via subscription  
Health and Quality of Life Outcomes     Open Access   (Followers: 14)
Health Education     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Health Education Journal     Hybrid Journal   (Followers: 16)
Health Marketing Quarterly     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Health Physics     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Health Promotion & Physical Activity     Open Access   (Followers: 9)
Home Healthcare Now     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Human Movement Science     Hybrid Journal   (Followers: 15)
Hygiene     Open Access   (Followers: 22)
IISE Transactions on Occupational Ergonomics and Human Factors     Hybrid Journal  
Indonesia Performance Journal     Open Access  
International Journal for Vitamin and Nutrition Research     Hybrid Journal   (Followers: 11)
International Journal of Applied Exercise Physiology     Open Access   (Followers: 54)
International Journal of Athletic Therapy & Training     Hybrid Journal   (Followers: 15)
International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity     Open Access   (Followers: 34)
International Journal of Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 57)
International Journal of Obesity Supplements     Full-text available via subscription   (Followers: 5)
International Journal of Qualitative Studies on Health and Well-Being     Open Access   (Followers: 21)
International Journal of Spa and Wellness     Hybrid Journal  
International Journal of Sport, Exercise & Training Sciences     Open Access   (Followers: 4)
International Journal of Yoga     Open Access   (Followers: 17)
Isokinetics and Exercise Science     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Journal of Advanced Nutrition and Human Metabolism     Open Access   (Followers: 16)
Journal of American College Health     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Journal of Athlete Development and Experience     Open Access   (Followers: 3)
Journal of Bioenergetics and Biomembranes     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Journal of Exercise & Organ Cross Talk     Open Access   (Followers: 1)
Journal of Human Performance in Extreme Environments     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Human Sport and Exercise     Open Access   (Followers: 17)
Journal of Motor Learning and Development     Hybrid Journal  
Journal of Physical Activity and Health     Hybrid Journal   (Followers: 13)
Journal of Physical Activity and Hormones     Open Access   (Followers: 3)
Journal of Physical Activity Research     Open Access   (Followers: 4)
Journal of Physical Education and Human Movement     Open Access  
Journal of Physical Education and Sport Sciences     Open Access   (Followers: 5)
Journal of Physical Education Health and Sport     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Physical Education, Recreation & Dance     Full-text available via subscription   (Followers: 13)
Journal of Science in Sport and Exercise     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Journal of Sport and Health Science     Open Access   (Followers: 22)
Journal of Sport Sciences and Fitness     Open Access   (Followers: 14)
Journal of Strength and Conditioning Research     Hybrid Journal   (Followers: 76)
Kinesiology : International Journal of Fundamental and Applied Kinesiology     Open Access   (Followers: 1)
Kinesiology Review     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Malaysian Journal of Movement, Health & Exercise     Open Access   (Followers: 1)
Measurement in Physical Education and Exercise Science     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Médecine & Nutrition     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Mental Health and Physical Activity     Hybrid Journal   (Followers: 17)
MHSalud : Movimiento Humano y Salud     Open Access  
Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 40)
Obesity Research & Clinical Practice     Full-text available via subscription   (Followers: 10)
Obesity Reviews     Hybrid Journal   (Followers: 17)
Obesity Science & Practice     Open Access  
Open Obesity Journal     Open Access   (Followers: 2)
Pain Management in General Practice     Full-text available via subscription   (Followers: 12)
PALAESTRA : Adapted Sport, Physical Education, and Recreational Therapy     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Physical Activity and Health     Open Access   (Followers: 4)
Physical Education & Sport Pedagogy     Hybrid Journal   (Followers: 14)
Preventing Chronic Disease     Free   (Followers: 3)
Psychology of Sport and Exercise     Hybrid Journal   (Followers: 19)
Quality in Sport     Open Access  
Race and Yoga     Open Access   (Followers: 1)
RBNE - Revista Brasileira de Nutrição Esportiva     Open Access   (Followers: 1)
RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento     Open Access   (Followers: 1)
RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício     Open Access  
Research Quarterly for Exercise and Sport     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Retos : Nuevas Tendencias en Educación Física, Deportes y Recreación     Open Access  
Revista Andaluza de Medicina del Deporte     Open Access   (Followers: 2)
Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde     Open Access   (Followers: 1)
Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano     Open Access   (Followers: 1)
Revista Internacional de Medicina y Ciencias de la Actividad Física y del Deporte : International Journal of Medicine and Science of Physical Activity and Sport     Open Access   (Followers: 1)
Revue phénEPS / PHEnex Journal     Open Access  
Scandinavian Journal of Sport and Exercise Psychology     Open Access   (Followers: 5)
SIPATAHOENAN : South-East Asian Journal for Youth, Sports & Health Education     Open Access  
Spor Bilimleri Dergisi / Hacettepe Journal of Sport Sciences     Open Access   (Followers: 1)
Sport and Fitness Journal     Open Access   (Followers: 7)
Sport Science and Health     Open Access   (Followers: 7)
Sport Sciences for Health     Hybrid Journal   (Followers: 5)
SPORTIVE : Journal Of Physical Education, Sport and Recreation     Open Access   (Followers: 2)
Sports     Open Access   (Followers: 3)
Sports Biomechanics     Hybrid Journal   (Followers: 29)
Sports Health: A Multidisciplinary Approach     Hybrid Journal   (Followers: 5)
Strength & Conditioning Journal     Hybrid Journal   (Followers: 57)
Timisoara Physical Education and Rehabilitation Journal     Open Access   (Followers: 2)
Turkish Journal of Sport and Exercise     Open Access  
Yoga Mimamsa     Open Access   (Followers: 3)

           

Similar Journals
Journal Cover
Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde
Number of Followers: 1  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Print) 1413-3482 - ISSN (Online) 2317-1634
Published by Universidade Federal de Pelotas Homepage  [14 journals]
  • Competências do profissional de Educação Física na Atenção Primária
           à Saúde

    • Authors: Rafael de Oliveira Lima, João Luiz Andrella, Joicy Ferreira Silva, Átila Alexandre Trapé
      Pages: 1 - 8
      Abstract: Atenção Primária à Saúde (APS) é a porta de entrada do usuário no Sistema Único de Saúde (SUS). Com uma vasta amplitude de ações que perpassam da prevenção de agravos à promoção da saúde, a APS se desenvolveu para atender o usuário em sua totalidade, ofertando dentre suas atividades as práticas corporais e atividades físicas. Entretanto, a inserção do profissional de Educação Física (EF) nas equipes multiprofissionais na APS ainda é pequena e alguns estudos mostram limitações na formação deste profissional para atuar neste contexto. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo investigar os caminhos percorridos desde a for- mação inicial até a percepção sobre o desenvolvimento de competências na atuação dos profissionais de EF que trabalham na APS. Trata-se de um estudo qualitativo, realizado a partir de entrevistas semiestruturadas, de forma remota (Google Meet). A amostra analisada contou com seis profissionais de EF que atuavam na APS em cidades das cinco regiões do país. Foi realizada análise de conteúdo para organizar os resultados das entrevistas, sendo que as unidades de registro foram codificadas em temáticas e na sequência organizadas em categorias: Graduação e Saúde Coletiva, Pós-formação, Atuação Profissional e Competências Profissionais. Como conclusão, os profissionais de EF identificaram lacunas na formação em EF para o trabalho na APS, sendo o contexto pós-formação bastante importante para atender demandas e expectativas para a atuação. Observou-se ainda um grande conhecimento sobre as competências, atrelado ao universo teórico e prático, a partir de um olhar humanizado, para uma conduta profissional eficaz e eficiente.
      PubDate: 2024-02-23
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0322
      Issue No: Vol. 28 (2024)
       
  • Reabilitação funcional e barreiras para atividade física na
           COVID-longa: um ensaio clínico randomizado

    • Authors: João Batista de Oliveira Junior, Antonio Cleilson Nobre Bandeira, Marina Isolde Constantini, Maria Eduarda de Moraes Sirydakis, Cassiano Ricardo Rech, Raphael Ritti Dias, Aline Mendes Gerage, Rodrigo Sudatti Delevatti
      Pages: 1 - 7
      Abstract: O estudo teve como objetivo analisar as barreiras percebidas à prática de atividade física durante um programa de treinamento multicomponente em adultos e idosos pós infecção por COVID-19. Realizou-se um ensaio clínico randomizado com 40 participantes (19 grupo controle e 21 grupo intervenção). Foram coletadas informações sociodemográficas, de saúde e de barreiras para a prática de atividade física, antes, 12 e 24 semanas após o início da intervenção. A medida das barreiras para a prática de atividade física foi obtida por meio de uma escala válida composta por 16 itens. As diferenças de barreiras entre os grupos e ao longo de tempo foi analisada a partir das Equações de Estimativa Generalizada, α = 0,05. As barreiras mais citadas pelos dois grupos na linha de base foram “Preguiça, cansaço ou desânimo” (71%), “Dores, lesões ou incapacidade” (38%) e “Falta de motivação” (48%). As análises principais indicaram que ambos os grupos tiveram redução na frequência da barreira “Pre- guiça, cansaço ou desânimo” na 12a semana (p = 0,003), porém voltando aos valores iniciais na 24a semana (p = 0,441). Já a barreira “Por causa da epidemia de coronavírus” foi reduzida na 12a semana (p = 0,704) e ainda mais reduzida na 24a semana (p = 0,158), comportamento também similar entre os grupos. Como principal conclusão, barreiras para atividade física podem ser reduzidas pela parti- cipação em programas de exercício supervisionado e recomendação para a prática de atividade física.
      PubDate: 2024-02-22
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0321
      Issue No: Vol. 28 (2024)
       
  • Atividade física, comportamento sedentário e saúde da mulher: um mapa
           de evidências

    • Authors: Fernanda Laís Loro, Thatiane Lopes Valentim Di Paschoale Ostolin
      Pages: 1 - 29
      Abstract: A atividade física (AF) regular contribui para prevenção e controle de doenças crônicas não transmissíveis, auxilia na manutenção do peso corporal e previne declínio cognitivo e sintomas depressivos. Diante de maior prevalência de inatividade física no sexo feminino, assim como as particularidades da mulher que interferem na condição de saúde, surge a necessidade de identificar e sumarizar os efeitos de intervenções para mudança de estilo de vida (MEV) na saúde da mulher. O objetivo do estudo foi mapear a literatura sobre AF, comportamento sedentário e saúde da mulher a partir da elaboração de um mapa de evidências. Após a busca na literatura em 7 bases de dados em abril de 2022, foram selecionadas 29 revisões sistemáticas e metanálises sobre intervenções de MEV com ênfase em incentivo à prática de AF e treinamento com exercício em mulheres. Ao todo, foram avaliados os efeitos de 22 tipos de intervenções distribuídos em 7 grupos para 159 desfechos em saúde. Os efeitos das intervenções associadas aos desfechos foram classificados como positivo (n = 83), potencialmente positivo (n = 20), inconclusivo (n = 10) e sem efeito (n = 42). O nível de confiança foi baixo para 12 estudos, médio para 10 e alto somente em 7 estudos. As evidências foram mais consistentes e robustas em relação a AF, treinamento concorrente e/ou combinado, exercício aeróbio, exercício para musculatura do assoalho pélvico e exercício multicomponente, sobretudo durante os cuidados pré-natais e para o manejo de incontinência urinária e câncer.
      PubDate: 2024-02-01
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0318
      Issue No: Vol. 28 (2024)
       
  • Pandemia da COVID-19 e as consequentes alterações comportamentais de uma
           comunidade universitária

    • Authors: Larissa Quintão Guilherme, Natiele Resende Bedim, Valter Paulo Neves Miranda, Paulo Roberto dos Santos Amorim
      Pages: 1 - 8
      Abstract: Objetivou-se avaliar as variações comportamentais, estilo de vida e indicador nutricional de uma comunidade acadêmica antes e durante a pandemia de COVID-19. Estudo transversal, epidemiológico, com 1655 integrantes da Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, de ambos os sexos e idades entre 17 a 72 anos. Via Google Forms, aplicou-se o questionário adaptado do “ConVid: Pesquisa de Comportamentos”, e a versão curta do IPAQ. Utilizou-se o teste de McNemar para comparação dos indicadores entre estilo de vida antes e durante a pandemia (p < 0,05) e regressão logística binária para associação com diagnóstico da COVID-19. Observou-se que durante a pandemia houve uma prevalência de aumento (p < 0,001) de indivíduos que não atingiram as recomendações para caminhada (42,8% para 80,6%); atividade física moderada (74,3% para 80,6%) e vigorosa (64,6% para 71,8%). Além disso, aumento no tempo de uso considerado elevado (p < 0,001), para televisão (2,4% para 12,7%) e computador/tablet (58,1% para 81,8%). O consumo de álcool passou de 64,1% para 64,9% (p < 0,001), enquanto o uso de cigarros foi de 5,7% para 7,8% (p < 0,001). A classificação do indicador nutricional também demonstrou mudanças significativas (p < 0,001), o percentual de obesidade (7,7% para 11,1%) e sobrepeso (22,6% para 28,1%). O risco de contaminação para COVID-19 foi maior entre aqueles menos ativos (OR = 1,34; IC95%: 1,04 – 1,64). Os resultados demonstraram diminuição do nível de atividade física, aumento do tempo sedentário, piora no estilo de vida e aumento do excesso de peso dos estudantes e servidores de uma comunidade acadêmica, devido às consequências impostas pelo período pandêmico, elevando fatores de risco à saúde.
      PubDate: 2024-01-27
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0319
      Issue No: Vol. 28 (2024)
       
  • Alterações comportamentais na pandemia de COVID-19, sobrepeso e
           obesidade de escolares Quilombolas

    • Authors: Gilmar Mercês de Jesus, Anna Karolina Cerqueira Barros, Lara Daniele Matos dos Santos Araujo, Mayva Mayana Ferreira Schrann, Lizziane Andrade Dias, Raphael Henrique de Oliveira Araujo, Laís Pinto da Silva Tosta, Maylson dos Santos Santana, Laila de Sena de Souza
      Pages: 1 - 8
      Abstract: O estudo descreveu as alterações comportamentais durante a pandemia de COVID-19 e sua associação com o sobrepeso e obesidade atual de crianças e adolescentes. Participaram do estudo 1.004 crianças e adolescentes de comunidades rurais em áreas de remanescentes de quilombos de Feira de Santana, Bahia (50,3% meninos; Idade: 9,04 ± 1,52 anos). Desfechos: sobrepeso e obesidade, com base nos valores de Índice de Massa Corporal para idade e sexo, avaliados nos pontos de corte da International Obesity Taskforce. Alterações comportamentais (apetite, sono, psicológicas, sociais) foram avaliadas por meio de questionário preenchido pelos pais. A análise de dados incluiu estatística descritiva, bivariada e regressão de Poisson múltipla, com estimador robusto de variância, para estimar Razões de Prevalência (RP) e Intervalos de 95% de Confiança (IC95%). A significância estatística foi fixada em valores de p<0,05. Covariáveis: idade, sexo, infecção por COVID-19 e insegurança alimentar. Após o período pandêmico, 24% dos participantes estavam com excesso de peso (sobrepeso = 15,5%; obesidade: 8,5%). As principais alterações comportamentais ocorreram no apetite (comer muito mais do que o habitual = 45,6%) e no sono (ir dormir e acordar mais tarde do que o habitual, em 74% e 62,2%, respectivamente). Comer mais que o habitual foi fator associado ao sobrepeso (RP = 1,63; IC95%: 1,14 - 2,32) e à obesidade (RP = 2,00; IC95%:1,22 - 2,25) entre os participantes, após ajuste por sexo, idade, infecção por COVID-19 e insegurança alimentar. As prevalências de sobrepeso e obesidade subsequentes ao período pandêmico se associaram às alterações comportamentais no apetite ocorridas durante a pandemia entre escolares Quilombolas.
      PubDate: 2024-01-27
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0320
      Issue No: Vol. 28 (2024)
       
  • Atividade física objetiva em jovens com espinha bífida: um protocolo de
           revisão sistemática

    • Authors: Daisy Souza Santos, Ana Cláudia Mattiello-Sverzut, Ana Clara Magalhães Franzoni, Jeffer Eidi Sasaki, Fabio Bertapelli Bertapelli
      Pages: 1 - 5
      Abstract: Atividade física (AF) diária associa-se a melhora do estado de saúde de jovens. Evidências indicam que crianças com espinha bífida (EB) estão em risco para inatividade física. Este artigo apresenta um protocolo de revisão sistemática que propõe avaliar níveis de AF objetiva diária em crianças e adolescentes com EB. Este protocolo foi desenvolvido seguindo o Preferred Reporting Items for Systematic Review and Meta-Analysis Protocols (PRISMA-P) 2015. A revisão foi registrada no International Prospective Register of Systematic Reviews (PROSPERO, CRD42022349920). Os critérios de inclusão baseiam-se em artigos originais: 1) publicados em revistas com revisão por pares; 2) que avaliem AF objetiva diária em crianças e adolescentes com EB; e 3) que utilizem monitores para avaliação da AF (ex: acelerômetros). Palavras-chave foram baseadas no MeSH e literatura existente. As seguintes bases de dados serão utilizadas como fontes de informação: PubMed, Embase, SPORTDiscus, LILACS, CINAHL, Scopus, PsycINFO e Web of Science. Os seguintes dados serão extraídos: características do estudo e da amostra, variáveis de AF (protocolos de medição e pontos de corte de classificação de AF) e resultados dos níveis de AF. A qualidade dos estudos será avaliada com o Standard Quality Assessment Criteria for Evaluating Primary Research Papers from a Variety of Fields (ERA). A busca e seleção dos estudos, extração de dados e avaliação de qualidade serão realizadas por dois revisores independentes. Espera-se que a revisão forneça evidências para auxiliar na prevenção e tratamento de inatividade física e guiar futuras pesquisas sobre AF objetiva em crianças e adolescentes com EB.
      PubDate: 2024-01-09
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0317
      Issue No: Vol. 28 (2024)
       
  • Qualidade de vida e comportamentos durante a pandemia da COVID-19: Um
           estudo transversal

    • Authors: Dayane Cristina Queiroz Correia, Juziane Teixeira Guiça, Charles Rodrigues Junior, Glória de Lima Rodrigues, Maria Carolina Castanho Saes Norberto, Rômulo Araújo Fernandes, Jamile Sanches Codogno
      Pages: 1 - 8
      Abstract: Pesquisa transversal com objetivo de analisar a associação entre qualidade de vida e comportamentos desenvolvidos por indivíduos hipertensos durante o período de isolamento social, devido à pandemia da COVID-19. O estudo foi realizado através de ligações telefônicas e avaliou adultos cadastrados na atenção primária de saúde. A prática de atividade física foi avaliada pelo Questionário Internacional de Atividade Física, sendo somadas a duração e a frequência das atividades e o tempo total sentado durante a semana e fim de semana. A qualidade de vida foi analisada através do Sistema Descritivo – EQ-5D, considerando o score utilidade e o estado geral de saúde. Presença de doenças e comportamentos durante o isolamento social, assim como aspecto emocional e ambiente para realização de atividades físicas foram analisados. Foram utilizados os testes t de Studant e ANOVA one way para comparação de grupos e ANCOVA para comparações entre os grupos ajustadas. A significância estatística foi pré-fixada em valores inferiores a 5%. Foram entrevistados 659 hipertensos, com idade entre 41 e 93 anos. Observou-se maior qualidade de vida naqueles que praticaram exercício físico (p = 0,015), que não relataram ter a saúde emocional afetada pela pandemia (p = 0,001) e que responderam ter ambiente favorável em casa para prática de atividade física, (p = 0,001). Em conclusão, a qualidade de vida associou-se aos comportamentos positivos dos participantes durante a pandemia, como a prática de atividade física, contudo é necessário que os órgãos públicos se atentem aos baixos níveis de atividade física da população provocados pela pandemia.
      PubDate: 2023-12-01
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0316
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Perspectivas sobre mobilidade urbana na promoção da atividade física no
           contexto dos deslocamentos no Brasil

    • Authors: Viviane Nogueira de Zorzi, Rildo de Souza Wanderley Júnior, Bianca Mitie Onita, Alexandre Augusto de Paula da Silva, Alice Tatiane da Silva, Elaynne Silva de Oliveira, Guilherme Stefano Goulardins, Adriano Akira Hino
      Pages: 1 - 6
      Abstract: Apesar do Brasil apresentar importante avanço em aspectos regulatórios relacionados ao planejamento das cidades, o crescimento desordenado das cidades brasileiras dificulta a realização de mudanças que reflitam em maiores oportunidades no deslocamento ativo da população. Este ensaio foi elaborado com objetivo de refletir sobre as oportunidades para melhorias no ambiente urbano para a promoção da atividade física no contexto do deslocamento no Brasil. Nessa perspectiva, o estudo identificou políticas que permitem o crescimento ordenado e favoreça o deslocamento ativo nas cidades, além de sugerir o uso de indicadores para avaliação e monitoramento do desenvolvimento, com especial foco no deslocamento ativo. Ademais, é imprescindível que o processo de planejamento urbano seja adaptado e aprimorado considerando as necessidades dos municípios brasileiros e com aproximação da sociedade civil. Assim, será possível verificar as modificações no ambiente urbano e seu impacto no deslocamento ativo da população, estimulando a criação de cidades saudáveis e sustentáveis.
      PubDate: 2023-11-27
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0310
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Efeitos dos jogos e brincadeiras na cognição e desempenho
           escolar de crianças

    • Authors: Tárcio Amancio do Nascimento, Harrison Vinícius Amaral da Silva, Juliane Camila de Oliveira Ribas, Públio Gomes Florêncio Junior, Iana Guimarães Alexandre , Carlos Alberto Abujabra Merege-Filho, André dos Santos Costa
      Pages: 1 - 9
      Abstract: O presente estudo teve como objetivo examinar os impactos de um programa de 12 semanas envolvendo jogos e brincadeiras na cognição e no desempenho escolar de crianças. Trata-se de um estudo quase-experimental, com grupos de crianças do quarto ano do ensino fundamental, com idades entre 8 e 11 anos. O “Grupo de Intervenção (n = 27)” participou das atividades de Jogos e Brincadeiras, enquanto o “Grupo Controle (n =24)” não participou. Ambos os grupos foram submetidos a avaliações abrangendo dados de caracterização, atenção visual (TAVIS-4), flexibilidade cognitiva (Teste das Trilhas), bem como habilidades em aritmética, leitura e linguagem (Teste de Desempenho Escolar), antes e após a intervenção. O programa de intervenção estruturado a partir de jogos e brincadeiras ocorreu três vezes por semana, com duração de 50 minutos cada encontro, durante 12 semanas. Alguns exemplos de jogos e brincadeiras realizados ao longo da intervenção incluíram: “queimado xadrez”, “pega-pega” e “dono da rua”. Referente à análise estatística foi utilizada a ANOVA two-way para verificar a diferença entre os grupos antes e após o programa de intervenção. Os jogos e brincadeiras geraram efeito na diminuição dos erros por omissão no teste de atenção seletiva. Também apresentou diminuição do tempo despendido na tarefa “B” do Teste de Trilhas, além do aumento no escore Total do Teste de Desempenho Escolar. Podemos concluir que um programa de intervenção com jogos e brincadeiras gerou efeitos positivos na cognição e no desempenho escolar destas crianças.
      PubDate: 2023-11-21
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0315
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Da conscientização à ação: Efeitos de uma intervenção escolar nos
           estágios de mudança de comportamento para assistir TV e no conhecimento
           das diretrizes de tempo de tela em adolescentes brasileiros

    • Authors: Priscila Cristina dos Santos, Alexsandra da Silva Bandeira, Bruno Gonçalves Galdino da Costa, Ana Caroline Ferreira Campos de Sousa, Kelly Samara da Silva
      Pages: 1 - 9
      Abstract: Os objetivos do estudo foram verificar o efeito de uma intervenção nos estágios de mudança de comportamento para assistir TV e identificar o papel mediador do conhecimento sobre as recomendações de tempo de tela. A intervenção multicomponente, randomizada e controlada obteve a participação de 727 alunos em 2017 (54,3% meninas, 13 anos; 427 no grupo intervenção e 300 no grupo controle). A formação dos professores foi realizada no início da intervenção juntamente com as melhorias ambientais, enquanto as ações educativas foram realizadas ao longo do ano. Os estágios de mudança de comportamento para assistir TV e o conhecimento sobre as recomendações do tempo de tela foram mensurados por questionário auto reportado, pré e pós-intervenção (um ano letivo). Para análise dos dados foi realizada uma modelagem de equações estruturais. Não houve efeito da intervenção nos estágios de mudança de comportamento para TV (p = 0,744) e também não houve mudanças significativas no conhecimento dos estudantes sobre as recomendações do tempo de tela (p = 0,741). Embora não tenha havido mediação entre conhecimento das recomendações do tempo de tela e o efeito da intervenção nos estágios de mudança de comportamento para TV (IC95%: -0,45;0,63), foi encontrada associação entre o conhecimento das recomendações e os estágios de mudança de comportamento para TV (p < 0,001). Conclui-se que a intervenção não teve efeito significativo nos estágios de mudança de comportamento para TV e efeito mediador. No entanto, aumentar a conscientização sobre as recomendações de tempo de tela pode impactar positivamente na intenção do adolescente de reduzir o tempo de TV.
      PubDate: 2023-11-21
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0314
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Prática de atividade física e desigualdades em idosos antes e
           após a COVID-19

    • Authors: Leandro Quadro Corrêa, Otávio Amaral de Andrade Leão, Flávio Fernando Demarco, Renata Moraes Bielemann, Inácio Crochemore-Silva
      Pages: 1 - 9
      Abstract: O objetivo do estudo foi verificar modificações na prevalência de atividade física (AF) e desigualdades em idosos acompanhados antes e após o período de distanciamento social causado pela COVID-19. Trata-se de estudo prospectivo conduzido na zona urbana da cidade de Pelotas-Rio Grande do Sul, onde idosos foram acompanhados no ano de 2019/20 e 2021/22. A prevalência de AF foi avaliada através do IPAQ nos domínios do lazer e deslocamento avaliados de forma conjunta. Foram classificados como ativos fisicamente aqueles que realizavam ≥ 150 min/sem. As covariáveis/estratificadores avaliadas foram sexo, idade, cor da pele, classe econômica, escolaridade e morbidades. As desigualdades simples foram avaliadas através das diferenças e das razões da prevalência de AF e as desigualdades complexas através do índice de desigualdade (SII) e o índice de concentração (CIX). Os resultados indicaram que houve redução da prevalência de AF de 2019/20 para 2021/22 e que essas modificações ocorreram em todos os grupos populacionais, variando em termos de magnitude de declínio. O SII mostrou aumento da desigualdade entre os mais pobres em comparação aos mais ricos e redução da desigualdade em relação à idade, escolaridade e morbidades. Concluiu-se que a redução da AF ocorreu em todos os grupos populacionais. Em termos de desigualdades, houve aumento em termos de classe econômica e, nos casos de redução da desigualdade, tal mudança foi em virtude da diminuição de AF entre as categorias que eram mais ativas, sendo necessário políticas de saúde para resgatar níveis adequados de AF na população estudada.
      PubDate: 2023-11-21
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0313
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Prática de atividade física ao ar livre na pandemia da COVID-19 entre
           professores do ensino público

    • Authors: Nayra Suze Souza e Silva, Ana Clara Soares Bicalho, Kamila Teles Soares, Marise Fagundes Silveira, Rosângela Ramos Veloso Silva, Desirée Sant'Ana Haikal
      Pages: 1 - 10
      Abstract: Este estudo objetivou verificar a prática de atividade física ao ar livre durante a pandemia da COVID- 19 entre os professores da educação básica pública de Minas Gerais. Trata-se de um inquérito epidemiológico do tipo websurvey, realizado com professores da educação básica pública de Minas Gerais. A coleta de dados ocorreu de agosto a setembro de 2020 via formulário digital. A variável dependente foi a prática de atividade física ao ar livre durante a pandemia, categorizada em sim vs não. Para a análise dos dados utilizou-se a Regressão de Poisson, com variância robusta. O estudo contou com 15.641 participantes. Entre eles, 30,5% estavam realizando atividade física ao ar livre durante a pandemia. Houve maior prevalência entre os homens (RP = 1,15; IC95%: 1,09 - 1,22), aqueles que trabalhavam na zona rural (RP = 1,07; IC95%: 1,01 - 1,13), que não tiveram diminuição na renda familiar (RP = 1,08; IC95%: 1,03 - 1,13), que viviam com cônjuge (RP = 1,05; IC95%: 1,01 - 1,10), que não aderiram totalmente ao distanciamento social (RP = 1,23; IC95%: 1,17 - 1,29), que aumentaram o desejo de cuidar da aparência física (RP = 1,47; IC95%: 1,40 - 1,55), com melhor padrão alimentar (RP = 1,45; IC95%: 1,39 - 1,52), que estavam realizando atividades de lazer (RP = 1,33; IC95%: 1,27 - 1,40), aqueles que não apresentaram excesso de peso corporal (RP = 1,05; IC95%: 1,01 - 1,10), que não estavam com muito medo da COVID-19 (RP = 1,07; IC95%: 1,02 - 1,12) e os que não faziam parte do grupo de risco para a COVID-19 (RP = 1,10; IC95%: 1,05 - 1,16). Os resultados indicaram, de modo geral, um perfil positivo com os cuidados em relação à saúde entre os praticantes de atividade física ao ar livre.
      PubDate: 2023-10-20
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0312
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Fatores associados aos comportamentos ativo e sedentário em adolescentes
           brasileiros: uma análise de redes

    • Authors: José Ywgne Vieira do Nascimento, Cayo Vinnycius Pereira Lima, Bruno Barbosa Giudicelli , Lucas Mattheus Pereira Lima, Paulo Felipe Ribeiro Bandeira, Ingrid Kelly Alves dos Santos Pinheiro, Kleberton Carlos Silva Magalhães, Danilo Rodrigues Pereira da Silva , Clarice Maria de Lucena Martins, Rafael dos Santos Henrique, Arnaldo Tenório da Cunha Júnior, Leonardo Gomes de Oliveira Luz
      Pages: 1 - 10
      Abstract: O presente estudo verificou a associação entre variáveis sociodemográficas, características da escola, nível de atividade física (AF) e comportamento sedentário (CS) em adolescentes brasileiros. A amostra foi composta por 71.903 adolescentes entre 13 e 16 anos (52,8% meninas), matriculados no último ano do ensino fundamental, em escolas públicas e privadas do Brasil, participantes da terceira edição da Pesquisa Nacional da Saúde do Escolar (PeNSE). As informações foram recolhidas através de questionário. O tempo de AF na aula de Educação Física e extra aula de Educação Física, o tempo em deslocamento ativo e o tempo em CS foram associados às variáveis sociodemográficas (tipo de município, local da escola, escolaridade da mãe, percepção de insegurança, idade e sexo) e características da escola (tipo de escola e quadra disponível para uso). Utilizou-se a análise de rede. Quanto ao comportamento ativo, a topologia de rede mostrou que os meninos são mais ativos do que as meninas, principalmente na AF extra aula de Educação Física. Além disso, os resultados revelaram um maior tempo de AF na aula de Educação Física para os meninos, estudantes cujas mães apresentavam maior escolaridade, matriculados em escolas privadas e com quadra disponível para uso. Os estudantes matriculados em escolas públicas apresentaram maior tempo de AF em deslocamento ativo. Quanto ao CS, jovens do contexto urbano apresentaram maior exposição quando comparados aos pares do contexto rural. Conclui-se que as características sociodemográficas e da escola estão relacionadas com os comportamentos dos adolescentes brasileiros em todos os domínios da AF e no CS.
      PubDate: 2023-10-20
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0311
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Projeto Vida Ativa Pelotas: Percepção das coordenadoras sobre a
           implantação dos núcleos no ano de 2019

    • Authors: Giulia Salaberry Leite, Alan Goularte Knuth, José Antonio Bicca Ribeiro, Inácio Crochemore-Silva
      Pages: 1 - 8
      Abstract: O objetivo deste estudo foi descrever o processo de implantação dos núcleos do Projeto Vida Ativa no município de Pelotas, Rio Grande do Sul. O projeto é uma política de governo, desenvolvida desde 2013, financiado e executado pela prefeitura municipal, que estimava atender em 2019 cerca de 4.000 pessoas, promovendo atividades físicas e esportivas. Optou-se por uma abordagem qualitativa e um recorte transversal no ano de 2019. Foram realizadas oito entrevistas semiestruturadas com a dois níveis de coordenação do projeto. Para análise dos dados obtidos foi utilizada a técnica de análise de conteúdo. Os principais resultados da análise apontaram que o projeto apresentava desafios a serem enfrentados como a sustentabilidades dos processos, financiamento para adequação dos núcleos e ampliação desses locais, continuidade nos processos de capacitações com os profissionais, monitoramento e avaliação do projeto. Apesar das dificuldades enfrentadas de acordo com a percepção das coordenadoras, o projeto apresentava-se como uma iniciativa progressista na forma como estava sendo implementando seus núcleos e atividades físicas e esportivas, sobretudo por dialogar com demandas locais, e contar com apoio da população participante, mantendo-se ao longo das trocas de governo.
      PubDate: 2023-10-06
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0308
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Metodologia de utilização do Microscale Audit of Pedestrian
           Streetscapes-MAPS na cidade de São Paulo

    • Authors: Elaynne Silva de Oliveira, Ítalo Vinícius Floriano de Paula, Alexandre Augusto de Paula Silva, Adriano Akira Ferreira Hino, Inaian Pignatti Teixeira, Raul Cosme Ramos Prado, Jader Correia de Lacerda , Larissa Felix de Oliveira , Alex Antonio Florindo
      Pages: 1 - 7
      Abstract: O Microscale Audit of Pedestrian Streetscapes-Global (MAPS-Global) é um instrumento internacional que visa caracterizar a variabilidade de ambientes de pedestres relacionados à atividade física ao nível de microescala, sendo uma ferramenta confiável que permite comparações entre locais com diferentes contextos. Neste sentido, o objetivo do presente estudo é descrever o processo metodológico adotado na pesquisa Inquérito de Saúde de São Paulo (ISA) - Atividade Física e Ambiente para a avaliação da microescala do ambiente com o instrumento MAPS-Global. A utilização do método na cidade de São Paulo envolveu diversas etapas e adaptações relevantes para o contexto do estudo, inicialmente foram realizadas reuniões com o grupo responsável por validar o método no Brasil, treinamento dos pesquisadores para coletas de dados, revisão dos blocos e questões, hospedagem do instrumento no Google forms, georreferenciamento dos domicílios, elaboração das rotas, treinamento e certificação dos avaliadores e procedimentos de coletas de dados. A auditagem do ambiente apresentou desafios, mesmo se tratando de um processo exclusivamente online, foram necessários 25 meses para o desenvolvimento de todas as etapas do estudo, pois a avaliação envolveu 1.434 sujeitos, aumento da cobertura da avaliação nas seções dos segmentos e cruzamentos e uma equipe de sete avaliadores. Sugere-se para coletas futuras que seja observado o tempo disponível para auditagem, o tamanho da equipe para a amostra selecionada, bem como a possibilidade realizar adaptações no instrumento como a inclusão ou retirada de itens conforme contexto ou realidade local do estudo.
      PubDate: 2023-10-05
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0307
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Associação entre violência e prática de atividades físicas: uma
           análise bibliométrica da produção científica na Web of Science

    • Authors: Phillipe Ferreira Rodrigues, Vanessa Souza Mendonça, Maxwel de Azevedo-Ferreira, Alexandre Palma
      Pages: 1 - 8
      Abstract: Estudos bibliométricos na área da educação física ainda são relativamente raros, especialmente tratando-se das relações entre atividades físicas e violência. O objetivo desta pesquisa foi realizar uma análise bibliométrica da produção científica relacionada à associação entre violência e prática de atividades físicas. Foi realizada uma pesquisa na base de dados Web of Science, através de busca com palavras-chave adequadas e extração de dados a partir do software VantagePoint V.8. Trabalhou-se, ao final, com um total de 2.163 artigos. Os autores que mais produziram a respeito do tema foram James F. Sallis (EUA), Ester Cerin (Austrália), Billie Giles-Corti (Austrália). O primeiro autor aparece, ainda, como o mais citado. Os Estados Unidos aparecem como o país com maior produção científica, enquanto a University of California como a instituição que lidera as pesquisas sobre o tema. A área de pesquisa mais frequente nas publicações sobre o tema foi a Public, Environmental & Occupational Health. Foi possível concluir que existe uma rede de pesquisadores organizados, sendo James F. Sallis o pesquisador central. Os estudos ocorrem predominantemente, em países mais desenvolvidos e com menores taxas de homicídios, enquanto os países da América Latina, com as maiores taxas de homicídios, desenvolveram poucas pesquisas sobre o tema.
      PubDate: 2023-09-20
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0309
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Implementação das diferentes estratégias da intervenção
           “ActTeens” para adolescentes: uma avaliação do processo

    • Authors: Gessika Castilho dos Santos, Jadson Marcio da Silva, Renan Camargo Correa, Rodrigo de Oliveira Barbosa, Gabriel Pinzon, Maria Carolina Juvêncio Francisquini, Thais Maria de Souza Silva, Antonio Stabelini Neto
      Pages: 1 - 10
      Abstract: Programas multicomponentes para promoção da atividade física têm se mostrado promissores para auxiliar os adolescentes a aumentar seus níveis de atividade física. Embora a avaliação do processo de implementação da intervenção seja importante, informações sobre esta avaliação raramente são relatadas. O presente estudo teve como objetivo avaliar a implementação de um programa de intervenção de atividade física de 12 semanas para adolescentes. O programa ActTeens consiste de três componentes principais: (1) sessões estruturadas de atividade física; (2) auto-monitoramento associado com estabelecimento de metas diárias; (3) orientações sobre um estilo de vida saudável (mHealth). A avalição do processo foi por meio de observações e informações autorreferidas dos alunos. Cinquenta e um adolescentes (37,5% meninas) responderam o questionário. No geral, o alcance foi de 73,3%, a taxa de retenção 96,3% e satisfação com a intervenção foi alta (escore 5). As sessões estruturadas tiveram alta fidelidade, boa aceitabilidade entre os adolescentes com a frequência média de participação de 93,7% por aula. Os participantes classificaram as sessões como prazerosas e o papel do professor como excelente. A aderência ao automonitoramento (estabelecimento de metas com pedômetro) foi moderada e 57,8% dos adolescentes relataram usar o dispositivo diariamente. Além disso, os adolescentes relataram que o uso do pedômetro aumentou a motivação para a prática de atividade física (72,4%). A satisfação com as mensagens por aplicativo foi considerada baixa, sendo que apenas 37,8% concordaram que as mensagens promoveram a adoção de um estilo de vida saudável. Em conclusão, as sessões estruturadas e o uso do pedômetro para automonitoramento mostraram boa aceitabilidade entre os adolescentes, e estas estratégias foram consideradas relevantes para promover um estilo de vida fisicamente mais ativo. Entretanto, o componente mHealth, quando usado como uma estratégia única, não auxiliou na adoção de um comportamento saudável.
      PubDate: 2023-09-12
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0306
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Descrevendo a atividade física em espaços públicos abertos no Brasil:
           Programa Cidade Ativa, Cidade Saudável

    • Authors: Alice Tatiane da Silva, Letícia Pechnicki dos Santos, Iazana Garcia Custódio, Talita Chrystoval Truchym, Inácio Crochemore-Silva, Cassiano Ricardo Rech, Adalberto Aparecido dos Santos Lopes, Ciro Romelio Rodriguez-Añez, Rogério César Fermino
      Pages: 1 - 11
      Abstract: O objetivo deste estudo foi descrever a atividade física (AF) em espaços públicos abertos (EPA) em uma cidade de médio porte do Brasil. O System for Observing Play and Recreation in Communities (SOPARC) foi utilizado para avaliar uma amostra representativa de frequentadores de 10 EPA que receberam ações do programa Cidade Ativa, Cidade Saudável. Os locais foram avaliados quatro dias da semana (terça-feira, quarta-feira, sábado, domingo) em quatro horários (8h, 10h, 14h, 16h). A proporção de frequentadores por sexo, faixa etária, cor de pele e nível de AF foi comparada entre os EPA pelo teste do qui-quadrado para heterogeneidade no software STATA (p < 0,05). Como resultados principais, foram realizados 32.768 scans em 64 áreas-alvo e 8.634 frequentadores foram identificados. Foi observada maior proporção de pessoas do sexo masculino (58%), adultos (38%), de cor de pele branca (97%) e em AF de intensidade leve ou moderada (76%). Com exceção da cor da pele, houve diferença significante na proporção das demais variáveis entre os EPA (p < 0,05). Em conclusão, os EPA são mais comumente utilizados por homens, pessoas adultas, de cor de pele branca e para a prática de AF de intensidade leve e moderada. Com base nos resultados, os gestores do programa poderiam realocar recursos para aumentar a utilização e a AF em cada local.
      PubDate: 2023-08-01
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0305
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Distribuição e qualidade de espaços públicos para atividade física de
           lazer em uma capital do Brasil

    • Authors: Paula Agrizzi Borges, Juliana Ilídio da Silva, Thalia Eloisa Pereira Sousa Dourado, Dário Alves da Silva Costa, Solimar Carnavalli Rocha, Aline Dayrell Ferreira Sales, Waleska Teixeira Caiaffa, Amanda Cristina de Souza Andrade
      Pages: 1 - 9
      Abstract: As características físicas do ambiente podem contribuir na promoção da saúde, principalmente a disponibilidade e qualidade dos espaços públicos de lazer. O presente estudo tem como objetivo analisar a distribuição e a qualidade dos equipamentos para atividade física de lazer em uma capital brasileira. Foram avaliados 27 espaços públicos, incluindo parques, praças e canteiros habitáveis disponíveis no raio de 1.000 metros de três polos do Programa Academia da Saúde (PAS) no município de Belo Horizonte. Em 2019, os equipamentos foram auditados por meio da aplicação da versão adaptada do Physical Activity Resource Assessment (PARA), que avalia a existência, qualidade, segurança, limpeza e estética dos equipamentos. Frequências absolutas e relativas foram calculadas. Dos 27 locais avaliados, 22,2% eram parques (n = 6), 70,4% praças (n = 19) e 7,4% canteiros habitáveis (n = 2). Quadras de vôlei e campos de futebol foram os equipamentos mais identificados nos parques, presentes em todos os locais analisados, enquanto academias e estações de exercício ao ar livre foram os mais comuns nas praças (89,5%; 52,9%, respectivamente). Quanto aos canteiros habitáveis, apresentaram apenas quadras de vôlei/campos de futebol. Com relação à limpeza e estética, as maiores proporções foram pichações (74,1%), lixo espalhado/sujeira (74,1%), grama alta (44,4%) e sinais de vandalismo e sujeira de animais (37,0%). A pequena diversidade e qualidade ruim dos equipamentos, e as características inadequadas de limpeza e estética dos espaços de lazer no qual se encontram, podem impedir ou dificultar o uso dos mesmos para a prática de atividade física, demonstrando assim, a necessidade de investimentos mais expressivos nesses locais.
      PubDate: 2023-07-27
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0304
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Ambiente do bairro e da escola e sua associação com atividade física
           diária e uso de telas

    • Authors: Lizziane Andrade Dias, Gilmar Mercês de Jesus, Anna Karolina Cerqueira Barros, Graciete Oliveira Vieira
      Pages: 1 - 10
      Abstract: O objetivo deste estudo transversal foi analisar a associação entre ambiente construído no bairro e na escola e atividade física diária (AFD) e uso de telas diário (TD) entre estudantes de diferentes padrões de comportamentos. Participaram estudantes (9,1 ± 1,38 anos, 53,2% meninas) do 2º ao 5º ano de escolas públicas (n = 2.384) da cidade de Feira de Santana, BA. Atividades físicas e comportamentos sedentários foram avaliadas através de questionário online (Web-CAAFE) e utilizadas para definir os padrões de comportamentos por análise de cluster, segmentada por sexo. Ambiente construído na escola (parquinho e espaços cobertos para atividades físicas) e no bairro (quadras esportivas, campos de futebol, parques e praças) foram as exposições. Os desfechos, AFD e TD, foram obtidos pelos somatórios dos relatos de um dia. Modelos de regressão binomial negativa, controlados por idade e escore-z de Índice de Massa Corporal, estimaram razões de prevalência (RP) e intervalos de confiança de 95% (IC95%). A AFD associou-se a praças entre meninas “Jogadoras ativas” (RP = 1,35; IC95%: 1,09 - 1,68) e a Espaços cobertos para atividades físicas entre “sedentárias/executoras de tarefas domésticas” (RP = 0,86; IC95%: 075 - 0,97). Entre meninos “sedentários em atividades acadêmicas” a AFD associou-se a Campos de futebol (RP = 1,20; IC95%: 1,02 - 1,42) e TD a Parquinho (RP = 1,17; IC95%: 1,00 - 1,37). TD também foi associado a Espaços cobertos para atividade física entre “sedentários em telas” (RP = 1,28; IC95%: 1,04 - 1,57). AFD e TD de meninos e meninas com diferentes padrões de comportamento foram associados a diversos fatores do ambiente construído.
      PubDate: 2023-07-27
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0300
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Intervenções nas aulas de educação física e a saúde mental de
           escolares: Estudo de protocolo

    • Authors: Gicele de Oliveira Karini da Cunha, Tiago Wally Hartwig, Gabriel Gustavo Bergmann
      Pages: 1 - 9
      Abstract: A ansiedade e a depressão compõem importantes problemas de saúde mental entre os jovens. O exercício físico tem se mostrado efetivo na prevenção e atenuação desses problemas. No entanto, mais estudos considerando diferentes tipos e contextos de prática são necessários para melhor compreensão dos efeitos do exercício físico na saúde mental desta população. Este artigo descreve o protocolo de um ensaio clínico randomizado que tem como objetivo principal avaliar os efeitos da inserção de exercícios respiratórios diafragmáticos (grupo intervenção 1; GI-1), cardiorrespiratórios e de força (GI-2), e atividades esportivas cooperativas (GI-3) durante aulas de Educação Física (EF) na saúde mental de adolescentes. Participarão do estudo escolares adolescentes (14 a 19 anos) de dois campi do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul) randomizados nos três grupos intervenção (GI-1; GI-2; GI-3) e em um grupo comparador (GC). A intervenção terá duração de 12 semanas e acontecerá durante as aulas de EF tendo duas sessões semanais em um dos campi e três no outro. A saúde mental será considerada a partir dos sintomas de ansiedade e depressão. Como desfechos secundários serão analisados o autoconceito, qualidade de vida, falhas cognitivas, indicadores de sono e de aptidão física. Variáveis demográficas, socioeconômicas, antropométricas, clínicas e comportamentais também serão analisadas. As medidas serão realizadas pré e pós-intervenção e os efeitos serão analisados quanto ao tempo, grupos e interação grupos*tempo. As hipóteses são que os grupos intervenção reduzirão os sintomas de ansiedade e depressão comparados ao GC, e que o GI-3 (atividades esportivas cooperativas) apresentará benefícios adicionais à saúde mental.
      PubDate: 2023-07-27
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0302
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Atividade física, comportamento sedentário e sono medidos por
           smartwatch: protocolo de revisão de escopo

    • Authors: José Francisco da Silva, Antonio Henrique Germano Soares, Valter Cordeiro Barbosa Filho, Jessica Gomes Mota, Luis Carlos Barbosa Silva, Tuillamys Virgínio Oliveira, Rafael Miranda Tassitano
      Pages: 1 - 11
      Abstract: Os impactos da atividade física (AF), comportamento sedentário (CS) e sono na saúde são bem estabelecidos, tornando-se relevante identificar instrumentos que permitam avaliar e monitorar esses comportamentos em nível populacional. Nesse contexto, os smartwatches, que são dispositivos em formato de relógio de pulso, compostos por sensores, tem sido apontado como alternativa para mensurar objetivamente AF, CS e sono. Portanto, o objetivo deste protocolo foi descrever os objetivos e métodos de uma revisão de escopo para mapear a literatura científica sobre o uso de smartwatches para medir objetivamente AF, CS e/ou sono em diferentes populações e contextos. Os estudos serão incluídos se usarem smartwatches para medir objetivamente pelo menos um dos comportamentos (AF, CS e sono) em crianças, adolescentes, adultos e idosos, publicados após 2013. Nenhum filtro de idioma será aplicado. As buscas serão realizadas em sete bases de dados (Pubmed/Medline, Scopus, Web of Science, IEEE Xplore Digital Library, Scielo, LILACS, Health Technology Assessment Database e Cochrane Clinical Trials) e dois repositórios de ensaios clínicos. A triagem e extração dos dados serão realizadas de forma independente por dois autores com experiência prévia em revisões e tecnologias. A síntese dos resultados seguirá o framework do Joanna Briggs Institute para extração dos resultados nas revisões de escopo. Os resultados podem contribuir para o progresso científico, identificando lacunas e tendências de pesquisa, orientando futuros estudos, empresas que atuam neste mercado, profissionais de saúde e o público em geral que utilizam smartwatch como um instrumento de medição para atividade física, comportamento sedentário e sono.
      PubDate: 2023-07-27
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0301
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Atuação da Educação Física em um hospital universitário da rede
           pública: uso do método AMPARO

    • Authors: Valter Paulo Neves Miranda, Júlia Cunha Santos Oliveira, Matheus Martins Moreira, Camila Bosquiero Papini
      Pages: 1 - 6
      Abstract: A atuação do Profissional de Educação Física (PEF) na “Atenção intra-hospitalar” ainda é recente, não havendo evidências e informações padronizadas na assistência aos pacientes. Objetivou-se apresentar e promover o método “AMPARO” no Programa de Recondicionamento Físico (PRF) do Hospital de Clínicas das Universidade Federal do Triângulo Mineiro. AMPARO significa Avaliação Multidimensional, Planejamento, Atuação, Reavaliação e Orientação de atividades e exercícios físicos, visando aprimoramento das capacidades físicas relacionadas à saúde. Mais de 1600 atendimentos (avaliações e exercícios físicos) foram realizados. Completaram as 36 sessões do PRF, 31 pacientes, média de idade de 46,12 ± 13,58, sendo 25 (80,6%) do sexo feminino. Houve melhora na aptidão cardiovascular (p < 0,001), aumento da massa magra (p = 0,025) e aumento do tempo de atividade física moderada (p = 0,030). Conclui-se que o “PRF-Método AMPARO” vem se mostrando eficiente na assistência integral à saúde de pacientes atendidos por PEF em um hospital universitário da rede pública.
      PubDate: 2023-07-27
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0303
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Percepção de locais públicos para prática de atividade física entre
           beneficiários e não beneficiários de planos de saúde: resultados da
           Pesquisa Nacional de Saúde 2019

    • Authors: Felipe Mendes Delpino, Amanda Reis, Bruno Minami, Natalia Lara, José Cechin
      Pages: 1 - 6
      Abstract: O objetivo deste estudo foi avaliar a percepção de locais públicos para a prática de atividade física e comparar essas diferenças segundo beneficiários e não beneficiários de planos de saúde. Foram utilizados dados da Pesquisa Nacional de Saúde de 2019. O desfecho foi avaliado por meio da seguinte questão: “Perto de sua casa, existe algum local público (praça, parque, rua fechada, praia) para caminhar, fazer exercícios ou praticar esportes'”. Análises descritivas foram realizadas por meio de frequência e intervalo de confiança de 95% (IC95%). As análises foram realizadas comparando beneficiários e não beneficiários de planos de saúde e avaliando os resultados segundo variáveis sociodemográficas. Os resultados incluem dados de 20.230 beneficiários (52,6% mulheres) e 68.301 não beneficiários (54,6% mulheres) de planos de saúde, ambos com maior parte da amostra com idades entre 18 e 39 anos. No geral, 52,1% dos não beneficiários (IC95%: 51,0 - 53,2) e 67,4% dos beneficiários (IC95%: 65,8 - 68,9) relataram ter um local próximo a sua casa para a prática de atividade física. Encontramos uma tendência dose resposta em relação à escolaridade e locais próximos à residência para a prática de atividade física - quanto maior a escolaridade, maior a percepção de indivíduos que referiram ter locais adequados para a prática de atividade física. Nossos achados mostraram que os beneficiários de planos de saúde têm mais acesso a locais próximos a suas residências para praticar atividade física, assim como os mais escolarizados.
      PubDate: 2023-07-07
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0299
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Associação entre atividade física e saúde mental durante a pandemia
           COVID-19: um estudo transversal

    • Authors: Ana Tereza de Sousa Brito, Deborah Santana Pereira Pereira, Maria do Socorro Cirilo-Sousa, Anthony Pedro Igor Sales Rolim Esmeraldo, Matheus Luna Loiola , Narcélio Pinheiro Victor
      Pages: 1 - 8
      Abstract: O objetivo do presente estudo foi investigar a associação entre níveis de atividade física e sintomas de ansiedade e depressão. Foi elaborado um questionário online no Google Forms® com questões objetivas e abertas para avaliar as questões relacionadas à prática de atividade física e saúde mental durante o período da pandemia da COVID-19. O formulário incluiu perguntas relacionadas a aspectos sociodemográficos, nível de atividade física (IPAQ –versão curta) e análise da saúde mental dos participantes com as escalas de Ansiedade e Depressão de Beck. A associação entre atividade física e saúde mental foi estimada por meio de modelos de regressão. Cento e noventa e três pessoas responderam ao questionário (59% do sexo feminino). As mulheres apresentaram maiores níveis de ansiedade e depressão quando comparadas aos homens (p < 0,001 para todos os domínios). O risco de ter sintomas graves de ansiedade e depressivos aumentou respectivamente (OR = 4,20; IC95%: 1,25 - 14,11), e (OR = 3,16; IC95%: 1,12 - 8,91) nos participantes classificados com nível baixo de atividade física quando comparados aos quem mantêm o nível mais alto. Os homens têm menos chances de terem sintomas de ansiedade (OR= 0,23; IC95%: 0,10 - 0,55 p < 0,001) e depressão (OR = 0,33 IC95%: 0,12 - 0,88). Em suma, pode-se concluir que, durante a pandemia de COVID-19, os participantes que obtiveram alto nível de atividade física têm menos chances de apresentar sintomas graves de ansiedade e moderado de depressão.
      PubDate: 2023-05-26
      DOI: 10.12820/rbafs.27e0298
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Fatores relacionados ao suporte social para atividade física de
           estudantes em uma perspectiva de rede

    • Authors: Naildo Santos Silva, Júlio Brugnara Mello, Paulo Felipe Ribeiro Bandeira , Jorge Mota, Adroaldo Cezar Araújo Gaya, Anelise Reis Gaya
      Pages: 1 - 8
      Abstract: Este estudo investiga a relação entre suporte social e atividade física moderada-vigorosa, bem como as possíveis relações entre suporte social e nível socioeconômico, gênero e índice de massa corporal. Estudo transversal com amostra não randomizada de 71 escolares (meninos e meninas) de 7 a 12 anos e seus pais ou responsáveis. Apoio social e nível socioeconômico foram avaliados por meio de questionários validados. Medidas de altura e massa corporal foram usadas para a equação do índice de massa corporal. Atividade física moderada- vigorosa foi medida por acelerômetros. As associações entre todas as variáveis foram testadas por uma análise de rede. A atividade física moderada a vigorosa está negativamente correlacionada com o nível socioeconômico, índice de massa corporal e uma questão do questionário de apoio social: “Quantas vezes na última semana você observou seu filho ser fisicamente ativo'”. Observou-se correlação positiva entre atividade física moderada-vigorosa com o gênero e uma questão do questionário de apoio social: “Quantas vezes na última semana você forneceu transporte para a atividade física de seu filho'”. Assim, a atividade física moderada vigorosa tem correlação negativa com o nível socioeconômico, índice de massa corporal e a variável “os pais às vezes observam que seu filho é fisicamente ativo”, e pais que fornecem transporte para a criança praticar atividade física. No futuro, é importante considerar a análise de rede nos estudos de intervenção para promover a atividade física em adolescentes.
      PubDate: 2023-05-24
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0297
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Inserção de profissionais de educação física no Sistema Único de
           Saúde: análise temporal (2007-2021)

    • Authors: Rinelly Pazinato Dutra, Vanise dos Santos Ferreira Viero , Alan Goularte Knuth
      Pages: 1 - 9
      Abstract: O objetivo desta pesquisa foi descrever e analisar a série temporal da inserção de profissionais de educação física (PEF) no Sistema Único de Saúde (SUS) no período de 2007 a 2021, bem como apresentar a distribuição por regiões e estados de profissionais no território brasileiro. Trata-se de um estudo descritivo e de série temporal que utilizou dados secundários oriundos do sistema de consultas do Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (CNES). Analisou-se o quantitativo de PEF no SUS nas cinco regiões e nos vinte e seis estados e no Distrito Federal entre 2007 e 2021 e realizou-se a análise temporal para verificar a distribuição dos PEF nas regiões brasileiras. Os resultados apontam para um crescimento no número de PEF entre 2007 (n = 22) e 2020 (n = 7.560) em todo o país. Em 2021 observa-se uma redução de 2,8% no quantitativo de PEF. Entre as regiões, os maiores quantitativos foram observados nas regiões Nordeste e Sudeste, enquanto nos estados a maior concentração foi em Minas Gerais, seguido de São Paulo, Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Sul. Observou-se uma tendência crescente de PEF nas regiões Norte e Sul. Conclui-se que o quantitativo de PEF atuantes no SUS teve um crescimento expressivo durante o período analisado, sendo fruto das políticas públicas e programas voltados à promoção da atividade física constituídos ao longo do tempo. Apesar disso, há importantes disparidades geográficas que não devem ser desconsideradas, reforçando a necessidade de estratégias coletivas e investimentos em políticas públicas que fomentem a inserção dos PEF na rede assistencial e de fortalecimento do SUS.
      PubDate: 2023-05-09
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0296
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Como os espaços públicos abertos podem contribuir para a promoção da
           atividade física'

    • Authors: Cassiano Ricardo Rech, Joris Pazin, Eduardo Quieroti Rodrigues, Francisco Timbó de Paiva Neto, Margarethe Thaisi Garro Knebel, Thamires Gabrielly dos Santos Coco, Rogério César Fermino
      Pages: 1 - 6
      Abstract: Espaços públicos abertos (EPA) são equipamentos que promovem o direito à recreação e à saúde. O objetivo deste ensaio é apresentar reflexões e evidências sobre como esses espaços contribuem para a promoção da atividade física (AF). Compreender como o acesso (proximidade/distância), a quantidade e diversidade, as condições do entorno e internas dos locais (qualidade, estrutura, estética, segurança), podem afetar o uso dos EPA é fundamental para ações da gestão pública. Pensar o uso do EPA para além da prática de AF, reconhecendo seus benefícios sociais, econômicos e culturais pode ser fundamental para diminuir as iniquidades de acesso a esses locais. Ações e demandas relacionadas aos EPA são intersetoriais, multiprofissionais e interdisciplinares, necessitando com isso envolvimento e comprometimento político, acadêmico e comunitário, a fim de promover AF.
      PubDate: 2023-05-09
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0295
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • Acesso às práticas corporais/atividade física durante o ciclo da vida:
           relato de idosas aposentadas

    • Authors: Yuri Atamanczuk de Oliveira, André Ulian Dall Evedove, Mathias Roberto Loch
      Pages: 1 - 7
      Abstract: O objetivo foi verificar o acesso às práticas corporais/atividade física (PCAF) ao longo da vida de idosas aposentadas participantes de um grupo de PCAF. Trata-se de um estudo qualitativo com 16 mulheres idosas com idade entre 65 a 75 anos, selecionadas por conveniência, participantes de um grupo de PCAF de uma Unidade Básica de Saúde de Londrina, Paraná. As informações foram coletadas a partir de entrevistas com roteiro semiestruturado, conduzidas individualmente pelo profissional responsável pelo grupo. Os dados foram analisados por elementos da análise de conteúdo pelo sistema de categorias. Três categorias de análise foram consideradas: infância/adolescência; idade adulta; e terceira idade. Na infância/adolescência as mulheres relataram que não tiveram incentivo de seus pais, bem como não tiveram educação física na escola. Na fase adulta, a falta de tempo e de incentivo dos parceiros, além do desconhecimento de atividades ofertadas foram relatadas pelas mulheres. Somente a partir da terceira idade, especialmente após a aposentadoria, com a melhora da condição financeira e com o fato de terem maior tempo livre, as mulheres indicaram uma melhora no acesso, inclusive com a possibilidade da participação no grupo de PCAF. Em geral os resultados revelaram a dificuldade do acesso dessas mulheres às PCAF ao longo de suas vidas e reforçam a importância de ações e políticas públicas que busquem aumentar o incentivo e o acesso as PCAF ao longo da vida das mulheres.
      PubDate: 2023-03-31
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0294
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
  • A relação entre atividade física e saúde: uma abordagem histórica e
           conceitual

    • Authors: Luiz Guilherme Grossi Porto, Mario Renato Azevedo, Guilherme Eckhardt Molina, Dartagnan Pinto Guedes, Markus Vinicius Nahas, Pedro Curi Hallal, Victor Keihan Rodrigues Matsudo
      Pages: 1 - 7
      Abstract: A partir de uma abordagem histórica, conceitual, crítica e didática, este ensaio teórico propõe uma reflexão sobre a relação entre atividade física (AF) e saúde e o desenvolvimento desta área de estudo, com um olhar especial sobre o Brasil. Apresenta-se revisão histórica a partir de grandes temas de pesquisa na área desde os anos 1950 e da evolução das recomendações de AF para a saúde. São abordadas definições conceituais e operacionais que passaram por atualizações recentes e que são cruciais na área. Faz-se destaque a instituições e documentos relevantes, além de reflexões sobre perspectivas e desafios futuros para a área. Por fim, destaca a necessidade da redução na distância entre a solidez do conhecimento já produzido sobre os benefícios da AF para a saúde e os desejados avanços no contexto da promoção da saúde, em especial na atenção primária à saúde.
      PubDate: 2023-03-28
      DOI: 10.12820/rbafs.28e0293
      Issue No: Vol. 28 (2023)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 100.26.196.222
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-
JournalTOCs
 
 
  Subjects -> HEALTH AND SAFETY (Total: 1464 journals)
    - CIVIL DEFENSE (22 journals)
    - DRUG ABUSE AND ALCOHOLISM (87 journals)
    - HEALTH AND SAFETY (686 journals)
    - HEALTH FACILITIES AND ADMINISTRATION (358 journals)
    - OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY (112 journals)
    - PHYSICAL FITNESS AND HYGIENE (117 journals)
    - WOMEN'S HEALTH (82 journals)

PHYSICAL FITNESS AND HYGIENE (117 journals)                     

Showing 1 - 118 of 118 Journals sorted alphabetically
ACSMs Health & Fitness Journal     Full-text available via subscription   (Followers: 14)
Acta Facultatis Educationis Physicae Universitatis Comenianae     Open Access   (Followers: 3)
Acta Kinesiologiae Universitatis Tartuensis     Open Access   (Followers: 1)
ACTIVE : Journal of Physical Education, Sport, Health and Recreation     Open Access   (Followers: 32)
Adapted Physical Activity Quarterly     Hybrid Journal   (Followers: 5)
Ágora para la Educación Física y el Deporte     Open Access  
Al.Qadisiya journal for the Sciences of Physical Education     Open Access  
American Journal of Sexuality Education     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Annals of Applied Sport Science     Open Access   (Followers: 11)
Annals of Work Exposures and Health     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Applied Physiology, Nutrition and Metabolism     Hybrid Journal   (Followers: 37)
Arab Journal of Nutrition and Exercise     Open Access   (Followers: 1)
Arquivos em Movimento     Open Access   (Followers: 1)
Arrancada     Open Access  
Asian Journal of Sport and Exercise Psychology     Open Access   (Followers: 8)
Baltic Journal of Sport and Health Sciences     Open Access   (Followers: 4)
BMC Obesity     Open Access   (Followers: 6)
BMC Sports Science, Medicine and Rehabilitation     Open Access   (Followers: 42)
Child and Adolescent Obesity     Open Access   (Followers: 8)
Childhood Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 24)
Clinical Journal of Sport Medicine     Hybrid Journal   (Followers: 39)
Comparative Exercise Physiology     Hybrid Journal   (Followers: 23)
Cultura, Ciencia y Deporte     Open Access   (Followers: 1)
Eating and Weight Disorders - Studies on Anorexia, Bulimia and Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 23)
eJRIEPS : Ejournal de la recherche sur l'intervention en éducation physique et sport     Open Access  
Environmental Health and Preventive Medicine     Open Access   (Followers: 4)
Éthique & Santé     Full-text available via subscription  
Fat Studies : An Interdisciplinary Journal of Body Weight and Society     Partially Free   (Followers: 3)
Food Science and Human Wellness     Open Access   (Followers: 4)
Frontiers in Sports and Active Living     Open Access   (Followers: 4)
Gelanggang Pendidikan Jasmani Indonesia     Open Access  
German Journal of Exercise and Sport Research : Sportwissenschaft     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Geron     Full-text available via subscription  
Health and Quality of Life Outcomes     Open Access   (Followers: 14)
Health Education     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Health Education Journal     Hybrid Journal   (Followers: 16)
Health Marketing Quarterly     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Health Physics     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Health Promotion & Physical Activity     Open Access   (Followers: 9)
Home Healthcare Now     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Human Movement Science     Hybrid Journal   (Followers: 15)
Hygiene     Open Access   (Followers: 22)
IISE Transactions on Occupational Ergonomics and Human Factors     Hybrid Journal  
Indonesia Performance Journal     Open Access  
International Journal for Vitamin and Nutrition Research     Hybrid Journal   (Followers: 11)
International Journal of Applied Exercise Physiology     Open Access   (Followers: 54)
International Journal of Athletic Therapy & Training     Hybrid Journal   (Followers: 15)
International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity     Open Access   (Followers: 34)
International Journal of Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 57)
International Journal of Obesity Supplements     Full-text available via subscription   (Followers: 5)
International Journal of Qualitative Studies on Health and Well-Being     Open Access   (Followers: 21)
International Journal of Spa and Wellness     Hybrid Journal  
International Journal of Sport, Exercise & Training Sciences     Open Access   (Followers: 4)
International Journal of Yoga     Open Access   (Followers: 17)
Isokinetics and Exercise Science     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Journal of Advanced Nutrition and Human Metabolism     Open Access   (Followers: 16)
Journal of American College Health     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Journal of Athlete Development and Experience     Open Access   (Followers: 3)
Journal of Bioenergetics and Biomembranes     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Journal of Exercise & Organ Cross Talk     Open Access   (Followers: 1)
Journal of Human Performance in Extreme Environments     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Human Sport and Exercise     Open Access   (Followers: 17)
Journal of Motor Learning and Development     Hybrid Journal  
Journal of Physical Activity and Health     Hybrid Journal   (Followers: 13)
Journal of Physical Activity and Hormones     Open Access   (Followers: 3)
Journal of Physical Activity Research     Open Access   (Followers: 4)
Journal of Physical Education and Human Movement     Open Access  
Journal of Physical Education and Sport Sciences     Open Access   (Followers: 5)
Journal of Physical Education Health and Sport     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Physical Education, Recreation & Dance     Full-text available via subscription   (Followers: 13)
Journal of Science in Sport and Exercise     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Journal of Sport and Health Science     Open Access   (Followers: 22)
Journal of Sport Sciences and Fitness     Open Access   (Followers: 14)
Journal of Strength and Conditioning Research     Hybrid Journal   (Followers: 76)
Kinesiology : International Journal of Fundamental and Applied Kinesiology     Open Access   (Followers: 1)
Kinesiology Review     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Malaysian Journal of Movement, Health & Exercise     Open Access   (Followers: 1)
Measurement in Physical Education and Exercise Science     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Médecine & Nutrition     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Mental Health and Physical Activity     Hybrid Journal   (Followers: 17)
MHSalud : Movimiento Humano y Salud     Open Access  
Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 40)
Obesity Research & Clinical Practice     Full-text available via subscription   (Followers: 10)
Obesity Reviews     Hybrid Journal   (Followers: 17)
Obesity Science & Practice     Open Access  
Open Obesity Journal     Open Access   (Followers: 2)
Pain Management in General Practice     Full-text available via subscription   (Followers: 12)
PALAESTRA : Adapted Sport, Physical Education, and Recreational Therapy     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Physical Activity and Health     Open Access   (Followers: 4)
Physical Education & Sport Pedagogy     Hybrid Journal   (Followers: 14)
Preventing Chronic Disease     Free   (Followers: 3)
Psychology of Sport and Exercise     Hybrid Journal   (Followers: 19)
Quality in Sport     Open Access  
Race and Yoga     Open Access   (Followers: 1)
RBNE - Revista Brasileira de Nutrição Esportiva     Open Access   (Followers: 1)
RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento     Open Access   (Followers: 1)
RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício     Open Access  
Research Quarterly for Exercise and Sport     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Retos : Nuevas Tendencias en Educación Física, Deportes y Recreación     Open Access  
Revista Andaluza de Medicina del Deporte     Open Access   (Followers: 2)
Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde     Open Access   (Followers: 1)
Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano     Open Access   (Followers: 1)
Revista Internacional de Medicina y Ciencias de la Actividad Física y del Deporte : International Journal of Medicine and Science of Physical Activity and Sport     Open Access   (Followers: 1)
Revue phénEPS / PHEnex Journal     Open Access  
Scandinavian Journal of Sport and Exercise Psychology     Open Access   (Followers: 5)
SIPATAHOENAN : South-East Asian Journal for Youth, Sports & Health Education     Open Access  
Spor Bilimleri Dergisi / Hacettepe Journal of Sport Sciences     Open Access   (Followers: 1)
Sport and Fitness Journal     Open Access   (Followers: 7)
Sport Science and Health     Open Access   (Followers: 7)
Sport Sciences for Health     Hybrid Journal   (Followers: 5)
SPORTIVE : Journal Of Physical Education, Sport and Recreation     Open Access   (Followers: 2)
Sports     Open Access   (Followers: 3)
Sports Biomechanics     Hybrid Journal   (Followers: 29)
Sports Health: A Multidisciplinary Approach     Hybrid Journal   (Followers: 5)
Strength & Conditioning Journal     Hybrid Journal   (Followers: 57)
Timisoara Physical Education and Rehabilitation Journal     Open Access   (Followers: 2)
Turkish Journal of Sport and Exercise     Open Access  
Yoga Mimamsa     Open Access   (Followers: 3)

           

Similar Journals
Similar Journals
HOME > Browse the 73 Subjects covered by JournalTOCs  
SubjectTotal Journals
 
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 100.26.196.222
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-