A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  

  Subjects -> SPORTS AND GAMES (Total: 199 journals)
The end of the list has been reached or no journals were found for your choice.
Similar Journals
Journal Cover
RBNE - Revista Brasileira de Nutrição Esportiva
Number of Followers: 1  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Print) 1981-9927 - ISSN (Online) 1981-9927
Published by IBPEFEX Homepage  [4 journals]
  • Sintomatologia de drunkorexia em praticantes de crossfit

    • Authors: Lívia Dias Jorge, Macks Wendhell Gonçalves, Allys Vilela de Oliveira
      Pages: 63 - 72
      Abstract: Introdução: Um dos problemas recorrentes, no que diz respeito a distúrbios alimentares, está relacionado com o álcool. Em adultos jovens, particularmente, tem sido observada a tendência a usar formas extremas de controle de peso para compensar o consumo excessivo de álcool. Objetivo: Analisar a sintomatologia de drunkorexia em praticantes de CrossFit. Materiais e métodos: Participaram do estudo praticantes de exercícios físicos de CrossFit (n=36), com média de idade de 33,8 ± 7,9 anos. Foram aplicados os questionários Eating Attitudes Test - 26 (EAT-26) e Compensatory Eating Behaviors Related to Alcohol Consumption (CEBRACS) por meio digital. Analisou-se o perfil da amostra em relação a classificação do EAT-26, bem como os escores de ambos os questionários com o perfil da amostra, com p<0,05.  Resultados: Apenas o gênero influenciou nos valores de pontuação no EAT-26, não havendo fatores associados a pontuação do CEBRACS. O gênero feminino esteve associado a maior risco de Transtorno Alimentar (TA). Houve correlação entre os indivíduos que obtiveram pontuação mais alta no EAT-26 e no CEBRACS. Discussão: A drunkorexia é avaliada de forma quantitativa pelo CEBRACS, e no presente estudo não se verificou pontuação relevante para caracterização de sintomatologia. No entanto, esse questionário avalia apenas a sintomatologia e não se propõe a fornecer um diagnóstico, motivo pelo qual alguns participantes poderiam apresentar diagnóstico de drunkorexia sem ter apresentado alta pontuação no CEBRACS. Conclusão: Os participantes da pesquisa não apresentaram sintomatologia para caracterização de drunkorexia
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • Perfil nutricional de ciclistas atendidos no projeto de extensão
           “nutrição esportiva e saúde (nutres)” da UFMS

    • Authors: Renan Carlos Vilela Silveira Maia, Teresa Cristina Abranches Rosa, Christianne de Faria Coelho Ravagnani, Fabiane La Flor Ziegler Sanches
      Pages: 73 - 85
      Abstract: Objetivou-se avaliar composição corporal, consumo alimentar e hidratação de ciclistas atendidos no projeto NUTRES da UFMS. Estudo transversal, composto por 19 atletas de ciclismo, de ambos os sexos. Avaliou-se dados sociodemográficos, antropométricos, ingestão alimentar e hídrica. Massa corporal, estatura, circunferências e dobras cutâneas foram mensuradas. Determinou-se Percentual de Gordura Corporal (%GC), Massa de Gordura (MG) e Massa Livre de Gordura (MLG). Consumo foi determinado pelo Recordatório de 24 horas e comparado com valores mínimos de recomendações nacionais e internacionais. Os ciclistas apresentaram médias de 35,63 anos, peso 71,78kg e estatura 1,67 metros (m), maioria praticantes da modalidade estrada, casado, com ensino médio e superior completo, raça branca e renda superior a 5 salários-mínimos. As médias obtidas de circunferência de braço e circunferência muscular do braço foram classificadas em eutróficas, circunferência da cintura normal, %GC 21,84% e MLG 56,43 kg. Em comparação com a Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte (2009), o consumo de energia, proteína e lipídios para ambos os sexos foi superior aos valores mínimos e de carboidratos insuficiente para o sexo feminino. Pela International Society of Sports Nutrition (2018), verificou-se consumo de carboidratos, proteínas e lipídios superior aos valores mínimos para ambos os sexos e energia insuficiente para o sexo feminino. Houve predominância de consumo de 1,5 a 2 L de água diariamente e intra-treino médio de 1,27 L. Assim, os ciclistas obtiveram composição corporal e ingestão hídrica satisfatórias e consumo alimentar insuficiente para carboidratos e energia e acima das recomendações mínimas para proteínas e lipídios.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • Avaliação dos níveis de creatinina e ureia em atletas de crossfit que
           usam suplementos alimentares e em dieta hiper proteica

    • Authors: Diego Claro de Mello, Tatiana Moreira Domingues
      Pages: 86 - 94
      Abstract: Introdução: CrossFit é uma modalidade de exercícios físicos de alta intensidade com uma popularidade crescente. Além disso, o uso de suplementos alimentares por amadores e atletas de elite, trazem a necessidade de discutir a segurança de ambas as práticas. Aqui, temos como objetivo avaliar se o uso de suplementos alimentares por atletas de CrossFit afeta a função renal. Materiais e Métodos: Atletas de CrossFit do gênero masculino foram separados em três grupos: controle (C) e usuários de suplementos nutricionais (NSU), e um grupo adicional com NSU que estavam em dieta rica em proteínas (NSDU). Os níveis de creatinina e ureia foram obtidos por duas amostras isoladas de urina (antes e após o treino), e então foram analisadas por espectrofotometria. O teste t foi aplicado para verificar possíveis diferenças entre os grupos. Resultados: Os suplementos mais consumidos foram creatina e whey protein, e 8 dos NSU declararam estar em dieta rica em proteínas (compondo o grupo NSDU). Os níveis de creatinina aumentaram significativamente após o treino. No entanto a comparação dos níveis de creatinina e ureia entre os grupos C, NSU e NSDU não apresentaram diferenças significativas nas condições antes e após o treino. Conclusão: Nossos achados sugerem que o consumo de suplementos nutricionais e de dietas altamente energéticas não afetaram significativamente os níveis urinários de creatinina e ureia, e que as alterações clínicas reportadas aqui estão, provavelmente, relacionadas com um efeito transitório do treino de alta intensidade, como o CrossFit.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • Consumo alimentar e perfil antropométrico de jogadores de categoria de
           base de um clube de futebol

    • Authors: Renato Tavares Mendes, Abelardo Barbosa Moreira Lima Neto
      Pages: 95 - 106
      Abstract: O futebol é um esporte dinâmico que exige do atleta velocidade, força e técnica, com treinamentos volumosos e competições intensas associados a pouco tempo de recuperação, por isso requer uma combinação ideal entre a intensidade do exercício e a ingestão dietética, além de um perfil antropométrico adequado à cada posição. Assim, objetiva-se avaliar a ingestão alimentar e o perfil antropométrico de jogadores da categoria sub-20 de um clube de futebol de Fortaleza-CE. O estudo foi realizado com jogadores de futebol de 16 a 20 anos. Foram coletados dados de consumo alimentar, massa corporal, estatura, dobras cutâneas e aspectos de identificação e socioeconômicos. Os dados foram tabulados e analisados por meio dos softwares Excel 2016 e Past 4.03. Os resultados mostraram médias de consumo dos macronutrientes dentro da recomendação, ingestão adequada de alguns micronutrientes e inadequada de outros; e ingestão energética abaixo do gasto energético total. Já em relação a antropometria, foi observado diferença estatística entre as posições nas variáveis massa corporal, altura e massa magra, além de valores de percentual de gordura semelhantes aos de jogadores profissionais das maiores ligas de futebol do mundo. Com isso, evidenciou-se que existem diferenças antropométricas entre as posições, mostrando que as características físicas do jogador são determinantes para a definição da sua posição. A média de ingestão de macronutrientes estão dentro da recomendação, porém é necessário analisar o consumo e o gasto energético por um tempo maior para tirar melhores conclusões sobre a dieta dos atletas.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • Nitrato derivado do suco de beterraba e suas influências no exercício de
           alta intensidade: uma revisão sistemática de ensaios clínicos
           randomizados

    • Authors: Camila Venancia Guerra, Barbara E. Silva Soares, Fellipe Mateus A. de Oliveira Morais, Andrey Alves Porto, Cicero Jonas R. Benjamim
      Pages: 107 - 117
      Abstract: A suplementação de nitrato (NO3) por meio do suco de beterraba, parece ser eficaz em exercícios de alta intensidade e curta duração, que utilizam primordialmente a via metabólica anaeróbica. A fim de esclarecer tais questões, foi desenvolvida uma revisão sistemática com o objetivo investigar os efeitos da utilização da suplementação de NO3 derivado da beterraba sobre a performance. A busca sistematizada foi realizada PubMed (via MedLine), Cochrane Library e EMBASE utilizando a estratégia de busca: “Athletic Performances” OR “Sports” OR “Performance” AND “Nitrates” OR “Beta vulgaris” OR “Beet”. A população dos estudos primários deveria incluir adultos saudáveis e fisicamente ativos com idade entre 18 a 65 anos. A intervenção com NO3- deveria ser do suco de beterraba e controlada com uma intervenção placebo, com características similares ao suco de beterraba e depletado em NO3. Os estudos deveriam trazer como desfecho variáveis de desempenho físico em exercícios com via metabólica predominantemente anaeróbica. Consideramos ensaios clínicos randomizados simples ou duplo-cegos. 177 artigos foram encontrados nas bases de dados que após as etapas de triagem e elegibilidade apenas 9 permaneceram na amostra. A intervenção com o NO3 do suco de beterraba demonstrou importantes contribuições nos testes de desempenhos dos estudos primários. A maioria dos ensaios incluídos apresentaram melhores resultados no grupo que ingeriu o NO3. Pode-se concluir que o NO3 do suco de beterraba é um importante recurso ergogênico em atividades de alta intensidade e curta duração e, portanto, pode ser utilizado em condições que visam aumentar o desempenho de atletas.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • Nível de atividade física, estado nutricional e síndrome metabólica em
           policiais militares de Pouso Alegre-MG

    • Authors: Gabrielly Aparecida Silveira Rezende
      Pages: 118 - 134
      Abstract: Introdução: A profissão dos militares é apontada como uma das mais estressantes, o que pode impactar diretamente no seu estado nutricional. Objetivo: Investigou-se aspectos relacionados à qualidade de vida, associadas ao nível de atividade física, estado nutricional e síndrome metabólica dos PMs do Sul de Minas Gerias. Materiais e métodos: A pesquisa foi de campo, descritiva, transversal e quantitativa, avaliada através dos questionários socioeconômico e Internacional de atividade física. Foram empregadas as medidas antropométricas peso, estatura e circunferências. A amostra foi obtida por PMs de todas as categorias, de ambos os sexos, com idade ≥18 anos e < de 60 anos. Resultados: Observou-se que 17,07% (n=7) estavam muito ativos e 24,39% (n=10) ativos de acordo com o critério A; 14,63% (n=6) estavam irregularmente ativo de acordo com o critério B; observou-se que 43,91% (n=18) consumiam mais carboidrato, seguidos de proteína e lipídeo; em relação ao consumo de calorias observou-se que 39,02% (n=16) consumiam valores inferiores ao recomendado; 24,39% (n=10) encontravam-se com o IMC adequado, 65,85% (n=27) com sobrepeso e 9,76% (n=4) obesidade grau I. Com relação ao risco de desenvolver DCV, 51,22% (n=21) encontravam-se com baixo risco; 39,02% (n=16) com risco moderado; 7,32% (n= 3) alto risco e 2,44% (n=1) encontrava-se em risco muito alto; ao avaliar o risco de complicações metabólicas por meio da circunferência abdominal (CA), foi observado que 43,91% (n=18) encontravam-se sem risco; 17,07% (n=7) com risco médio; 24,39% (n=10) com risco alto e 14,36% (n=6) com risco altíssimo; Conclusão: todos os PMs apresentaram riscos de desenvolver DCV.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • O impacto da pandemia por covid-19 nos hábitos alimentares dos
           estudantes de medicina

    • Authors: Bruna Strube Lima, Franciani Rodrigues da Rocha, Denis Guilherme Guedert, Renata Souza e Silva, Paola de Lima
      Pages: 135 - 142
      Abstract: Uma boa alimentação é um dos pilares para energia e bem-estar geral, bem como para a prevenção de doenças e para o desenvolvimento físico. Este artigo teve como objetivo avaliar os hábitos alimentares dos estudantes de medicina do Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (UNIDAVI) ocorrida entre os períodos pré-pandemia e pós-pandemia por COVID-19. Para a pesquisa foram selecionadas as turmas compreendidas entre o terceiro e oitavo semestre, perfazendo um total de 154 estudantes.  Os hábitos alimentares foram avaliados através do questionário “Marcadores do Consumo Alimentar”, disponibilizado pelo Ministério da Saúde. Os resultados apontaram um número de estudantes que avaliaram a sua saúde como boa e uma diminuição naqueles que a avaliaram como muito boa. Houve acréscimo na média de consumo de almoço, lanche da tarde e jantar, e decréscimo na média de ingesta de café da manhã, lanche da manhã e ceia, mantendo-se uma média de quatro refeições diárias em ambos os períodos. Em relação aos alimentos consumidos, houve aumento na ingesta de frutas, legumes e verduras, como também de hambúrgueres/embutidos, bebidas adoçadas, doces e guloseimas e comida congelada/fast food. A redução na ingesta global ficou restrita às alternativas feijão e salgadinhos/biscoitos. Por fim, visualizou-se diminuição quanto à avaliação de distrações como TV e celular permeando as refeições. Em conclusão se auferiu uma piora na percepção de saúde global, aumento no consumo alimentar geral, diminuição na frequência de refeições matinais e aumento das refeições vespertinas e conservação do número médio de refeições diária.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • Efeito da suplementação do suco de melancia no desempenho de uma
           equipe de atletismo

    • Authors: Bruna Neves, Patrícia Molz, Camila Schreiner Pereira
      Pages: 143 - 149
      Abstract: Introdução e objetivo: A suplementação com suco de melancia tem sido proposta como recurso nutricional ergogênico por sua alta concentração do aminoácido l-citrulina. Portanto, este estudo objetivou determinar os efeitos da suplementação de uma única dose de suco de melancia no desempenho, no volume máximo de oxigênio (VO2 máx), na frequência cardíaca e na pressão arterial de atletas adolescentes de uma equipe de atletismo. Materiais e métodos: estudo quase-experimental, conduzido com 12 atletas adolescentes, de ambos os sexos, de uma equipe de atletismo. Em dias diferentes, os atletas foram suplementados aleatoriamente, com suco de melancia (450 mL de suco de melancia diluído em 50 mL de água, equivalente a ~1,05 g de l-citrulina) ou uma bebida placebo (500 mL de água mineral, contendo aromatizante de melancia, corante vermelho e edulcorante). Testes físicos específicos, como pressão arterial e frequência cardíaca foram avaliados antes e após cada teste. Além disso, aferiu-se a distância percorrida e estimou-se o VO2 máx ao final de cada teste. Resultados: O desempenho dos atletas não diferiu, após a suplementação com suco de melancia (p=0,154). A suplementação com o suco de melancia também não alterou os níveis de VO2 máx (p=0,154), nem a frequência cardíaca final e a variação da frequência cardíaca (p>0,05). Em relação a pressão arterial sistólica e diastólica, somente a pressão arterial sistólica final e a sua variação foram significativamente menores após a suplementação com suco de melancia (p=0,010 e p=0,008, respectivamente). Conclusão: Uma única dose de suco de melancia parece não ser suficiente para melhorar o desempenho, o VO2 máx e a frequência cardíaca no exercício, porém parece ser uma boa estratégia para melhora e controle da pressão arterial sistólica.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • Gordura corporal de atletas profissionais de futebol feminino no
           início da temporada

    • Authors: Victoria Madeira Frank, Celso Fruscalso Junior, Cláudia Dornelles Schneider, Fernanda Donner Alves
      Pages: 150 - 160
      Abstract: Introdução: No futebol, a composição corporal tem influência sobre as potencialidades físicas e varia durante a temporada de acordo com a periodização do treinamento. O monitoramento é usualmente feito por antropometria, porém existe muita discrepância entre os protocolos utilizados para avaliação de gordura corporal (GC). Objetivo: Descrever a variação de medidas antropométricas entre pré e início de temporada e entre posições, de um time de futebol profissional feminino e comparar os protocolos de estimativa de GC mais usados na literatura. Materiais e Métodos: Amostra de conveniência composta por 23 atletas, avaliadas em um intervalo de 2 meses. Foram aferidas nove dobras cutâneas, seguindo padronização da Sociedade Internacional para o Avanço da Cineantropometria (ISAK). Para o cálculo da GC foram testados oito protocolos diferentes. Resultados: A massa corporal se manteve estável entre as duas avaliações. Houve redução da GC em sete dos oito protocolos testados. Não houve diferença entre as posições. Entre os protocolos testados houve uma variação de até 7% na GC. Discussão: Houve redução da GC entre pré e início de temporada, com níveis adequados às recomendações para jogadoras de futebol. A GC avaliada pelo somatório de dobras cutâneas está de acordo com o encontrado na literatura. Conclusão: Foi identificada variação de GC entre o momento pré e início de temporada independente de variação de massa corporal, que se manteve sem variação significativa. Não houve diferenças estatísticas entre as posições. Os protocolos de percentual de gordura apresentaram variação de até 7%, fazendo necessária a padronização do método antropométrico de avaliação no futebol feminino.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • Qual o principal macronutriente da dieta' Conhecimento nutricional de
           frequentadores de academia usuários de suplementos

    • Authors: Gustavo Pagani Catuzzo, Sabrina Susin, Bruna Bellincanta Nicoletto
      Pages: 161 - 168
      Abstract: Introdução: Praticantes de atividades físicas sem orientação nutricional tendem a acreditar que a proteína é o principal macronutriente da dieta. Objetivo:  Avaliar o perfil dos usuários de academias, que utilizam suplementos alimentares, de acordo com o conhecimento sobre o macronutriente que mais deve ser consumido na alimentação. Materiais e métodos: Estudo transversal incluindo 219 indivíduos de usuários de suplementos nutricionais que frequentavam academias da cidade de Antônio Prado no Rio Grande do Sul no período de dezembro de 2018 até março de 2019. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário autoaplicável com perguntas sobre dados sociodemográficos, antropométricos, uso de suplementos nutricionais, prática de atividade física e questionamento sobre qual deve ser o principal macronutriente da dieta. Resultados e discussão: A amostra teve idade média de 33,83 ± 13,94 anos e foi constituída principalmente por mulheres (59,8%). Em relação ao conhecimento sobre o macronutriente mais consumido na alimentação, 79,5% da amostra acredita que é a proteína. Entre as mulheres, o valor foi 84,7% (p=0,030). Entre as pessoas que praticam atividade física por motivo de saúde, 83,6% creem que a proteína seja o principal macronutriente da dieta (p=0,005). A deficiência de conhecimento sobre alimentação saudável indica a necessidade de um nutricionista na assistência à praticantes de exercício físico, para garantir a qualidade alimentar e o alcance dos objetivos desejados. Conclusão: Entre usuários de suplementos nutricionais e frequentadores de academias, há elevada prevalência de indivíduos que acreditam que a proteína é o principal macronutriente a ser consumido na dieta.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • A suplementação de beta-alanina na performance esportiva: uma revisão
           sistemática

    • Authors: Henrique Costa Cardoso, João Pedro Mendes Condessa, Marcio Leandro Ribeiro de Souza
      Pages: 169 - 179
      Abstract: A beta-alanina é um aminoácido precursor de carnosina e que recebe atenção nas publicações científicas como um suplemento capaz de melhorar a performance esportiva. A suplementação de beta-alanina proporciona um aumento dos estoques musculares de carnosina, o que resulta em um tamponamento eficaz, especialmente em exercícios de alta intensidade. Sendo assim, o presente estudo teve como objetivo realizar uma revisão sistemática sobre o efeito da suplementação de beta-alanina na performance esportiva. Após definição dos critérios de inclusão e exclusão, 24 estudos recentes randomizados e controlados por placebo foram incluídos nessa revisão sistemática. Destes, 18 apresentaram resultados positivos da suplementação desse aminoácido na performance. Em nosso estudo, podemos concluir que a suplementação de beta-alanina pode contribuir com a performance esportiva, especialmente em atividades de alta intensidade e curta duração. A suplementação crônica de beta-alanina com doses variando principalmente entre 2,4 e 6,4 gramas por dia, por 4 a 12 semanas, mostrou-se eficaz na performance. Apesar de diversos estudos relacionados à eficácia da utilização da beta-alanina e o efeito tamponante da carnosina muscular, mais estudos são necessários, para avaliar as diferentes respostas que podem acontecer, especialmente considerando as diferenças entre homens e mulheres, faixas etárias diversas, tipos de exercícios, doses e durações diferentes.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • Potenciais efeitos deletérios de dietas restritivas nas respostas
           endócrino-metabólicas, composição corporal e desempenho físico de
           atletas com lesão medular espinhal

    • Authors: Daiane do Carmo Corrêa, Igor Moreira, Renan Resende, André Gustavo Andrade, Andressa Silva, Marco Túlio de Mello, Rafael Longhi, Dawit Albieiro Gonçalves
      Pages: 180 - 196
      Abstract: A quantidade insuficiente de informação disponível na literatura a respeito dos efeitos dessas dietas nessa população justifica o desenvolvimento desta revisão narrativa, cujo objetivo foi analisar os efeitos metabólicos causados pelas dietas restritivas, além dos impactos na composição corporal e no desempenho físico em atletas paralímpicos com LME. Para isso, dados referentes ao período de 1992 a 2021 foram coletados para a pesquisa em bancos de dados eletrônicos e livros. Esse levantamento mostra que a LME ocasiona alterações endócrino-metabólicas, tais como resistência à insulina e intolerância à glicose; alterações nas funções do aparelho digestório, gerando prejuízos absortivos; e na composição corporal, caracterizado pela redução de massa livre de gordura em todo o corpo, mas em especial nos membros afetados. Embora as dietas low carb e JI sejam capazes de reduzir a massa corporal, esse tipo de dieta pode ser inviável em atletas durante o treinamento de alta intensidade por ocasionar carência nutricional, depleção dos estoques de glicogênio e estimular a proteólise muscular, comprometendo o desempenho esportivo e elevando os riscos de deficiência de energia relativa do esporte (RED-S). Grande parte dos dados relacionando dietas restritivas ao esporte possuem foco em atletas sem deficiência, sendo assim, o desenvolvimento de mais estudos na área do esporte paralímpico torna-se imprescindível e extremamente necessário e relevante, justificando a continuidade das pesquisas na área.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • Efeitos dos probióticos em triatletas: revisão integrativa

    • Authors: Daniele Correia Lima, Andréa Silva de Lima Alves, Nathália dos Santos Monteiro Silva, Luciana Tavares Toscano
      Pages: 197 - 207
      Abstract: Os probióticos são microrganismos vivos que habitam o trato gastrointestinal (TGI), que em quantidades adequadas têm efeitos benéficos ao hospedeiro. A composição da microbiota intestinal está sujeita a diversos fatores tanto intrínsecos quanto extrínsecos, com isso, nos últimos anos, vem sendo utilizadas várias estratégias com a suplementação nutricional de probióticos para melhorar o desempenho esportivo, reduzir queixas gastrointestinais e doenças infecciosas comuns em atletas. O presente trabalho trata-se de uma revisão integrativa, com objetivo de analisar a suplementação de probióticos e seu impacto no sistema gastrointestinal, imunológico e desempenho em triatletas. Foram utilizados estudos nas bases de dados Pubmed, Scielo e Elsevier, no período de 2011 a 2021 empregando os seguintes descritores: Microbiota Intestinal, Desempenho e Recuperação, Suplementos Probióticos e Triatletas. No total, oito artigos atenderam aos critérios de elegibilidade. Alguns estudos demonstraram resultados positivos não apenas para o desempenho dos atletas, mas também para a adaptação e recuperação fisiológica que influenciam na melhora dos treinos, no desempenho competitivo e na recuperação da saúde do atleta. Entretanto, dadas as distintas formas de metodologia abordadas nas pesquisas, faz-se necessário mais estudos para verificar os efeitos dos probióticos e quais cepas (dosagem e período de suplementação) são mais eficazes na prática esportiva.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • Suplementação de ß-alanina no crosstraining

    • Authors: Felipe de Almeida Lernic, Guilherme Giannini Artioli
      Pages: 208 - 228
      Abstract: O objetivo do presente trabalho foi avaliar o potencial ergogênico, além de compreender o processo pelo qual a suplementação de beta-alanina poderia influenciar a performance no âmbito do treinamento cross. Desta forma, este estudo apresenta uma síntese crítica da literatura, explanando sobre as demandas fisiológicas e metabólicas deste tipo de treinamento, analisando a plausibilidade biológica e o grau de evidências científicas que justificariam (ou não) o consumo por atletas ou praticantes da modalidade. Para a presente análise foram utilizadas abordagens qualitativas e técnicas de snowballing com base em livros, artigos periódicos e científicos, teses de doutorado e mestrado indexados nas bases de dados Google acadêmico, Scielo, Pubmed. Nos estudos avaliados, doses de ß-alanina entre 3,2 a 6,4g/dia foram eficientes em exercícios de curta duração e intensidades elevadas (acima de 60% do VO2 max). Além disso, os estudos mostram potencial ergogênico para diminuição do tempo em protocolos específicos, aumento de potência média, potência de pico e aumento no volume de treinamento em modalidades como ciclismo, força, remo, corridas (400 a 1500m) e natação, as quais são modalidades presentes em protocolos de treinamento cross. O principal efeito colateral da beta alanina foi a parestesia, minimizado em estudos onde houve quebra da dose total em doses equivalentes de 10mg/kg, em intervalos de 3 horas. Estudos subsequentes deverão testar a suplementação de ß-alanina em protocolos específicos, visando a confirmação destas hipóteses, assim como evidenciar a magnitude do efeito da suplementação.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • O O efeito da suplementação com suco de beterraba na performance durante
           o exercício aeróbio: uma breve revisão

    • Authors: Luis Fabiano Barbosa, Lindomar Menezes, Anne Caroline de Almeida Lima, Claudio de Oliveira Assumpção, Gislaine Ferreira Nogueira
      Pages: 229 - 238
      Abstract: A procura por suplementos nutricionais que possam favorecer a performance é uma constante entre os envolvidos com o esporte de alto rendimento. O suco de beterraba, rico em nitrato inorgânico (NO3-), favorece o aumento da concentração plasmática de óxido nítrico (NO), um importante sinalizador em vários processos fisiológicos que justificariam os efeitos ergogênicos sobre o desempenho atlético. Assim, o objetivo da presente revisão de literatura foi avaliar e sintetizar as evidências disponíveis sobre os possíveis efeitos da suplementação com suco de beterraba sobre a performance aeróbia. Foi realizada busca nos bancos de dados Pubmed e Portal Capes, utilizando descritores na língua inglesa e portuguesa. Após aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, 13 estudos foram incluídos na síntese quantitativa. Aparente controvérsia foi observada quanto aos efeitos do suco de beterraba na performance. As razões principais pela aparente inconsistência parecem estar relacionadas às diferentes metodologias de intervenção e à heterogeneidade dos grupos avaliados. Diante disso não foi possível estabelecer referências acerca dos efeitos positivos da suplementação, mesmo que isso tenha sido demonstrado por alguns estudos, que apresentaram ainda melhorias em diferentes mecanismos fisiológicos induzidos pela maior biodisponibilidade de NO. Contudo, em esportes de alto rendimento, diferenças que seriam aparentemente insignificantes, podem ser decisivas justificando, assim, o estudo da resposta individual e o possível uso da suplementação.
      PubDate: 2022-05-14
      Issue No: Vol. 16, No. 98 (2022)
       
  • Avaliação do consumo alimentar e da composição corporal de jogadores
           da base de um time de futebol de campo do interior do Rio Grande do Sul

    • Authors: Andressa de Souza Hillal, Alessandra Doumid Borges Pretto, Pamela Silva Vitória Salermo, Rousseau Silva da Veiga, Gustavo Dias Ferreira
      Pages: 1 - 11
      Abstract: Introdução e Objetivo: O futebol é uma modalidade intensa que exige aporte calórico alto, macronutrientes e micronutrientes suficientes, além de uma composição corporal adequada. O presente estudo objetivou avaliar o consumo alimentar e a composição corporal de jogadores da base de um time de futebol de campo do interior do Rio Grande do Sul. Materiais e Métodos: Estudo transversal descritivo, com dados secundários de um estudo com 24 jogadores da base de um time de futebol de campo com idades entre 17 a 20 anos. Foi aplicado questionário de frequência e consumo alimentar e foram aferidas medidas antropométricas. As análises estatísticas foram realizadas no Stata 14.0®, com nível de significância de 5% (p<0,05). Resultados: Em relação ao consumo alimentar, 20 atletas (83,3%) tinham consumo insuficiente de calorias, e de carboidratos, 22 (91,7%), e um consumo acima do recomendado de proteínas, 22 (91,7%) e de lipídios 16 (66,7%). Quanto à composição corporal, a média do percentual de gordura foi 8,3% e de IMC foi 23,5 kg/m2. Discussão: A nutrição e a composição corporal adequada desempenham papel fundamental para a realização das atividades dos jogadores de futebol, estando diretamente ligada ao rendimento. Conclusão: Os atletas apresentaram composição corporal adequados, mas um consumo alimentar inadequado. Sendo assim, é essencial que os jogadores de futebol tenham um acompanhamento nutricional, afim de adequar a alimentação dos atletas e contribuir para a promoção da saúde e desempenho atlético.
      PubDate: 2022-02-10
      Issue No: Vol. 16, No. 96 (2022)
       
  • Prevalência do transtorno da compulsão alimentar periódica em
           universitários da área da saúde

    • Authors: Bruna Alves Gabriel, Schérolin de Oliveira Marques, Victor Marcelo Viana, Emily Schulz Carboni, Heitor Oliveira Santos, Kristian Madeira, Carolina Michels, Thais Fernandes Luciano
      Pages: 12 - 26
      Abstract: Introdução: Algumas pesquisas apontam para uma maior prevalência de Compulsão Alimentar Periódica (CAP) e Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP) em jovens universitários devido a mudanças no estilo de vida, pressão psicológica e diminuição no tempo disponível para a alimentação. Objetivo: Investigar a presença de compulsão alimentar periódica em universitários dos cursos de Nutrição e Fisioterapia. Materiais e Métodos: Trata-se de uma pesquisa descritiva, quantitativa e transversal. A população foi composta por 252 acadêmicos dos cursos de Nutrição e Fisioterapia. Foi utilizado a escala de compulsão alimentar periódica (ECAP) um questionário autoaplicável para avaliar a presença ou não de TCAP. Resultados: A maior parte dos acadêmicos não apresentou compulsão tendo uma porcentagem de 73,4%, em vista que 20,6% apresentaram uma certa variação ao ato de comer e 6% apresentaram a compulsão alimentar periódica. Os valores que contribuíram para a diferença significativa foram 82,5% acadêmicos do curso de Nutrição, que se apresentaram normais sem obter a compulsão, para 26,1% do curso de Fisioterapia que tem uma variação de inclinação ao comer muito. Conclusão: Houve diferenças significativas relacionadas ao hábito de comer quando se encontra chateado, como também em saber as calorias ideais a serem ingeridas por dia, além de uma diferença na prática de atividade física e na escala da compulsão alimentar.
      PubDate: 2022-02-10
      Issue No: Vol. 16, No. 96 (2022)
       
  • Distribuição de macro e micronutrientes na dieta de jogadores sub-24 de
           futebol americano em pré-temporada

    • Authors: Marcelo Romanovitch Ribas, Evandro Alexandre de Freitas Dias, Matusalém Alves Antunes, Julio César Bassan
      Pages: 27 - 33
      Abstract: Decorrente das demandas fisiológicas necessárias para se praticar o Futebol Americano, atletas desta modalidade, necessitam de aportes energéticos diferenciados no tocante a macro e micronutrientes. Nesta linha, o presente estudo teve como objetivo investigar o perfil nutricional de jogadores de Futebol Americano Sub 24, na pré-temporada. Participaram da amostra 16 atletas com média de idade de 21,2 ±1,84 anos. A avaliação dietética foi realizada por meio do registro alimentar de três dias, preenchidos pelos próprios atletas e o cálculo da dieta foi realizado por meio do software Nutrimed.  O teste de normalidade Shapiro-Wilk mostrou uma distribuição normal da amostra e teste do Qui-quadrado distribuições proporcionais desiguais foi realizado para verificar as diferenças das frequências e percentuais dos atletas para a ingestão de macro e micronutrientes. A ingesta de proteínas apresentou valores de 95% acima (p=0,0001), carboidratos 90% abaixo (p=0,0001) e os lipídios 70% acima dos valores recomendados. A ingesta de vitamina B1 apresentou valores de 95% acima (p=0,0001), potássio 65% abaixo (p=0,0001), cálcio 90% abaixo (p=0,0001) e o zinco 95% acima (p=0,0001) dos valores recomendados.  Os resultados dietéticos mostraram no momento pré-temporada uma ingestão hiperproteicas, hipoglicídicas e hiperlipídicas e inadequada para os micronutrientes em comparação às necessidades energéticas totais recomendadas para atletas.
      PubDate: 2022-02-10
      Issue No: Vol. 16, No. 96 (2022)
       
  • Conhecimento sobre a suplementação de creatina em praticantes de
           musculação

    • Authors: Aimee Becke Freitas Correa, Victor Marcelo Viana, Gabriele Laranjeira, Eduarda de Vargas Gonçalves, Graziele Fernandes Rocha, Kristian Madeira, Thaís Fernandes Luciano
      Pages: 34 - 45
      Abstract: Introdução: A musculação é uma das modalidades mais praticadas por pessoas e atletas no Brasil e no mundo. Aliado a prática da musculação, o uso de suplementos alimentares se faz cada vez mais frequente. Dentre os diversos suplementos já conhecidos, a creatina é um dos que mais apresenta evidências científicas, proporcionando a melhora da força, potência, aumento da massa livre de gordura e função neurológica. Objetivo: Investigar o uso da suplementação de creatina em praticantes de musculação e analisar o conhecimento dos usuários sobre as formas de utilização. Materiais e Métodos: A amostra foi composta por um total de 77 praticantes de musculação de uma academia do Extremo Sul Catarinense. Para a obtenção dos dados, foi aplicado um questionário online, com a finalidade de avaliar o conhecimento sobre a suplementação de creatina. Resultados: Grande parte da amostra era do sexo feminino e com faixa etária predominante entre 24 e 29 anos. Apenas 58,4% relataram que a principal fonte de informação quanto a suplementação é o profissional nutricionista. Dentre os 77 indivíduos avaliados, 68,8% nunca fez saturação de creatina e inadequadamente 33,8% não usam creatina diariamente. Dentre os motivos para utilização, 72,7% relatam fazer uso para aumentar o desempenho e ou/força, corroborando a isso, 92,2% relataram efeitos positivos após o uso de creatina e entre os efeitos positivos elencados, destaca-se maior força (56,5%). Conclusão: Destaca-se com o presente estudo o papel do profissional nutricionista que é de suma importância, para determinar a eficácia dos suplementos e necessidade individual de consumo.
      PubDate: 2022-02-10
      Issue No: Vol. 16, No. 96 (2022)
       
  • Prática de ballet clássico aumenta a prevalência de transtornos
           alimentares em mulheres

    • Authors: Nathalia Eloisa Varasquim, Heloisa Deola Confortim
      Pages: 46 - 52
      Abstract: Introdução: A anorexia e a bulimia nervosa são transtornos alimentares que estão presentes na nossa sociedade, atingindo principalmente o gênero feminino. Esses transtornos estão fortemente ligados ao ballet clássico, onde se tem uma cobrança excessiva para um biotipo corporal magro. Esse estudo teve como objetivo avaliar a presença de transtornos alimentares em mulheres profissionais de ballet clássico no Brasil. Materiais e métodos: a amostra foi composta por 28 mulheres profissionais de ballet clássico com idades entre 18 e 50 anos, onde foi analisado os comportamentos alimentares que geram esses transtornos e a aceitação da imagem corporal por meio dos formulários autoaplicáveis EAT-26 e da BSQ enviados de maneira eletrônica. Resultados: foi possível observar que os indicativos para transtornos e insatisfação corporal estão presentes na maioria das entrevistadas (64,3%), apesar da amostra apresentar média de eutrofia através do IMC. Se faz necessário cada vez mais estudos para darmos visibilidade a esse assunto importante que acomete tantos indivíduos, onde concluímos que é indispensável o acompanhamento de profissionais capacitados para o tratamento e prevenção desses transtornos.
      PubDate: 2022-02-10
      Issue No: Vol. 16, No. 96 (2022)
       
  • Suplementação de nitrato no desempenho durante exercício intermitente
           de alta intensidade: uma revisão de literatura

    • Authors: Júlia Carolina Lopes Silva, Natália Costa de Meira Lins, Willemax dos Santos Gomes, Eduardo Zapaterra Campos, André dos Santos Costa
      Pages: 53 - 62
      Abstract: Introdução: A suplementação de nitrato (NO3-) tem se mostrado eficaz em melhorar o desempenho de exercícios de média e longa duração, além de alterar positivamente o desempenho de exercícios de alta intensidade. No entanto, pouco se sabe sobre os efeitos sobre a suplementação no exercício intermitente de alta intensidade. Objetivo: explorar os efeitos da suplementação de NO3- no desempenho do exercício intermitente de alta intensidade, discutindo os mecanismos e as evidências já existentes na literatura relacionadas a este tipo de exercício. Materiais e métodos: uma busca foi realizada na base de dados Pubmed e foi definida a estratégia PICOS para busca e seleção mais específica de artigos elegíveis, sendo (P) adultos e idosos saudáveis, fisicamente ativos ou não; (I) suplementação de nitrato no high intensity intermittent exercise; (C) grupo controle ou crossover; (O) Efeito no despenho no exercício; melhora de resistência; melhora da força; melhora no consumo de oxigênio; (S) estudos experimentais. Resultados: Dos 19 artigos encontrados, foram selecionados 15 artigos pelo título e resumo, excluídos 6 artigos após a leitura e restando 9 artigos elegíveis para leitura completa e avaliação pela estratégia PICOS. Ao final, 9 artigos fizeram parte desta revisão. Discussão: foi destacado que a suplementação de (NO3-) apresenta efeitos positivos no desempenho de exercícios intermitentes de alta intensidade, melhorando consumo e utilização de oxigênio, aumentando os níveis de força e potência, diminuindo pH muscular e lactato. Conclusão: A suplementação de NO3- apresenta efeitos positivos no desempenho de exercícios intermitentes de alta intensidade.
      PubDate: 2022-02-10
      Issue No: Vol. 16, No. 96 (2022)
       
  • Exercícios em jejum funcionam para o emagrecimento saudável'

    • Authors: Felipe de Almeida Rocha, Juliana Pereira Duarte da Silva
      Pages: 379 - 387
      Abstract: Introdução: A principal doença que atinge grande parte da população global é a obesidade e, tem sido a causa de outros problemas de saúde como diabetes mellitus, infarto agudo do miocárdio, alguns tipos de câncer e diversas outras comorbidades. A redução no peso corporal está fortemente associada com a melhora da saúde.  Um programa em que os indivíduos realizem atividades físicas pode prevenir ou até mesmo reduzir risco de hipertensão arterial em indivíduos com sobrepeso. A estratégia do jejum pode reduzir a curto prazo até 7% do peso corporal total, bem como melhora em diversos outros parâmetros sanguíneos. Objetivo: analisar os efeitos da prática de exercícios físicos realizados com a estratégia de jejum alimentar e constatar se é possível ter um emagrecimento saudável. Materiais e métodos: se trata de uma revisão narrativa da literatura, onde se utilizou como fontes de busca de artigos científicos as bases de dados como PubMed, Scielo, Lilacs, Medline e trabalhos acadêmicos como teses e dissertações. A seleção dos artigos e trabalhos obedeceu ao critério de 10 anos de publicação, sendo de 2010 e 2020, onde o inglês, português e espanhol foram as línguas compostas. Conclusão: exercícios realizados em jejum podem promover diversos benefícios à saúde, como melhora no perfil lipídico, melhora na glicemia e redução de risco para doenças crônicas não transmissíveis, como infarto agudo e aterosclerose. Porém, assim como observado pelos estudos de diversos pesquisadores, exercícios realizados em situação alimentada, em muitos casos, podem promover maior lipólise e oxidação de gordura quando comparados com os feitos em jejum. Assim, para efeitos de emagrecimento com saúde, dependendo da intensidade do exercício, pode ser preferível a ingestão de uma refeição leve pré-treinamento, visando a redução da depleção de glicogênio muscular e a melhor utilização de gordura como principal substrato energético.
      PubDate: 2022-02-04
      Issue No: Vol. 15, No. 95 (2022)
       
  • Avaliação do consumo alimentar e da composição corporal de jogadores
           da base de um time de futebol de campo do interior do Rio Grande do Sul

    • Authors: Andressa Souza Hillal, Alessandra Doumid Borges Pretto, Pamela Silva Vitória Salerno, Rousseau Silva da Veiga, Gustavo Dias Ferreira
      Pages: 388 - 398
      Abstract: Introdução e Objetivo: O futebol é um esporte intenso que exige aporte calórico alto, macronutrientes e micronutrientes suficientes, além de uma composição corporal adequada. O presente estudo objetivou avaliar o consumo alimentar e a composição corporal de jogadores da base de um time de futebol de campo do interior do Rio Grande do Sul. Materiais e Métodos: Estudo transversal descritivo, com dados secundários de um estudo com 24 jogadores da base de um time de futebol de campo com idades entre 17 e 20 anos. Foi aplicado questionário de frequência e consumo alimentar e foram aferidas medidas antropométricas. As análises estatísticas foram realizadas no Stata 14.0®, com nível de significância de 5% (p<0,05). Resultados: Em relação ao consumo alimentar, 20 atletas (83,3%) tinham consumo insuficiente de calorias, e de carboidratos, 22 (91,7%), e um consumo acima do recomendado de proteínas, 22 (91,7%) e de lipídios 16 (66,7%). Quanto à composição corporal, a média do percentual de gordura foi 8,3% e de IMC foi 23,5 kg/m2. Discussão: A nutrição e a composição corporal adequada desempenham papel fundamental para a realização das atividades dos jogadores de futebol, estando diretamente ligada ao rendimento. Conclusão: Os atletas apresentaram composição corporal adequados, mas um consumo alimentar inadequado. Sendo assim, é essencial que os jogadores de futebol tenham um acompanhamento nutricional, afim de adequar a alimentação dos atletas e contribuir para a promoção da saúde e desempenho atlético.   
      PubDate: 2022-02-04
      Issue No: Vol. 15, No. 95 (2022)
       
  • Perfil nutricional e composição corporal relacionados a incidência de
           lesões em corredores de Rio do Sul-SC

    • Authors: Diana Seferino, Roseane Leandra da dRosa
      Pages: 399 - 410
      Abstract: A corrida de rua vem ganhando uma crescente popularização no mundo, muitos atletas buscam otimizar sua performance através de treinamento e alimentação adequados, porém, tem-se observado elevada incidência de lesões nos praticantes dessa modalidade. O objetivo da presente pesquisa foi avaliar o perfil nutricional, composição corporal relacionados a incidência de lesões em corredores da cidade de Rio do Sul-SC. A amostra foi composta por 24 corredores de ambos os sexos com idade entre 18 e 60 anos. Foi avaliado através do Recordatório de 24horas o consumo alimentar dos macronutrientes, determinados micronutrientes e o gasto energético total. A composição corporal foi avaliada através das medidas de peso, estatura e dobras cutâneas e a presença de lesão na corrida, por meio do Inquérito de Morbidade Referida (IMR). Observou-se que o consumo dos nutrientes, em sua grande maioria estavam adequados, já a média do consumo energético se encontrou abaixo do recomendado, em virtude de um baixo consumo de carboidratos. O perfil antropométrico se apresentou de forma adequada e referente as lesões pode-se notar um número consideravelmente alto tendo o joelho como local de maior acometimento. Não foi possível relacionar mediante a pesquisa se o aumento dessas lesões pode ser decorrente de uma alimentação inadequada, visto que, vários são os fatores que podem levar ao surgimento delas. Tais resultados reforçam a importância de orientações apropriadas sobre alimentação não só para melhorar do desempenho físico dos atletas, mas também para dar suporte na recuperação de possíveis lesões.
      PubDate: 2022-02-04
      Issue No: Vol. 15, No. 95 (2022)
       
  • Conhecimentos nutricionais de brasileiros praticantes de
           musculação

    • Authors: Amanda Larissa Silva dos Anjos, Stefanny Karen Borges Januário, Bruna Nascimento da Silva
      Pages: 411 - 418
      Abstract: Poucos são os praticantes de exercícios físicos que procuram orientações adequadas sobre alimentação com o profissional qualificado, o que pode causar prejuízos à saúde. O objetivo desse estudo foi analisar os conhecimentos em nutrição básica e nutrição esportiva de brasileiros praticantes de musculação em academias esportivas. Tratou-se de um estudo transversal desenvolvido de forma digital em adultos de 20 a 50 anos que praticam musculação em academias esportivas. Para a realização da pesquisa foi aplicado um questionário com perguntas sobre nutrição básica (fontes alimentares e nutrientes) e nutrição esportiva (nutrição e atividade física e suplementação). A caracterização da amostra foi realizada construindo-se tabelas de frequência para as variáveis categóricas. Para as contínuas calculou-se médias e desvios padrão. Os resultados mostraram que a maioria dos participantes eram mulheres, o percentual de acertos no teste foi de 61%. Na seção sobre nutrição e atividade física, os praticantes de musculação que obtinham informação sobre nutrição com o profissional nutricional acertou mais questões do que aqueles que tinham outras fontes de informação. Conclui-se que maioria dos participantes tinha conhecimento satisfatório sobre nutrição básica e esportiva, reforçando o alto nível de informação desse público sobre o papel da alimentação nos resultados de treinamento de força.
      PubDate: 2022-02-04
      Issue No: Vol. 15, No. 95 (2022)
       
  • Avaliação antropométrica e composição corporal de adultos praticantes
           de boxe

    • Authors: Anne Karynne da Silva Barbosa, Wenna Lúcia Lima
      Pages: 419 - 425
      Abstract: O boxe é uma das práticas esportivas mais antigas do mundo, sendo que a duração de seus rounds é muito curta, necessitando que seus atletas possuam bom condicionamento físico para um desempenho adequado. Planejamos nosso estudo para avaliar as medidas antropométricas e a composição corporal de adultos praticantes de boxe, de ambos os sexos. O presente estudo é um recorte de um projeto ao qual envolve adultos e adolescentes, tendo sido aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Maranhão, sob o protocolo de número 31056020.8.0000.5087. Trata-se de um estudo transversal contando com a participação de 13 adultos, de ambos os sexos, sendo 03 participantes do sexo masculino e 10 participantes do sexo feminino, com faixa etária média de 26,26 ± 7,39 anos, estatura média de 1,65 ± 0,089m, e média de peso corporal de 70,32 ± 12,46kg para ambos os sexos. Os participantes do presente estudo apresentaram características antropométricas, relacionadas a composição corporal semelhantes aos estudos que envolvem grupos de treinamento de boxe similares.
      PubDate: 2022-02-04
      Issue No: Vol. 15, No. 95 (2022)
       
  • Comportamento alimentar e imagem corporal de bailarinos profissionais
           associados às percepções no ambiente de trabalho

    • Authors: Eugênia Granha Vasconcellos, Andrea Romero de Almeida, Juliana Masami Marimoto
      Pages: 426 - 441
      Abstract: A dança determina padrões físicos que impõem desafios constantes aos bailarinos. Objetivo: Analisar o comportamento alimentar e imagem corporal de bailarinos profissionais e a percepção dos mesmos sobre questões relativas à alimentação no ambiente de trabalho. Materiais e Métodos: Foram avaliados 52 bailarinos, 26 homens e 26 mulheres, de companhias de dança profissionais. Utilizou-se a Escala de Atitudes Alimentares Transtornadas (EAAT), para a avaliação do comportamento alimentar, a Escala de Silhuetas Brasileiras, para a avaliação da percepção de imagem corporal e um questionário semiestruturado, para análise da percepção do tema alimentação no ambiente de trabalho. Resultados: Embora a maioria se apresente em eutrofia (86,5%), mulheres e homens se mostraram igualmente insatisfeitos com a imagem corporal, com o grupo feminino desejando majoritariamente uma silhueta menor (69,2%) e o masculino desejando uma silhueta menor (38,5%) ou maior (34,6%). Identificou-se atitudes alimentares pouco disfuncionais em ambos os gêneros, com risco possível e discretamente maior de desenvolvimento de transtornos alimentares para os homens. A autocobrança por estar em forma revelou-se superior à pressão exercida por terceiros, embora a vigilância vertical e horizontal seja percebida. A maioria reporta que o tema alimentação não é abordado com frequência e responsabilidade dentro do ambiente de trabalho. Conclusão: A autocobrança por estar em forma e a alta insatisfação corporal podem estar relacionadas à uma exigência específica do universo da dança. A relação entre bailarinos, superiores e seus pares parece não ser conflituosa para esta pauta, embora a escassa abordagem do tema reflita pouca atenção das instituições para esta questão.
      PubDate: 2022-02-04
      Issue No: Vol. 15, No. 95 (2022)
       
  • Estado de hidratação de praticantes de ciclismo indoor submetidos a
           ações de educação

    • Authors: Larissa Soares dos Santos Freire, Karen Rodrigues Lima, Wilson César de Abreu
      Pages: 152 - 160
      Abstract: A prática de ciclismo indoor melhora o condicionamento cardiorrespiratório e anaeróbico. Devido ao elevado gasto energético, essa modalidade tem sido praticada majoritariamente por sujeitos com excesso de peso. Porém, durante a prática observa-se aumento expressivo da sudorese, podendo levar a desidratação. Este estudo teve como objetivo avaliar o estado de hidratação de praticantes de ciclismo indoor submetidos a ações de educação. Participaram do estudo 15 sujeitos (peso=79,75 ±18,76kg, estatura=1,68 ±0,11m, IMC=28,01 ±4,43kg/m2, GC=31 ±8,35%). Foram determinadas a taxa de sudorese (TS), ingestão de líquidos, desidratação (%) e taxa de reposição de líquidos (TRL) em dois treinos. Após a primeira avaliação do estado de hidratação (treino 1 = controle), os sujeitos foram submetidos a ações educacionais sobre hidratação durante cinco semanas. Depois desse período foi realizado o treino 2 para avaliar os efeitos das ações de educação nos parâmetros de hidratação. Durante os treinos os sujeitos receberam água ad libitum. Não foi observado alteração significativa na taxa de sudorese (Antes=810,6mL/h vs Depois=742,2mL/h), total de líquidos ingeridos (Antes=588,4mL/h vs Depois=626,8mL/h), desidratação (Antes= -0,14% vs Depois= -0,05%) e TRL (Antes= 72,80% vs Depois= 85,10%) após as ações de educação. As amplas variações observadas nos parâmetros de hidratação reforçam a recomendação de uma abordagem individual para alcançar reposição adequada de fluidos durante o exercício físico. Esses dados sugerem que os participantes apresentaram perda de líquidos baixa e que as ações educacionais não foram suficientes para melhorar o estado de hidratação de praticantes de ciclismo indoor.
      PubDate: 2021-07-17
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Hábitos de hidratação e perda hídrica na atividade física
           em crianças e adolescentes: uma revisão de literatura

    • Authors: José Guilherme Bauce, Marcos Franken
      Pages: 161 - 172
      Abstract: A hidratação corporal é um fator primordial para o desempenho físico durante a prática de exercícios, pois os níveis adequados de hidratação são importantes para o sistema cardiovascular e para a termorregulação, visto que estes influenciam diretamente no rendimento esportivo e na taxa de sudorese. Quanto maior a taxa de sudorese do indivíduo maior a probabilidade deste de se desidratar, caso não minimize a perda de água com hidratação adequada. O estudo teve como objetivo realizar uma revisão de literatura dos estudos sobre os hábitos de hidratação e a perda hídrica na atividade física em crianças e adolescentes. As buscas de dados foram realizadas nas bases de dados Pubmed, Google Acadêmico, Lilacs e Medline. No total foram encontrados 233 artigos, destes foram excluídos 157 na primeira etapa de seleção. Na leitura dos resumos foram excluídas 26 publicações e na leitura integral 41 artigos. Ao total, 9 publicações responderam à pergunta de pesquisa. Foram encontrados que praticantes de atividade física a nível escolar apresentam um nível satisfatório de informação relacionado aos hábitos de hidratação. Porém, a maioria da população tem hábitos impróprios quanto à atividade física e os meios de hidratação. Sendo assim, é importante que os professores de educação física orientem os alunos a sempre desenvolverem o hábito do consumo de líquidos antes, durante, e após o exercício, principalmente em situação de maiores temperaturas para evitar a perda hídrica e os danos para o desempenho físico.
      PubDate: 2021-07-17
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Efeitos do chá verde no rendimento esportivo

    • Authors: Ana Paula Azevêdo Macêdo
      Pages: 173 - 180
      Abstract: Introdução: O chá verde, obtido da planta Camellia sinensis, é consumido em diferentes culturas ao redor do mundo. O chá verde é capaz de promover o aumento da oxidação de gordura durante o exercício aeróbico, o que pode ter um efeito poupador de glicogênio e, consequentemente, melhora a capacidade de resistência.  Objetivo: avaliar o efeito do chá verde sobre o rendimento esportivo de atletas e praticantes de atividade física.  Materiais e métodos: Este estudo trata-se de uma revisão narrativa. Para a construção desta revisão foi realizada uma revisão em base de dados a partir de 2011 que abordam o chá verde e a atividade física. Com base nos critérios de exclusão e inclusão foram selecionados nove artigos para compor esta revisão. Resultados:  Os estudos agudos não evidenciaram melhora do desempenho e redução do estresse oxidativo. Após quatros semanas a ingestão de 980mg de polifenóis do chá verde preveniu o estresse oxidativo, porém não apresentou melhora do desempenho.  Quando se trata dos efeitos do chá verde na composição corporal, o número de estudos é limitado, sobretudo em atletas. Discussão: A ingestão aguda do chá verde parece não impactar no desempenho esportivo. Em contrapartida, o consumo cônico parece melhorar o rendimento em praticante de atividade física. O efeito do chá verde no sistema imunológico de esportistas é pouco esclarecido. Conclusão: São necessários estudos para avaliar os efeitos da ingestão aguda e crônica do chá verde em atletas e praticantes de atividade física.
      PubDate: 2021-07-17
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Teor de proteína em suplementos a base de whey protein isolado

    • Authors: Jessika Gonçalves Pessoa, Viviane Magalhães de Oliveira, Renato Novaes Chaves , Jaqueline Teixeira Teles Gonçalves, Renata Ferreira Santana
      Pages: 181 - 185
      Abstract: A busca constante pela melhor forma física tem atraído muitas pessoas iniciarem a prática de atividade física. No entanto, a dificuldade de se alimentar corretamente e o desejo de obter resultados satisfatórios, vem levando o público a consumir suplementos que potencialize os efeitos da atividade física. Neste sentido, o whey protein tem-se destacado por ser um suplemento proteico de alta qualidade nutricional, extraído do soro leite, ingerido com a finalidade de aumentar a massa muscular e força, hipertrofia e redução de gordura corporal. Objetivou-se com este estudo, determinar o teor de proteína em amostras de whey protein isolado comercializado sob a forma de sachês e comparar os resultados encontrados com os valores apresentados na rotulagem desses produtos. Foram obtidas quatro amostras de Whey protein do tipo isolado, comercializados sob a forma de sachês em lojas do comercio local de Vitória da Conquista-Bahia, e encaminhadas ao laboratório de Bromatologia do Centro Universitário de Tecnologia e Ciências para análises. O método adotado para quantificação de proteínas foi de micro Keljeldahl. Os resultados evidenciaram que todas as amostras apresentaram variação no teor de proteína quando comparados rotulagem e análise laboratorial, porém todos estavam dentro da variação tolerada pela legislação (± 20%). No entanto, as amostras B, C e D não apresentaram o teor mínimo para serem considerados isolados (85%). Salienta-se a importância da fiscalização constante para que esses produtos possam de fato apresentar a composição descrita no rótulo, o que irá orientar de maneira mais fidedigna os consumidores.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Ingestão proteica por fisiculturistas: confrontando a prática com as
           evidências científicas através de revisão sistemática

    • Authors: João Paulo Del Alamo Becker, Sabrina Susin, Bruna Bellincanta Nicoletto
      Pages: 186 - 193
      Abstract: Introdução: Fisiculturistas buscam o desenvolvimento e a definição muscular, e, para isso, possuem uma rotina de treino e alimentação específica. Objetivo: Avaliar o consumo de proteína por atletas de fisiculturismo e compará-lo às evidências científicas. Materiais e Métodos: Trata-se de uma revisão sistemática com busca de dados na base PubMed na data de 08 de setembro de 2020. Foram considerados elegíveis os artigos publicados entre os anos de 2010 e 2020 e que avaliaram o consumo de proteína por atletas de fisiculturismo. Resultados: Foram encontradas 284 referências, sendo que 6 atenderam aos critérios de elegibilidade, com um total de 128 atletas homens e 27 mulheres avaliadas. O maior consumo médio proteico apresentado durante a fase de off-season foi de 4,3±1,2g/kg/dia, e durante o pré-contest foi de 3,56±1,43g/kg/dia. Discussão: O consumo proteico foi acima das recomendações trazidas pela ACSM (American College of Sports Medicine) e ISSN (International Society of Sports Nutrition), 1,2 a 2,0g/kg/dia e 1,4 a 2,0g/kg/dia, especialmente durante a fase de off-season, enquanto observam-se valores normais durante a fase pré-contest. Conclusão: Estudos indicam ausência de elementos para afirmar que o consumo proteico acima das recomendações possa causar algum risco à saúde do atleta, entretanto, deve-se atentar para os desfechos incertos que a sobrecarga renal pode acarretar no longo prazo. O acompanhamento nutricional é fundamental para o atleta tenha uma alimentação equilibrada, evitando a deficiência de micronutrientes.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Perfil do consumo de termogênicos por praticantes de atividade física em
           academias e identificação de possíveis efeitos adversos

    • Authors: Sara Rayane Soares de Oliveria, Kathalliny Tavares Barbosa, Daniel da Silva Melo, Maria Emanoelly Alves Galindo, Gabriela Muniz de Albuquerque Melo Beiriz, Luciana da Silva Viana, Waléria Dantas Pereira Gusmão
      Pages: 194 - 207
      Abstract: Objetivo: Definir o perfil de consumo de termogênicos nas academias e identificar os possíveis efeitos adversos associados ao uso dessas substâncias. Materiais e Métodos: Foi realizado um estudo transversal, descritivo e de cunho quantitativo, em três academias no estado de Alagoas, duas academias situadas na capital de Maceió e outra na cidade de Palmeira dos Índios, com praticantes de atividade física que consomem suplementos termogênicos, entre 18 e 65 anos de idade, de ambos os sexos, e que aceitaram participar voluntariamente da pesquisa. Resultados e discussão: O estudo teve 217 participantes de ambos os sexos, com a maioria entre 18 e 30 anos, dos quais 64,93% praticavam musculação e aeróbica. Em relação aos suplementos termogênicos, 35,48% dos indivíduos relataram consumir, destes 63,3% apresentaram reações adversas como aumento da temperatura corporal, agitação, dor de cabeças e insônia. Segundo aqueles que usam as substâncias, apenas 35,06% o fazem por indicação de nutricionista; os demais consomem sem orientação de profissional habilitado. Notou-se também o uso de substâncias ilegais que podem trazer diversos efeitos colaterais indesejáveis e prejudiciais à saúde. Conclusão: Grande parte da amostra relatou ter obtido efeitos adversos após o uso de termogênicos, o que pode causar prejuízos à saúde. Sugere-se que campanhas educativas sejam realizadas em academias acerca da importância da orientação de profissional habilitado para indicação e prescrição de suplementos termogênicos de acordo com as quantidades, necessidades e recomendações de horários adequados como fundamentais para o consumo seguro.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Nível de conhecimento e de ingestão nutricional de atletas
           adultos

    • Authors: Ozanildo Vilaça do Nascimento, Agnelo W. O. Rocha, Whendel Mesquita do Nascimento
      Pages: 208 - 219
      Abstract:  O presente estudo teve como objetivo de identificar o nível de conhecimento e a ingestão nutricional   de atletas considerados de alto rendimento que participam de treinamento no centro de alto rendimento da vila Olímpica de Manaus. O estudo e do tipo transversal com uma amostra constituída por noventa (n=90) atletas adultos do gênero masculino (n=90); com faixa etária entre 21 a 36 anos. Para estabelecer o padrão nutricional utilizou- se o Índice de Massa Corporal, para o consumo alimentar médio, utilizou-se do recordatório de 24 horas, além de um questionário com perguntas sobre nutrição para identificar o conhecimento nutricional. As análises dos valores do IMC evidenciam um percentual de sobrepeso maior entre os atletas mais jovens verificando-se tendência de declínio linear em função da idade. Os atletas apresentam uma ingestão calórica média de 4054,39 Kcal/dia. Os atletas consumem bastante carne vermelha, queijo, pães, batata, refringentes e café. A maioria dos atletas não tinham conhecimento sobre a principal fonte energética para o exercício físico são os carboidratos e que as vitamina, água e minerais não fornecem calorias ao organismo. Conclui-se que dieta destes atletas   e seus conhecimentos em nutrição pode ser uma variável importante que influencia nos resultados de seu rendimento.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Associação entre consumo alimentar e composição corporal de
           futebolistas ludovicenses

    • Authors: Ana Carolina Silva Pina, Victor Nogueira da Cruz Silveira, Poliana Cristina de Almeida Fonseca, Isabel Cristina de Oliveira Almeida, Mário Norberto Sevílio de Oliveira Junior, Christiano Eduardo Veneroso, Christian Emanuel Torres Cabido, Francisco Navarro, Helma Jane Ferreira Veloso
      Pages: 220 - 229
      Abstract: Introdução: O futebol é um esporte que favorece aprimoramento do condicionamento físico, manutenção da performance e saúde dos indivíduos, logo este trabalho objetivou avaliar a associação entre composição corporal e fatores como o consumo alimentar à taxa metabólica em repouso e a posição ocupada pelos atletas de um time de futebol do Maranhão. Materiais e Métodos: Estudo transversal realizado com 23 jogadores, em período competitivo, distribuídos nas posições de atacante, goleiro, lateral, meia, volante e zagueiro. A composição corporal foi obtida através da aferição das dobras cutâneas e o consumo alimentar através de um Recordatório de 24 horas. Realizou-se também a calorimetria indireta na forma de circuito fechado, com o calorímetro. Foi realizado o teste t student para rejeitar a hipótese nula, considerando p<0,05 como valor estatisticamente significante. Resultados: O percentual de gordura dos jogadores não sofreu influência da posição ocupada em campo. O maior consumo de energia e proteína esteve associado ao menor percentual de gordura corporal. Dentre os macronutrientes, somente o consumo de carboidrato e de gordura saturada estiveram dentro dos parâmetros, a proteína esteve pouco elevada e a gordura total abaixo da recomendação. Quanto aos micronutrientes, apenas a média do consumo de ferro esteve adequado. Conclusão: O percentual de gordura corporal sofreu influência apenas do consumo calórico total e proteico. Somente o carboidrato, a gordura saturada e o ferro estiveram dentro dos parâmetros estabelecidos. Os atletas que apresentaram excesso de peso, segundo o IMC, possuíam mais massa livre de gordura.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Diferenças nos protocolos de suplementação de creatina em exercícios
           de força e seus impactos na performance

    • Authors: Bruno Scarazzatti, Daniela Soares de Oliveira, Luciana Pietro
      Pages: 230 - 238
      Abstract: Os suplementos alimentares são recursos ergogênicos que podem ser utilizados para a melhoria de desempenho nas atividades esportivas e redução da fadiga causada pelo esforço muscular. Dentre estes suplementos, encontramos a creatina, suplemento ergogênico, consumido por alguns praticantes de atividades físicas, que objetiva aumentar a força muscular, através do aumento dos níveis de fosfocreatina nos músculos. Objetivo: avaliar os diferentes protocolos de suplementação de creatina em praticantes de atividades de força e seus efeitos na performance. Materiais e Métodos: Trata-se de uma revisão sistemática sobre os diferentes protocolos de suplementação de creatina realizados em exercícios de força a partir de busca nas plataformas Pubmed, SCIELO e Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Foram incluídos artigos em inglês e português, do tipo duplo-cego onde a avaliação fosse feita com exercícios de força. Resultados: Observou-se que os protocolos de suplementação variaram de acordo com o estudo e objetivo, porém, analisando os resultados, pode-se avaliar a efetividade da suplementação de creatina para aumento da força e melhora da performance quando aplicada de forma contínua, preferencialmente após o treino, sem diferença para protocolos nas diferentes idades e gêneros. Conclusão: A suplementação de creatina aumenta a força muscular, sendo assim, os melhores protocolos a serem utilizados seriam o de carga, e para resultados mais rápidos, o consumo de 20g por 5 dias, seguido de uma dose de manutenção de 5g por dia após o treino ou realizar a dose de manutenção de forma contínua, sem a dose de carga, ambos os protocolos com a suplementação diária.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Estado nutricional e consumo alimentar de atletas adolescentes de futebol
           de campo de um clube esportivo da cidade do Recife-PE

    • Authors: Izabelly Cristine Ramos Gomes de Souza, Luana Ferreira Dantas, Paula Catirina Pereira da Silva Germano
      Pages: 239 - 247
      Abstract: O futebol a nível competitivo tem sido alvo de bastante interesse entre os jovens logo, avaliação nutricional é fundamental ao garantir monitoramento e ajustes dietéticos adequados que focam essencialmente na saúde do atleta e no seu êxito em campo. O presente estudo tem como objetivo avaliar o estado nutricional e o consumo alimentar em atletas adolescentes de futebol de campo de um clube esportivo da Cidade de Recife-PE.  Foi realizado um estudo com 18 atletas do sexo masculino da categoria Sub-13 no Ambulatório de Nutrição no Sport Clube do Recife-PE. Foram coletadas as medidas antropométricas para estimar a necessidade calórica e avaliação do estado nutricional, %GC e MMkg, e foram aplicados também dois R24h para análise da ingestão de macronutrientes, fibras alimentares e micronutrientes (ferro e cálcio).  Verificou-se que 27,78% dos atletas estão com sobrepeso através do parâmetro IMC/I, e o %GC de 20,19±3,34%, sendo 9 atletas classificados em moderadamente alto, e apresentaram a massa magra de 41,99±5,19kg. Os atletas mostraram também déficit energético entre a ingestão de 1.901,6±419,28kcal e as necessidades calóricas, 2.767,5±278,94kcal, o consumo insuficiente de carboidratos (54,55±3,89%) e de lipídios (23,45±4,14%) e excesso no consumo de proteínas que foi de 1,97±0,56g/kg/dia, por fim, houve uma baixa ingestão de fibras alimentares (18,77±5,77g) e de cálcio (670,56±316,56mg) e excesso de ferro (16,75±4,23mg). Nesse contexto, ressalta-se a importância da intervenção nutricional com foco na saúde e desempenho dos atletas em campo tampouco, a necessária educação alimentar voltada a práticas alimentares saudáveis que perpetuem por toda a vida.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • ROTULAGEM DE SUPLEMENTOS DE WHEY PROTEIN DISPONÍVEIS NO MERCADO
           BRASILEIRO: ANÁLISE CONFORME LEGISLAÇÃO VIGENTE

    • Authors: Rafaela S Caron-Lienert, Milena Miranda Bittencourt, Marcelli Cardoso Gomes, Giuseppe Potrick Stefani
      Pages: 248 - 254
      Abstract: Atletas, o público fisicamente ativo e portadores de doenças crônicas buscam cada vez mais por suplementos alimentares proteicos para aumento de massa muscular. Este estudo tem como objetivo verificar a densidade energética, carboidratos, proteínas, sódio e aminoácidos essenciais nos rótulos de produtos de whey protein disponíveis no mercado brasileiro, qualitativa e quantitativamente. Trata-se de um estudo observacional descritivo. Os valores considerados adequados para cada aminoácido essencial avaliado foram baseados na Instrução Normativa nº 28, de 26 de julho de 2018. Foram analisados 75 rótulos de produtos de whey protein, tanto em lojas físicas quanto virtuais, dos quais todos apresentavam descritos valores de macronutrientes nos rótulos. A partir dos dados coletados no estudo, foi possível quantificar o total de fabricantes e, a partir dos rótulos, a avaliação dos produtos com valores dentro do esperado pela legislação. Os dados obtidos têm relevância para a população no ato da escolha do suplemento nutricional. Os resultados mostram que a comunicação nos rótulos não alcança a recomendação mínima exigida pela Legislação, a qual é fundamental para análise da qualidade dos produtos disponíveis, não somente pela população em geral que os consume, mas também pelos profissionais que os indicam.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Consumo de suplementos em universitários praticantes de
           musculação

    • Authors: Keila Priscila Santos Avelar, Maria Fernanda Laus
      Pages: 255 - 269
      Abstract: O consumo de suplementos alimentares vem aumentando consideravelmente no país. A maioria dos consumidores é do sexo masculino, sendo a principal fonte de indicação os profissionais de educação física. Ingerir proteínas em quantidades elevadas e por grandes períodos pode gerar danos ao organismo, por isso é importante identificar grupos de risco, para ter uma intervenção caso necessário. O presente estudo teve por objetivo investigar o consumo de suplementos alimentares em universitários do sexo masculino, praticantes de musculação. Participaram da pesquisa 50 homens, com idade entre 18 e 30 anos, que responderam três questionários (sociodemográfico, questionário sobre consumo de suplementos e questionário de frequência alimentar). Dos 50 participantes, 62% (n=31) não consumem suplementos. O suplemento mais consumido foi Whey Protein com 73,7% (n=14). A principal fonte de indicação para o consumo de suplementos foi o nutricionista com 44,4% (n=8), seguido pelo consumo por conta própria com 27,8% (n=5). O principal motivo para o consumo de suplementos foi o ganho de massa muscular (57,9%). Ao analisar a frequência alimentar diária, os participantes que consomem suplementos ingerem mais carnes, ovo e proteína de soja, já os que não consomem suplementos ingerem mais leguminosas, leite e derivados. Com isso, aos que fazem uso desse recurso por conta própria, é possível que a educação alimentar seja uma estratégia importante sem que estes ofereçam riscos à saúde.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Efeitos de 4 semanas de dietas low-carbohydrate high-fat e normoglicídica
           na composição corporal, aptidão cardiorrespiratória e força de
           mulheres com sobrepeso/obesidade

    • Authors: Rafaela de oliveira das Neves, Fabrício Boscolo Del Vecchio
      Pages: 270 - 280
      Abstract: Introdução: A intervenção dietética é um dos métodos mais efetivos e acessíveis para prevenir doenças crônicas, incluindo obesidade. A dieta Low-Carbohydrate High-Fat (LCHF) tem demonstrado efeitos positivos no tratamento de diversas patologias, mas há poucas evidências dos seus impactos na aptidão física. Objetivo: Mensurar os efeitos de diferentes dietas na composição corporal e no desempenho em testes de aptidão cardiorrespiratória e de força muscular de mulheres sedentárias com sobrepeso e obesidade. Materiais e Métodos: Estudo experimental, com medidas repetidas. Amostra composta por 51 mulheres sedentárias (de 18 a 25 anos) com sobrepeso ou obesidade. Após análise de diário alimentar de três dias, elas foram randomizadas em quatro grupos: dois deles com dieta LCHF e outros dois com dieta normoglicídica habitual (HD), com valor calórico total (VCT) atual (LCHFa e HDa) ou usando VCT ideal (LCHFi e HDi). A intervenção durou quatros semanas, sendo que antes, durante e após ocorreram medidas de massa corporal, dobras cutâneas, perimetros corporais, testes de desempenho aeróbio em cicloergômetro e de força isométrica de pressão manual. Resultados: A massa corporal reduziu de modo significante (p=0,032), e o modelo LCHFi proporcionou redução superior aos modelos LCHFa, HDa e HDi. A potência aeróbia máxima exibiu redução significante próxima a 5% dos momentos 1 e 2 para o momento 3 em todos os grupos. Não houve prejuízos na força muscular. Conclusão: Após quatro semanas de intervenção, a dieta LCHF proporcionou efeito positivo na composição corporal. Em todos os grupos foi observada redução na potência aeróbia.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Avaliação da rotulagem de suplementos proteicos comercializados
           na cidade do Recife-PE

    • Authors: Hannah Fernandes Cavalcanti Brandão, Lizandra de Souza Galdino, Lúcia Roberta de Souza Filizola, Sydia Darcila Machado Cavalcanti
      Pages: 281 - 289
      Abstract: A população mundial está cada vez mais à procura de uma melhor qualidade de vida, buscando a prática de exercícios físicos e o consumo de suplementos que auxiliem na melhora dos seus resultados. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), órgão federal responsável pela regulamentação e fiscalização de suplementos no Brasil, publicou em 26 de julho de 2018, a RDC Nº 243, em que dispõe sobre os requisitos para composição, qualidade, segurança e rotulagem dos suplementos alimentares. Devido à importância de se ter informações fidedignas na rotulagem dos suplementos, o presente trabalho teve como objetivo analisar a rotulagem de suplementos proteicos comercializados na cidade do Recife-PE, conforme a RDC Nº 243, de 26 de julho de 2018. A pesquisa tem caráter descritivo e comparativo. Para a coleta dos dados, inicialmente foi realizado o registro fotográfico de todos os rótulos dos suplementos durante as visitas aos estabelecimentos selecionados em seguida, foi registrado em planilha no Excel o nome do produto e sua respectiva marca, sendo analisadas no total 20 amostras de suplementos proteicos. O presente estudo demonstra que 100% (n=20) dos rótulos apresentaram não conformidade em pelo menos um dos itens analisados. Conforme os resultados obtidos, pode-se concluir que todas as amostras apresentaram não conformidade em pelo menos um item de acordo com as duas legislações utilizadas.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • COMPARAÇÃO DE DOIS MÉTODOS ANTROPOMÉTRICOS PARA
           AVALIAÇÃO DO PERCENTUAL DE GORDURA EM HOMENS PRATICANTES DE
           MUSCULAÇÃO EM UMA ACADEMIA NA CIDADE DE SÃO MAMEDE-PB

    • Authors: Pedro Medeiros
      Pages: 290 - 296
      Abstract: A antropometria tem sido apontada como o parâmetro mais indicado para avaliar o estado nutricional coletivo, fornecendo informações sobre adequação nutricional de indivíduos saudáveis ou enfermos. Isso ocorre principalmente pela facilidade de obtenção das medidas que podem ser válidas e confiáveis. Dentre os principais métodos de avaliação nutricional, podemos citar as dobras cutâneas (DC) e a bioimpedância (BIA). Objetivou-se através dessa pesquisa, identificar dentre esses dois métodos antropométricos o mais eficaz para avaliar o percentual de gordura em homens praticantes de musculação. Trata-se de uma pesquisa exploratória, explicativa, de abordagem quantitativa. Participaram do estudo 25 homens, com uma média de idade de 26,4 anos (± 6,8 anos), no qual as idades variaram de 20 a 40 anos. Foram avaliados e classificados os percentuais de gordura corporal na BIA que variaram de 13,9% a 37,8% sendo classificados em normal 36%; alto 40% e muito alto 24%. Já nas DC os resultados variaram de 12,9% a 40,2% classificados da seguinte forma: bom 4%; acima da média 4%; média 24%; abaixo da média 28%; ruim 28% e muito ruim 12%. Diante dos resultados encontrados foi possível observar que os dois métodos tendem a classificar o sujeito na mesma direção, mas não na mesma proporção. Dessa forma conclui-se que as DC se mostram mais fidedignas no tocante a classificação do percentual de gordura.  
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • ANÁLISE DO ESTADO NUTRICIONAL E QUALIDADE DO SONO DE
           PRATICANTES DE ESPORTES EM GERAL

    • Authors: VANESSA ZANI COUTINHO
      Pages: 297 - 313
      Abstract: Cada vez mais se observa a preocupação das pessoas com a qualidade de vida e, devido a esse fato, a prática de esportes por não atletas vem crescendo consideravelmente. Por outro lado,  destaca-se um crescimento de doenças ligadas à obesidade, o que pode estar relacionado à qualidade do sono. Dessa forma, o objetivo do estudo foi  analisar o estado nutricional e a qualidade do sono de praticantes de esportes em geral, não atletas profissionais. Esta pesquisa se caracteriza por um estudo transversal, cujo critério estabelecido para a participação era que as os voluntários fossem adultos e praticantes de esporte. Os indivíduos responderam ao questionário on-line que avaliou seu padrão de sono através do Questionário de Pittisburg, Questionário de atividade física desempenhada e Questionário de Análise do  estado nutricional (questionário on-line de avaliação nutricional). Os dados foram apresentados a partir de estatística descritiva, na qual as variáveis categóricas foram apresentadas por meio de frequência absoluta e relativa, e as variáveis quantitativas foram expressas por média e desvio padrão. A maioria dos entrevistados era do sexo feminino, cerca de 69% da amostra, sendo que 51% apresentavam estado nutricional eutrófico. Porém, entre os indivíduos em estado de sobrepeso e obesidade, 61% declararam consumir carboidratos simples com frequência, o que desencadeou um resultado de 60% da amostra com tempo de sono considerado insuficiente. Conclui-se  que os hábitos alimentares estão diretamente ligados aos hábitos de sono e, consequentemente, ao estado nutricional dos indivíduos. Alterações no ciclo circadiano afetaram os resultados desses indivíduos.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • ANÁLISE DA DESIDRATAÇÃO EM PRATICANTES
           DE CROSSFIT

    • Authors: Luiza Nogueira Pinheiro, Amanda Lobo de Souza, Yasmin Carolina Caridade Ferreira Santos, Tayana Vago de Miranda
      Pages: 314 - 322
      Abstract: Os treinamentos de Crossfit habitualmente organizam-se em exercícios aeróbicos e anaeróbicos, classificando suas sessões como treinamentos. Para todos os atletas e praticantes de atividade física a desidratação é uma dificuldade e pode modificar respostas fisiológicas e o desempenho físico, caso a perda da massa corporal ocasionada pela desidratação seja de 1% a 3%. Desta forma, levando em consideração os efeitos das perdas hídricas na prática do Crossfit, o objetivo do presente estudo foi analisar o grau de desidratação em praticantes desta modalidade. Foi realizado um estudo transversal, descritivo, observacional, com 30 indivíduos adultos sendo aplicado um protocolo de pesquisa referentes à identificação do praticante, variáveis socioeconômicas, de avaliação nutricional antropométrica (Circunferência do braço, prega cutânea tricipital, circunferência muscular do braço, área muscular do braço corrigida), variáveis do exercício e taxa de desidratação. Verificou-se que 90% da amostra ingeriu água durante o treino e 96,6% não fazia uso de repositor hidroeletrolítico durante o treino. Foi observado que a maioria apresentou IMC maior que 24,9kg/m² que caracteriza sobrepeso, obesidade grau I e obesidade grau II na escala de avaliação. A maior ingestão de líquido durante o treino foi de 1 litro e 300 mililitros, sendo a menor 850 mililitros. A ingestão contribuiu para que a taxa de desidratação máxima fosse de 1,32%, sendo a mínima 0,22%. A taxa de produção de suor também foi quantificada, sendo encontrado valor máximo de 25,2% e mínimo 8,7%. Esses dados mostraram que as reposições hídricas impediram que as perdas de massa corporal fossem mais acentuadas.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Comparação da composição corporal utilizando dobras cutâneas e
           bioimpedância em adultos jovens

    • Authors: Jean Carlos Pancine de Oliveira, Douglas Colombi Cuquetto, Sandro dos Santos Ferreira
      Pages: 323 - 328
      Abstract: A avaliação da composição corporal é de grande importância para que profissionais da área da saúde possam obter informações individuais de qualidade, e assim propor as melhores estratégias para a obtenção dos objetivos. O objetivo deste estudo foi comparar a mensuração da composição corporal, utilizando os protocolos de Jackson e Pollock (1978) 3 e 7 dobras, com a bioimpedância elétrica. A amostra foi composta por 37 adultos entre de 18 - 26 anos do sexo masculino. Os resultados apresentaram diferenças entre os métodos χ2 (2) = 34,58, p<0.001. A bioimpedância elétrica, quando comparado com o protocolo de Jackson e Pollock 7 dobras T=15,94, p=0,65, r=0,01, não apresentou diferenças significativas. Entretanto, o protocolo de Jackson e Pollock 3 dobras, quando comparado com o protocolo de Jackson e Pollock (1978) 7 dobras T=5,17, p<0,001, r=0,57, e com a bioimpedância T=9,67, p<0,001, r=-0,31, apresentou diferenças significativas. Os resultados demonstram que podemos utilizar ambos os métodos, bioimpedância e Jackson e Pollock 7 dobras, sendo a bioimpedância considerada mais ágil e de fácil utilização e as 7 dobras tendo um menor custo financeiro.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Uma revisão sistemática entre a ingestão de proteína animal vs
           proteína vegetal para fins anabólicos

    • Authors: Humberto Rogério Keitel da Rosa, Jaime Figueira da Conceição Junior, Ricardo Ferreira Nunes
      Pages: 329 - 338
      Abstract: Introdução: Foram levantadas, através de revisão de literatura, as diferenças cinéticas de absorção das fontes proteicas de origem animal e vegetal, salientando a menor digestibilidade e biodisponibilidade de aminoácidos essenciais nas fontes de proteína vegetal. Destacam-se, porém, alternativas de enriquecimento e diversificação dessas fontes proteicas, que viabilizam bons resultados nutricionais no anabolismo. Objetivo: avaliar os resultados encontrados na literatura pesquisada para que o mito das diferenças anabólicas entre as proteínas vegetais e animais seja melhor esclarecido. Materiais e Métodos: As buscas foram realizadas nas bases de dados informatizados Pubmed, Lilacs, Google Acadêmico, Scielo e Science Direct. As palavras-chave utilizadas foram hipertrofia, proteína do soro do leite, fonte proteica vegetal, fonte proteica animal, massa muscular, síntese proteica muscular e degradação de proteína muscular, além de seus termos correspondentes em inglês. Resultados: nos 6 artigos comparados, 465 homens saudáveis foram submetidos à nutrição proteica animal ou vegetal, juntamente com sessões de treinamento resistido. Diferenças entre os estudos foram verificadas a alternativas sugeridas. Discussão: Os artigos demonstraram a viabilidade do aumento anabólico através de fontes proteicas vegetais, igualando-as às fontes animais. Conclusão: Apesar da vantagem das fontes proteicas animais, existem alternativas vegetais viáveis e com resultados similares àquelas.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • A percepção e os níveis de satisfação e insatisfação da imagem
           corporal em praticantes de atividade física

    • Authors: Angelo Tiago Ribeiro, Evelyn Fabiana Costa
      Pages: 339 - 351
      Abstract: Objetivo: Realizar uma revisão sistemática enfatizada em leitura de artigos científicos que abordaram sobre percepção, níveis de satisfação e insatisfação com a imagem corporal em praticantes de atividade física. Método: Foram feitas buscas nas bases de dados da Pubmed e da Scielo a partir dos descritores: “imagem corporal, satisfação, insatisfação, atividade física e escala de silhuetas". Essa revisão analisou artigos nacionais e destes foram selecionados 6 estudos que enfatizaram sobre a temática e que utilizaram os seguintes instrumentos metodológicos: Body Shape Questionaire, BISQ-22, IPAQ, IMC, Escala de Silhuetas de Stunkard. Resultados: Em pesquisas somente com o público feminino foi encontrado que mulheres eutróficas, com sobrepeso e obesas, estão em sua maioria insatisfeitas com a imagem corporal atual e apresentaram distorção na percepção de suas imagens corporais. Já nas pesquisas comparativas entre os gêneros as mulheres manifestaram tendência de possuírem leve distorção da sua imagem corporal atual e ideal e analisando partes corporais, ambos manifestaram desejo de mudança, principalmente as mulheres. E que mulheres são mais ativas que os homens em relação a quantidade de minutos semanais de atividade. E em pesquisas somente com o público masculino, mais da metade estão insatisfeitos com a imagem corporal pois a maioria demonstraram desejo de ter mais volume de massa magra. Conclusão: A maior parte dos praticantes de atividade física estão insatisfeitos com a sua imagem corporal especialmente nos casos de IMC e pesos elevados e as mulheres manifestaram mais insatisfação.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • A eficiência da suplementação de vitamina c na prevenção e combate do
           estresse oxidativo em tabagistas

    • Authors: Amanda Pereira Mocellin, Hugo França Queiroz, Isadora Monteiro Matos, Júlia Rodrigues Pereira, Leandra Gouveia Alves Moraes, Hugo Ribeiro Zanetti, Alexandre Gonçalves
      Pages: 352 - 357
      Abstract: O tabagismo é responsável por ocasionar efeitos adversos sobre os tecidos por meio do dano oxidativo. Por outro lado, o consumo de vitamina C se apresenta como um antioxidante o qual poderia inibir os danos oxidativos nas moléculas através da interceptação dos radicais livres gerados pelo metabolismo celular ou por fontes exógenas. Objetivo: Analisar a eficiência da suplementação da vitamina C no combate ao estresse oxidativo em tabagistas. Fonte de dados: Metánalise de estudos identificados por meio de pesquisa nas bases de dados Pubmed, Europe PMC, Web of Science e Scielo até 2021.Síntese de dados: Foram identificados 306 artigos dos quais 4 mostraram-se relevantes aos objetivos deste estudo. Resultados: Os estudos levantados demonstraram que a intervenção com suplementação de vitamina C não alterou o estresse oxidativo provocado pelo tabagismo (MD 2,45, 95% IC -1,51; 6,40; p=0.23; I2 = 92%). Conclusão: A partir dos resultados encontrados podemos concluir que a suplementação de vitamina C não se apresenta como estratégia eficiente para o combate ao estresse oxidativo provocado pelo tabagismo.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Estado de hidratação e avaliação de performance de
           jogadores de futebol

    • Authors: Ismael Andrade Costa, Amauri Barbosa da Silva Junior, Cícero Matheus Lima Amaral, Iago Matheus Alves de Holanda, Antonio Lucas Fernandes Leal, Abelardo Barbosa Lima Neto
      Pages: 358 - 367
      Abstract: A desidratação é comum entre jogadores de futebol e está relacionada com a redução do desempenho esportivo. O objetivo desse estudo foi investigar as perdas hídricas induzidas pelo exercício e sua associação com o consumo hídrico e desempenho em um teste de campo, além de avaliar os conhecimentos sobre hidratação dos jogadores. 20 atletas do sexo masculino de um clube de futebol profissional em Fortaleza-CE participaram do estudo. O estado de hidratação foi avaliado a partir do percentual de perda de peso em um dia de treino, no qual o consumo hídrico dos atletas foi registrado; e então aplicado o teste Yo-Yo Intermitent Recovery Test Level 1 (YYRT1). Foi verificada prevalência de estado de desidratação, com perda de peso de 1.289 ±0.6193%. O consumo hídrico médio foi de 1106.0 ±290.0 mL, e a média de distância percorrida no YYR1 foi de 1040 ±394.2 metros. Não foi encontrada correlação significativa entre as variáveis. A avaliação das frequências de respostas do questionário demonstrou baixo nível de conhecimento no tema abordado. Os achados nesse estudo mostram a necessidade de educação dos atletas sobre hidratação como forma de evitar a redução de performance e danos à saúde desses indivíduos.
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
  • Avaliação alimentar e consumo de carboidrato em praticantes de
           musculação e sua relação com a composição corporal

    • Authors: Michele Taís Nato
      Pages: 368 - 378
      Abstract: Introdução: Muitos praticantes de musculação consomem dietas com diminuição drástica ou até mesmo a eliminação do carboidrato, com o intuito de diminuir a adiposidade corporal e atingir um menor percentual de gordura, podendo ocasionar diversas consequências ao organismo. Objetivo: Avaliar a qualidade da alimentação e quantificar o consumo de carboidrato e sua restrição, relacionando com a composição corporal em praticantes de musculação. Materiais e Métodos: Pesquisa do tipo quantitativa, observacional, transversal, descritiva e de campo, avaliada conforme os dados antropométricos de peso, altura e dobras cutâneas, e a partir do questionário do dia alimentar habitual (DAH), analisando a qualidade da alimentação e a restrição de carboidrato em 40 indivíduos, sendo os participantes de ambos os sexos e com faixa etária entre 18 e 59 anos de idade. Resultados: Avaliando os 40 participantes, observou-se que referente a caloria dietética e as necessidades calóricas, 87,5% (n=35) dos indivíduos possuem classificação inadequada. Já em relação ao consumo de carboidrato, houve valores idênticos, em que 50% (n=20) dos indivíduos apresentam restrição (Low Carb). O percentual de gordura corporal que teve como média 20,77%, relacionado à restrição de carboidrato teve como resultado que, praticantes que possuem um percentual de gordura corporal menor, consomem dietas sem restrição de carboidrato, dietas não Low Carb. Conclusão: A qualidade da dieta dos praticantes de musculação foi desbalanceada, evidenciando que metade da amostra fazia restrição de carboidrato. O baixo consumo de carboidrato não mostrou relação com o menor percentual de gordura corporal desses participantes. 
      PubDate: 2021-10-22
      Issue No: Vol. 15, No. 94 (2021)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 44.201.95.84
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-