Subjects -> HEALTH AND SAFETY (Total: 1464 journals)
    - CIVIL DEFENSE (22 journals)
    - DRUG ABUSE AND ALCOHOLISM (87 journals)
    - HEALTH AND SAFETY (686 journals)
    - HEALTH FACILITIES AND ADMINISTRATION (358 journals)
    - OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY (112 journals)
    - PHYSICAL FITNESS AND HYGIENE (117 journals)
    - WOMEN'S HEALTH (82 journals)

PHYSICAL FITNESS AND HYGIENE (117 journals)                     

Showing 1 - 118 of 118 Journals sorted alphabetically
ACSMs Health & Fitness Journal     Full-text available via subscription   (Followers: 14)
Acta Facultatis Educationis Physicae Universitatis Comenianae     Open Access   (Followers: 3)
Acta Kinesiologiae Universitatis Tartuensis     Open Access   (Followers: 1)
ACTIVE : Journal of Physical Education, Sport, Health and Recreation     Open Access   (Followers: 32)
Adapted Physical Activity Quarterly     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Ágora para la Educación Física y el Deporte     Open Access  
Al.Qadisiya journal for the Sciences of Physical Education     Open Access  
American Journal of Sexuality Education     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Annals of Applied Sport Science     Open Access   (Followers: 11)
Annals of Work Exposures and Health     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Applied Physiology, Nutrition and Metabolism     Hybrid Journal   (Followers: 38)
Arab Journal of Nutrition and Exercise     Open Access   (Followers: 1)
Arquivos em Movimento     Open Access   (Followers: 1)
Arrancada     Open Access  
Asian Journal of Sport and Exercise Psychology     Open Access   (Followers: 7)
Baltic Journal of Sport and Health Sciences     Open Access   (Followers: 2)
BMC Obesity     Open Access   (Followers: 8)
BMC Sports Science, Medicine and Rehabilitation     Open Access   (Followers: 43)
Child and Adolescent Obesity     Open Access   (Followers: 9)
Childhood Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 24)
Clinical Journal of Sport Medicine     Hybrid Journal   (Followers: 39)
Comparative Exercise Physiology     Hybrid Journal   (Followers: 23)
Cultura, Ciencia y Deporte     Open Access   (Followers: 1)
Eating and Weight Disorders - Studies on Anorexia, Bulimia and Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 24)
eJRIEPS : Ejournal de la recherche sur l'intervention en éducation physique et sport     Open Access  
Environmental Health and Preventive Medicine     Open Access   (Followers: 4)
Éthique & Santé     Full-text available via subscription  
Fat Studies : An Interdisciplinary Journal of Body Weight and Society     Partially Free   (Followers: 3)
Food Science and Human Wellness     Open Access   (Followers: 4)
Frontiers in Sports and Active Living     Open Access   (Followers: 4)
Gelanggang Pendidikan Jasmani Indonesia     Open Access  
German Journal of Exercise and Sport Research : Sportwissenschaft     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Geron     Full-text available via subscription  
Health and Quality of Life Outcomes     Open Access   (Followers: 14)
Health Education     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Health Education Journal     Hybrid Journal   (Followers: 16)
Health Marketing Quarterly     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Health Physics     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Health Promotion & Physical Activity     Open Access   (Followers: 9)
Home Healthcare Now     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Human Movement Science     Hybrid Journal   (Followers: 15)
Hygiene     Open Access   (Followers: 21)
IISE Transactions on Occupational Ergonomics and Human Factors     Hybrid Journal  
Indonesia Performance Journal     Open Access  
International Journal for Vitamin and Nutrition Research     Hybrid Journal   (Followers: 11)
International Journal of Applied Exercise Physiology     Open Access   (Followers: 55)
International Journal of Athletic Therapy & Training     Hybrid Journal   (Followers: 15)
International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity     Open Access   (Followers: 34)
International Journal of Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 58)
International Journal of Obesity Supplements     Full-text available via subscription   (Followers: 5)
International Journal of Qualitative Studies on Health and Well-Being     Open Access   (Followers: 21)
International Journal of Spa and Wellness     Hybrid Journal  
International Journal of Sport, Exercise & Training Sciences     Open Access   (Followers: 4)
International Journal of Yoga     Open Access   (Followers: 17)
Isokinetics and Exercise Science     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Journal of Advanced Nutrition and Human Metabolism     Open Access   (Followers: 16)
Journal of American College Health     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Journal of Athlete Development and Experience     Open Access   (Followers: 3)
Journal of Bioenergetics and Biomembranes     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Journal of Exercise & Organ Cross Talk     Open Access   (Followers: 1)
Journal of Human Performance in Extreme Environments     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Human Sport and Exercise     Open Access   (Followers: 17)
Journal of Motor Learning and Development     Hybrid Journal  
Journal of Physical Activity and Health     Hybrid Journal   (Followers: 13)
Journal of Physical Activity and Hormones     Open Access   (Followers: 3)
Journal of Physical Activity Research     Open Access   (Followers: 4)
Journal of Physical Education and Human Movement     Open Access  
Journal of Physical Education and Sport Sciences     Open Access   (Followers: 5)
Journal of Physical Education Health and Sport     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Physical Education, Recreation & Dance     Full-text available via subscription   (Followers: 13)
Journal of Science in Sport and Exercise     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Journal of Sport and Health Science     Open Access   (Followers: 22)
Journal of Sport Sciences and Fitness     Open Access   (Followers: 14)
Journal of Strength and Conditioning Research     Hybrid Journal   (Followers: 77)
Kinesiology : International Journal of Fundamental and Applied Kinesiology     Open Access   (Followers: 1)
Kinesiology Review     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Malaysian Journal of Movement, Health & Exercise     Open Access   (Followers: 1)
Measurement in Physical Education and Exercise Science     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Médecine & Nutrition     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Mental Health and Physical Activity     Hybrid Journal   (Followers: 17)
MHSalud : Movimiento Humano y Salud     Open Access  
Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 41)
Obesity Research & Clinical Practice     Full-text available via subscription   (Followers: 10)
Obesity Reviews     Hybrid Journal   (Followers: 17)
Obesity Science & Practice     Open Access  
Open Obesity Journal     Open Access   (Followers: 2)
Pain Management in General Practice     Full-text available via subscription   (Followers: 13)
PALAESTRA : Adapted Sport, Physical Education, and Recreational Therapy     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Physical Activity and Health     Open Access   (Followers: 4)
Physical Education & Sport Pedagogy     Hybrid Journal   (Followers: 14)
Preventing Chronic Disease     Free   (Followers: 3)
Psychology of Sport and Exercise     Hybrid Journal   (Followers: 20)
Quality in Sport     Open Access  
Race and Yoga     Open Access   (Followers: 1)
RBNE - Revista Brasileira de Nutrição Esportiva     Open Access   (Followers: 1)
RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento     Open Access   (Followers: 1)
RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício     Open Access  
Research Quarterly for Exercise and Sport     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Retos : Nuevas Tendencias en Educación Física, Deportes y Recreación     Open Access  
Revista Andaluza de Medicina del Deporte     Open Access   (Followers: 2)
Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde     Open Access   (Followers: 1)
Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano     Open Access   (Followers: 1)
Revista Internacional de Medicina y Ciencias de la Actividad Física y del Deporte : International Journal of Medicine and Science of Physical Activity and Sport     Open Access   (Followers: 1)
Revue phénEPS / PHEnex Journal     Open Access  
Scandinavian Journal of Sport and Exercise Psychology     Open Access   (Followers: 5)
SIPATAHOENAN : South-East Asian Journal for Youth, Sports & Health Education     Open Access  
Spor Bilimleri Dergisi / Hacettepe Journal of Sport Sciences     Open Access   (Followers: 1)
Sport and Fitness Journal     Open Access   (Followers: 7)
Sport Science and Health     Open Access   (Followers: 7)
Sport Sciences for Health     Hybrid Journal   (Followers: 5)
SPORTIVE : Journal Of Physical Education, Sport and Recreation     Open Access   (Followers: 2)
Sports     Open Access   (Followers: 3)
Sports Biomechanics     Hybrid Journal   (Followers: 29)
Sports Health: A Multidisciplinary Approach     Hybrid Journal   (Followers: 5)
Strength & Conditioning Journal     Hybrid Journal   (Followers: 58)
Timisoara Physical Education and Rehabilitation Journal     Open Access   (Followers: 2)
Turkish Journal of Sport and Exercise     Open Access  
Yoga Mimamsa     Open Access   (Followers: 3)

           

Similar Journals
Journal Cover
RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
Number of Followers: 0  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Print) 1981-9900 - ISSN (Online) 1981-9900
Published by IBPEFEX Homepage  [4 journals]
  • Nível de atividade física em hipertensos e diabéticos acompanhados na
           atenção primária

    • Authors: Antonio Eduardo Martins Amorim, Lucíola Galvão Gondim Corrêa Feitosa, João Paulo Jacob Sabino, Ivonizete Pires Ribeiro, joyce lopes lopes macedo, Maísa Guimarães Silva Primo, Amanda Suellenn da Silva Santos Oliveira, Nayra Nazaré Silva Martins, Maria Ivone Mendes Benigno, Maria do Carmo de Carvalho e Martins
      Pages: 384 - 391
      Abstract: Objetivo: Determinar a prevalência de sedentarismo e fatores socioeconômicos associados aos usuários do programa Hiperdia. Materiais e Métodos: Os indivíduos foram classificados em quatro níveis de atividade física: sedentário, insuficientemente ativo, ativo e muito ativo, segundo as respostas do questionário internacional de atividade física (IPAQ) versão curta. Também foram classificados de acordo com as respostas obtidas através do questionário sociodemográfico. Resultados: A média de idade dos participantes sedentários foi significativamente maior que a dos ativos e muito ativos (p<0,001). Foi encontrada associação (p<0,001) entre nível de atividade física e escolaridade, renda familiar mensal e estar desempenhando atividade de trabalho remunerado. Conclusão: Os níveis de atividade física observados se apresentam como indesejados, o que demonstra a necessidade de incentivo a prática de atividade física, bem como um profissional de educação física no programa.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Relação entre o nível de atividade física e a qualidade de vida em
           professores da educação básica brasileira

    • Authors: Victor Barbosa Ribeiro, Andressa Stephanie Fernandes Silva, Nicoli Brandão dos Santos, Renata Plaza Teixeira, Rafael de Menezes Reis, Michael Macedo Diniz, Arthur Zecchin, Gislaine Satyko Kogure
      Pages: 392 - 400
      Abstract: Introdução: Estudos apontaram uma redução da qualidade de vida (QV) de professores. Objetivo: O presente estudo teve como objetivo avaliar se existe relação do gênero, renda e nível de atividade com a QV de professores da educação básica brasileira. Materiais e Métodos: Os professores, via redes sociais, foram convidados para esta pesquisa. Os interessados responderam a três questionários avaliando idade, gênero, renda, nível de atividade física e QV. Para comparação da QV, os grupos foram divididos por gênero, renda e nível de atividade física. Para avaliar a normalidade dos dados utilizou-se o teste Shapiro-Wilk e, para comparação entre os grupos, o Test t, Mann-Whitney ou Anova-One-Away. Resultados e Discussão: Participaram 301 professores. O escore de dor foi pior para mulheres e pessoas com renda até 3 salários-mínimos tiveram escores de dor e saúde mental pior do que pessoas que recebiam acima de 5 salários. Além disso, todos os 8 escores do questionário de QV foram significativamente piores em professores sedentários e irregularmente ativos quando comparados a professores ativos ou muito ativos. Conclusão: Conclui-se que a prática de exercícios físicos é fundamental para a QV.  São necessárias medidas para estimular a prática por professores, dentre elas sugere-se a flexibilização da jornada de trabalho ou inserção dessa prática durante a jornada. Os resultados também apontaram para as necessidades de se ter um olhar diferenciado para as mulheres e de se rever sobre a renda do professor, uma vez que ser mulher e ter renda baixa foi relacionado com menor QV.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Benefícios da natação para crianças e adolescentes: uma revisão
           sistemática

    • Authors: Samira Gabriely Soares Oliveira, Nayra Suze Souza e Silva
      Pages: 401 - 411
      Abstract: Objetivo: Realizar revisão sistemática para descrever a produção científica existente na literatura nacional sobre os benefícios da prática da natação para crianças e adolescentes. Materiais e Métodos: Utilizaram-se os padrões estabelecidos pelo Preferred Reporting Items in Systematic Reviews and Meta-analyses e incluiram-se estudos quantitativos e qualitativos. A busca foi realizada nas bases de dados eletrônicas BVS, Periódicos CAPES e SciELO. Resultados: Foram selecionados inicialmente 251 artigos, dos quais 13 atenderam a todos os critérios de inclusão para prosseguir na revisão sistemática. A natação oferece inúmeros benefícios decorrentes da prática, que estão relacionados à melhora na saúde mental, aptidão física funcional, desenvolvimento motor global, aspectos comportamentais, psíquicos, sociais, aumento da flexibilidade, resistência abdominal e geral, diminuição da agressividade, melhora no equilíbrio e reeducação postural e da capacidade cardiorrespiratória. Conclusão: Sendo um dos esportes mais completos, é relevante a sua prática, por proporciona diversos benefícios, sejam eles fisiológicos, biomecânicos, psicológicos ou sociais.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Aptidão física e desempenho operacional em simulação de confronto
           armado na carreira de policiais militares no estado de São Paulo

    • Authors: Rafael Miranda Oliveira, Jorge Manuel Gomes de Azevedo Fernandes, Diego Ribeiro de Souza, Elaine Cristine da Silva, Magnus Benetti, Rudney da Silva, Victor Manuel Teixeira Queirós Monteiro, Paulo José Barbosa Gutierres Filho
      Pages: 412 - 420
      Abstract: Introdução: A utilização da arma de fogo é uma tarefa fundamental na profissão de policial e a sua eficiência demanda uma ampla gama de capacidades da aptidão física que podem diminuir durante a carreira e impactar o desempenho. Objetivos: Analisar o perfil da aptidão física e do desempenho operacional em simulação de confronto armado avaliadas através do teste de aptidão física e do Método Giraldi®, e identificar quais as suas associações durante a carreira de policiais militares do estado de São Paulo.  Materiais e Métodos:  Adotou-se um desenho observacional de delineamento transversal a partir de uma amostra não probabilistica de policiais do sexo masculino que exercem funções no programa de Rádio Patrulha. Resultados: Durante a carreira dos policiais ocorre uma diminuição da capacidade aeróbica, capacidade anaeróbica, resistência muscular e força muscular e uma manutenção no desempenho operacional em simulação de confronto armado, sendo que esta tarefa correlaciona-se fracamente apenas com a força de membros superiores mensurada pelo teste de flexão de braços no solo. Conclusão: Evidencia-se que durante a carreira dos policiais existe um período específico para a diminuição de cada uma das capacidades da aptidão física, e que, independente destas alterações, os resultados do desempenho operacional em simulação de confronto armado permanecem inalterados por existir apenas associações fracas com a força de membros superiores.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Alterações da composição corporal após treinamento de pré-temporada
           de um time de handebol feminino

    • Authors: João Pedro Raminelli, Henrique Izaias Marcelo, Carlos Augusto de Carvalho Filho, Marcelo José Alves
      Pages: 421 - 430
      Abstract: Introdução: O Handebol é um esporte coletivo com bola, jogado com as mãos, cujo objetivo é marcar mais gols que o adversário numa baliza de 3 x 2 metros defendida por um goleiro. Objetivo: O estudo avaliou e verificou as diferenças na composição corporal de um time de handebol feminino, antes da pré-temporada e após 12 semanas de treinamento. Métodos: Participaram do estudo quinze atletas do gênero feminino, praticantes de handebol, com idade entre 12 e 21 anos. Foram analisados os dados de composição corporal, circunferências corporais e peso de todas as atletas pré e pós-intervenção. Os treinamentos ocorreram 3 vezes por semana, durante 1 hora por dia. A parte inicial foi realizada por um tempo de 15 minutos, a parte principal foi realizada por um tempo de 30 minutos e a parte final teve duração de 15 minutos. Resultados: Foi observado que houve um aumento da dobra subescapular (14,29 ±6,64 - 15,60 ±8,48). As dobras suprailíaca e coxa média obtiveram diminuição: suprailíaca (10,83 ±7,30 - 9,60 ±5,29) e coxa média (38,00 ±0,00 - 15,00 ±5,12), após o período de intervenção, a dobra cutânea coxa média obteve uma diminuição de 24,41 ±6,68 pré intervenção para 22,28 ±7,31 pós-intervenção. Conclusão: 12 semanas de treinamento da modalidade handebol altera a composição corporal de atletas do gênero feminino, sobretudo resultando em diminuição da dobra cutânea da coxa média, ganho de massa magra, perda de massa gorda e diminuição do percentual de gordura.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Uso do cigarro eletrônico e fatores associados em universitários

    • Authors: Maria Clara Moreira Murça Brasil, Mônica Thaís Soares Macedo, Josiane Santos Brant Rocha
      Pages: 431 - 437
      Abstract: Introdução: Na última década, com o aumento do uso das mídias sociais, os cigarros eletrônicos expandiram globalmente e seu uso aumentou exponencialmente, criando uma geração propensa ao vício em nicotina sem que haja conscientização e educação adequada sobre os efeitos nocivos. Objetivo: o presente estudo teve como objetivo estimar o nível de conhecimento do CE e a associação de fatores preditores em universitários. Materiais e Métodos: Estudo transversal, quantitativo e analítico, realizado na Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), com os alunos do curso de graduação em Educação Física. As variáveis independentes investigadas referiram a fatores sociodemográficos, hábitos comportamentais e, conhecimentos sobre o cigarro eletrônico. Para tratamento dos dados foram realizadas análises descritivas de todas as variáveis investigadas por meio de suas distribuições de frequências. Em seguida, foram realizadas análises bivariadas entre a variável desfecho e cada variável independente. As variáveis que apresentaram nível descritivo (valor-p) <0,20 foram selecionadas para análise múltipla. Resultados: Participaram do estudo 132 universitários. A prevalência do uso do cigarro eletrônico para homens foi de 37,2% e para mulheres 20,4%. Após análise multivariada, permaneceram no modelo para o sexo masculino, a variável consumo de bebidas alcoólicas, evidenciando que os universitários que bebem apresentam (RP =1,55 IC % 1,26-1,89), comparados ao que não fazem o uso de bebidas alcoólicas. Conclusão: Verificou-se alta prevalência da experimentação do cigarro eletrônico entre a população estudada. O fator de risco associado refere-se ao consumo de bebidas alcoólicas entre os homens.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Resposta da il-6 ao exercício aeróbico na imunossenescência: uma
           revisão narrativa

    • Authors: Anne Sulivan Lopes da Silva Reis, Maria Luiza Caires Comper, Marcos Rodrigo Trindade Pinheiro Menucchi, Guilherme Eustáquio Furtado, Grasiely Faccin Borges
      Pages: 438 - 446
      Abstract: Introdução: A IL-6 age como intensificador de fatores deletérios relacionados ao envelhecimento e a estados patológicos, como inflamação crônica e estresse oxidativo. Quando induzida pelo exercício físico, torna-se um mecanismo pró-regenerativo hábil e defensivo a estressores, com atuações horméticas e pleiotrópicas. A IL-6 exerce funções complexas e antagônicas com atuações anti-inflamatórias e pró-inflamatórias a depender da intensidade, constância e tipo da estimulação. Objetivo: Verificar as respostas da IL-6 a intervenção de exercícios aeróbicos no processo de imunossenescência. Materiais e Métodos: Trata-se de uma revisão narrativa de literatura, disponível na base de dados eletrônica PubMed e portal de periódicos CAPES, com ênfase em revisões sistemáticas com ou sem meta-análises. Resultados: Foram consultados 43 artigos, com 16 elegíveis, sendo 11 revisões sistemáticas, 4 estudos com desenho experimental e 1 ensaio clínico randomizado. O ano de publicação dos estudos variou de 2013 a 2023. A maioria da amostra foi de adultos/meia-idade e idosos, do sexo feminino. Destacaram-se modalidades de corrida, ciclismo, natação, ioga e tai chi chuan. O período de intervenção mais proeminente foi 12 semanas. O método de análise dos marcadores quando citados foram citometria de fluxo e Elisa. Discussão: Expressivas evidências confirmam a associação da intervenção regular de exercícios físicos, especificamente os aeróbicos, com a melhora das respostas imunitárias e marcadores inflamatórios no processo de senescência celular, associados ao envelhecimento. Conclusão: Evidências científicas indicam a prática habitual de exercícios aeróbicos, como estratégia mais apropriada para modular respostas imunitárias e marcadores pró-inflamatórios (IL-6, TNF-α, e PCR), relacionados a imunossenescência.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Hipertensão, exercício físico e atividade física em crianças e jovens
           na idade escolar: uma revisão narrativa

    • Authors: Francisco Basílio da Silva Júnior , Sabrina Marinho Coutinho, Breno Tadeu de Oliveira de Souza, Elizabeth Santana Alves de Albuquerque, André Pontes-Silva, Cristiano Teixeira Mostarda, Antonio Coppi Navarro, Christian Emmanuel Torres Cabido, Almir Vieira Dibai Filho, Flávio de Oliveira Pires
      Pages: 447 - 464
      Abstract: O presente estudo realizou uma revisão narrativa sobre a incidência e prevalência da Hipertensão Arterial em crianças, adolescentes e jovens em idade escolar e identificou o papel do professor como agente educativo e preventivo para tentar minimizar e controlar os riscos que estão associados a esta patologia. Com isso, buscou-se investigar a atuação da escola e do professor de educação física no combate e prevenção da Hipertensão Arterial em crianças, adolescentes e jovens em idade escolar. Foi realizado um levantamento e análise de artigos científicos de 2012 a 2022 em buscador e base de dados (Google Acadêmico, Scielo, Pub Med) que falem a respeito do papel da educação física escolar na prevenção ou auxílio do controle da hipertensão através de uma revisão narrativa de literatura. Os estudos mostram um consenso a respeito dos fatores de risco da Hipertensão Arterial e, apesar da pouca prevalência e incidência Hipertensão Arterial não serem tão evidenciados na literatura, os autores alertam sobre a alta incidência e prevalência de fatores de riscos como a obesidade e sedentarismo nas fases iniciais da vida que podem aumentar o risco de aumento de casos de hipertensão arterial. Desse modo, é fundamental ressaltar todos os estudos mostram a possibilidade que nas fases iniciais de vida é possível identificar a hipertensão arterial, podendo fazer da escola e do professor de educação física um agente direto e efetivo da identificação, prevenção e controle da hipertensão arterial nessa fase da vida.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Amplitude de movimento no treinamento de força: uma revisão
           narrativa

    • Authors: Gabriel Monaco Maique, Enrico Gori Soares, Felipe Alves Brigatto, Charles Ricardo Lopes
      Pages: 465 - 475
      Abstract: A amplitude de movimento (ADM) dos exercícios do treinamento de força tem sido tópico de diversos estudos originais nos últimos anos. Portanto, o objetivo deste trabalho será realizar uma revisão narrativa sobre a manipulação da ADM no treinamento de força. Para a realização da presente revisão, foram selecionados artigos originais em português e inglês nas bases de dados Pubmed e Google Acadêmico. Os estudos revisados reportaram superioridade do treinamento com ADM completa em relação a variações com ADM parcial com a musculatura encurtada no desenvolvimento de medidas de força e hipertrofia. Entretanto, os estudos demonstram maior resposta hipertrófica quando os exercícios demandam maior alongamento muscular ou são realizados com ADM parcial com a musculatura mais alongada.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • What do we know about the effects of physical exercise in mitigating the
           COVID-19 infection, transmission and severity'

    • Authors: Arthur Zecchin, Victor Barbosa Ribeiro, Euripedes Barsanulfo Gonçalves Gomide, Enrico Fuini Puggina
      Pages: 476 - 477
      Abstract: Dear editor, the coronavirus disease 2019 (COVID-19) pandemic, caused by acute respiratory syndrome coronavirus (SARS-CoV-2), has spread worldwide leading to high morbidity and mortality (Zhang et al., 2023). Although several studies have aimed to understand how the COVID-19 is affected by systematic physical activity, only few studies have been conducted to better understand the role of physical exercise in mitigating COVID-19 contamination and transmission (Souza et al., 2021; Zecchin et al., 2023). The role of physical exercise (i.e., resistance and/or endurance training) in the immune system is well understood (Nieman, Pedersen, 1999). Increased immune vigilance and the improvement of immune competence, which help the control of pathogens, mainly in elderly and obese population, who show limited immunological control, have been described earlier (Mohammad et al., 2021; Simpson, 2011). What do we know about the effects of physical exercise on COVID-19 disease' Moderate intensity physical exercise is well known to be part of the treatment of many acute and chronic metabolic diseases (i.e., respiratory and cardiac diseases) (Burge et al., 2020). Recent studies pertaining physical exercise and COVID-19 demonstrated that physical activity is not capable to diminish the transmission, however it has been reported to have a symptom-mitigating properly during the disease cycle, and it is part related to immune protection (Rahmati-Ahmadabad, Hosseini, 2020). Lee et al., (2021) investigated 212 768 thousands of Korean adults (aged ≥20 y) and described that those who were engaged in the recommended levels of physical exercise decreased SARS-CoV-2 infection, COVID-19 related death and severe illness (aerobic and muscle strength activities according to the 2018 physical activity guidelines). This results reported by Lee et al., (2021) corroborate with de Souza et al., (2021) investigating well-trained patients who showed lower levels of hospitalization due to SARS-CoV-2 infection (according to the International Physical Activity Questionnaire [IPAQ]). Halabchi et al., (2021) observed a lower frequency of hospitalization and number of deaths in athletes with regular sports participation compared to non-athletes. In fact, our research group recently reported that between 7676 participants who were active in some type of physical activity (i.e., CrossFit), were lower exposed to being hospitalized due to COVID-19 (under review) (Zecchin et al., 2023). What needs to be addressed in future studies regarding COVID-19 and physical exercise' To date, studies describing the effects of physical activity on COVID-19 have used different approaches, such as different guidelines for determining physical activity levels, and this is a limitation to a better understanding. Future studies should investigate the effects of different physical exercise methods (i.e., interval training, continuum training) in the attenuation of COVID-19 infection and severity in risk groups (i.e., elderly, obese). There is also a need for more detailed studies of participants' physical activity levels. Studies involving different designs must be implemented for a better approach between COVID-19 infection and severity and different populations. LIMITATIONS This letter describes only the potential studies in which the rule of physical exercise in mitigating COVID-19 infection, transmission and severity were investigated.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Eficácia da hidroginástica sobre a autonomia funcional de idosas: Um
           estudo experimental controlado, pragmático e duplo cego

    • Authors: Milena Trindade Domingues, Laura Santos Gularte
      Pages: 478 - 478
      Abstract: Prezado Editor, Gostaríamos de expressar nossa opinião sobre o artigo intitulado "Eficácia da hidroginástica sobre a autonomia funcional de idosas: um estudo experimental controlado, pragmático e duplo cego" publicado em seu periódico. Primeiramente, parabenizamos os autores pela realização de um estudo tão importante e relevante para a saúde de pessoas idosas, população cada vez mais numerosa no mundo e em nosso país. A hidroginástica tem se mostrado uma atividade física muito eficaz para melhorar a qualidade de vida de idosos, visto que é uma atividade de baixo impacto e que pode ser realizada por pessoas de todas as idades com diferentes condições de saúde, proporcionando sensação de bem-estar e relaxamento durante e após a prática. É notório que a prática regular de atividade física é fundamental para a manutenção da saúde e qualidade de vida dos idosos, e o estudo apresentado fornece evidências importantes sobre a eficácia da hidroginástica para autonomia funcional de idosas. Destacamos alguns pontos importantes do estudo enquanto metodologia, amostra e qualidade estatística. O estudo foi duplo-cego e controlado, conferindo maior fidedignidade aos resultados e para as análises estatísticas foi utilizada ANOVA para medidas repetidas intra e entre grupos e teste post hoc de Bonferroni para identificar as diferenças significativas. Ademais, os autores controlaram possíveis variáveis de confusão pré teste, tornando a amostra semelhante na variável idade, condição física (todas estavam no mínimo 2 meses sem praticar exercício físico), massa corporal e desempenho no Sênior Fitness Test pré intervenção também foi semelhante entre os grupos. A amostra foi composta por 89 idosas, alocadas em três grupos, cabe aqui pontuarmos que identificamos um erro no tamanho da amostra inicial e final descrita no artigo na página 97 que detalhou como amostra inicial 102 participantes e final 88, quando na verdade foram 105 participantes na amostra inicial e 89 ao final do estudo, conforme n amostral em cada um dos três grupos. Além disso, a descrição tanto dos procedimentos de avaliação antropométrica, composição corporal e planejamento das atividades do grupo experimental foram escritas de forma detalhada e clara, identificando comprometimento e confiabilidade ao estudo. Por fim, sugerimos que novos estudos sejam realizados com uma amostra maior e mais diversificada, avaliando a eficácia da hidroginástica em diferentes grupos variando o sexo, além de avaliar a eficácia da hidroginástica em longo prazo, verificando se os resultados se mantêm ao longo do tempo. Acreditamos que estudos como esse são de extrema importância para incentivar a prática de atividades físicas e promover a saúde e o bem-estar dos idosos. Parabenizamos novamente os autores pelo trabalho e esperamos que novos estudos sejam realizados para aprimorar ainda mais nossos conhecimentos sobre a hidroginástica para essa população.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Estudo comparativo entre a flexibilidade de praticantes de Dança e
           Hidroginástica

    • Authors: Joao Lucas da Silva Araujo Dantas, Fabian de Queiroz
      Pages: 479 - 484
      Abstract: A Flexibilidade é uma capacidade necessária para uma boa execução das funções humanas, ainda mais na fase Idosa, na qual se concentra um período mais sedentário e menos ativo diante das funcionalidades e afazeres do dia a dia, ou seja, com isso o ser flexível se torna algo necessário para boa execução de vários aspectos, como execução de movimentos, carregar objetos, realizar melhores alongamentos entre outros, sendo assim um fator determinante na vivência do Humano. A pesquisa objetiva comparar a flexibilidade de praticantes de Dança e Hidroginástica. É uma pesquisa de campo, que procura entender os níveis de Flexibilidade de alunos. É um estudo que aborda de forma quantitativa. A amostra foi de 26 mulheres, acima de 60 anos do Projeto Vida Ativa, ligado ao curso de Educação Física na Unifip em Patos-PB. Sendo utilizado o Banco de Wells, como forma de teste para comparação dos diferentes níveis dos alunos. Os dados foram analisados quantitativamente pelo programa IBM, Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), versão 25. Os resultados obtidos quanto aos níveis de flexibilidade das praticantes foram: Dança (21,07%) e Hidroginástica (20,97%). Assim, conclui-se que não houve diferença significativa entre os níveis das alunas idosas, destacando-se a Dança como maior prevalência dos níveis em comparação com a Hidroginástica.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • “Ratos de academia”: análise dos TCC’s utilizando modelos
           experimentais/animal em um departamento de educação física

    • Authors: Ramon Valério , Cecília Segabinazi Peserico, Jeferson Roberto Rojo
      Pages: 485 - 493
      Abstract: O uso de modelos animais tem grande importância para a pesquisa básica na área de Educação Física. Com isso, o presente estudo teve como objetivo analisar, a partir de trabalhos de conclusão de curso do Departamento de Educação Física da Universidade Estadual de Maringá, os estudos/trabalhos que utilizaram modelos animais/experimental em suas pesquisas. Como método utilizou-se da pesquisa bibliográfica, em que foram analisados um total de 44 estudos entre os anos de 1993 a 2021. Como resultado, o primeiro estudo envolvendo modelo animal foi realizado em 2002, sendo a orientadora que mais publicou foi a Profa. Dra. Solange Marta Franzói de Moraes. Em relação aos protocolos utilizados, os mais frequentes foram os estudos com esteiras rolantes. No que tange ao tipo de animal, majoritariamente foram utilizados ratos nas pesquisas. O maior número de estudos foi na temática da obesidade/emagrecimento e a nutrição e suplementação. Conclui-se que os trabalhos encontrados focaram em pesquisas de tratamentos de doenças crônicas e não transmissíveis do que nos aspectos do treinamento e desempenho esportivo.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Sintomas de overtraining e lesões musculoesqueléticas em praticantes de
           crossfit® da cidade de Araguari-MG

    • Authors: Murilo de Souza Filho, Murilo Zupelli Rodrigues Alves, Pedro Antônio Pereira da Cunha, Matheus de Paiva Daniel, Luiz Duarte Ulhôa Rocha Júnior, Alexandre Gonçalves, Hugo Ribeiro Zanetti
      Pages: 494 - 500
      Abstract: O objetivo do presente estudo foi avaliar a prevalência de lesões musculoesqueléticas e sintomas de overtraining em praticantes de CrossFit® da cidade de Araguari-MG.  A amostra foi composta por voluntários com idade entre 18 anos e 60 anos e praticantes de CrossFit® regularmente matriculados em academias que ofereçam a modalidade na cidade de Araguari-MG. Os participantes responderam a dois questionários sendo um relacionado ao histórico de prática do CrossFit® e lesões musculoesqueléticas e outro sobre os sintomas de overtraining. Foram entrevistados 86 voluntários, na sua maioria homens (68,60%) e a mediana das idades foi de 26 anos. A prevalência de lesões foi de 46,51%. Em relação ao local de lesão, observou-se que o ombro foi o local de maior prevalência (57,5%), seguido de joelho (25%), coluna (20%) e mão (5%). O escore total do questionário de overtraining apresentou mediana de 10 pontos. Nas correlações entre os escores do questionário de overtraining e as variáveis idade e tempo de prática, foi detectada somente uma associação fraca e negativa ente o questionário e o tempo de duração das sessões (p=0,01; r= -0, 27). Assim, conclui-se que o Crossfit® pode propiciar alguma lesão musculoesquelética, principalmente os ombros, e gerar sintomas de overtraining, o que pode desencadear alterações fisiológicos homeostáticas nos participantes.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Efeitos da desidratação no desempenho cognitivo dos goleiros de futebol
           durante uma sessão específica de treinamento

    • Authors: Jeremias Freitas Pereira, Rafael Viegas Martins, Natalia Maria Rodrigues Barros, Elane Almeida Silva, Mary Luiza Reis Silva, Daniel Aguiar da Silva, Isabela Weba Couto Rocha, Marcos Roberto Campos de Macêdo, Raphael Furtado Marques
      Pages: 501 - 510
      Abstract: Objetivo: Avaliar a influência do estado de hidratação sobre o desempenho cognitivo de goleiros profissionais de futebol após uma sessão de treinamento específico. Materiais e Métodos: 8 goleiros foram solicitados a realizar o treinamento específico já habituados a fazer sem que mudassem os hábitos de hidratação. Logo após, foram submetidos a 2 execuções do teste de reação de escolha (TRE). Foram posicionados dentro das balizas de frente para o Ipad que através de estímulos visual indicava para onde iriam movimentar, e ações defensivas deveriam executar. Os atletas tinham água disponível, sem aplicar algum tipo de protocolo de hidratação. A frequência cardíaca e taxa de percepção de esforço também foram avaliadas. Resultados: Os goleiros iniciaram e finalizaram a sessão em uma classificação de desidratação significativa, não apresentando diferença antes e depois (p>0,05). A desidratação não influenciou no tempo de reação dos goleiros. Do ponto de vista da intensidade, a maior parte do tempo de treino os goleiros permaneceram em uma zona de trabalho intenso e muito intenso pela frequência cardíaca de reserva (FCR). Obteve-se uma correlação moderada (r=0,72) entre o tempo de permanência nas zonas intensas de treinamento com um maior tempo de reação e nº de erros, sendo os goleiros que mais permaneceram em zonas intensas tiveram maiores TR médios e nº de erros (p=0,0424). Conclusão: O nível de desidratação parece não influenciar no TR após um treinamento específico. Porém, o tempo de permanência em zonas de treino mais intensas e uma maior PSE parecem influenciar negativamente no TRE.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Efeitos da hidroginástica sobre a composição corporal e capacidade
           funcional de paciente revascularizado: estudo de caso

    • Authors: Luíz Filipe Costa Chaves, Thiago Matheus da Silva Sousa, Samir Seguins Sotão, Verônica Nunes Pinheiro, Daniela Alves Flexa Ribeiro, Fabiano de Jesus Furtado Almeida, Bruno Bavaresco Gambassi
      Pages: 511 - 518
      Abstract: Introdução: A cirurgia de revascularização cardíaca é um procedimento que provoca muitas modificações na capacidade funcional e na composição corporal, levando a redução da qualidade de vida desses pacientes. Objetivo: Avaliar os efeitos do treinamento físico aquático na capacidade funcional e composição corporal de paciente revascularizado. Materiais e Métodos: Este artigo se caracterizou como um estudo de caso, desenvolvido no departamento de Educação Física da Universidade Ceuma, em São Luís-MA. Além disso, o estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Ceuma, sob o parecer de número 3.370.496. A amostra foi composta por um homem sedentário, 41 anos, eutrófico (IMC: 24,39), e que foi submetido a cirurgia de revascularização do miocárdio. A capacidade funcional foi avaliada através dos testes de sentar e levantar (5 vezes), teste de caminhada de 6’ (TC6) e Time Up And Go (TGU), enquanto a composição corporal foi avaliada através da Bioimpedância Tetrapolar da marca Sanny®. As sessões de treinamento aquático foram realizadas duas vezes por semana durante dois meses. Resultados: Após esse período foi possível observar aumento de 1,45kg de massa magra, redução da adiposidade absoluta e relativa (2,15kg/2,97%), diminuição do tempo nos testes de sentar e levantar (5 vezes), Time Up And Go e um acréscimo de 99,2m na distância percorrida no TC6. Conclusão: Diante do exposto, conclui-se que o protocolo de treinamento aquático promoveu hipertrofia, emagrecimento e melhora na capacidade funcional do sujeito avaliado.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Nível de atividade física em gestantes

    • Authors: Alana Simões Bezerra, Carolaine Rocha da Silva
      Pages: 519 - 525
      Abstract: A pesquisa tem como objetivo verificar os níveis de atividade física de gestantes da cidade de São José do Egito-PE. Trata-se de uma pesquisa de campo, do tipo exploratória e de abordagem quantitativa. Participaram 20 gestantes com mais de 18 anos da cidade de São José do Egito-PE, que estavam realizando pré-natal no Programa de Saúde da Família, como instrumento utilizou-se o Questionário de Atividade Física para Gestante. Os dados coletados foram analisados no programa Statistical Package for the Social Sciences. Obteve-se como resultados que 30,0% das gestantes estavam entre o 1º e o 3º mês de gestação; 30,0% entre o 4º e o 6º mês e 40,0% entre o 7º e o 9º mês. Com relação ao nível de atividade física, percebe-se que na maioria das categorias as gestantes da cidade de São José do Egito-PE, estão sedentárias, a exemplo de cuidar de outras pessoas (65,0%), ocupação (80,0%), esporte/exercícios (90,0%) e locomoção (85,0%). Tarefas domésticas e lazer tiveram um equilíbrio entre sedentárias, leve, moderada e vigorosa. Assim, conclui-se que as gestantes estão num nível de atividade física classificado como sedentário.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Efeito agudo de diferentes tempos de intervalos entre as séries de
           alongamento sobre a amplitude articular do quadril

    • Authors: Alexandre Alves dos Santos Barros, Daniel Queiroz da Silva, Renato de Oliveira Massaferri, Elirez Bezerra da Silva, Ercole da Cruz Rubini
      Pages: 526 - 533
      Abstract: Introdução: a flexibilidade é comumente prescrita nos diversos programas de atividade física. No entanto, ainda pouco se sabe sobre qual o tempo de intervalo entre as séries mais adequado. Sendo assim, o objetivo desse estudo é verificar o efeito agudo de diferentes intervalos entre as séries de alongamento sobre a amplitude articular do quadril. Materiais e métodos: participaram do estudo 72 homens ativos (idade entre 18 e 40 anos, massa corporal total de 76,84 ±10,88 Kg e estatura de 1,75 ± 0,11 m). Os participantes foram alocados em 4 situações com intervalos mínimos de 48 horas entre elas. Na primeira visita foram realizadas as medidas antropométricas para caracterização da amostra e na segunda, terceira e quarta visitas os sujeitos foram alocados aleatoriamente para cada uma das três situações experimentais (intervalos de 30 s., 90 s. e livre entre as séries). Resultados: os resultados mostram que as três situações experimentais de alongamento utilizadas foram capazes de aumentar significativamente a amplitude de abdução de quadril quando comparados com a situação pré alongamento (p=0,00001 e ocorreu aumento significativo da amplitude articular de abdução do quadril na situação 30 s. em relação à 90 s. (p≤0,03) e livre em relação à 90 s. (p≤0,00), após a série de alongamentos. Conclusão: dessa forma, os intervalos de 30 s. e livre foram mais eficazes que o de 90 s.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Impacto agudo do alongamento estático e dinâmico na força
           muscular

    • Authors: Ronnie Jose Ferraz, Marlene Salvina Fernandes da Costa, Walmir Romário dos Santos, Wlaldemir Roberto dos Santos
      Pages: 534 - 539
      Abstract: O aquecimento pode influenciar diretamente o desempenho físico, sendo que estratégias como alongamento estático e dinâmico vem sendo descritas na literatura. Porém, sugere-se que o alongamento estático pode reduzir o percentual de força muscular antes do exercício e, por outro lado, o alongamento dinâmico pode aumentar a força muscular, além de melhora da vascularização do tecido muscular utilizado no exercício e aumento na produção de líquido sinovial. Deste modo, o presente estudo teve o objetivo de verificar o impacto agudo do alongamento estático e dinâmico na força muscular. Foram selecionados 20 homens e divididos em 2 grupos, grupo com alongamento estático (GAE) e grupo com alongamento dinâmico (GAD) onde em cada grupo foi aplicado o exercício de supino reto horizontal com barra, utilizando o teste de 1RM para verificar a força dinâmica máxima. Em um primeiro momento foi realizado o teste de 1RM, sendo repetido 48 horas depois, sendo que neste segundo momento o GAE fez o alongamento estático antes do teste e o GAD aqueceu fazendo 15 repetições com 50% de 1RM no exercício supino. Com os resultados, observamos que ambas as estratégias de aquecimento tiveram impacto negativo na força muscular, sendo mais acentuada para o GAE, onde os indivíduos do grupo GAE tiveram uma redução de 10,77% (p=0,003) e do grupo GAD 3,47% (p=0,047). Deste modo, verificamos que o alongamento dinâmico é mais eficaz como método de aquecimento do que o alongamento estático, leva a uma melhor preparação do corpo para o exercício e proporciona menor prejuízo na redução da força dinâmica.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Efeito de 12 semanas de sit all-out sobre a potência aeróbia e o
           desempenho neuromuscular de corredores

    • Authors: Victória Emmanuelli Dal-Molin, Bruna Dreissing Emmel, Camila Brandão Redigolo, Klaryslaine Bresolin, Karina Alves da Silva, Lilian Keila Barazetti, Ricardo Brandt
      Pages: 540 - 547
      Abstract: O método SIT “all-out” tem sido utilizado em uma série de investigações visando contribuir no desempenho dos atletas de endurance. O objetivo foi comparar o efeito do SIT “all-out” sobre o VO2máx e a força explosiva em corredores recreacionais. Participaram 49 corredores de ambos os sexos, organizados em 3 grupos de acordo com o tempo de prática de corrida, sendo: G1: iniciante à prática; G2: até um ano de prática e G3: >1 ano de prática. Foram avaliadas as variáveis aptidão aeróbia (Shuttle Run Test) e força explosiva de membros inferiores por meio dos protocolos de saltos verticais (CMJ e SJ), pré e pós 12 semanas de treinamento. Aplicou-se o teste de Shapiro-Wilk. O teste de Levene foi usado para testar a homogeneidade das variâncias. Posteriormente o método das equações de estimativas generalizadas seguido do post-hoc de Bonferroni foi utilizado para comparações entre os grupos e medida (inicial e pós-intervenção), bem como suas interações. Adotou-se o modelo descritivo. O nível de significância adotado foi de p<0,05. Houve incremento significativo nos índices de VO2 máx de todos os grupos. Sendo que para o G1 e G3 observou-se um aumento superior nessa variável, em comparação ao G2. Em relação aos parâmetros de força explosiva, houve melhora significativa do CMJ apenas para o G2. No SJ não foram evidenciadas diferenças significativas entre os grupos. Os resultados demonstram que o SIT “all-out” foi eficaz na adaptação cardiorrespiratória de indivíduos iniciantes e maior tempo de prática da corrida de rua.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • A Modulação do inflamassoma NLRP3 pelo exercício físico na
           Hipertensão Arterial Sistêmica: uma revisão de escopo

    • Authors: Danilo Farias de Morais, Susana Nogueira Diniz
      Pages: 548 - 566
      Abstract: A modulação dos processos inflamatórios teciduais é amplamente estudada, dada sua relevância em diversas patologias, incluindo a hipertensão arterial sistêmica (HAS). O complexo NLRP3 (NOD-like receptor family, pyrin domain containing 3)  ativa a caspase 1, resultando na clivagem e ativação de importantes mediadores da resposta inflamatória, como as interleucinas (IL) 1beta e IL-18. O exercício físico, além de ser uma terapia de baixo custo e de fácil acesso à população, representa uma forma eficaz de tratamento e prevenção da HAS. Recentemente, tem havido interesse crescente em estudar a relação entre o exercício físico e a modulação da inflamação. No entanto, poucos estudos investigaram a associação do inflamassoma NLRP3 com os processos inflamatórios, incluindo a HAS, em resposta ao exercício. Dessa forma, este estudo teve como objetivo realizar uma abrangente revisão para caracterizar a modulação do inflamassoma NLRP3 pela prática de exercício físico na HAS. A metodologia adotada seguiu um protocolo baseado no Problema, Conceito e Contexto (PCC), com busca nos bancos de dados PubMed, Cochrane e LILACS, abrangendo o período de outubro de 2020 até 2023. Foram selecionados criteriosamente 10 trabalhos que preencheram os critérios de inclusão. Os resultados revelaram uma resposta eficiente na redução da inflamação endotelial com a intervenção de exercícios aeróbicos. A sistematização das informações obtidas neste estudo poderá contribuir para a identificação de tipos e protocolos de atividades físicas capazes de modular a resposta inflamatória e o inflamassoma NLRP3, com potencial aplicação no tratamento da HAS.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Monitorização individual da sessão de treino: possibilidades e desafios
           da perpceção subjetiva de esforço no treino de força

    • Authors: Erick Guilherme Peixoto de Lucena, José Maurício Magraner Paixão do Santos, Alex José Sabino, Marco Carlos Uchida, João Paulo Borin
      Pages: 567 - 573
      Abstract: Este ensaio têm como objetivo apresentar  e discutir a percepção subjetiva de esforço (PSE) como instrumento de monitoramento individual do treinamento de força. No contexto do planejamento e organização do treinamento, observa-se na literatura científica uma discussão referente a utilização da PSE tanto na prescrição quanto no acompanhamento do desenvolvimento do desempenho, o que permite monitorar os estímulos e as adaptações provenientes do treinamento físico. Nota-se que estudos recentes apresentam possibilidades de aplicações da PSE voltadas ao treinamento de força e suas especificidades: sessão, séries, número de repetições e carga de treinamento; permitindo maior acessibilidade aos praticantes quanto à sua prática e experiência no treinamento de força.
      PubDate: 2023-12-28
      Issue No: Vol. 17, No. 112 (2023)
       
  • Influência da área urbana e rural sobre a aptidão física relacionada
           ao desempenho e a saúde de adolescentes do vale do Paraíba Paulista

    • Authors: José Eduardo Trindade da Silva
      Pages: 272 - 279
      Abstract: O objetivo do estudo foi investigar a influência da área urbana e rural sobre a aptidão física relacionada ao desempenho e saúde de adolescentes do Vale do Paraíba Paulista. A bateria de testes (arremesso de medicineball, sentar-e-alcançar, salto horizontal, resistência abdominal, agilidade e corrida de 20 metros) foi aplicada a 56 adolescentes, correspondendo: 4 (14 anos), 5 (13 anos) e 7 (12 anos) meninos e 3 (14 anos), 4 (13 anos) e 5 (12 anos) meninas ambos de área rural e urbana. Os resultados foram classificados conforme os critérios da PROESP-Br. Houve diferença dos meninos de área rural nos testes de sentar-e-alcançar (24.91 ±5.52 vs 29.63 ±4.66; U 69.00 p˂0.02) e resistência abdominal (22.69 ±4.58 vs 30.31 ±5.32; t 4.34; p˂0.001). As meninas de área rural foram melhores no teste de corrida de 20m (5.11 ±0.40 vs 4.73 ±0.43; t 2.203; p˂0.03). Quando estratificado os resultados por idade e sexo e categorizados por gênero observou-se desempenho insatisfatório para AFRD em ambos os sexos e as AFRS exibiram classificação saudável. Ao comparar AFRD e AFRS entre os sexos em relação à idade verificou-se que os meninos foram melhores nos testes de potência de membros superior e inferior, resistência e agilidade. Enquanto as meninas foram melhores no teste de sentar-e-alcançar. Evidencia-se através dos resultados a importância de uma intervenção prática que resulte em incremento nas AFRD.
      PubDate: 2023-11-26
      Issue No: Vol. 17, No. 110 (2023)
       
  • Um novo método indireto para determinar velocidade crítica aplicável em
           nadadores de academia

    • Authors: Renan Marcondes Porto, Alessandro Pierucci, Pedro Pugliesi Abdalla, Anderson dos Santos Carvalho, Jair Rodrigues Garcia Júnior
      Pages: 280 - 286
      Abstract: O objetivo deste estudo foi verificar se a velocidade crítica (VC) pode substituir a medida da velocidade do Limiar Anaeróbico (LAn) em nadadores de academia que são fisicamente ativos e moderadamente treinados. Trata-se de uma pesquisa quantitativa, do tipo experimental. Participaram do estudo 13 voluntários adultos jovens do sexo feminino e masculino com idade de 18 a 30 anos, praticantes do treinamento de natação por pelo menos um ano e com frequência semanal entre três a cinco vezes. Para coleta de dados foram realizados testes de VC de 3, 5 e 7 min com intervalos de 24 horas entre os testes (e replicados uma semana após [re-teste]). Após estas coletas, foram realizados testes de velocidade progressiva com coletas de sangue para estimar a velocidade do LAn. As distâncias percorridas no primeiro e segundo teste em 3 min (215,4 ±39,9 m e 214,4 ±41,3 m), em 5 min (330,8 ±63,7 m e 333,4 ±65,6 m) e em 7 min (434,1 ±84,3 m e 443,6 ±87,2 m) não apresentaram diferenças significativas. A distância média no primeiro (326,9±61,8 m) e segundo teste (330,4±64,0 m), assim como a VC no primeiro (0,91 ±0,20 m/seg) e segundo teste (0,95 ±0,20 m/seg) também não se mostraram diferentes estatisticamente, indicando boa reprodutibilidade do teste de VC. A VC no teste (0,91 ±0,20 m·s-1) apresentou diferenças significativas em comparação com a velocidade no LAn (1,00 ±0,19 m·s-1; p=0,009), mas a VC no re-teste não diferiu da velocidade no LAn (0,95 ±0,20), houve diferença de apenas 5% entre as velocidades. Concluímos, diante a semelhança entre os resultados do primeiro e do segundo teste, que o teste da VC é reprodutível e pode ser utilizado em nadadores de academia. Há concordância adequada e validade da VC para substituir o LAn em nadadores adultos recreativos assíduos quando estão familiarizados com o teste de VC (a partir da segunda aplicação).
      PubDate: 2023-11-26
      Issue No: Vol. 17, No. 110 (2023)
       
  • Comparação do perfil antropométrico e desempenho físico de jogadoras
           da categoria sub-20 e profissionais do futebol feminino

    • Authors: Kimberlyn Damares Brandino , Pedro Schons, Júlio Brugnara Mello , Rafaela Wolf , Guilherme Droescher de Vargas , Lucas Moraes Klein, Luiz Fernando Martins Kruel , Artur Avelino Birk Preissler
      Pages: 287 - 295
      Abstract: A prática profissional do futebol feminino no Brasil vem se expandindo. Essa expansão incentivou a surgimento de categorias de base nas equipes. Com isso, investigar a diferença entre o perfil das jogadoras profissionais e das categorias de base se torna importante para realizar uma melhor transição entre as categorias. Assim, o objetivo do estudo foi comparar o perfil antropométrico e o desempenho físico de jogadoras da categoria sub-20 e profissional do futebol feminino. Para isso, foi realizada a avaliação antropométrica de 19 jogadoras de futebol da categoria sub-20 (17,9 ± 0,81 anos) e 20 jogadoras profissionais (24,4 ± 6,46 anos) de uma equipe de elite do Brasil. Além disso, o desempenho físico foi avaliado pelos testes countermovement jump (CMJ), sprints de 10 metros e 30 metros. Apenas os desempenhos no CMJ e sprint de 30 metros foram diferentes significativamente entre os grupos. A altura no CMJ foi menor nas jogadoras da categoria sub-20 (25,60 ±3,51 cm) em relação as profissionais (31,30 ± 2,64 cm) (p<0,001). Além disso, a velocidade no sprint de 30 metros também foi menor nas jogadoras da categoria sub-20 (22,40 ± 0,66 km/h) em relação as profissionais (23,00 ± 0,81 km/h) (p=0,014). Assim, as jogadoras de futebol profissionais apresentaram melhor desempenho físico que as jogadoras sub-20. Por fim, os profissionais envolvidos com o processo de transição das jogadoras da categoria sub-20 para equipe profissional devem considerar as diferenças de desempenho físico entre as categorias na preparação física das jogadoras.
      PubDate: 2023-11-26
      Issue No: Vol. 17, No. 110 (2023)
       
  • Contribuição dos sistemas energéticos no taekwondo anaerobic
           intermittent kick test: um estudo piloto

    • Authors: Raul Cardoso Würdig, Rousseau Silva da Veiga, Fabrício Boscolo Del Vecchio
      Pages: 296 - 306
      Abstract: Introdução e objetivo: A potência anaeróbia é um dos principais fatores de diferenciação em atletas de diferentes níveis no taekwondo, sendo relacionada com o sucesso em competições de nível internacional. O objetivo do presente estudo foi estimar a contribuição dos sistemas energéticos no Taekwondo Anaerobic Intermittent Kick Test (TAIKT). Materiais e métodos: 5 atletas de taekwondo do sexo masculino (16,6 ± 1,8 anos; 170,1 ± 9,1 cm de estatura e massa corporal de 70,2 ± 19,5 kg) executaram o TAIKT e os dados de consumo de oxigênio, concentração de lactato sanguínea, percepção subjetiva de esforço e frequência cardíaca foram coletados durante ele. O TAIKT consistiu em 6 rodadas de 5s do chute Bandal-Tchagui alternadas por 10s de descanso ativo (bouncing), e forneceu dados de potência pico absoluta e relativa, bem como potência média absoluta e relativa. A análise da contribuição energética foi feita utilizando o software GedaeLAB, que utiliza o consumo de oxigênio da sessão bem como medidas de lactato sanguíneo para estimar a contribuição do sistema aeróbio (AER), anaeróbio lático (LAT) e anaeróbio alático (AL). Resultados: As respectivas contribuições dos sistemas no TAIKT foram: AER=29,68 ± 6,49; LAT= 22,84 ± 3,37 e AL = 47,48 ± 9,36, totalizando cerca de 70,1% de contribuição anaeróbia durante o teste. Conclusão: existe predominância de contribuição do sistema anaeróbio no fornecimento de energia durante a execução do TAIKT, caracterizando-o como um teste anaeróbio específico para a modalidade.
      PubDate: 2023-11-26
      Issue No: Vol. 17, No. 110 (2023)
       
  • Estilo de vida ativo e prevalência de ansiedade em estudantes
           universitários do curso de Educação Física

    • Authors: Rafael da Silva Dantas, Leyla Regis de Meneses Sousa Carvalho
      Pages: 307 - 316
      Abstract: Introdução: Muitos são os fatores relacionados à ansiedade em acadêmicos como: grande volume de matérias, insegurança, aulas prolongadas, excesso de atividades extracurriculares e de informação. Objetivo: Verificar o estilo de vida ativo e prevalência de ansiedade em estudantes universitários do curso de educação física. Materiais e Métodos: Os dados foram coletados em uma IES da cidade de Teresina (PI), a amostra foi composta por 100 sujeitos, sendo 50 do sexo feminino e 50 do sexo masculino, todos acadêmicos de Educação Física. O instrumento utilizado foi o Manual do Inventário de Estado-Traço de Ansiedade STAI-Y (State-Trait Anxiety Inventory Form-Y). Analisou-se os dados por meio de valores percentuais, calculados no programa SPSS versão 22.0. Resultados: Quanto à prática de exercícios os sujeitos do sexo masculino mantém um estilo de vida mais ativo. Na Ansiedade-Estado (A-E) e na Ansiedade Traço (A-T) os sujeitos ativos e sedentários estavam medianamente ansiosos, sendo que na (A-E) os sedentários estavam com níveis mais altos de ansiedade (5.0%). No sexo feminino e masculino tanto na (A-E) quanto na (A-T) os sujeitos ativos e sedentários estavam medianamente ansiosos, porém, no sexo masculino, os ativos manifestaram índices de ansiedade baixa tanto na (A-E) (6.0%) quanto na (A-T) (8.0%). Conclusão: Tanto na (A-E) quanto na (A-T) os sujeitos com estilo de vida ativo manifestaram menores índices de ansiedade, mostrando-se prevalente nos indivíduos sedentários e nas acadêmicas do sexo feminino. Sugere-se mais pesquisas nesta temática, comparando a ansiedade e fatores associados nas demais áreas do conhecimento.
      PubDate: 2023-11-26
      Issue No: Vol. 17, No. 110 (2023)
       
  • Análise de desempenho dos campeões da maratona internacional de
           São Paulo

    • Authors: Diogo Matheus Barros da Silva, Isabela Mendonça Rodrigues dos Santos, Carlos Brendo Ferreira Reis, Victor Geovani Soares de Sousa, Bruno Luiz Galvão de Miranda, Antonio Coppi Navarro
      Pages: 317 - 326
      Abstract: Objetivo: Analisar o tempo de prova, idade e diferença de desempenho dos atletas campeões da Maratona Internacional de São Paulo em razão ao sexo biológico e classificação por continente. Além de verificar taxa de vencedores por países e continentes. Materiais e Métodos: A amostra foi integrada por dados secundários disponíveis em web referente a Maratona Internacional de São Paulo, sendo analisado as edições entre 1995 e 2022. Utilizando tratamento estatístico descritivo e inferencial por meio dos softwares Excel 2021 e JASP 0.16.4, sendo utilizado os testes de Shapiro-Wilk, Teste de Levene e Anova Fatorial 2x2. Resultados: Foi observado o tempo médio no sexo biológico masculino de 02:15:43 ±00:02:13 e no sexo biológico feminino 02:39:27 ±00:03:23 a diferença de desempenho entre sexo biológico foi de 17%. O teste de Anova Fatorial indicou efeito estatisticamente na variável tempo de prova no fator sexo a nível de significância p<0.01 com tamanho de efeito η2 0.941 e classificação a nível de significância p<0.05 com tamanho de efeito η2 0.006, na variável idade no fator classificação foi observado efeito estatístico com nível de significância p<0.05 com tamanho de efeito η2 0.122. Conclusão: Atletas do continente apresentaram maior número de vitórias, além de serem mais jovens e com melhores resultados, o tempo de prova feminino foi reduzido assim como a diferença de desempenho entre sexo biológico.
      PubDate: 2023-11-26
      Issue No: Vol. 17, No. 110 (2023)
       
  • Estilo de vida ativo na redução de transtornos de depressão em adultos
           jovens: uma revisão integrativa

    • Authors: Samantha Steffnny da Costa Morais, Amanda Ketely Cunha Mendes, Leyla Regis de Meneses Sousa Carvalho
      Pages: 327 - 338
      Abstract: Introdução: A depressão é uma doença psiquiátrica crônica, cada vez mais presente na sociedade, afetando de forma direta e negativamente a saúde física e psicológica dos indivíduos, em decorrência de inúmeros fatores. Dessa forma, considerando episódios contínuos de estresse, rotinas exaustivas e situações traumáticas, o público adulto jovem tende a ser os mais suscetíveis aos transtornos depressivos. Objetivo: Analisar o estilo de vida ativo como fator na redução dos transtornos de depressão em adultos jovens. Materiais e Métodos: Revisão do tipo integrativa, realizada através de buscas em sites de Revistas Científicas e nas seguintes bases de dados: Google acadêmico, Scielo, e Pubmed, de artigos publicados nos últimos 10 anos no Brasil. Sendo incluídos os descritores: Depressão, depressão em jovens, exercício físico, depressão e exercício físico. Resultados: Dentre os 56 artigos que englobam a temática do trabalho, apenas 08 atenderam de forma adequada aos aspectos de inclusão, evidenciando o estilo de vida ativo como provedor de qualidade de vida e redução dos transtornos mentais em adultos jovens. Considerações finais: O estilo de vida ativo colabora tanto de forma preventiva como auxilia no tratamento tradicional para a redução dos transtornos depressivos do público em questão, uma vez que, a prática dos exercícios promove a liberação e ativação de neurotransmissores importantes como: serotonina, dopamina e endorfina que atuam respectivamente sobre a sensação de bem-estar, alegria, satisfação, relaxamento, contribuindo para o aumento da autoestima, interesse e melhoria do humor.
      PubDate: 2023-11-26
      Issue No: Vol. 17, No. 110 (2023)
       
  • Privação visual e crença otimizam o desempenho na rosca
           direta

    • Authors: Gabriel Alves Dias de Souza, Victor Vilela Andrade, Izabela Aparecida dos Santos
      Pages: 339 - 348
      Abstract: Introdução: Visando aprimorar a performance do treinamento resistido (TR), diferentes métodos vêm sendo investigados. Objetivo: Avaliar a influência da contenção visual, assim como a interferência da informação verbal sobre o número de repetições até a falha na rosca direta (RD) em praticantes TR. Métodos: Foi realizado um estudo experimental, transversal e cruzado. 14 homens (22,2 ± 4,1 anos; tempo de treino: 7,7 ± 2,2 meses), passaram pelo teste e re-teste de 1 repetição máxima (1RM) para determinação de carga no exercício RD. De maneira individual foram avaliados em três situações distintas, sendo elas: 1º - execução até a falha com 70% do RM na RD. 2º - com privação visual (PV) executando até a falha com 70% do RM na RD, após pausa passiva e informado que iria manter a carga, executar com 75% do RM. 3º - com PV executando até a falha com 70% do RM na RD, após pausa passiva e informado que iria aumentar, executar com os mesmos 70% do RM. Resultados: Não houve diferença comparando a mesma carga (70%RM) nas três condições, assim como, PV com 70% do RM em comparação com 75% do RM (informando que a carga iria manter-se). Na última sessão experimental com PV a 70 % do RM, com a crença que iria acontecer incremento de carga, porém manteve-se, houve uma diminuição nas repetições. Conclusão: A privação visual com a crença na informação passada otimiza o desempenho no TR.
      PubDate: 2023-11-26
      Issue No: Vol. 17, No. 110 (2023)
       
  • Comparação de dois protocolos de avaliação de preensão manual em
           ciclistas da modalidade BMX

    • Authors: Robson da Silva Miranda, Luciano Bernardes Leite, Larissa Quintão Guilherme, Rusdael Mauro Bandeira Cadrozo, Sebastião Felipe Ferreira Costa, Leonardo Mateus Teixeira de Resende, Lucas Rogério dos Reis Caldas, Guilherme de Azambuja Pussieldi
      Pages: 349 - 355
      Abstract: Objetivo: Este estudo objetivou caracterizar os parâmetros da curva de força de preensão manual ao longo do tempo, utilizando dois protocolos de avaliação (contínuo e intervalar) em atletas de BMX. Materiais e Métodos: A amostra foi composta por 10 ciclistas da modalidade BMX do sexo masculino, com idade entre 21 e 27 anos e com mais de cinco anos de experiência em competições e filiados à federação esportiva da modalidade. No protocolo intervalar, realizou-se uma contração por segundo durante 30 segundos. Os dados foram coletados de forma randomizada entre os membros dominantes e não dominantes dos voluntários, sendo feita uma única coleta em cada membro por protocolo. Para verificar a normalidade dos dados foi utilizado o teste de Shapiro-Will. Para comparar a força máxima e do tempo para atingir a força máxima entre a mão direita vs. mão esquerda, e entre os protocolos contínuo vs. intervalar, utilizou-se o teste t de Student. A análise do comportamento da força de preensão manual ao longo do tempo foi realizada por meio da ANOVA two way de medidas repetidas, seguida do post hoc de Tukey. O nível de significância adotado foi de 5%. Resultados: A mão não-dominante foi capaz de atingir a força máxima em menor período em ambos os protocolos. Não houve diferença significativa entre os membros nas forças máxima e média geradas. Conclusão: Constatou-se que a força de preensão manual máxima foi similar nos dois protocolos utilizados em comparação a mão dominante e não-dominante.
      PubDate: 2023-11-26
      Issue No: Vol. 17, No. 110 (2023)
       
  • Exercício resistido com restrição do fluxo sanguíneo provoca respostas
           perceptivas semelhantes ao exercício resistido de alta carga em mulheres
           com diabetes tipo 2: um estudo crossover e randomizado

    • Authors: Ana Beatriz Alves Martins, Nailton José Brandão de Albuquerque Filho, Marina Gonçalves Assis, Victor Sabino de Queiros, Arthur Wagner da Silva Rodrigues, Eliete Samara Batista dos Santos, Breno Guilherme de Araújo Tinôco Cabral, Júlio Cesar Gomes da Silva, Gabriel Rodrigues Neto
      Pages: 356 - 363
      Abstract: Introduction: Physical training with blood flow restriction (BFR) may provide health benefits for people with diabetes. However, the negative effects cannot be overlooked. Aim: This study aimed to analyze the acute effect of resistance exercise BFR on the rating of perceived exertion (RPE) and subjective perception of pain in untrained women with type 2 diabetes (T2DM). Methods: Ten untrained women with T2DM (56.9 ± 7.4 years; diagnostic time: 10.6 ± 4.1 years) participated in this study. Participants attended a local gym for four non-consecutive days. Initially, predictive values of one maximum repetition (1RM) and arterial occlusion pressure (AOP) were measured. In random order, second, third, and fourth visits were allocated to the following: high-load (HL) exercise (65% 1RM; three sets of 10 repetitions), low-load (LL) exercise (20% of 1RM; three sets of 15 repetitions), and LL exercise with BFR (LL+BFR) (20% 1RM; three sets of 15 repetitions; 50% of AOP). RPE and pain perception were assessed immediately after each set. RPE increased significantly over the sets for all exercise protocols (p<0.05). The perception of pain increased significantly throughout the sets only in the HL and LL+BFR exercise protocols (p<0.05). LL+BFR and HL exercises showed similar RPE values and pain perception, but significantly higher than the LL exercise (p<0.05). We conclude that LL resistance exercise with BFR promotes perceptual responses similar to traditional HL exercise in untrained women with T2DM.
      PubDate: 2023-11-26
      Issue No: Vol. 17, No. 110 (2023)
       
  • Desempenho de salto vertical em goleiras de futebol feminino: uma
           revisão sistemática

    • Authors: Rafael Tolotti Pokorski, Artur Avelino Birk Preissler , Lucas Moraes Klein , Guilherme Droescher de Vargas, Pedro Schons
      Pages: 364 - 371
      Abstract: O crescimento do futebol feminino mundial vem abrindo possibilidades para que cada vez mais tenham profissionais interessados na modalidade. O treinamento de goleiras de futebol feminino está evoluindo com a modalidade, dentro disso o desempenho de altura de salto em goleiras de futebol feminino é algo relevante.  Assim, o objetivo do estudo foi conduzir uma revisão sistemática a fim de verificar o desempenho na altura de salto de goleiras de futebol feminino. A busca foi realizada nas bases de dados PubMed e SPORTDiscus em janeiro de 2023 e foram encontrados 109 artigos, dos quais 8 foram incluídos. A avaliação de salto mais utilizada foi o countermovement jump e o equipamento mais utilizado foi o tapete de contato. Os valores de desempenho de salto vertical variaram de 20,65 ± 5,05 até 54,00 cm. Assim, devido a variação dos resultados encontrados, sugere-se que os responsáveis pelas análises verifiquem se os dados de perfil do estudo estão de acordo com o contexto em que serão utilizados como parâmetros no planejamento do treinamento das goleiras de futebol feminino.
      PubDate: 2023-11-26
      Issue No: Vol. 17, No. 110 (2023)
       
  • Percepções de profissionais de educação física sobre o treinamento
           funcional

    • Authors: Maria Teresa Sudário Rocha, Thais Carolyna de Lima, Carla Caroline de Miranda , Fabrício de Paula Santos
      Pages: 372 - 383
      Abstract: O Treinamento Funcional é um programa flexível, personalizável, focado no praticante, que envolve movimentos naturais, melhorando a performance, com foco nas atividades da vida diária. A modalidade está amparada na melhoria de aspectos neurológicos que conduzem a capacidade funcional. Apesar dessa potencialidade, o que se percebe é o desenvolvimento da modalidade deslocada, com exercícios aleatórios para turmas grandes e heterogêneas em circuitos. Assim, o que pode acontecer é a falta de atenção ao aluno, a prática amparada no empirismo, elevando a possibilidade de insucesso no programa e a ocorrência de lesões, desistência da atividade e uma possível visão deturpada sobre a modalidade. Sendo assim, o estudo tem como objetivo analisar as percepções de Profissionais de Educação Física com relação ao Treinamento Funcional e os seus condicionantes para a saúde. A trilha cientifica qualitativa foi guiada pelos procedimentos de estudo descritivo-exploratório, a partir de uma entrevista semiestruturada com doze bacharéis em Educação Física atuantes com Treinamento Funcional. Para a compreensão dos dados foi feita uma análise por categorias temáticas. A partir dos resultados, foi observada uma grande variedade de percepções sobre o Treinamento Funcional, muitas destas embasadas pela literatura atual da área, principalmente no que se refere aos objetivos da modalidade. Porém, ao encontrar as respostas sobre o formato das aulas, poucos entrevistados desenvolvem as aulas de acordo com o que se espera a partir das respostas dadas anteriormente. Conclui-se que, em muitos casos, as exposições teóricas sobre o Treinamento Funcional ainda não encontraram o desenvolvimento das aulas de forma prática.
      PubDate: 2023-11-26
      Issue No: Vol. 17, No. 110 (2023)
       
  • Alterações cardio-hemodinâmicas agudas em sessões de treinamento de
           força: revisão sistemática e análise da produção brasileira

    • Authors: Leonahn Lyra Silva, Leisiane Gomes Dias, Carlos Henrique de Reis, Welmo Alcântara Barbosa, Francisco Luciano Pontes Júnior, Andre Soares Leopoldo, Danilo Sales Bocalini
      Pages: 181 - 193
      Abstract: O objetivo deste estudo foi analisar por meio de uma revisão sistemática a produção cientifica e descrever as alterações hemodinâmicas agudas em sessões de TF. Cento e trinta manuscritos foram selecionados nas bases de dados Bireme, Capes e Scielo. Após apreciação de acordo com os critérios de inclusão (palavra-chave no título e no resumo, parâmetros hemodinâmicos, respostas agudas, variáveis hemodinâmicas, e treinamento resistido, artigos somente em português com data de publicação entre janeiro de 2010 a janeiro de 2021) 20 estudos foram utilizados para a análise. De acordo com os dados encontrados, os anos que apresentaram maior número de publicação foram 2010, 2013 e 2014 com um total de 4 estudos. As idades dos participantes das pesquisas variaram de 16 a 64 anos. Os estudos apresentaram diferentes protocolos experimentais, sendo 15 estudos (75%) utilizaram três séries de treinamento, 03 (15%) utilizaram quatro séries e 2 (10%) não apresentaram o número de séries realizadas.  Dos 20 estudo selecionados, 7 (35%) realizaram intensidade correspondente a 75% de 1RM, 6 (30%) a usaram a carga de 70% de 1RM, 4 (20%) fizeram a 80% de 1RM e 3 (15%) dos estudos foi a intensidade de 60% de 1RM. A quantidade de exercícios dos protocolos experimentais variou no mínimo 1 exercício e no máximo 6 exercícios todos realizados em máquinas. Dentre as alterações hemodinâmicas, destaca-se maior elevação das pressões arterial sistólica, diastólica e media com intervalos reduzidos, maior numero de séries e exercícios que utilizam maior volume muscular. Embora a variedade dos protocolos e designers experimentais das sessões é sugestivo considerar que sessões de TF com intervalos reduzidos entre as series, maior quantidade de séries e repetições bem como exercícios que utilizam maior volume muscular possam promover maior elevação de parâmetros pressóricos.
      PubDate: 2023-07-27
      Issue No: Vol. 17, No. 109 (2023)
       
  • Ingestão de proteínas de praticantes de musculação treinados é
           concentrada no almoço e jantar

    • Authors: Gabriela Rosa Gonçalves, Edilson Tadeu Ferreira Furtado, Isabela Simões de Boucherville Pereira, João Paulo Lima de Oliveira, Wilson César de Abreu
      Pages: 194 - 202
      Abstract: A ingestão regular de proteínas ao longo do dia pode contribuir para maximizar a síntese proteica e melhorar a recuperação e ganho de massa muscular. O objetivo deste trabalho foi avaliar o consumo alimentar e a distribuição da ingestão de proteínas, carboidratos, lipídios e energia de praticantes de musculação treinados. Participaram do estudo 12 homens com experiência em treino resistido. A composição corporal foi determinada por bioimpedância octapolar. O consumo alimentar foi avaliado utilizando cinco recordatórios alimentares de 24 horas. Os indivíduos apresentaram as seguintes características:  Idade = 25,2 ± 3,4 anos; Altura = 179,5 ± 4,6 cm; Peso = 84,9 ± 8,7 kg; Gordura Corporal = 14,7 ± 5,6% e Massa Livre de Gordura = 85,3 ± 5,6%. O tempo médio de prática de musculação foi 5,9 ± 3,1 anos, com frequência semanal de 5,0 ± 0,6 treinos e cada sessão durando em média 64,2 ± 17,8 minutos. O consumo calórico médio foi de 2201 ± 223 kcal o que representou 26,2 ± 6,0 kcal/kg. Apenas 33,3% dos indivíduos faziam consumo adequado de energia. Os participantes apresentaram consumo diário médio de 1,6 ± 0,5 g/kg/dia para proteínas; 2,9 ± 0,8 g/kg/dia de carboidratos e 0,9 ± 0,4 g/kg/dia de lipídios. O percentual de adequação foi de 58,3%, 50% e 91,7% para carboidratos, proteínas e lipídios, respectivamente. O consumo de proteínas foi irregular ao longo do dia sendo concentrado no almoço (52,2 ± 17,8 g) e jantar (40,2 ± 20,5 g). Conclui-se que os indivíduos consumiram dieta com baixo teor de energia e distribuição irregular ao longo do dia, especialmente de proteínas. Assim, os resultados indicam que o consumo alimentar dos voluntários pode ser melhorado expressivamente.
      PubDate: 2023-07-27
      Issue No: Vol. 17, No. 109 (2023)
       
  • Aptidão física e índices de adiposidade em policiais
           militares

    • Authors: Débora Aparecida Knihs, Haiko Bruno Zimmermann, Juliano Dal Pupo, Luiz Francisco Reis
      Pages: 203 - 212
      Abstract: O objetivo do presente estudo foi investigar a aptidão física e os índices de adiposidade em policiais militares, e verificar se há correlação entre estes parâmetros. Foram avaliadas as capacidades físicas de força, resistência muscular, capacidade cardiorrespiratória e flexibilidade, bem como a massa corporal, massa gorda, percentual de gordura, relação cintura-quadril, relação cintura-estatura, perímetro da cintura e índice de conicidade de 226 policiais do sexo masculino. Verificou-se que os policiais apresentaram bons níveis de aptidão física, mas níveis de adiposidade acima do recomendado, tanto no corpo como um todo, quanto na região central do corpo (gordura visceral). Foi observada uma correlação negativa moderada (r=-0,50; p=<0,01) entre o percentual de gordura e a força muscular. As demais correlações entre as variáveis de aptidão física e os índices de adiposidade, embora significativas, apenas foram classificadas como correlações fracas ou desprezíveis (r<0,50). Concluiu-se que os policiais avaliados possuíam níveis adequados de aptidão física, porém níveis acima do recomendado de gordura corporal. Adicionalmente, a associação moderada indica que policiais com menores percentuais de gordura possuem maior força muscular, o que pode contribuir para excelência da função.
      PubDate: 2023-07-27
      Issue No: Vol. 17, No. 109 (2023)
       
  • Questionário de bem-estar como ferramenta de monitoramento do estado de
           prontidão em atletas velocistas

    • Authors: Arthur Marques Zecchin Oliveira, Marcel Frezza Pisa, Victor Barbosa Ribeiro Ribeiro, Carlos Alberto Cavalheiro, Enrico Fuini Puggina
      Pages: 213 - 220
      Abstract: Determinamos os efeitos dos últimos dois dias de polimento antes do Campeonato Mundial de Atletismo utilizando um questionário relacionado com o estado de prontidão. Atletas de 4x100 m (n=4, velocistas [idade: 24,5 ± 2,5y; melhor desempenho nos 100 m: 10,03 ± 0,04 segundos]) realizaram duas sessões de treinamento. O Questionário do Bem-estar foi aplicado em cada dia e foram instruídos a indicar a percepção individual de fadiga e estresse numa escala de cinco pontos. Os atletas apresentaram níveis mais baixos de bem-estar no primeiro dia, e após os treinadores regularem o volume de treino de acordo com os relatórios do Questionário de Bem-estar, no segundo dia os atletas reportaram uma melhoria de bem-estar. A utilização de questionários como o Questionário de Bem-estar provou ser um bom preditor do estado de prontidão indicando stress e fadiga em atletas de elite que realizaram os dois últimos dias de afinação antes de uma competição internacional.
      PubDate: 2023-07-27
      Issue No: Vol. 17, No. 109 (2023)
       
  • Análise da carga e da forma de transporte da mochila escolar em
           estudantes do ensino médio

    • Authors: Lucas Rogério dos Reis Caldas, Leonardo Mateus Teixeira de Rezende, Luciano Bernardes Leite, Sebastião Felipe Ferreira Costa, Guilherme de Azambuja Pussieldi, Miguel Araújo Carneiro-Júnior, Fernando de Souza Bastos, Afonso Timão Simplício
      Pages: 221 - 227
      Abstract: O objetivo deste estudo foi descrever a relação entre carga exigida pela escola e a carga real transportada, bem como analisar a forma de transporte da mochila pelos alunos do ensino médio de uma cidade do interior de Minas Gerais. A amostra foi composta por 71 alunos regularmente matriculados e frequentes no ensino médio federal da Universidade Federal de Viçosa-Campus Florestal. A massa corporal dos alunos e a carga da mochila foram mensuradas. A fim de conhecer a carga do material exigida pela escola para cada dia da semana, o material a ser utilizado de acordo com o horário escolar foi pesado.  Aplicou-se uma ficha de identificação que o estudante deveria preencher, identificando o tipo de mochila utilizada, assim como o modo de transporte dela. Para verificar a normalidade dos dados utilizou-se o teste Kolmogorov-Smirnov. Para comparar a média da carga real com a carga exigida pela escola foi aplicado o teste de Wilcoxon, comparando os grupos por sexo. Observou-se que em um dia da semana a carga prevista da mochila apresentou-se inadequada para os alunos de ambos os grupos. Em ambos os grupos o tipo de mochila mais utilizado é aquela composta por duas alças. Em relação a forma de transporte, o transporte nos dois ombros apresentou maior porcentagem de incidência em relação ao transporte em um ombro. Neste estudo o planejamento diário das atividades acadêmicas prevê uma carga da mochila escolar maior do que o transportado pelos estudantes de ambos os sexos, além disso a forma de transporte mais utilizada pelos escolares foi o transporte nos dois ombros, e a maior parte dos escolares utilizam mochilas de duas alças.
      PubDate: 2023-07-27
      Issue No: Vol. 17, No. 109 (2023)
       
  • Comparação entre hiit e exercício aeróbio contínuo moderado na
           melhora do condicionamento cardiorrespiratório em programas de
           reabilitação cardíaca: uma revisão sistemática

    • Authors: Mateus do Carmo Bardella, Thiago Ribeiro Lopes
      Pages: 228 - 239
      Abstract: Introdução. Baixo condicionamento cardiorrespiratório está associado ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares que são a principal causa de morte de idosos no mundo. A reabilitação cardíaca surge como meio de recuperar a saúde desses pacientes com o EACM, porém novos estudos mostram que a escolha do HIIT também pode ser uma estratégia eficiente. Objetivo. Comparar o efeito dos modelos de treinamento HIIT e EACM em programas de reabilitação cardíaca na melhora do condicionamento cardiorrespiratório sob a observação da variável V̇O2máx.  Materiais e Métodos. Foi utilizada a metodologia PRISMA. Foram buscados ensaios clínicos randomizados no intervalo entre 2012 e 2022 publicados em inglês por meio da plataforma PubMed. Foram selecionados estudos com população em reabilitação cardíaca, grupo intervenção treinado com HIIT e grupo controle treinado com EACM, outros tipos de exercício foram descartados. A extração de dados coletou sexo e idade da amostra, tempo de intervenção em semanas e quantidade de treinos semanais e resultado da variação percentual do V̇O2máx. Ainda foi utilizada a escala PEDro para avaliar a qualidade metodológica dos estudos. Resultados. 12 estudos foram selecionados, com maioria dos participantes do sexo masculino e idosos. As intervenções variaram de 3 a 24 semanas com frequência de treinos predominantemente de 3 vezes na semana para a maioria dos estudos selecionados. Grupo HIIT apresentou melhora do condicionamento cardiorrespiratório maior que o grupo EACM na maioria dos estudos. Conclusão. Ambos os modelos são eficientes, mas parece que a escolha do HIIT é mais eficiente na melhora do condicionamento cardiorrespiratório quando comparado ao EACM.
      PubDate: 2023-07-27
      Issue No: Vol. 17, No. 109 (2023)
       
  • Perfil dos praticantes de mountain bike (mtb) da cidade de Chapecó-SC

    • Authors: Daniela Cristina Bordignon, Paulo Pagliari, Fernando Schorr Grossl, Rafael Cunha Laux, Adriano Alberti
      Pages: 240 - 251
      Abstract: A prática do ciclismo cresce e desenvolve-se a cada dia, onde praticantes buscam não somente através de competições, mas também voltada as práticas esportivas, com isso as pessoas começam a enxergar a bicicleta como uma ferramenta para a prática esportiva e a prática da atividade física e auxiliando na promoção da saúde. O mountain bike é uma modalidade de contato com a natureza e sua prática aliada à atividade física resulta em benefícios, o corpo desenvolve e precisa obter para a prática desta modalidade de aventura, o equilíbrio, resistência, força, agilidade, potência, aspectos perceptivos e condicionamento cardiovascular. O presente estudo objetivou-se em analisar o perfil dos praticantes de Mountain Bike (MTB) da cidade de Chapecó-SC. Para isto foi aplicado um questionário fechado com 13 perguntas para a coleta dos dados, sendo que participaram 266 ciclistas amadores, sendo 52% do sexo masculino e 42% do sexo feminino, com idade entre 18 a 60 anos de idade. Ao final pode-se concluir que a prática de mountain bike cresce e desenvolve-se a cada dia e isso está demonstrado na cidade de Chapecó-SC, e tornou-se uma ferramenta de prática esportiva e a de atividade física auxiliando na promoção da saúde.
      PubDate: 2023-07-27
      Issue No: Vol. 17, No. 109 (2023)
       
  • O efeito de dois protocolos de treino no leg press 45º, um de forma
           bilateral e outro de forma unilateral, na redução do déficit de força
           entre membros inferiores

    • Authors: Airon Lima Medeiros, José Francisco da Silva
      Pages: 252 - 258
      Abstract: O treinamento resistido, tornou-se uma das formas mais populares de exercício para melhorar a aptidão física e para o condicionamento de atletas. O leg press 45º é um exercício muito utilizado, no qual é treinado de forma bilateral e unilateral, mas quando realizado de forma unilateral, é notado uma queda de rendimento, uma vez que se espera conseguir levantar metade do peso, quando se tem como base a carga utilizada de forma bilateral. Objetivo: determinar o nível do déficit de força entre membros inferiores, e verificar o efeito de dois protocolos de treino no leg press 45º, bilateralmente e unilateralmente, na redução do déficit de força. Materiais e Métodos: Trata-se de um ensaio clínico experimental randomizado e de coorte transversal realizado na Academia Olimpo (Caicó-RN). Foram feitos teste de 1RM e teste de repetições máximas. Participaram do estudo 6 homens jovens e adultos, com experiência de mínima de um ano de treinamento. Resultados: Não houve diferença estatística no pré- e pós-teste entre os grupos (p>0.05). Ambos os grupos mostraram que não houve diferença estatística entre as pernas direita e esquerda após a intervenção. O Tamanho de efeito em ambos os grupos foi relevante. O grupo que treinou bilateral teve um tamanho de efeito maior do que o grupo unilateral. Conclusão: Ambos os protocolos foram suficientes para provocar uma melhora no déficit de força de membros inferiores. Foi possível ver que o treinamento bilateral teve uma melhor reposta na melhora do déficit quando foi observado o tamanho de efeito.
      PubDate: 2023-07-27
      Issue No: Vol. 17, No. 109 (2023)
       
  • Comportamento de parâmetros fisiológicos e a eficácia do auto
           selecionamento de carga em supino reto

    • Authors: Autran José da Silva Júnior, Natália Araújo Assis, Higor Fulas de Castro
      Pages: 259 - 271
      Abstract: Atualmente há um grande interesse no treinamento resistido em academias e clubes, popularizando e tornando uma modalidade de esforço físico tanto para os homens quanto para as mulheres. Este interesse elevou o número dos alunos matriculados, o que exigiu uma maior atenção dos professores. Os tradicionais modelos de prescrição de treinamento passaram a não ser mais eficientes para um número elevado de interessados. Assim, prescrever treinamento pelas metodologias de 1RM e zonas de treinamento foram inviabilizadas, surgiu outro modelo: o auto selecionamento de carga. O objetivo do estudo foi avaliar a eficácia da metodologia de auto selecionamento de carga para 10 repetições máximas (10RM) no exercício supino reto em duas execuções e comparar o comportamento dos parâmetros antropométricos, cardiovasculares, cansaço subjetivo no esforço e bioquímicos pré e pós a realização deles. O estudo constou de 13 voluntários, sexo masculino, 25,1±5,9 anos, 6 meses de treinamento de hipertrofia muscular e realizaram 3 testes, 1RM e dois 10RM. Foram analisados, carga, %1RM, número de repetições, parâmetros cardiovasculares, glicemia e OMNI. Quando comparados os testes de 10RM observou-se que no 2º teste um percentual de 55% de acerto do auto selecionamento de cargas em relação ao 1º 10RM. Não foram observadas diferenças significativas entre os parâmetros estudados. Os autores concluíram que o auto selecionamento de carga é uma ferramenta importante na prescrição de treinamento em academias de musculação, porém necessita de aprendizagem.
      PubDate: 2023-07-27
      Issue No: Vol. 17, No. 109 (2023)
       
  • Relação entre o salto vertical com contramovimento e a realização
           simulada dos 15 metros iniciais de natação crawl realizada por atletas
           adolescentes

    • Authors: Fernanda Cristina Silva de Oliveira, Guilherme Pereira de Oliveira, Mateus Freitas de Medeiros, Pablo Henrique Moura de Paiva, Alexandre Bulhões-Correia, Paulo Francisco de Almeida Neto, Breno Guilherme de Araújo Tinôco Cabral
      Pages: 121 - 127
      Abstract: A largada na natação ocorre por meio de um salto que impulsiona o nadador para dentro da piscina. A relação entre a potência gerada pelo salto inicial e o desempenho dos primeiros 15 m em eventos de natação ainda não é conhecida. Objetivo: Verificar a correlação do salto vertical com contramovimento (CMJ) com o desempenho simulado de largada do nado crawl. Materiais e Métodos: A presente pesquisa foi um estudo piloto observacional. A amostra foi composta por 12 nadadores brasileiros com idade entre 12 e 16 anos (masculino). O CMJ foi analisado por uma Plataforma específica para Jump Testing. Em seguida, os atletas foram encaminhados para uma piscina olímpica e se posicionaram no bloco de largada. Em seguida, ao sinal sonoro (apito), nadavam os primeiros 15 metros da piscina em estilo crawl na maior velocidade possível para simular o início da competição de natação. Resultados: Assim, o estudo mostrou correlação negativa do CMJ com a largada simulada de 15 metros no estilo crawl (r=-0,816; p=0,001). As análises indicaram que o CMJ contribui com 66% (F (1,10) = 19,92; p=0,001) para o desempenho de 15 metros durante o início simulado do estilo crawl. Foi demonstrado que para cada aumento de 1 cm na altura do CMJ, houve uma melhora de 0,0885 milissegundos no desempenho da natação. Conclusão: O CMJ está associado à variação do tempo de sprint durante o início simulado de um teste de nado na modalidade crawl.
      PubDate: 2023-04-11
      Issue No: Vol. 17, No. 108 (2023)
       
  • Fatores discriminantes do perfil cinantropométrico de jovens atletas
           de diferentes esportes

    • Authors: Tatianny de Macêdo Cesário, Cláudio Hélio Lobato Lobato, Alexandre Bulhões-Correia, Paulo Almeida-Neto, Breno Guilherme de Araújo Tinôco Cabral
      Pages: 128 - 137
      Abstract: Introdução: A morfologia corporal é utilizada para ajudar os treinadores a tomar decisões durante o processo de identificação e seleção de talentos no esporte. Objetivo: analisar os padrões cinantropométricos discriminatórios de jovens atletas brasileiros em diferentes esportes. Métodos: Avaliamos 83 jovens do sexo masculino (idade: 13,1 ± 2,4 anos), sendo 60 atletas (16-futebol, 11-tênis, 20-natação e 13-remo) e 23 não-atletas. Avaliamos o perfil cinantropométrico por absorção de emissão de raios X de energia dupla e por antropometria. Posteriormente, através de algoritmos programados em linguagem "R", criamos um modelo discriminante baseado nas variáveis de circunferência: bíceps, quadril, cintura e perna; os diâmetros ósseos do úmero e do fêmur, e os componentes da composição corporal: massa magra total, massa gorda total, densidade mineral óssea, conteúdo mineral ósseo, dobra cutânea tricipital, e índice de adiposidade corporal. Resultados: O modelo discriminante foi capaz de discriminar atletas de futebol em 93,8% (F:32.098; p=0.000), atletas de tênis em 81,8% (F:24.060; p=0.0004), atletas de remo em 80% (F:28.031; p=0.0001), natação em 100% (F:41.899; p<0.000) e não-atletas em 91,3% (F:30.132; p<0.0001). A alta densidade mineral óssea foi importante para a discriminação dos atletas de futebol (p<0,001), o baixo índice de adiposidade corporal para a discriminação dos atletas de natação (p<0,001), e os altos níveis de massa magra para a discriminação dos remadores (p<0,001). Conclusão: Os padrões morfológicos podem ser usados com segurança, ajudando a discriminar jovens atletas de diferentes esportes.
      PubDate: 2023-04-11
      Issue No: Vol. 17, No. 108 (2023)
       
  • Correlação entre a força muscular, atividade física e seus domínios
           em idosas participantes de um programa comunitário

    • Authors: Rizia Rocha Silva, Ramiro Henrique Conceição Santana dos Santos, Milena de Oliveira Almeida, Mayne Lopes da Silva, Lucas dos Santos, Douglas de Assis Teles Santos, Rafaela Gomes dos Santos
      Pages: 138 - 147
      Abstract: Introdução: O envelhecimento feminino é marcado por alterações fisiológicas, e comportamentais, que impactam na força muscular. Objetivo: Analisar as correlações entre a força muscular, o tempo em atividade física (AF), e seus domínios: trabalho, transporte, atividade doméstica e lazer, em idosas. Materiais e Métodos: Pesquisa epidemiológica, transversal, conduzida com 108 idosas (71,37 ± 6,94 anos) de Teixeira de Freitas-BA. AF foi averiguada pelo International Physical Activity Questionnaire, quantificando o tempo total e por domínios. Para aferir a força dos membros inferiores utilizou-se o teste de levantar e sentar da cadeira. Já a força dos membros superiores foi verificada pelo teste de flexão do antebraço. Para ambos os testes foi contabilizando o número de repetições realizadas em 30 segundos. Resultados e Discussão: Averiguou-se uma correlação fraca positiva entre os testes de levantar e sentar (r=0,445; p<0,001), e de flexão de antebraço (r=0,365; p<0,001), com a AF total. Nos domínios foram verificadas correlação positivas fracas da AF transporte (r=0,224; p=0,020), doméstica (r=0,250; p=0,009) e no lazer (r = 0,443; p <0,001) com o teste de levantar e sentar. Ademais, observou-se correlação positiva fraca entre o domínio transporte (r=0,203; p=0,035), o domínio doméstico (r=0,329; p=0,001) e o teste flexão de antebraço. Conclusão: Identificou-se correlações positivas à AF total e nos domínios transporte, atividades domésticas e lazer das mulheres idosas, com a força muscular dos membros superiores e inferiores.
      PubDate: 2023-04-11
      Issue No: Vol. 17, No. 108 (2023)
       
  • Alterações eletrocardiográficas em jogadores de futebol
           profissionais

    • Authors: Letícia Dalla Corte Stefani, Sabrina Cioato Gomez, Aline Carrer Bortolini, Daniel Carlos Garlipp
      Pages: 148 - 153
      Abstract: Alterações cardiovasculares podem ser geradas a partir do treinamento físico intenso e prolongado o que permitem ao coração do atleta desenvolver um alto desempenho físico. Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi examinar os traçados eletrocardiográficos em jogadores profissionais de futebol masculino. Foram avaliados um total de 41 jogadores de futebol profissionais, com idades entre 17 e 35 anos. Para análise eletrocardiográfica, utilizou-se um ECG padrão de 12 derivações, na velocidade de 25 mm/s, realizado em repouso e sob esforço físico. Cada ECG foi interpretado quanto a frequência cardíaca, ritmo, condução e eixo, observando intervalos, amplitudes e comprimentos de ondas. Para a estatística descritiva foram utilizados os valores da média e desvio-padrão, e os valores absolutos e em percentuais, sendo que todas as análises foram realizadas no programa estatístico SPSS for Windows 20.0. Dos 63 jogadores avaliados, 42 (66,6%) apresentaram alguma alteração eletrocardiográfica, sendo que alguns apresentaram mais de uma alteração. Das alterações eletrocardiográficas destaca-se o aumento da onda Q, o infra desnível do ponto J com segmento ST ascendente rápido e arritmia.
      PubDate: 2023-04-11
      Issue No: Vol. 17, No. 108 (2023)
       
  • Efeito de 36 sessões de exercícios físicos combinados sobre a amplitude
           de movimento e força de preensão manual de mulheres mastectomizadas em
           tratamento de câncer de mama

    • Authors: Ana Carolina Vidal de Souza Eisenstein, Erivelton Fernandes França, Bianca Trovello Ramalho, Fábio Dupart Nascimento
      Pages: 154 - 162
      Abstract: Objetivo: verificar a influência de 36 sessões de um protocolo de exercícios combinados (exercício resistido com halteres e exercícios de flexibilidade para membros superiores) na amplitude de movimento da articulação glenoumeral e na força de preensão palmar de mulheres mastectomizadas em tratamento de câncer de mama. Materiais e Métodos: 37 voluntárias com idade entre 31 e 76 anos, fisicamente inativas, em tratamento de câncer de mama por meio de terapias adjuvantes, foram randomizadas em 2 grupos (experimental, n=17; controle, n=20). Os voluntários do grupo experimental realizaram 36 sessões de um protocolo de exercícios combinados (exercício resistido com halteres e exercícios de flexibilidade para membros superiores), enquanto os voluntários do grupo controle continuaram apenas com o tratamento oncológico convencional. Ambos os grupos foram avaliados antes do início (pré-teste) e um dia após o término das 36 sessões de exercícios combinados do grupo exercício (pós-teste). Resultados: O teste não paramétrico de Kruskal-Wallis demonstrou melhora significativa no grupo exercício em relação ao grupo controle nas variáveis força de preensão palmar, extensão do ombro, rotação medial do ombro e rotação lateral do ombro (p<0,05). Conclusão: O protocolo de exercícios combinados influenciou positivamente na força de preensão manual e melhorou a flexibilidade para os movimentos de abdução horizontal do ombro, rotação medial do ombro, rotação lateral do ombro. No entanto, não houve efeito nos movimentos de flexão de ombro, extensão de ombro e adução horizontal de ombro.
      PubDate: 2023-04-11
      Issue No: Vol. 17, No. 108 (2023)
       
  • Exercício físico, ângulo de fase e modulação autonômica cardíaca em
           mulheres com câncer de mama: uma revisão

    • Authors: Sara Caroline Frazão Cardoso, Diogo Matheus Barros da Silva, Diego Nunes Navarro, Namir da Guia, Cristiano Teixeira Mostarda, Francisco Navarro, Antonio Coppi Navarro
      Pages: 163 - 169
      Abstract: Introdução: As doenças cardiovasculares e o câncer são as principais causas de mortes nos países em desenvolvimento. No Brasil, até 2022, são esperados 66.280 novos casos de câncer de mama. Com os avanços no tratamento da doença houve aumento da sobrevida. Porém, o tratamento provoca efeitos prejudiciais sobre o quadro clínico dessas pacientes. Assim o exercício físico é apontado como estratégia para minimizar esses efeitos. Objetivo: Realizar uma revisão narrativa na literatura científica para identificar os efeitos do exercício físico sobre a modulação autonômica cardíaca e ângulo de fase de mulheres com câncer de mama. Materiais e Métodos: Foi realizado uma busca nas bases de dados Lilacs e Portal de Periódicos Capes; foram selecionados sete artigos para a revisão. Resultados e Discussão: Programas de exercícios supervisionados e não supervisionados, aeróbicos, resistidos, de flexibilidade e equilíbrio, são eficazes para a melhora da aptidão física, diminuição da fadiga e melhora de aspectos psicossociais em pacientes com câncer de mama em tratamento. Não encontramos estudos que abordassem os efeitos do exercício físico sobre o ângulo de fase e modulação autonômica cardíaca de pacientes com câncer de mama em tratamento. Conclusão: O exercício físico mostra-se como uma alternativa não farmacológica eficaz sobre os aspectos clínicos de mulheres com câncer de mama em tratamento. Uma abordagem da avaliação da variabilidade da frequência cardíaca e da composição corporal, por meio da bioimpedância elétrica, parecem ser substanciais para o melhor acompanhamento e cuidado dessas pacientes. Faz-se necessário pesquisas sobre os efeitos do exercício físico sobre o ângulo de fase e modulação autonômica de mulheres com câncer de mama, para investigar se o exercício pode minimizar os efeitos deletérios causados pelo tratamento da doença.
      PubDate: 2023-04-11
      Issue No: Vol. 17, No. 108 (2023)
       
  • Puberdade, sistema GH/IGF e treinamento físico em atletas jovens: uma
           revisão narrativa

    • Authors: Hugo Tourinho Filho, Carlos Eduardo Martinelli Junior
      Pages: 170 - 180
      Abstract: O objetivo desta revisão é descrever o comportamento do sistema GH/IGF em resposta a estímulos agudos e crônicos do treinamento físico em atletas jovens. O sistema GH/IGF compreende uma série de mediadores de crescimento, receptores e proteínas de ligação que regulam o crescimento somático em várias espécies. Essa função anabólica pode ser afetada por mudanças nas concentrações dos componentes do sistema GH/IGF induzidas por programas de treinamento físico. Alguns estudos descreveram redução das concentrações séricas de alguns componentes do sistema GH/IGF em adolescentes e crianças em resposta a sessões de treinamento intenso, possivelmente devido ao aumento dos níveis de citocinas. Alta intensidade de treinamento leva a um estado metabólico caracterizado por aumento de marcadores inflamatórios (citocinas) e supressão do sistema GH/IGF. Mudanças no equilíbrio anabólico/catabólico e nas concentrações de mediadores inflamatórios têm sido relatadas em diferentes momentos de uma temporada de treinamento em resposta a diferentes programas de treinamento. A combinação de rápido crescimento e desenvolvimento observado durante a puberdade, devido ao aumento espontâneo de hormônios anabólicos como GH, IGF-I e esteróides sexuais, associados a altos níveis de atividade física sugerem que diferentes vias/mecanismos podem participar da interação entre exercício e respostas anabolizantes/catabolizantes em atletas jovens. A análise desses achados tem o potencial de auxiliar treinadores e atletas a planejarem seus treinamentos de forma a obter melhores desempenhos e índices mais saudáveis dentro da vida de jovens atletas.
      PubDate: 2023-04-11
      Issue No: Vol. 17, No. 108 (2023)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 44.221.66.130
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-
JournalTOCs
 
 
  Subjects -> HEALTH AND SAFETY (Total: 1464 journals)
    - CIVIL DEFENSE (22 journals)
    - DRUG ABUSE AND ALCOHOLISM (87 journals)
    - HEALTH AND SAFETY (686 journals)
    - HEALTH FACILITIES AND ADMINISTRATION (358 journals)
    - OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY (112 journals)
    - PHYSICAL FITNESS AND HYGIENE (117 journals)
    - WOMEN'S HEALTH (82 journals)

PHYSICAL FITNESS AND HYGIENE (117 journals)                     

Showing 1 - 118 of 118 Journals sorted alphabetically
ACSMs Health & Fitness Journal     Full-text available via subscription   (Followers: 14)
Acta Facultatis Educationis Physicae Universitatis Comenianae     Open Access   (Followers: 3)
Acta Kinesiologiae Universitatis Tartuensis     Open Access   (Followers: 1)
ACTIVE : Journal of Physical Education, Sport, Health and Recreation     Open Access   (Followers: 32)
Adapted Physical Activity Quarterly     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Ágora para la Educación Física y el Deporte     Open Access  
Al.Qadisiya journal for the Sciences of Physical Education     Open Access  
American Journal of Sexuality Education     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Annals of Applied Sport Science     Open Access   (Followers: 11)
Annals of Work Exposures and Health     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Applied Physiology, Nutrition and Metabolism     Hybrid Journal   (Followers: 38)
Arab Journal of Nutrition and Exercise     Open Access   (Followers: 1)
Arquivos em Movimento     Open Access   (Followers: 1)
Arrancada     Open Access  
Asian Journal of Sport and Exercise Psychology     Open Access   (Followers: 7)
Baltic Journal of Sport and Health Sciences     Open Access   (Followers: 2)
BMC Obesity     Open Access   (Followers: 8)
BMC Sports Science, Medicine and Rehabilitation     Open Access   (Followers: 43)
Child and Adolescent Obesity     Open Access   (Followers: 9)
Childhood Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 24)
Clinical Journal of Sport Medicine     Hybrid Journal   (Followers: 39)
Comparative Exercise Physiology     Hybrid Journal   (Followers: 23)
Cultura, Ciencia y Deporte     Open Access   (Followers: 1)
Eating and Weight Disorders - Studies on Anorexia, Bulimia and Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 24)
eJRIEPS : Ejournal de la recherche sur l'intervention en éducation physique et sport     Open Access  
Environmental Health and Preventive Medicine     Open Access   (Followers: 4)
Éthique & Santé     Full-text available via subscription  
Fat Studies : An Interdisciplinary Journal of Body Weight and Society     Partially Free   (Followers: 3)
Food Science and Human Wellness     Open Access   (Followers: 4)
Frontiers in Sports and Active Living     Open Access   (Followers: 4)
Gelanggang Pendidikan Jasmani Indonesia     Open Access  
German Journal of Exercise and Sport Research : Sportwissenschaft     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Geron     Full-text available via subscription  
Health and Quality of Life Outcomes     Open Access   (Followers: 14)
Health Education     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Health Education Journal     Hybrid Journal   (Followers: 16)
Health Marketing Quarterly     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Health Physics     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Health Promotion & Physical Activity     Open Access   (Followers: 9)
Home Healthcare Now     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Human Movement Science     Hybrid Journal   (Followers: 15)
Hygiene     Open Access   (Followers: 21)
IISE Transactions on Occupational Ergonomics and Human Factors     Hybrid Journal  
Indonesia Performance Journal     Open Access  
International Journal for Vitamin and Nutrition Research     Hybrid Journal   (Followers: 11)
International Journal of Applied Exercise Physiology     Open Access   (Followers: 55)
International Journal of Athletic Therapy & Training     Hybrid Journal   (Followers: 15)
International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity     Open Access   (Followers: 34)
International Journal of Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 58)
International Journal of Obesity Supplements     Full-text available via subscription   (Followers: 5)
International Journal of Qualitative Studies on Health and Well-Being     Open Access   (Followers: 21)
International Journal of Spa and Wellness     Hybrid Journal  
International Journal of Sport, Exercise & Training Sciences     Open Access   (Followers: 4)
International Journal of Yoga     Open Access   (Followers: 17)
Isokinetics and Exercise Science     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Journal of Advanced Nutrition and Human Metabolism     Open Access   (Followers: 16)
Journal of American College Health     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Journal of Athlete Development and Experience     Open Access   (Followers: 3)
Journal of Bioenergetics and Biomembranes     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Journal of Exercise & Organ Cross Talk     Open Access   (Followers: 1)
Journal of Human Performance in Extreme Environments     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Human Sport and Exercise     Open Access   (Followers: 17)
Journal of Motor Learning and Development     Hybrid Journal  
Journal of Physical Activity and Health     Hybrid Journal   (Followers: 13)
Journal of Physical Activity and Hormones     Open Access   (Followers: 3)
Journal of Physical Activity Research     Open Access   (Followers: 4)
Journal of Physical Education and Human Movement     Open Access  
Journal of Physical Education and Sport Sciences     Open Access   (Followers: 5)
Journal of Physical Education Health and Sport     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Physical Education, Recreation & Dance     Full-text available via subscription   (Followers: 13)
Journal of Science in Sport and Exercise     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Journal of Sport and Health Science     Open Access   (Followers: 22)
Journal of Sport Sciences and Fitness     Open Access   (Followers: 14)
Journal of Strength and Conditioning Research     Hybrid Journal   (Followers: 77)
Kinesiology : International Journal of Fundamental and Applied Kinesiology     Open Access   (Followers: 1)
Kinesiology Review     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Malaysian Journal of Movement, Health & Exercise     Open Access   (Followers: 1)
Measurement in Physical Education and Exercise Science     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Médecine & Nutrition     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Mental Health and Physical Activity     Hybrid Journal   (Followers: 17)
MHSalud : Movimiento Humano y Salud     Open Access  
Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 41)
Obesity Research & Clinical Practice     Full-text available via subscription   (Followers: 10)
Obesity Reviews     Hybrid Journal   (Followers: 17)
Obesity Science & Practice     Open Access  
Open Obesity Journal     Open Access   (Followers: 2)
Pain Management in General Practice     Full-text available via subscription   (Followers: 13)
PALAESTRA : Adapted Sport, Physical Education, and Recreational Therapy     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Physical Activity and Health     Open Access   (Followers: 4)
Physical Education & Sport Pedagogy     Hybrid Journal   (Followers: 14)
Preventing Chronic Disease     Free   (Followers: 3)
Psychology of Sport and Exercise     Hybrid Journal   (Followers: 20)
Quality in Sport     Open Access  
Race and Yoga     Open Access   (Followers: 1)
RBNE - Revista Brasileira de Nutrição Esportiva     Open Access   (Followers: 1)
RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento     Open Access   (Followers: 1)
RBPFEX - Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício     Open Access  
Research Quarterly for Exercise and Sport     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Retos : Nuevas Tendencias en Educación Física, Deportes y Recreación     Open Access  
Revista Andaluza de Medicina del Deporte     Open Access   (Followers: 2)
Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde     Open Access   (Followers: 1)
Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano     Open Access   (Followers: 1)
Revista Internacional de Medicina y Ciencias de la Actividad Física y del Deporte : International Journal of Medicine and Science of Physical Activity and Sport     Open Access   (Followers: 1)
Revue phénEPS / PHEnex Journal     Open Access  
Scandinavian Journal of Sport and Exercise Psychology     Open Access   (Followers: 5)
SIPATAHOENAN : South-East Asian Journal for Youth, Sports & Health Education     Open Access  
Spor Bilimleri Dergisi / Hacettepe Journal of Sport Sciences     Open Access   (Followers: 1)
Sport and Fitness Journal     Open Access   (Followers: 7)
Sport Science and Health     Open Access   (Followers: 7)
Sport Sciences for Health     Hybrid Journal   (Followers: 5)
SPORTIVE : Journal Of Physical Education, Sport and Recreation     Open Access   (Followers: 2)
Sports     Open Access   (Followers: 3)
Sports Biomechanics     Hybrid Journal   (Followers: 29)
Sports Health: A Multidisciplinary Approach     Hybrid Journal   (Followers: 5)
Strength & Conditioning Journal     Hybrid Journal   (Followers: 58)
Timisoara Physical Education and Rehabilitation Journal     Open Access   (Followers: 2)
Turkish Journal of Sport and Exercise     Open Access  
Yoga Mimamsa     Open Access   (Followers: 3)

           

Similar Journals
Similar Journals
HOME > Browse the 73 Subjects covered by JournalTOCs  
SubjectTotal Journals
 
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 44.221.66.130
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-