A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  

        1 2        [Sort alphabetically]   [Restore default list]

  Subjects -> NUTRITION AND DIETETICS (Total: 201 journals)
Showing 1 - 64 of 64 Journals sorted by number of followers
American Journal of Clinical Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 176)
British Journal Of Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 96)
Clinical Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 94)
International Journal of Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 93)
International Journal of Sport Nutrition & Exercise Metabolism     Hybrid Journal   (Followers: 88)
European Journal of Clinical Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 75)
Advances in Food and Nutrition Research     Full-text available via subscription   (Followers: 62)
Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics     Full-text available via subscription   (Followers: 61)
Food Science & Nutrition     Open Access   (Followers: 59)
Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 58)
Advances in Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 55)
Annals of Nutrition and Metabolism     Full-text available via subscription   (Followers: 52)
Journal of Pediatric Gastroenterology and Nutrition (JPGN)     Hybrid Journal   (Followers: 52)
Journal of Human Nutrition and Dietetics     Hybrid Journal   (Followers: 52)
Diabetes, Metabolic Syndrome and Obesity     Open Access   (Followers: 48)
American Journal of Food and Nutrition     Open Access   (Followers: 48)
Nutrition in Clinical Practice     Hybrid Journal   (Followers: 45)
Journal of Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 42)
Annual Review of Nutrition     Full-text available via subscription   (Followers: 40)
Nutrition Reviews     Hybrid Journal   (Followers: 38)
European Journal of Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 36)
Food & Nutrition Research     Open Access   (Followers: 35)
Journal of Parenteral and Enteral Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 35)
International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity     Open Access   (Followers: 31)
Nutrition & Dietetics     Hybrid Journal   (Followers: 31)
Public Health Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 30)
Journal of Nutrition, Health and Aging     Hybrid Journal   (Followers: 30)
Journal of Renal Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 28)
Current Opinion in Clinical Nutrition & Metabolic Care     Hybrid Journal   (Followers: 26)
Eating and Weight Disorders - Studies on Anorexia, Bulimia and Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 25)
Appetite     Hybrid Journal   (Followers: 25)
Obesity Reviews     Hybrid Journal   (Followers: 25)
Current Nutrition & Food Science     Hybrid Journal   (Followers: 25)
Journal of Obesity     Open Access   (Followers: 24)
Childhood Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 24)
International Journal of Nutrition and Metabolism     Open Access   (Followers: 23)
International Journal of Eating Disorders     Hybrid Journal   (Followers: 23)
Nutrition Research     Hybrid Journal   (Followers: 23)
Clinical Nutrition ESPEN     Hybrid Journal   (Followers: 23)
Advances in Eating Disorders : Theory, Research and Practice     Hybrid Journal   (Followers: 22)
Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 22)
Comparative Exercise Physiology     Hybrid Journal   (Followers: 21)
Nutrition & Diabetes     Open Access   (Followers: 20)
International Journal of Food Safety, Nutrition and Public Health     Hybrid Journal   (Followers: 20)
Journal of Nutrition Education and Behavior     Hybrid Journal   (Followers: 19)
Topics in Clinical Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 19)
Clinical Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 18)
American Journal of Botany     Full-text available via subscription   (Followers: 18)
Canadian Journal of Dietetic Practice and Research     Full-text available via subscription   (Followers: 17)
Nutrition & Metabolism     Open Access   (Followers: 17)
African Journal of Food, Agriculture, Nutrition and Development     Open Access   (Followers: 17)
Journal of Nutrition and Metabolism     Open Access   (Followers: 16)
Journal of Advanced Nutrition and Human Metabolism     Open Access   (Followers: 16)
Nutrition and Dietary Supplements     Open Access   (Followers: 15)
Journal of Eating Disorders     Open Access   (Followers: 15)
Journal of Nutrition in Gerontology and Geriatrics     Hybrid Journal   (Followers: 15)
Maternal & Child Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 14)
Nutrition Today     Hybrid Journal   (Followers: 14)
Nutrition Research Reviews     Hybrid Journal   (Followers: 13)
Nutrition, Metabolism and Cardiovascular Diseases     Hybrid Journal   (Followers: 13)
Nutrition and Cancer     Hybrid Journal   (Followers: 13)
Food, Culture and Society: An International Journal of Multidisciplinary Research     Full-text available via subscription   (Followers: 13)
BMC Nutrition     Open Access   (Followers: 13)
Annual Review of Food Science and Technology     Full-text available via subscription   (Followers: 13)
Nutrients     Open Access   (Followers: 13)
Journal of Health, Population and Nutrition     Open Access   (Followers: 13)
Clinical Nutrition Insight     Full-text available via subscription   (Followers: 13)
Nutrition Journal     Open Access   (Followers: 12)
BMJ Nutrition, Prevention & Health     Open Access   (Followers: 12)
Asian Journal of Clinical Nutrition     Open Access   (Followers: 12)
Food and Foodways: Explorations in the History and Culture of     Hybrid Journal   (Followers: 12)
Advances in Digestive Medicine     Open Access   (Followers: 12)
International Journal of Food Sciences and Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 11)
Nutrition Bulletin     Hybrid Journal   (Followers: 11)
Frontiers in Nutrition     Open Access   (Followers: 11)
Ecology of Food and Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Asia Pacific Journal of Clinical Nutrition     Full-text available via subscription   (Followers: 10)
International Journal for Vitamin and Nutrition Research     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Journal of Food and Nutrition Research     Open Access   (Followers: 10)
Journal of Dietary Supplements     Hybrid Journal   (Followers: 10)
American Journal of Food Technology     Open Access   (Followers: 9)
Pediatric Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 9)
Nutritional Neuroscience : An International Journal on Nutrition, Diet and Nervous System     Hybrid Journal   (Followers: 9)
Obesity Facts     Open Access   (Followers: 9)
Nutrition & Food Science     Hybrid Journal   (Followers: 9)
Proceedings of the Nutrition Society     Hybrid Journal   (Followers: 8)
Current Nutrition Reports     Hybrid Journal   (Followers: 8)
Journal of Nutritional Biochemistry     Hybrid Journal   (Followers: 8)
Amino Acids     Hybrid Journal   (Followers: 8)
Nutrition and Health     Hybrid Journal   (Followers: 8)
Journal of Hunger & Environmental Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Journal of the American College of Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Current Developments in Nutrition     Open Access   (Followers: 6)
Journal of Food Chemistry and Nutrition     Open Access   (Followers: 6)
International Journal of Food Science and Nutrition Engineering     Open Access   (Followers: 6)
Molecular Nutrition & Food Research     Hybrid Journal   (Followers: 6)
International Journal of Child Health and Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Current Research in Nutrition and Food Science     Open Access   (Followers: 6)
Food and Nutrition Bulletin     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Nutrition - Science en évolution     Full-text available via subscription   (Followers: 5)
Nutrition Bytes     Open Access   (Followers: 5)
Food Digestion     Hybrid Journal   (Followers: 5)
South African Journal of Clinical Nutrition     Open Access   (Followers: 5)
Bangladesh Journal of Nutrition     Open Access   (Followers: 5)
Plant Foods for Human Nutrition     Hybrid Journal   (Followers: 5)
Genes & Nutrition     Open Access   (Followers: 5)
Journal of Pharmacy and Nutrition Sciences     Open Access   (Followers: 5)
Universal Journal of Food and Nutrition Science     Open Access   (Followers: 4)
Nutrition and Metabolic Insights     Open Access   (Followers: 4)
Metabolism and Nutrition in Oncology     Open Access   (Followers: 4)
Journal of Medical Nutrition and Nutraceuticals     Open Access   (Followers: 4)
International Journal of Nutrition, Pharmacology, Neurological Diseases     Open Access   (Followers: 4)
World Food Policy     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Journal of Agriculture, Food Systems, and Community Development     Open Access   (Followers: 3)
Frontiers in Sustainable Food Systems     Open Access   (Followers: 3)
Aktuelle Ernährungsmedizin     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Nutrición Hospitalaria     Open Access   (Followers: 3)
PharmaNutrition     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Revista Española de Nutrición Humana y Dietética     Open Access   (Followers: 3)
Ernährung & Medizin     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Perspectivas en Nutrición Humana     Open Access   (Followers: 2)
Pakistan Journal of Nutrition     Open Access   (Followers: 2)
Oil Crop Science     Open Access   (Followers: 2)
Acta Portuguesa de Nutrição     Open Access   (Followers: 2)
Open Nutrition Journal     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Spices and Aromatic Crops     Open Access   (Followers: 2)
Food Quality and Safety     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Nutritional & Environmental Medicine     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
Progress in Nutrition     Open Access   (Followers: 2)
Endocrinología, Diabetes y Nutrición (English Edition)     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Revista Chilena de Nutricion     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Renal Nutrition and Metabolism     Open Access   (Followers: 2)
International Journal of Gastroenterology, Hepatology, Transplant and Nutrition     Open Access   (Followers: 2)
Bioactive Carbohydrates and Dietary Fibre     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Nigerian Food Journal     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
Lifestyle Genomics     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Nutritional Science     Open Access   (Followers: 2)
Food and Health     Open Access   (Followers: 1)
The Australian Coeliac     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Endocrinología, Diabetes y Nutrición     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Amerta Nutrition     Open Access   (Followers: 1)
Archive of Food and Nutritional Science     Open Access   (Followers: 1)
Open Obesity Journal     Open Access   (Followers: 1)
Food and Environmental Virology     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Case Reports in Clinical Nutrition     Open Access   (Followers: 1)
European Journal of Nutrition & Food Safety     Open Access   (Followers: 1)
Journal of Food Science and Nutrition Therapy     Open Access   (Followers: 1)
Human Nutrition & Metabolism     Open Access   (Followers: 1)
Food Frontiers     Open Access   (Followers: 1)
Journal of Food & Nutritional Disorders     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Plant Production Science     Open Access   (Followers: 1)
Egyptian Journal of Obesity, Diabetes and Endocrinology     Open Access   (Followers: 1)
Jurnal Penelitian Gizi dan Makanan     Open Access   (Followers: 1)
Journal of Ethnic Foods     Open Access   (Followers: 1)
Clinical Nutrition Experimental     Open Access   (Followers: 1)
RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento     Open Access   (Followers: 1)
Cahiers de Nutrition et de Diététique     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Indian Journal of Nutrition and Dietetics     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Canadian Food Studies / La Revue canadienne des études sur l'alimentation     Open Access   (Followers: 1)
Revista Mexicana de Trastornos Alimentarios     Open Access   (Followers: 1)
RBNE - Revista Brasileira de Nutrição Esportiva     Open Access   (Followers: 1)
Jurnal Gizi dan Dietetik Indonesia : Indonesian Journal of Nutrition and Dietetics     Open Access   (Followers: 1)
Clinical Nutrition Open Science     Open Access  
Food Hydrocolloids for Health     Open Access  
npj Science of Food     Open Access  
Functional Foods in Health and Disease     Open Access  
Journal of Nutraceuticals and Herbal Medicine     Open Access  
Arab Journal of Nutrition and Exercise     Open Access  
Nutrire     Hybrid Journal  
UNICIÊNCIAS     Open Access  
Lifestyle Journal     Open Access  
Archivos Latinoamericanos de Nutrición     Open Access  
Revista Salud Pública y Nutrición     Open Access  
Open Food Science Journal     Open Access  
Segurança Alimentar e Nutricional     Open Access  
Indonesian Food and Nutrition Progress     Open Access  
Journal of Medicinal Herbs and Ethnomedicine     Open Access  
La Ciencia al Servicio de la Salud y Nutrición     Open Access  
Jurnal Riset Kesehatan     Open Access  
Jurnal Gizi Indonesia / The Indonesian Journal of Nutrition     Open Access  
Hacettepe University Faculty of Health Sciences Journal     Open Access  
Gazi Sağlık Bilimleri Dergisi     Open Access  
Media Gizi Indonesia     Open Access  
Jurnal Gizi Klinik Indonesia     Open Access  
NFS Journal     Open Access  
Journal of Nutrition & Intermediary Metabolism     Open Access  
Food and Waterborne Parasitology     Open Access  
Journal of Nutritional Ecology and Food Research     Full-text available via subscription  
Journal of Nutritional Disorders & Therapy     Open Access  
DEMETRA : Alimentação, Nutrição & Saúde     Open Access  
Nigerian Journal of Nutritional Sciences     Full-text available via subscription  
African Journal of Biomedical Research     Open Access  
Journal of the Australasian College of Nutritional and Environmental Medicine     Full-text available via subscription  
Médecine & Nutrition     Full-text available via subscription  
Journal of Sensory Studies     Hybrid Journal  
Journal of Muscle Foods     Hybrid Journal  

        1 2        [Sort alphabetically]   [Restore default list]

Similar Journals
Journal Cover
RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento
Number of Followers: 1  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Print) 1981-9919 - ISSN (Online) 1981-9919
Published by IBPEFEX Homepage  [4 journals]
  • Efeitos da educação em saúde no estado nutricional e consumo alimentar
           de pessoas com diabetes mellitus e/ou hipertensão atendidos na atenção
           primária a saúde

    • Authors: Adalberto Pinheiro Ribeiro, Matheus Santos Dias Xavier, Samara Cardoso de Jesus, Ronilson Ferreira Freitas
      Pages: 637 - 645
      Abstract: Introdução: As Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) em especial a Diabetes Mellitus Tipo II (DM) e Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), são patologias que estão relacionadas a altos índices de morbidade e mortalidade, principalmente no que diz respeito às suas complicações agudas e crônicas, que estão diretamente relacionadas ao estilo de vida. Objetivo: Avaliar os efeitos da educação em saúde no estado nutricional e consumo alimentar de pessoas com diabetes mellitus e/ou hipertensão atendidos na atenção primária a saúde. Materiais e Métodos: Foi realizado um estudo epidemiológico do tipo antes e depois, apresentando caráter quantitativo, exploratório. A amostra foi constituída por 30 assistidos pelas equipes de saúde da família. Como instrumento de coleta de dados foi utilizado um questionário que abordava aspectos sociodemográficos e consumo alimentar. Foram aferidas ainda as medidas antropométricas. Os acadêmicos e professor orientador convidaram os profissionais da área de saúde para a realização das palestras que compuseram as atividades de educação em saúde que foi oferecida para a amostra participante do estudo. Resultados: A média de idade da população foi de 57,0 ± 11,5 anos. Foi possível observar mudanças significativas no consumo alimentar, onde houve uma redução na ingestão de lipídios (p=0,006), lipídios poli (p=0,046), mono (p=0,034) e saturados (p=0,002), colesterol (p=0,001) e sódio (p=0,005), entretanto, houve uma redução também no consumo de ferro (p=0,018). Conclusão: Através deste estudo, evidenciou-se a importância das intervenções da educação em saúde no estado nutricional e consumo alimentar da população assistida pela atenção primária a saúde.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Efeitos da dieta vegetariana e plant-based na dislipidemia, diabetes
           mellitus e risco cardiovascular em adultos

    • Authors: Camila Pereira Iervese, Giovanna Sertic Albuquerque, Ananda Nereia Couto Legal, Leila Magda Rodrigues Almeida
      Pages: 646 - 660
      Abstract: Introdução: As doenças cardiovasculares (DCV) estão entre as principais causas de óbito no mundo. As dietas vegetarianas e plant based têm sido estudadas com o objetivo de reduzir os fatores de risco cardiovasculares. Objetivo: Descrever os efeitos da dieta vegetariana e plant based no perfil lipídico, diabetes mellitus tipo 2, e outros fatores de risco cardiovasculares em pacientes adultos. Materiais e Métodos: Trata-se de uma revisão sistemática, realizada com ensaios clínicos randomizados do período de 2015 a 2020, indexados nas bases de dados eletrônicas PubMed, Scielo, Portal BVS e no Portal CAPES. Foram utilizados descritores de saúde e termos booleanos para maior sensibilidade e especificidade. Critérios de elegibilidade abrangeram apenas ensaios clínicos randomizados, artigos que estabeleceram comparação da dieta vegetariana ou plant-based com o grupo controle e que utilizaram ao menos um parâmetro de avaliação de risco cardiovascular na análise dos resultados.  Resultados e Discussão: Foram incluídos 10 artigos na presente revisão sistemática. Reduções importantes foram demonstradas nos níveis de colesterol LDL, colesterol total, hemoglobina glicada, glicemia em jejum, Índice de Massa Corporal e marcadores inflamatórios nos estudos selecionados, sem alterações consideráveis sobre os níveis de colesterol HDL e Triglicerídeos. A dieta vegetariana estrita apresentou resultados relevantes quando comparados ao tratamento convencional ou a dietas referências na prevenção de doenças cardiometabólicas. Conclusão: As dietas vegetarianas e plant-based demonstraram resultados favoráveis nos índices metabólicos. Mais estudos são necessários para realizar a indicação adequada na prevenção de doenças cardiovasculares.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Fatores associados ao risco de transtorno alimentar em estudantes de
           centros universitários de Maceió-AL

    • Authors: Rafael Belarmino de Souza Lima, Wellen Jassiane de Melo Santos, Raphaela Costa Ferreira, Ariana Alencar Gonçalves Ferreira do Amaral
      Pages: 661 - 669
      Abstract: Os Transtornos Alimentares (TAs) são caracterizados por comportamentos relacionados à alimentação que resultam no consumo ou na absorção alterada de alimentos e que comprometem significativamente a saúde física e/ou o funcionamento psicossocial. A prevalência estimada dos TAs entre os brasileiros varia de 0,5 a 5,0%, na faixa etária de 18 a 30 anos, o que classifica os estudantes em idade universitária como um grupo de alto risco.  O objetivo deste trabalho foi investigar a presença de comportamentos de risco e fatores associados para o desenvolvimento de transtornos alimentares entre estudantes da área de saúde de Maceió-Al.  Tratou-se de um estudo descritivo de caráter transversal, com coleta de dados realizada através de questionário on-line utilizando questionário Eating Attitudes Test (EAT-26), Índice de Massa Corporal (IMC) questionário complementar, avaliando um total 316 participantes. A média de idade observada na amostra total foi de 22,6 anos. Identificou-se que 26,9% dos estudantes têm risco para desenvolvimento de TA.  A presença de fator de risco foi associada com o sexo feminino (71,7%), com a obesidade, a presença de insatisfação corporal (70,6%), ao curso de medicina veterinária, a prática de exercícios físicos (92,9%), ao uso de métodos (54,1%) para alteração do peso corporal e a presença de patologias prévias. Por fim, ressalta-se, a relevância de ações periódicas de educação nutricional e de apoio psicológico nos Centros Universitários, no intuito de contribuir para uma melhora na qualidade de vida do grupo pesquisado.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Criança e adolescente com obesidade: vivências e
           percepção dos pais

    • Authors: Miriam Alarcon, Nádia Sanches Marin, Osni Lazaro Pinheiro, Antônio Henrique Rodrigues dos Passos, Luzmarina Aparecida Doretto Braccialli
      Pages: 670 - 680
      Abstract:     Introdução: A obesidade, considerada atualmente como um importante problema de saúde pública, decorre de múltiplos fatores, e as ações tanto de prevenção como de intervenções são de extrema complexidade. Objetivo: A presente investigação tem como objetivo analisar a percepção dos pais ou responsáveis de crianças e adolescentes, em relação à obesidade e como vivenciam o cuidado. Materiais e Métodos:  Estudo qualitativo a partir de 30 entrevistas com pais ou responsáveis de crianças e adolescentes portadores de obesidade, que frequentam um Centro de Atendimento de Obesidade Infantil de uma cidade de médio porte do interior paulista. A análise foi realizada por meio da técnica de análise temática. A coleta de dados ocorreu no período de agosto a dezembro de 2020. Resultados e discussão: A maioria das crianças e adolescentes encontra-se na faixa etária de 5 a 10 anos e é portadora de obesidade grave. A maioria dos participantes do estudo foram as mães. Na análise, identificou-se as temáticas: dificuldades para lidar com a alimentação; os sentimentos das mães/responsáveis; problemas da criança ou adolescente relacionados à obesidade; tentativas de mudanças de hábitos; e efeitos da pandemia. O grau de obesidade das crianças e adolescentes encontrados no presente estudo leva a pensar que a procura por ajuda ocorre nos casos extremos. Conclusão: Os pais ou responsáveis conseguem perceber os riscos e as consequências da obesidade; entretanto, deparam-se com grandes dificuldades na implementação dos cuidados. As vivências com a obesidade infantil revestem-se de sofrimento, tanto para os pais ou responsáveis como para as crianças.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Prevalência de sobrepeso, obesidade e alterações lipídicas em
           crianças acompanhadas em um ambulatório universitário do sul de Santa
           Catarina

    • Authors: Natália Dal Pizzol, Leticia Soares Boing, Luiza Cascaes Nazario, Isadora Reisdorfer de Oliveira
      Pages: 681 - 690
      Abstract: Introdução: O sobrepeso infantil aumentou significativamente nas últimas décadas e representa um grande desafio, pois é fator de risco para o desenvolvimento precoce de comorbidades e de obesidade na vida adulta. A dislipidemia é fator de risco para o desenvolvimento de aterosclerose e está diretamente ligada ao excesso de peso. O presente estudo buscou descrever a prevalência de sobrepeso, obesidade e alterações dislipidêmicas e a associação entre estado nutricional e variáveis sociodemográficas, perinatais e dislipidêmicas em crianças atendidas em um Ambulatório no Sul de Santa Catarina. Materiais e Métodos: Estudo transversal analítico com uso de prontuários de crianças entre cinco e dez anos, atendidas em um Ambulatório Universitário em Tubarão. Foi utilizado um formulário de coleta desenvolvido pelas autoras e posteriormente calculado o IMC e utilizado as curvas de crescimento da OMS para definição do estado nutricional. Resultados: Foram analisadas 430 crianças, sendo 225 meninos, com média de idade de 7,03 anos. Observou-se que 1,6% estavam abaixo do peso, 58,1% eutróficos, 20,2% com sobrepeso e 20% com obesidade. A maioria nasceu a termo, sem intercorrências no período perinatal, 84,3% foram amamentadas e 12,3% das crianças possuíam diagnóstico de dislipidemia. Houve associação positiva somente entre estado nutricional e as variáveis aleitamento materno (p=0,002) e diagnóstico de dislipidemia (p<0,001). Conclusão: Foi observado que 40,2% das crianças estão acima do peso, com uma discreta maior prevalência no sexo masculino. Além disso, houve associação positiva entre estado nutricional e as variáveis aleitamento materno e diagnóstico de dislipidemia.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Sociodemographic and clinic factors associated with body mass index in
           patients with chronic kidney disease on hemodialysis

    • Authors: Ádria Juliane Lopes Melo Paiva, Mariana Pinheiro Campos, Luciana Pereira Pinto Dias, Karina Silva Cordeiro, Jorvana Stanislav Brasil Moreira, Isabel Cristina de Oliveira Almeida, Andréa Dias Reis, Nayra Anielly Cabral Cantanhede, Maria Rita Fonseca Dias, Mylenne Cardim Ferreira, Isabelle Christine Vieira da Silva Martins
      Pages: 691 - 700
      Abstract: Objective: To verify the factors associated with the Body Mass Index (BMI) in patients with chronic kidney disease on hemodialysis. Materials and methods: Cross-sectional analytical study conducted at a Hemodialysis Clinic in Belém-PA, Brazil. Socioeconomic data and physical activity practice were obtained through interviews with the application of a semi-structured questionnaire and biochemical and anthropometric data through consultation of patients' medical records. To identify the factors associated with BMI bivariate and multivariate analyses were performed with a hierarchical model. Results: Among the 91 patients evaluated 67.03% exhibited BMI < 24.9 kg/m2. The variables of occupation, physical activity and number of medications were significantly associated with BMI 25 kg/m2. Student patients were more likely not to have BMI 25 kg/m2 (PR=1.45; CI:4.87-4.34, p<0.001). On the other hand, patients who did not practice physical activity and who used 3 to 4 medications had a lower chance of not having BMI 25 kg/m2 (PR=0.48; CI:0.30-0.77, p=0.002; PR=0.23; CI: 0.77-0.70, p=0.009), respectively. Conclusion: Most patients did not have a BMI of 25 kg/m2 and it remained associated with occupation, physical activity and the number of drugs consumed by patients with chronic kidney disease on hemodialysis.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Relação da percepção corporal e emocional com o consumo alimentar de
           universitários durante o distanciamento social na pandemia de covid-19

    • Authors: Gislaine Caroline Oliveira Rosa, Caryna Eurich Mazur, Elis Regina Ramos, Catiuscie Cabreira Tortorella da Silva, Mariana Abe Vicente, Stephane Janaina de Moura Escobar
      Pages: 701 - 709
      Abstract: Introdução: No início do ano de 2020, o mundo foi exposto a pandemia de COVID-19, sendo o distanciamento social uma das medidas preventivas para controlar a disseminação da doença. A pandemia e o distanciamento social geraram diversas implicações na rotina habitual da população, dentre elas, modificações nos hábitos alimentares. Objetivo: Avaliar o consumo alimentar de estudantes universitários durante o período de distanciamento social e analisar a sua relação com percepções corporais e emocionais. Materiais e Métodos: Pesquisa transversal realizada com 445 universitários de Guarapuava-PR de ambos os sexos. A coleta de dados ocorreu através de questionário on-line, com questões sociais, emocionais, alimentares, satisfação com o corpo, sentimentos e ingestão semanal de alimentos. Resultados: Houve prevalência do sexo feminino 81,2% e idade entre 18 e 21 anos. Comparando o consumo dos alimentos antes e durante a pandemia, foi observado alterações significantes no consumo de chocolates. Com relação aos sentimentos e imagem corporal, quem consumia mais alimentos ultraprocessados apresentavam-se estressados, ansiosos, cansados e insatisfeitos com o corpo. Por outro lado, quem se apresentava tranquilo, disposto e satisfeito com o corpo, aumentou o consumo de frutas e verduras. Conclusão: O consumo alimentar teve relações significativas com as emoções e percepção corporal dos universitários analisados durante o período de distanciamento social.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • O consumo de água e sua associação com medidas de composição corporal
           de pacientes atendidos em ambulatório nutricional

    • Authors: Daiane Policena dos Santos, Bruna Cristina Seibert, Giovana Cristina Ceni, Greisse Viero da Silva Leal, Ângela Giovana Batista
      Pages: 710 - 719
      Abstract: A água é o nutriente mais importante do nosso corpo. Há evidências de que a desidratação leve pode desempenhar um papel para a ocorrência de várias doenças crônicas como: doenças renais e urinárias, constipação, doenças respiratórias, hiperglicemia na cetoacidose diabética, hipertensão arterial, doença coronariana fatal, tromboembolismo venoso e infarto cerebral. Além disso, o consumo inadequado de água tem sido associado com o ganho de peso. O presente estudo teve como objetivo avaliar o consumo de água pura sobre as medidas antropométricas e de consumo dietético em indivíduos em atendimento nutricional. O trabalho foi realizado mediante consultas de prontuários de pacientes do Ambulatório de Atendimento Nutricional da Universidade Federal de Santa Maria, Campus Palmeira das Missões, de pacientes atendidos no ano de 2019. A pesquisa investigou 52 prontuários de pacientes, sendo na sua maioria mulheres (78,84%) com sobrepeso e obesidade (51,91%) e que apresentavam baixo consumo de água. As análises estatísticas mostraram, que o grupo que consumiu menos água possuía a circunferência do quadril (CQ) e índice de adiposidade corporal (IAC) aumentados em relação ao grupo que consumia mais água. A diferença entre as médias ficou em torno de 9.31 cm (± 3.15) para CQ e 5.14% (± 1.89) para o IAC (p<0,05). Dos pacientes como Índice de Massa Corporal (IMC) >30 kg/m2 (n= 27), 9 consumiram mais que 1,5L/dia de água, e, o dobro, 18 consumiu até 1,5L/dia de água. Como a água importante para todos os processos vitais, faz-se necessário avaliar o consumo de água na população, para que intervenções sejam realizadas por profissionais da saúde e, principalmente, por nutricionistas.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Composição corporal, força muscular e sarcopenia em pacientes com
           câncer de mama: uma revisão integrativa

    • Authors: Arlys Emanuel Mendes da Silva Santos, Maísa Guimarães Silva Primo, Amanda Suellenn da Silva Santos Oliveira, Ana Karolinne da Silva Brito, Maria do Carmo de Carvalho e Martins
      Pages: 720 - 730
      Abstract: Introdução: A sarcopenia é caracterizada pela diminuição de força e massa muscular e pode estar associada ao aumento da toxicidade durante o tratamento oncológico. Objetivo: Apresentar evidências da presença de sarcopenia, de alterações de composição e força muscular em pacientes com câncer de mama. Materiais e Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa que incluiu pesquisas realizadas com seres humanos, indexadas nas bases de dados Pubmed, Google Acadêmico e Scientific Electronic Library Online (SciELO). Após aplicação de critérios de inclusão, e leitura de textos completos, foram selecionados dezesseis estudos nesta revisão. Resultados: Em treze estudos são relatadas alterações de composição corporal que consiste no aumento da massa gorda e/ou adiposidade (seis estudos), diminuição da massa magra e/ou massa livre de gordura (seis estudos) e aumento do peso corporal e/ou presença de sobrepeso e obesidade (oito estudos). Três estudos avaliaram a força muscular, registrando em todos a sua diminuição ao longo e depois do tratamento oncológico. Observou-se cinco estudos que analisaram a presença de sarcopenia em participantes com câncer de mama, quatro deles relataram a presença dessa condição na amostra, sendo associada a maior sobrevida livre de doença em um estudo. Conclusão: A análise dos estudos incluídos nesta revisão indica alterações desfavoráveis em relação a presença de sarcopenia, composição corporal e força muscular. O conhecimento dessas alterações pode fomentar ações de prevenção e promoção da saúde do paciente com câncer de mama.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Privação de sono em mulheres no climatério

    • Authors: Natália Munaretti Willrich, Jordana Ribeiro, Karina Giane Mendes, Heloísa Theodoro
      Pages: 731 - 738
      Abstract: Objetivo: analisar a relação da privação do sono com as comorbidades acometidas em mulheres acima de 50 anos na pós-menopausa participantes de um grupo de atividade física no Sul do Brasil. Materiais e Métodos: estudo transversal realizado com 320 mulheres participantes do Projeto Conviver de Caxias do Sul. Como critério de inclusão considerou-se as mulheres com 50 anos ou mais. Foi aplicado um questionário epidemiológico e realizada avaliação antropométrica de todas as mulheres entrevistadas. Na análise bivariada, para verificar a associação das variáveis independentes com o desfecho, foi utilizado o teste Qui-Quadrado, com p-valor de Pearson para heterogeneidade de proporções para variáveis categóricas dicotômicas e nominais e p-valor de Tendência Linear para variáveis categóricas ordinais. Resultados: A média de horas de sono foi de 8,6h, o mínimo de horas de sono foi de 4 e o máximo de 13 horas. A prevalência de privação de sono (≤6 horas) foi de 5,6%. A maior parte da amostra 72,2% dormiam de 7 a 9 horas e 22,2% dormiam mais de 10 horas. A privação de horas de sono em mulheres com uma ou nenhuma gestação foi significativa, em relação a mulheres que tiveram três ou mais gestações, assim como o uso de medicamentos para Diabetes Mellitus (DM) foi significativamente superior àquelas mulheres que dormiam menos, em relação a mulheres que não faziam o uso de medicamentos. Conclusão: em nosso estudo, foi observado que a prevalência de privação de sono (≤6 horas) em mulheres foi associada à gestação e à presença de diabetes.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Efeitos de 12 semanas de intervenção por meio de exercícios
           multicomponentes sob a aptidão física relacionada à saúde de idosas

    • Authors: Fabiano Mendes de Oliveira, Bráulio Henrique Magnani Branco, Déborah Cristina de Souza Marques, Daniel Vicentini de Oliveira, Rose Mari Bennemann
      Pages: 739 - 751
      Abstract: Introdução: A prática de exercícios físicos realizadas de forma sistematizada pode prevenir os efeitos deletérios do envelhecimento e comorbidades relacionadas. Objetivo: Avaliar os efeitos de 12 semanas de exercícios físicos (multicomponentes) sob a aptidão física relacionada à saúde de idosas. Materiais e Métodos: Trata-se de um ensaio clínico. Foram realizadas avaliações antropométricas, e composição corporal (via bioimpedância elétrica) e aptidão física [dinamometria de preensão manual, flexão de cotovelo, flexibilidade (banco de Wells), time up and go, sentar e levantar, teste de caminhada de 6 minutos]. Foi utilizado o teste t student pareado para comparar os dois momentos (pré e pós-intervenção), calculou-se o delta relativo e absoluto das variáveis do estudo, bem como o tamanho do efeito (d de Cohen), com p<0,05. Resultados: Foram avaliadas 23 idosas com idade de 67,3 ± 5,2 anos; massa corporal 75,1 ± 15,0 kg; estatura 155,7 ± 6,4 cm e índice de massa corporal 30,8 ± 5,2 kg/m2. Foram verificadas as seguintes diferenças significativas: uma redução da massa corporal, do índice de massa corporal, da circunferência da cintura, do teste timed up and go e um aumento da força isométrica máxima de preensão manual direita e esquerda, no teste de flexão de cotovelos, sentar e levantar, teste de caminhada de seis minutos e VO2pico (p<0,05). Não foram encontradas diferenças significativas para as demais variáveis investigads (p>0,05). Conclusão: Os exercícios multicomponentes podem auxiliar na manutenção ou melhoria da aptidão física relacionada à saúde de mulheres na terceira idade.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Hábitos de vida de escolares durante a pandemia da covid-19:
           repercussões no peso corporal

    • Authors: Alenice Aliane Fonseca, André Pires Valadares Carneiro, Anna Clara Figueiredo Ferreira Batista, Wellington Danilo Soares, Ronilson Ferreira Freitas, Vivianne Margareth Chaves Pereira Reis
      Pages: 752 - 761
      Abstract: Objetivo: Este estudo buscou identificar as repercussões da pandemia no peso corporal de adolescentes durante o isolamento social pela pandemia COVID-19 e os hábitos de vida associados. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo transversal e quantitativo, realizado com adolescentes matriculados no ensino fundamental II de escolas públicas do norte de Minas Gerais. A coleta de dados foi realizada no formato virtual através do Google Forms. Foram coletadas questões acerca da mudança do peso corporal, perfil sociodemográfico, dados antropométricos, autopercepção da imagem corporal, prática de atividade física, tempo de tela, consumo de alimentos ultraprocessados, qualidade do sono e autopercepção do estado de saúde. Para análise foi utilizado o teste Qui-quadrado de Pearson. Resultados: Participaram do estudo 287 adolescentes, com média de idade de 12,97 anos DP±1,30, sendo 60,3% (n=173) do sexo feminino e 39,7% (n=114) masculino. Ao avaliar a repercussão da pandemia no peso corporal dos adolescentes através do autorrelato, observou-se que 63,8% (n=183) aumentaram, 27,5% (n=79) mantiveram, e 08,7% (n=25) diminuíram o peso corporal durante o período de isolamento social. Observou-se associações significativas da faixa etária, estado nutricional, imagem corporal, prática e mudanças na atividade física. Conclusão: Conclui-se que os hábitos e comportamentos de vida adotados pelos adolescentes durante o isolamento social, repercutiu negativamente no peso corporal dos adolescentes. Sendo a prática de AF insuficiente e a insatisfação com a imagem corporal associados ao aumento do peso. Além disso, o isolamento social causou aumento do peso corporal em adolescentes eutróficos.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Perfil socioeconômico, excesso de peso e associação do consumo
           alimentar com o ganho de peso de gestantes de um município do nordeste
           brasileiro

    • Authors: Beatriz Gabrielle Silva Oliveira, Ana Clara Nascimento Borges, Juliana Barros Bezerra, Ana Célia Santos Brito, Felipe Cavalcanti Carneiro da Silva, Poliana Cristina Almeida Fonseca, Victor Alves de Oliveira
      Pages: 762 - 770
      Abstract: Introdução: um consumo alimentar pobre nutricionalmente e ganho de peso gestacional inadequado aumenta o risco de resultados adversos para a saúde do binômio mãe-filho Objetivo: avaliar o estado nutricional, ganho de peso e assistência nutricional em gestantes atendidas pela Estratégia de Saúde da Família (ESF) e sua relação com consumo alimentar e renda. Materiais e Métodos: estudo transversal, realizado com 50 gestantes de 8 unidades ESF na cidade de Picos-PI. Foi aplicado questionário estruturado para obtenção dos dados socioeconômicos e obstétricos, além de dois recordatórios de 24 horas (R24h) em dias alternados, para avaliar o consumo alimentar de alimentos ultraprocessados. Resultados e discussões: as gestantes possuíam entre 18 e 42 anos e 14% destas fizeram pelo menos 1 consulta com nutricionista. 44% apresentaram inadequação no estado nutricional pré-gestacional e 70% possuíam inadequação no ganho de peso semanal. Não houve associação entre o consumo de ultraprocessados e o ganho de peso ou estado nutricional. Conclusão: quantidade significativa das gestantes apresentavam inadequado estado nutricional antes da gravidez, sendo também identificado um ganho de peso gestacional acima do recomendado. Ressaltando-se assim, a importância do acompanhamento nutricional gestacional.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Mídias sociais e a mudança no comportamento alimentar de
           adolescentes

    • Authors: Marcia Lima, Bruna Coelho, Thais Fernandes Luciano, Victor Marcelo Viana
      Pages: 771 - 789
      Abstract: Introdução: Nos últimos 20 anos houve um aumento na ocorrência de transtornos alimentares, entre o público mais acometido, destacam-se adolescentes. Com o avanço das tecnologias, e a popularização das redes sociais, essas influências estéticas se tornaram ainda mais acentuadas e a todo momento são reforçadas pelas mídias e influencers de redes sociais. Objetivo: Investigar características de transtornos alimentares e comportamento alimentar induzidos por influência das redes sociais em adolescentes em escola da rede estadual. Materiais e Métodos: O atual trabalho foi realizado através da avaliação de dados coletados em um grupo de 97 estudantes adolescentes. Resultados: 42,3% dos adolescentes responderam que ficam conectados de 3 a 5 horas e 21,6% utilizam a internet por mais de 8 horas. 70,1% responderam que utilizam aparelhos eletrônicos no momento da refeição. As dietas mais acessadas pelos jovens foram a dieta detox (67%) e jejum intermitente (59,8%). Grande parte dos jovens analisados (77,3%) são influenciados pela mídia nas suas compras, mais da metade (53,6%) já se arrependeu de comprar algum produto induzido pela mídia. A principal atividade no tempo livre era uso de internet e televisão (83,5%). Por fim, 78,5% acreditam que a exclusão de carboidratos na dieta leva o emagrecimento. Conclusão: Houve associação significativa entre o número de horas que o adolescente passa conectado a realizar refeições em frente as telas.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Composição centesimal e adequação à legislação de barras de
           proteínas comercializadas em diferentes porções

    • Authors: Fabiana Torma Botelho, Luciana San Martins, Mayara da Cunha Mendes
      Pages: 790 - 798
      Abstract: As barras proteicas oferecem ao consumidor a proposta de complementar a alimentação com um maior aporte de proteínas, destinadas principalmente aos praticantes de atividades físicas. A leitura da informação nutricional é importante para auxiliar o consumidor em suas escolhas alimentares. De acordo com a legislação brasileira de rotulagem nutricional, suplementos proteicos devem conter no mínimo 10g de proteína por porção, 50% das calorias devem ser provenientes de proteínas e a variação entre os nutrientes no rótulo e a quantidade encontrada nas análises não deve ultrapassar 20% de tolerância, sendo que as imagens e descrições nas embalagens não devem levar o consumidor ao erro. Em vista disso, este estudo teve o objetivo de avaliar a quantidade de nutrientes em barras proteicas e verificar a adequação de acordo com as leis de rotulagem nutricional e de barras proteicas. As três marcas analisadas estavam em desacordo com as Resoluções da Diretoria Colegiada (RDC) nº 259/2002, nº 360/2003 e nº 18/2010, pois todas tinham mais de um nutriente que ultrapassava os 20% de tolerância, todas foram classificadas como barras energéticas e não proteicas e observou-se falta de padronização nas porções em que as barras são comercializadas, podendo levar o consumidor ao erro. É necessário que as empresas se adequem à legislação de rotulagem nutricional e que exista maior controle por parte dos órgãos de fiscalização com alimentos proteicos, visto que a falta de fidedignidade nas informações nutricionais disponibilizadas ferem o direito do consumidor de saber exatamente o que está consumindo, dificultando suas escolhas alimentares.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Pandemia de covid-19 e seu impacto no cotidiano feminino, influenciado
           pelo estado nutricional

    • Authors: Carlos Henrique dos Santos Gomes, Glenys Mabel Córdoba Caballero, Joseane Almeida Santos Nobre
      Pages: 799 - 813
      Abstract: Objetivo: Verificar a influência da pandemia de Covid-19, em 2021, na rotina diária, alimentação e comportamento, considerando o estado nutricional. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo transversal de caráter observacional, analítico e descritivo, realizado com mulheres adultas com faixa etária de 21 a 40 anos, entre os meses de agosto a outubro do ano de 2021.  Resultados: O estudo demonstrou que as mulheres classificadas com excesso de peso, na faixa etária de 31 a 40 anos (17,05%; n=30; p=0,038); aludiram um estado de saúde ruim (17,24%; n=15; p<0,001); maior uso de algum tipo de medicamento (54,02%; n=47; p=0,016), principais dirigentes pelas demandas de cunho domésticos (35,63%; n=31; p=0,027) ou aquelas que exigiam maior esforço (49,43%; n=43; p=0,006), também possuíam maior frequência no consumo de alimentos frescos, como o chuchu (64,37%; n=56; p=0,001), a berinjela (64,37%; n=56; p=0,004), e a abobrinha (70,11%; n=61; p=0,008), assim como refresco artificial (54,02%, n=47; p=0,035). As entrevistadas classificadas como eutróficas retrataram maior influência geral midiática dos padrões socialmente estabelecidos (p=0,042); assim como maior confiança n no que se diz respeito aos sinais de fome e saciedade no comer intuitivo (p=0,014). Conclusão: Houve influência da pandemia de Covid-19 segundo o estado nutricional, o impacto no cotidiano mostrou-se nas mulheres com excesso de peso em uma maior suscetibilidade na mudança de seu comportamento alimentar e em mulheres eutróficas a receberem uma maior influência da mídia e em sua alimentação intuitiva.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Prevalência da adiposidade abdominal e fatores preditores em
           colaboradores técnicos de uma instituição particular do Norte de Minas
           Gerais

    • Authors: Jaqueline Pereira de Macedo, Mônica Thaís Soares Macedo, Giulia Pacheco Souza, Renato Alexsander Martins Lara, Isabella Cardoso Boa Santos, Lucca Giovanni Santana Aguiar, Josiane Santos Brant Rocha
      Pages: 814 - 822
      Abstract: Introdução: A adiposidade abdominal é um grave problema de saúde, estando relacionado ao desenvolvimento de outras doenças crônicas não transmissíveis. No Brasil observa-se grande acometimento na população trabalhadora. Objetivo: Estimar a prevalência de adiposidade abdominal e fatores preditores em colaboradores técnicos de uma instituição particular do norte de Minas Gerais. Materiais e Métodos: Estudo transversal e analítico, realizado com trabalhadores de um centro universitário de Montes Claros. A coleta de dados se deu pela avaliação antropométrica e por meio de questionários que contemplaram fatores sociodemográficos, hábitos comportamentais e estilo de vida. Foi realizada análise descritiva das variáveis e o teste qui-quadrado para verificar as associações entre o desfecho adiposidade abdominal e as variáveis independentes. Resultados: Dos 128 trabalhadores, 13,6% dos homens e 57,1% das mulheres apresentavam circunferência abdominal alterada.  Nos homens, as associações foram significativas para a idade (p=0,023), e cor de pele (p=0,020), problema de coluna (p=0,004) e consumo de álcool (p=0,036). Nas mulheres foram associadas à pressão alta (p=0,005) e IMC (p=0,000). Discussão: A elevada prevalência de adiposidade abdominal foi semelhante à encontrada por outros estudos em trabalhadores, nomeadamente entre as mulheres, e as associações são mais evidentes para os fatores sociodemográficos e clínicos.  Conclusão: Observou-se elevada prevalência do desfecho e as associações encontradas merecem atenção, visando a importância de intervenções para o controle da adiposidade nessa população. Ademais, ressalta a necessidade de mais estudos com amostra representativa para confirmar estes resultados.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Estudo comparativo dos níveis de glicose de camundongos, alimentados com
           dieta padrão e dieta com alto teor lipídico e glicídico, sedentários e
           submetidos ao exercício aeróbico

    • Authors: Fernanda Márcia Pereira dos Santos, Berenilde Valéria de Oliveira Sousa
      Pages: 823 - 831
      Abstract: Introdução: A obesidade é considerada um problema de saúde pública em todo o mundo. Pesquisa realizadas com ratos com obesidade induzida por dieta rica em ácidos graxos, relatam que o exercício aeróbio reduz a inflamação e melhoram a intolerância à insulina, elevando a sensibilidade a esse hormônio. Objetivo: Avaliar os níveis de glicose de camundongos alimentados com dieta padrão e dieta com alto teor lipídico e glicídico, sedentários e submetidos ao exercício aeróbico moderado e intenso. Materiais e Métodos: Estudo experimental, prospectivo, analítico e de abordagem quantitativa. Foi realizada Análise de variância - ANOVA, seguido do teste de Tukey. Resultados: O presente estudo apresentou diferença significativa entre o grupo HFD+ICE com o HFD e o HFD+ICE com o HFD+MCE. O consumo de energia foi maior no grupo com dieta hipercalórica e exercício intenso. Houve diminuição significativa do peso do grupo ST com o ST+ICE e do grupo ST+MCE com ST+ICE. No teste de sensibilidade à insulina e no teste de tolerância à glicose, não apresentaram diferenças estatisticamente significativas entre os grupos da dieta padrão e os grupos submetidos ao exercício contínuo aeróbico moderado e intenso assim como também os grupos da dieta hipercalórica. Conclusão: Apesar deste estudo não ter apresentado resultados a nível de significância quanto ao uso do exercício físico moderado e intenso na amostra avaliada, entende-se que tais atividades auxiliem na diminuição da resistência à insulina, além de atuarem como tratamento não-farmacológico para o tratamento e prevenção de diversas patologias associadas a obesidade.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Insatisfação corporal, comportamento alimentar e o uso das redes sociais
           em estudantes de cursos de graduação da área das ciências da vida

    • Authors: Laís Verdi Pasquali, Heloísa Theodoro, Karina Giane Mendes, Ana Carolina Pio da Silva
      Pages: 832 - 841
      Abstract: Introdução: as redes sociais são um importante meio de comunicação atualmente. Porém, se não forem utilizadas de maneira correta, podem impactar negativamente na saúde mental das pessoas, principalmente das mulheres. A crescente insatisfação com o próprio corpo deve-se, por um dos motivos, à frequente comparação on-line. Sabe-se que dois dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de Transtornos Alimentares (TA) é a insatisfação corporal e o comportamento alimentar transtornado. Objetivo: relacionar o comportamento alimentar e a insatisfação corporal com o uso das redes sociais em estudantes da Área de Ciências da Vida em uma universidade privada da região sul do país. Materiais e Métodos: pesquisa transversal observacional, realizada através da aplicação de um questionário on-line, pela plataforma Google Forms. Também foram utilizados os questionários EAT-26 e BSQ-34. Resultados e Discussão: das 205 estudantes, 57,5% apresentaram insatisfação com a própria imagem corporal e 29,7% apresentaram risco para TA. Destas, 69,8% relataram comparar-se com outras pessoas do meio on-line e 92,2% desejam ter o corpo de alguém da rede social, assim como 59,5% afirmaram sentir ansiedade e 52,2% relataram piora da autoestima após o uso de alguma rede social. Conclusão: as redes sociais podem exercer grande influência na saúde mental, principalmente das mulheres, podendo impactar negativamente na percepção de imagem corporal e, consequentemente, no comportamento alimentar. 
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Relação entre obesidade e agravamento clínico em pacientes
           diagnosticados com sars-cov-2: uma revisão

    • Authors: Lorrane Rocha da Cunha, Luiz Henrique Oliveira dos Santos, Reginaldo Souza Fayal Junior, Vanessa de Paula Moraes dos Santos, Lucas Fernando Alves e Silva, Fernando Alipio Rollo Neto
      Pages: 842 - 852
      Abstract: Introdução: A obesidade é considerada um dos fatores de piora clínica da Sars-Cov-2. Objetivo: Verificar a influência da obesidade na possível piora clínica em pacientes com Sars-CoV-2. Materiais e métodos: A metodologia deste estudo foi pautada em uma revisão da literatura, de caráter descritivo, a fim de compreender a relação da obesidade com Sars-Cov-2, sendo realizado um levantamento de artigos científicos publicados nos anos de 2020 e 2021, com busca nas bases de dados SciELO, Lilacs, PubMed e Google Acadêmico. Resultados: Os resultados desta pesquisa apontam que a obesidade por se tratar de uma doença que propicia uma cascata inflamatória no organismo, diminui respostas imunológicas e causa hipoventilação pulmonar, aumenta a incidência de piora clínica aliada a Sars-Cov2, podendo levar a um estado crítico. Discussão: Percebeu-se maior agravamento nos casos de Covid-19 em pacientes com sobrepeso e obesidade, estes estando ou não com outras comorbidades associadas. Conclusão: A obesidade está diretamente relacionada com a piora clínica de pacientes acometidos com Sars-Cov-2.
      PubDate: 2022-11-21
      Issue No: Vol. 16, No. 103 (2022)
       
  • Estratégias de cuidado no atendimento de pessoas com obesidade em
           serviços de saúde

    • Authors: Joyce Sousa Aquino Brito, Diana Stefany Cardoso de Araújo, Mickael de Paiva Sousa, Thayanne Gabryelle Visgueira de Sousa, Luísa Helena de Oliveira Lima, Ana Larissa Gomes Machado
      Pages: 322 - 333
      Abstract: Introdução: A obesidade é uma doença crônica, de caráter multifatorial, consequente do desequilíbrio entre o consumo e gasto energético. Diante disso, para o seu tratamento é necessário um atendimento multidisciplinar, por meio de programas e estratégias de intervenção que considerem as variadas causas que influenciam o surgimento da doença. Objetivo: Analisar na literatura científica as estratégias de cuidado para o atendimento de pessoas com obesidade em serviços de saúde. Materiais e Métodos: Revisão integrativa realizada em novembro de 2021 com base na consulta às bases de dados: PubMed/Medline, LILACS/IBECS, Web of Science e SciELO. A análise foi realizada com 7 artigos. Resultados: Em relação à caracterização da população participante dos estudos, esta englobou prestadores de cuidados primários, representantes clínicos de serviços especializados em obesidade, membros da equipe multidisciplinar de serviços de saúde, membros de organizações de defesa da saúde e pacientes com obesidade. As estratégias de cuidado citadas nos estudos foram (1) Encaminhamento para um nutricionista, (2) Farmacoterapia, (3) Cirurgia bariátrica, (4) Grupos de apoio, (5) Programas de educação, (6) Desenvolvimento de habilidades e (7) Aumento do acesso a alimentos saudáveis. Conclusão: Pode-se concluir que no tratamento da obesidade deve-se priorizar a interação multidisciplinar frequente e intensiva. Contudo, também é necessário adequar o cuidado para aqueles pacientes que não respondem de maneira suficiente à intervenção no estilo de vida de forma isolada.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Efeitos da administração de glutamato monossódico (MSG) em ratas wistar
           lactantes sobre o metabolismo dos filhotes

    • Authors: Wesley Ferreira Leonel Siqueira, Alexandre Lima de Oliveira, Leonardo Arantes Mascarenhas, Luiz Felipe Petusk Corona, Carlos Alexandre Habitante
      Pages: 334 - 343
      Abstract: A prevalência mundial da obesidade vem aumentando nas últimas décadas, sendo caracterizada como uma verdadeira epidemia mundial. O glutamato monossódico é capaz de lesar através de excitação neurônios do sistema nervoso central sensíveis a esse aminoácido, desencadeando obesidade como resultado de um distúrbio neuroendócrino multifatorial, decorrente da lesão de centros nervosos ligados à regulação endócrina, ocorrida em estágio precoce do desenvolvimento. O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da administração de glutamato monossódico (MSG) em ratas Wistar lactantes sobre o metabolismo dos filhotes. Para isto, ratas lactantes foram tratadas com glutamato monossódico elas receberam por via oral (solução a 0,9%) doses diárias de MSG. Após o parto, os filhotes (fêmeas) foram divididos em 2 grupos de 8 animais, sendo um grupo controle (C) filhotes de ratas controle e um grupo MSG lactação (ML), filhotes de ratas tratadas com glutamato monossódico. Foram avaliados a evolução do peso corporal; o peso do fígado (FIG), tecido adiposo branco retroperitoneal (RET) e tecido adiposo branco parametrial (PAR); os níveis séricos de glicose, triglicerídeos, colesterol total e HDL-Colesterol. Nossos resultados demonstraram um maior ganho de peso corporal, maior peso dos tecidos adiposos brancos RET e PAR, maiores concentrações séricas de glicose, triglicerídeos e colesterol total nos animais que as mães foram tratadas com MSG. Não foram encontradas diferenças estatísticas no peso do FIG e na concentração de HDL-Colesterol. Podemos concluir que o tratamento de ratas lactantes com glutamato monossódico alterou o metabolismo da cria promovendo obesidade e dislipidemia.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Efeitos do treinamento de força muscular e da alimentação sobre
           indicadores antropométricos em idosos de ambos os sexos

    • Authors: José Cristiano Faustino dos Santos, Edigleide Maria Figueiroa Barretto, Anna Letícia Maciel Carvalho, Luis Felipe Almeida Diniz, Paulo Roberto Cavalcanti Carvalho
      Pages: 344 - 352
      Abstract: Introdução: O envelhecimento traz desafios para a manutenção da qualidade de vida, junto com mudanças ao longo do avanço da idade, mudanças que geram impacto na funcionalidade. Um tratamento não medicamentoso e importante é a mudança do estilo de vida que associa a alimentação saudável com a prática regular de atividade física, onde podem melhorar esse quadro e gerar melhores resultados para os idosos. Objetivo: Avaliar os efeitos do treinamento de força tradicional em idosos. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo do tipo ensaio clínico randomizado, que teve como amostra indivíduos idosos de ambos os sexos. Foram avaliados 17 idosos, com faixa etária média de 60 anos. Foram analisados peso, altura e dobras cutâneas, cálculo de índice de massa corporal e percentual de gordura, testes físicos (mobilidade, equilíbrio e força dos membros inferiores), e consumo alimentar através do questionário de frequência alimentar. Os dados foram analisados por meio da estatística descritiva, teste t e tamanho de efeito pelo programa SPSS 20.0 e pelos testes “U” de Mann Whitney e Kruskal Wallis. Resultados: Apresentou diferença significativa entre a frequência do consumo de carboidrato quando comparado ao consumo de proteína (p≤0.000). Apresentou baixa frequência semanal de ingestão de proteína de alto valor biológico (AVB). Apresentou diferença significativa no percentual de gordura e equilíbrio (p≤0,04) e (p≤0,006) respectivamente. Conclusão: A prática de exercício físico associado a boa alimentação resultou em redução do percentual de gordura, assim como melhora no equilíbrio.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Biomarcadores antropométricos e deficiência de ferro em mulheres obesas:
           uma revisão sistemática

    • Authors: Iraí­ldo Francisco Soares, Débora Thaís Sampaio da Silva
      Pages: 353 - 361
      Abstract: Ficou claro que, a deficiência de ferro e a obesidade, não representam apenas a coincidência de duas condições frequentes, mas estão ligadas de forma molecular e se afetam mutuamente. Nesse contexto, diferentes hipóteses têm sido sugeridas para elucidar a relação entre marcadores de obesidade e deficiência de ferro. Uma das principais hipóteses está relacionada ao processo inflamatório. Esta revisão objetivou analisar a relação dos biomarcadores antropométricos e a deficiência de ferro apresentada em mulheres adultas com obesidades. O estudo realizado trata-se de uma revisão sistemática da literatura que utilizou a estratégia PIOT. O mapeamento bibliográfico dessa revisão trouxe evidências publicadas nas bases de dados PubMed/Medline e BVS, abrangendo os anos entre 2018 e 2021. Os estudos foram classificados com nível I, sendo de alto poder estatístico, apresentando uma revisão considerada como segura em relação ao seu nível de evidência. A pesquisa contou com 4 artigos explorados, abordando dados antropométricos e alguns biomarcadores. Ao analisar em conjunto todos os artigos apresentados, pode-se inferir que sobrepeso e a obesidade são um fator de risco em mulheres com idades entre 18 e 49 anos. Além disso, os perímetros antropométricos peso, IMC e circunferência da cintura aumentados estavam diretamente relacionados aos níveis diminutos de ferro no organismo dessas mulheres. Foi possível concluir que a hipótese de que a produção elevada de hepcidina na obesidade faz com que esta seja um bom candidato para explicar a anemia em mulheres obesas e que o aumento da inflamação e os níveis de leptina em obesos podem reduzir a disponibilidade do ferro.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Análise da capacidade funcional de obesos em fase pré-operatória de
           cirurgia bariátrica pós-covid-19

    • Authors: Rayssa Martins de Oliveira, Gustavo Silva de Azevedo
      Pages: 362 - 373
      Abstract: Introdução: Os indivíduos que tiveram COVID-19 podem apresentar alterações na capacidade física, cognitiva, mental e social. Contudo pouco se sabe sobre o comprometimento persistente da capacidade funcional em indivíduos obesos. Objetivo: Analisar a capacidade funcional de obesos em fase pré-operatória de cirurgia bariátrica pós-COVID-19. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo transversal, observacional e descritivo, aprovado por Comitê de Ética em Pesquisa. Os instrumentos utilizados são validados, foram aplicados de forma presencial e por teleatendimento, sendo eles: Questionário de Caracterização do Participante e de sua Condição Geral de Saúde, Escala de Independência Funcional, Escala de Borg Modificada e a Escala de Estado Funcional Pós-COVID-19 (PCFS). Na análise estatística, além das variáveis contínuas e categóricas, foi realizado o teste de normalidade dos dados e os testes de correlação. Resultados e Discussão: Foram avaliados 67 obesos, destes apenas 17 participantes necessitaram de internação hospitalar, sendo que 14 pacientes necessitaram de suporte ventilatório (77,8%), sendo a oxigenoterapia a mais utilizada (71,4%). A maioria dos pacientes apresentou gravidade leve da COVID-19 (73,1%), independência completa (94%) e relataram ter dificuldade para retornar as Atividades de Vida Diária (AVD’S) (53,7%). Houve associação significativa da capacidade funcional, dispneia e fadiga com a dificuldade de retornar as AVD’s. Conclusão: Nesse estudo verificou-se que a maioria dos obesos apresentaram a condição leve da COVID-19 e não apresentaram limitações funcionais pós-COVID-19. No entanto, a maioria relatou dificuldade para retornar as AVD’s considerando que a capacidade funcional, dispneia e fadiga tiveram associação significativa com o autorrelato de dificuldade para retorno às AVD’s.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Adesão à suplementação de ferro na gestação e no pós-parto em um
           centro de saúde do município de Pacatuba-CE

    • Authors: Orquidéa de Castro Uchôa Moura, Ana Camila Osterno Nóbrega, Isadora Nogueira Vasconcelos, Andreson Charles Freitas
      Pages: 374 - 381
      Abstract: A anemia ferropriva é considerada um problema de saúde pública, na gestação e pós-parto acarreta graves consequências. A pesquisa objetiva investigar fatores relacionados à adesão da suplementação de ferro na gestação e pós-parto. Trata-se de um estudo descritivo, transversal de caráter quantitativo. O estudo foi realizado em um Centro de Saúde na cidade de Pacatuba-CE, no período de agosto a outubro de 2018. O público da pesquisa abrangeu mulheres de 18 a 45 anos inseridas no Programa de Suplementação de Ferro (PNSF) ou com indicação de suplementação. Houve associação significativa (p=0,00011) entre o profissional que prescrevia e orientava o uso da suplementação. A suplementação foi referida por 67,5% das mulheres que receberam prescrição, enquanto 32,5% não fizeram uso, dessas, 17,5% relataram não receber prescrição.  Concluímos que o maior fator determinante para o não uso da suplementação foi a não prescrição pelo profissional de saúde.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Alimentação de indivíduos residentes em um município de pequeno porte,
           no sudoeste de São Paulo

    • Authors: Marina Rezende, Marcia Nacif
      Pages: 382 - 388
      Abstract: Introdução: As práticas alimentares inadequadas são cada vez mais frequentes na população, tendo sido observado por diversos estudos, o consumo excessivo de produtos processados e menos alimentos saudáveis, inclusive em cidades do interior do nosso país. Esses hábitos, característicos da transição nutricional, estão associados ao aumento do risco de doenças crônicas não transmissíveis. Objetivo: Avaliar a alimentação de moradores da cidade de Santa Branca. Materiais e métodos: Estudo transversal, realizado com a participação da população adulta, residente em Santa Branca. O consumo alimentar foi estimado a partir de um Questionário de Frequência Alimentar, baseado em instrumento utilizado pela Pesquisa Nacional de Saúde (2008). Para a avaliação do estado nutricional calculou-se o índice de massa corporal (IMC) que foi classificado pela Organização Mundial da Saúde (1998). Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Presbiteriana Mackenzie e todos os participantes assinaram um termo de consentimento livre e esclarecido. Resultados: Foram avaliados 108 indivíduos, sendo 85 mulheres e 23 homens acima de 18 anos de idade. Em relação ao estado nutricional dos participantes, observou-se que 32,40% foram classificados como sobrepeso e 22,22% como obesos. Verificou-se consumo adequado de frutas e hortaliças, porém elevada ingestão de pizzas e petiscos, além de bebidas alcóolicas. Conclusão: Tais dados sugerem a necessidade de programas de educação nutricional a esses indivíduos com o objetivo de prevenção de doenças e melhora da saúde.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Capacidade funcional e composição corporal de idosas adscritas de uma
           unidade básica de saúde no Sertão da Paraíba

    • Authors: André Luiz de Araújo Medeiros, André Wagner Dantas Rodrigues, Suzanna Cavalcante Lins, Dauana Lourenço de Morais, Jayane de Lima Dantas, Alana Simões Bezerra
      Pages: 389 - 396
      Abstract: Introdução: Nas últimas décadas houve um crescimento expressivo no número de idosos no mundo. Este processo está ligado às mudanças na composição corporal e perda das capacidades funcionais. Objetivo: analisar a capacidade funcional e mensurar a composição corporal das idosas adscritas de uma Unidade Básica de Saúde no Sertão da Paraíba. Materiais e métodos: É uma pesquisa de campo do tipo exploratória e abordagem quantitativa, realizada com 49 idosas com idades entre 60 e 65 anos. Para analisar a capacidade funcional foi aplicado um questionário WHODAS 2.0 versão 12 itens autoadministrada, e para a avaliação da composição corporal e medidas antropométrica foram utilizadas uma balança de bioimpedância elétrica e fitas métricas, avaliando as variáveis: estatura, peso, índice de massa corporal, porcentagem de gordura e circunferências da cintura e quadril para a relação cintura/quadril. Os dados foram tabulados pelo programa Statistical Package for the Social Sciences versão 22, e os resultados apresentados em: média, desvio padrão, frequência e porcentagem. Resultados: A pesquisa apresentou uma média de idade de 61,88±1,60 anos, com porcentagem de gordura 42,6%±,7,7, 47% apresentaram obesidade, 39% risco cardiovascular muito alto e 41% alto. A maior concentração de respostas para dificuldades na realização de tarefas dos últimos dias foi “nenhuma”. Discussão: Quando comparado com idosas praticantes de atividade física regular, os resultados mostram diferença na maioria dos parâmetros apresentados. Conclusão: Os dados apontaram para um alto risco de acometimento de doenças crônicas não transmissíveis, através das variáveis analisadas na pesquisa.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Aspectos metabólicos das catequinas na obesidade e doenças
           cardiovasculares

    • Authors: Mickael Paiva Sousa, Joyce Sousa Aquino Brito, Bruna Barbosa de Abreu, Dilina do Nascimento Marreiro, Adriana de Azevedo Paiva, Regilda Saraiva dos Reis Moreira-Araújo, Cecilia Maria Resende Gonçalves de Carvalho Carvalho, Maria do Carmo de Carvalho e Martins, Karoline de Macedo Gonçalves Frota
      Pages: 397 - 408
      Abstract: Introdução: As catequinas pertencem ao grupo de polifenóis encontrados nas folhas de Camellia sinensis e são compostos incolores, hidrossolúveis. Estudos têm evidenciado que consumo de alimentos com capacidade antioxidantes pode reduzir o risco de diversas doenças. Objetivo: O presente artigo traz uma revisão narrativa dos aspectos metabólicos das catequinas no contexto da obesidade e das doenças cardiovasculares. Materiais e Métodos: Foi realizada uma revisão bibliográfica nas bases de dados PubMed, Science Direct e Scielo, de artigos em português e/ou inglês, por meio dos descritores “catechins”, “green tea”, “obesity” e “cardiovascular disease”. Resultados: A partir dos estudos analisados, constatou-se que as catequinas exercem efeitos antiobesidade por meio de mecanismos que inibem a absorção e digestão de gorduras e, consequentemente, aumentam a excreção desse macronutriente; bem como por estimular a termogênese e regular a ação de hormônios orexígenos e anorexígenos. Além disso, foram evidenciados na literatura efeitos dessas substâncias na proteção vascular. Conclusão: As catequinas exercem efeitos protetores vasculares por meio de mecanismos antioxidantes, anti-hipertensivos, antiinflamatórios, antiproliferativos, antitrombogênicos e hipolipemiantes. No entanto, são necessárias investigações mais abrangentes para a definição de doses ideais em diferentes populações.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Os efeitos anti-inflamatórios da melatonina na obesidade: uma
           revisão da literatura

    • Authors: Caroline Prochnow, Liane Gonçalves Borges, Vivian Marques Miguel Suen, Heitor Bernardes Pereira Delfino
      Pages: 409 - 418
      Abstract: Introdução: A obesidade é uma doença de etiologia multifatorial responsável por gerar um estado de inflamação crônica subclínica. A melatonina, hormônio produzido fisiologicamente pela glândula pineal, vem sendo amplamente estudada por seu efeito anti-inflamatório em diversas doenças. Objetivo: Analisar os efeitos anti-inflamatórios da suplementação de melatonina no tratamento da obesidade. Materiais e Métodos: Esta revisão narrativa foi realizada por meio de levantamento de literatura, utilizando as bases de dados digitais Pubmed, Scielo, Lilacs, Google Acadêmico e Periódicos da CAPES. Resultados:  Um estudo duplo cego randomizado, avaliou 44 mulheres com obesidade, que foram divididas de forma randomizada em um grupo que fez uso de melatonina (n=22) e em outro grupo que fez uso de placebo (n=22). Foi observado que apenas o grupo de pacientes que fez uso da melatonina apresentou redução significativa nas concentrações séricas de marcadores inflamatórios como TNF alfa, IL-6, hsCRP e MDA. Outro estudo duplo-cego randomizado, analisou 30 pacientes com obesidade que foram randomizados em 2 grupos, grupo 1 (n=15) recebeu 10 mg de melatonina e o grupo 2 (n=15) recebeu placebo. Com a suplementação de melatonina as concentrações de adiponectina omentina 1 e GPx (enzima antioxidante) aumentaram significativamente, enquanto os níveis de MDA (marcador de estresse oxidativo) diminuíram significativamente. Conclusão: Apesar dos estudos clínicos sobre este tema serem escassos e os existentes apresentarem um número amostral reduzido, os resultados até então demonstraram a eficácia da melatonina em contrabalancear os efeitos deletérios do excesso de tecido adiposo.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Comer transtornado em homens homossexuais do Vale Europeu-SC: fatores
           determinantes

    • Authors: Alexsander Ramos, Taiana Bratsfisch Charão, Roseane Leandra da Rosa
      Pages: 419 - 430
      Abstract: Devido os transtornos alimentares ocorrerem com mais frequência em mulheres, as pesquisas averiguando o desenvolvimento em homens é limitada. Este fato acaba gerando uma visão distorcida de comportamentos manifestados apenas no sexo feminino, propiciando que o público masculino deixe de procurar tratamento, por não aceitar a possibilidade de ter uma doença de “mulher”. Este estudo buscou identificar a prevalência do comer transtornado e os fatores associados com este comportamento em homens homossexuais residentes nas cidades que compõem o circuito do Vale Europeu-SC. Um total de 137 homens homossexuais participaram da investigação, através dos preenchimentos de adaptações da Escala de nove silhuetas e do questionário Eating Attitudes Test-26 (EAT-26), aplicadas online por meio da plataforma do Google Forms. Constatou-se que 98,53% demonstram insatisfação com a própria imagem corporal, idealizando um corpo com circunferências menores e músculos mais torneados, tendo em vista que a forma do corpo e os músculos trabalhados são valorizados entre homens homossexuais na procura por parceiros potenciais. Quando verificada a pontuação gerada pelas respostas do EAT-26, 97,08% dos participantes apresentam comportamentos sugestivos de TA, sendo que 74,45% descontam seus problemas sociais ou familiares na comida. Os resultados, associados aos poucos estudos realizados com este público demonstra a necessidade de novas pesquisas, proporcionando aos profissionais da saúde maior familiarização com as problemáticas próprias desta população.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Atuação das políticas públicas na prevenção da obesidade infantil:
           uma revisão integrativa

    • Authors: Chrisllayne Oliveira da Silva, Andressa Silva de Castro, Francielle Borba Medeiros , Laura Maria Vieira Bezerra do Valle , Ana Larissa Gomes Machado, Luisa Helena de Oliveira Lima
      Pages: 431 - 443
      Abstract: A obesidade é uma doença grave que se caracteriza por aumento excessivo da gordura corporal. Atualmente, é considerada um dos principais problemas de saúde pública. O estudo tem como objetivo geral analisar na literatura científica como as políticas públicas contribuem para a prevenção da obesidade infantil. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura (RI), com utilização de descritores e pesquisa nas bases de dados Cinahl, Pubmed, Scopus, com utilização do booleano “and”. Ao todo 13 estudos foram selecionados, destes nove (69,2) apresentavam abordagem quantitativa dos dados, a maioria dos artigos tinha como delineamento os estudos transversais (53,8%) e ensaio clínico randomizado (30,7%). O periódico com mais publicações foi o BMC Public Health (38,4%), a maioria dos estudos eram originários dos Estados Unidos (46,1%), e o inglês foi o idioma que prevaleceu (100%). Os estudos permitiriam ampliar os conhecimentos em relação as políticas públicas voltadas a obesidade infantil, que demonstraram importante resultados quanto a redução do IMC, mudanças dos hábitos alimentares e incentivo a prática de atividade física, entretanto para que sejam bem-sucedidas deve levar em conta a realidade local, os indicadores sociodemográficos, e a intensidade e duração da implementação dessas políticas.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Obesidade como fator de risco para mortalidade pós cirurgia
           cardíaca

    • Authors: Jeana Cristina Barretta, Carina Rossoni, Fabiana Meneghetti Dallacosta
      Pages: 444 - 450
      Abstract: Objetivo: avaliar a relação do estado nutricional com a mortalidade e complicações pós cirurgia cardíaca. Materiais e Métodos: coorte prospectiva de 180 dias, com pacientes no pós-operatório de cirurgia cardíaca eletiva. Resultados: 100 participantes, 61% homens, idade média 63,3anos, 89% sedentários, 28% obesos. Mortalidade geral foi de 9% em 30 dias e 13% em 180 dias. O óbito teve relação com complicações no transoperatório (p<0,001), no pós-operatório (p<0,000) e com a obesidade (p<0,05). Nos obesos o risco de óbito foi 2,17 vezes maior. O teste estatístico Log rank foi de 4,05 (p<0,04), mostrando que houve diferença na mortalidade entre obesos e não obesos. Os obesos tiveram aproximadamente 50% de sobrevida, enquanto os não obesos tiveram sobrevida de aproximadamente 85%. Conclusão: a mortalidade pós-operatória apresentou relação com obesidade e com complicações cirúrgicas no trans e pós-operatório.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Qualidade nutricional e sensorial de cookies sem glúten de farinha de
           milho crioulo (Zea Mays)

    • Authors: Bruna Vaz da Silva, Mayara da Cunha Mendes, Bianca Pio Ávila, Eberson Dietrich Eicholz, Marcia Arocha Gularte, Fabiana Torma Botelho
      Pages: 451 - 460
      Abstract: Sementes crioulas são aquelas que passam somente pela seleção natural, sem modificação genética e sem a utilização de agrotóxicos. A retirada do glúten é um grande desafio, pois possui grande contribuição para a estrutura reológica dos alimentos. Nesse trabalho o objetivo foi desenvolver cookies sem glúten com farinhas de milho crioulo com boa qualidade nutricional e aceitabilidade sensorial. Foram realizados duas formulações: cookies com farinha de milho crioulo e cookie com farinha de milho comercial. As análises de umidade e de cinzas foram determinadas seguindo as metodologias estabelecidas pelo Instituto Adolfo Lutz. As determinações de lipídeos, proteínas e fibras foram executadas seguindo os métodos da Association of Official Analytical Chemists; e os valores de carboidratos foram obtidos por diferença. Na análise sensorial, avaliou-se os atributos, tais como: aparência, odor e aroma, sabor, textura, impressão global e teste de preferência. A farinha de milho crioula apresentou valores significativamente maiores (p>0,05) quanto à umidade, lipídeos, proteínas, cinzas e fibra bruta quando comparado à farinha de milho comercial. Os cookies com farinha de milho crioula obtiveram maiores teores de umidade, lipídeos, cinzas e fibra bruta, enquanto cookies com farinha de milho comercial apresentaram maiores teores de carboidratos. Em relação à análise sensorial, os cookies com farinha de milho crioula obtiveram melhor aceitação para sabor, textura, odor e aroma e impressão global, obtendo melhor preferência e intenção de compra do que cookies com farinha de milho comercial. Portanto, caracteriza-se uma boa opção de produto sem glúten para a população celíaca.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Circunferência do pescoço e sua relação com indicadores
           antropométricos convencionais e não convencionais de risco
           cardiovascular e estado nutricional em idosos da comunidade

    • Authors: Dakini Mendes dos Santos Adami, Adriane Rosa Costódio, Daiane Ferrari, Jéssica Ferreira Tatsch, Josiane Siviero, Sabrina Susin, Pâmela Antoniazzi dos Santos, Natielen Jacques Schuch, Karen Mello de Mattos Margutti
      Pages: 461 - 473
      Abstract: Objetivo: Verificar a relação entre a circunferência do pescoço e indicadores antropométricos convencionais e não convencionais de risco cardiovascular e estado nutricional em idosos da comunidade. Materiais e Métodos:  Estudo transversal com idosos da comunidade (≥ 60 anos de idade) atendidos na atenção básica do município de Doutor Ricardo-RS. A coleta de dados ocorreu de julho a novembro de 2019. Foram avaliadas as variáveis sociodemográficas; estilo de vida; doenças crônicas não transmissíveis; comorbidades; indicadores convencionais de risco cardiovascular (índice de massa corporal; percentual de gordura corporal e circunferência da cintura) e indicadores não convencionais de risco cardiovascular (circunferência do pescoço, razão cintura-estatura e índice de conicidade). Resultado: Participaram 44 idosos com idade média de 71,27±8,57 anos. As maiores médias da circunferência do pescoço foram associadas com sobrepeso (p=0,020); risco cardiovascular muito elevado (p=0,024), percentual de gordura (p=0,017), razão cintura-estatura (p=0,036) e índice de conicidade, respectivamente inadequados (p=0,003). A inadequação da circunferência do pescoço associou-se com a inadequação do estado nutricional (p=0,009); da circunferência da cintura (p=0,002) e razão cintura-estatura (p=0,036). Discussão: Maior circunferência do pescoço correlaciona-se positivamente com o aumento de risco cardiometabólico e sobrepeso em idosos. Conclusão: A circunferência do pescoço associou-se com os indicadores antropométricos convencionais e não convencionais para risco cardiovascular e com o estado nutricional.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Perfil nutricional e de saúde de idosos atendidos em uma clínica-escola
           de nutrição

    • Authors: Fernanda Aparecida Matte da Costa, Márcia Fernandes Nishiyama
      Pages: 474 - 486
      Abstract: O envelhecimento da população vem aumentando ao longo dos anos, assim como a presença das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNTs), e uma alimentação adequada auxiliará na prevenção e/ou recuperação da saúde. O estudo objetivou-se avaliar e caracterizar o perfil nutricional e as condições de saúde de idosos atendidos em uma Clínica-Escola de Nutrição no Sudoeste do Paraná. Teve caráter descritivo e exploratório, com delineamento transversal e abordagem quantitativa, com idosos acima de 60 anos de ambos os sexos, atendidos entre 2014 e 2018. Foram analisados dados de índice de massa corporal (IMC), patologias, escolaridade, relação cintura quadril (RCQ), visando verificar risco para doença cardiovascular (DCV) e consumo de frutas, verduras e legumes (FVL) de 114 prontuários. Os resultados indicaram que: a idade variou entre 60 e 84 anos, a maioria (76,3%) era do sexo feminino, parte da amostra (64,9%) possuía ensino fundamental completo e/ou incompleto, além de excesso de peso (78,1%) e risco para DCV (56,1%). Sobre o perfil nutricional e de saúde, 90,4% apresentaram consumo inadequado de FVL, 46,5% relataram ter de 1 a 2 patologias, destacando-se hipertensão arterial (46,5%), diabetes mellitus tipo II (28,1%) e dislipidemias (26,3%). Concluiu-se que a maioria era mulheres, apresentavam entre 1 e 2 patologias, com alta prevalência de DCNT. O excesso de peso foi prevalente na amostra, assim como, o risco de DCV e inadequação no consumo de FVL.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Fatores que influenciam o desmame precoce

    • Authors: Rafael de Sousa Pereira, Adriane Araújo Gomes, Delaide Nunes Reis, Ana Erica de Souza Lima, Aline Ruth Simões de Oliveira
      Pages: 487 - 499
      Abstract: Introdução: O leite materno atua na prevenção e controle de morbidades na infância e na vida adulta, sendo imprescindível para a proteção e promoção da saúde dos lactentes, influenciando biológica e emocionalmente no seu crescimento e desenvolvimento. Porém, muitas mães preferem promover o desmame precocemente e diversos podem ser os fatores que influenciam na gênese desse acontecimento. Objetivo: Diante do que foi exposto, o objetivo do estudo é realizar uma busca na literatura sobre os fatores que influenciam o desmame precoce. Materiais e Métodos: Trata-se de uma revisão de literatura do tipo integrativa. Para busca e seleção dos estudos utilizou-se as seguintes bases de dados: Pubmed, Scielo e Biblioteca Virtual em Saúde-BVS, após aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, foram selecionados 15 estudos, os quais foram publicados entre os anos de 2015 e 2019. Resultados: Expostos os resultados e a articulação entre os conteúdos dos trabalhos científicos selecionados, percebe-se que existe uma variedade de fatores relacionados a interrupção do aleitamento materno. Na realização do presente estudo, houve um maior destaque para o retorno da mãe ao trabalho, o mito do leite fraco e/ou insuficiente, assim como a baixa escolaridade, idade materna e traumas mamilares. Considerações Finais: Portanto é necessário, trabalhar as políticas públicas de saúde voltadas para a prevenção do desmame precoce, a educação em saúde individual e coletiva durante o pré-natal, e acompanhamento da lactante pelas equipes de saúde durante todo o processo de lactação.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Comparativo nutricional entre combos de lanches de diferentes redes de
           fast-food

    • Authors: Glenda Antonelli, Renata Leia Demario Vieira, Nancy Sayuri Uchida, Raquel Rosalva Gatti, Vania Schmitt
      Pages: 500 - 507
      Abstract: Introdução: No cenário atual da alimentação fora de casa, as redes de fast-food estão se destacando e com isto os consumidores tendem a procurá-las por sabor, variedade, acessibilidade, além de influências internas e externas. Objetivo: Analisar nutricionalmente combos de lanches de redes do tipo fast-food, avaliando valores energéticos e de nutrientes. Materiais e Métodos: Pesquisa de caráter transversal, descritiva e quantitativa em diferentes redes de alimentos do tipo fast-food, analisando opções disponíveis em seus cardápios on-line, sendo calculados, os valores de carboidratos, proteínas e lipídios, gorduras saturadas, sódio e fibras. Resultados: Ao avaliar os valores médios de cada nutriente observou-se inadequação na oferta energética (926,67 kcal), de carboidratos (130 g), proteínas (32,7 g), lipídios (44,23 g), gorduras saturadas (16,8 g) e sódio (1283,33 mg), estando todos os valores acima da recomendação média para consumo em uma refeição. Conclusão: De acordo com os resultados obtidos, identificou-se que a composição nutricional dos combos analisados se apresentou inadequada, com valores elevados, podendo refletir no estado nutricional do consumidor.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Avaliação da percepção da autoimagem corporal, autoestima e risco para
           o desenvolvimento de transtornos alimentares em discentes do curso de
           nutrição do IFCE

    • Authors: Marília Honorato Santiago, Paulo Marconi Linhares Mendonça
      Pages: 508 - 518
      Abstract: Introdução: A insatisfação corporal é apontada como um dos principais fatores para o desenvolvimento de transtornos alimentares. A literatura aponta que profissionais e estudantes de nutrição estão entre os mais acometidos. Objetivo: Avaliar a associação entre a percepção da autoimagem corporal, autoestima e riscos para o desenvolvimento de transtornos alimentares em discentes do curso de nutrição do IFCE. Materiais e métodos: Estudo transversal, descritivo e quanti-qualitativo, com estudantes de nutrição, realizado mediante formulário online. Aplicou-se o Body Shape Questionnaire (BSQ), Escala de Silhueta de Stunkard, Escala de Autoestima de Rosenberg e o Eatting Attitudes Test (EAT-26). Foram realizados testes de associação adotando significância de 95% (p<0,05%). Resultados: Amostra composta por 53 alunos, onde as médias e DP± de idade e IMC foram 23,49 ±5,45 e 22,93 ±3,02 respectivamente. As prevalências foram de que 64% encontram-se eutróficos, 25% sobrepeso e 11% em desnutrição grau I; 19% apresentaram preocupação com a imagem corporal pelo BSQ; 87% apresentaram insatisfação corporal na escala de silhuetas; 57% autoestima média e 34% comportamento de risco para transtorno alimentar. Houve associação significativa entre BSQ e EAT-26 (p=0,001). As demais variáveis não apresentaram significância estatística ao associá-las ao EAT-26. Conclusão: Houve associação estatística entre imagem corporal e comportamento alimentar inadequado. Embora a maioria dos estudantes estarem eutróficos e com autoestima relativamente boa, também apresentaram alto percentual de insatisfação corporal e prevalência de risco para transtorno alimentar.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Oficinas de educação nutricional para diabéticos: concepção e
           elaboração

    • Authors: Mariana Nunes Lima, Emanuelle Sampaio Pereira, Paula Tamara Vieira Teixeira Pereira, Alexsandro Ferreira dos Santos
      Pages: 519 - 533
      Abstract: Introdução: O Diabetes Mellitus é um problema de saúde pública, classifica-se em vários tipos, com distintas características, complicações e necessidade de tratamento. Contudo a educação nutricional visa formas educacionais para o melhor controle da doença. Objetivo: Conceber e elaborar oficinas de educação nutricional para pacientes diabéticos. Materiais e Métodos: Estudo qualitativo de desenvolvimento, realizado em 2018, em São Luís, Maranhão, Brasil. Elaborou-se oficinas com dinâmicas de grupo, técnica de trabalho coletivo, utilizando-se critérios para confecção como: Título, Público-alvo, Objetivos, Resultados esperados, Recomendações ao mediador, como brincar, Utensílios, Tempo estimado e Número de participantes. Resultados: Foram elaboradas cinco oficinas abordando  conceitos em saúde no diabetes de forma a orientar pacientes sobre a doença;  busca a estimular mudanças nos hábitos de vida, mediante as complicações da doença; dificuldades e potencialidades dos profissionais de saúde e a discussão das melhores formas de orientação para os pacientes com o agravo; consumo de alimentos restritos e permitidos ao paciente diabético a partir de imagens desenhadas pelos pacientes, índice glicêmico dos alimentos de acordo com sua classificação, em alto, médio e baixo índice glicêmico, remetendo as cores do semáforo. Conclusão: Foi abordado aspectos desde o nível básico de conhecimento da doença até conceitos mais específicos sobre o tratamento nutricional dela. Mais estudos são necessários para validação das oficinas criadas e para comprovação da eficácia delas no tratamento nutricional do paciente diabético.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Educação nutricional e diabetes mellitus tipo II: confecção de uma
           cartilha educativa em forma de história em quadrinhos (HQ)

    • Authors: Estéfane Teixeira Silva Lira, Emanuelle Sampaio Pereira, Paula Tâmara Vieira Teixeira Pereira, Alexsandro Ferreira dos Santos
      Pages: 534 - 548
      Abstract: Introdução: O Diabetes Mellitus (DM) é um ascendente problema de saúde pública mundial apresentando alta morbimortalidade e forte influência do estilo de vida. A busca constante por novos conhecimentos e a apropriação de tecnologias de ensino inovadoras, se faz necessária, para auxiliar ações educativas e que ofereçam as habilidades ao exercício do autogerenciamento dos cuidados da doença. Objetivo: Confeccionar uma cartilha educativa no formato de história em quadrinhos (HQ), visando o desenvolvimento de competências e divulgação do conhecimento sobre DM, direcionada para pacientes adultos. Materiais e Métodos: Estudo qualitativo de desenvolvimento com a utilização da metodologia educacional didático-pedagógica, cujos elementos basearam-se no questionário de Moreira (2017), que identifica o nível de conhecimento de pacientes diabéticos. Cenas foram idealizadas para concepção da HQ, juntamente com a criação de uma mascote, responsável pela propagação das informações em saúde, e uma personagem coadjuvante. Resultados: Produziu-se um material, contendo 20 páginas impressas em frente e verso, intitulado: “Diabetes Mellitus Tipo 2 sem mistérios com a Nutridiabetina”, abrangendo uma configuração composta por desenhos animados, dividindo-se a história em cinco momentos: I) Definição, II) Fatores de risco e complicações, III) Tratamento, IV) Educação alimentar e nutricional e V) Exercício físico, finalizando com uma receita e avaliação dos conhecimentos adquiridos. Conclusão: Criou-se um instrumento de propagação de informações didático, claro, simples e direto, na perspectiva de auxiliar no tratamento clínico-nutricional do agravo, favorecendo a autonomia e impactando positivamente na escolha alimentar e de um estilo de vida mais saudável desses indivíduos.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Avaliação do risco de transtornos alimentares em indivíduos
           com obesidade

    • Authors: Rafaella Maria Monteiro Sampaio, Francisca Maísa de Farias Barreto, Nathália Santana Martins Moreira
      Pages: 549 - 555
      Abstract: Introdução: Os métodos errôneos utilizados para se alcançar o peso desejado acabam resultando em alterações no comportamento alimentar. Diante disso, pode- se observar o aumento na prevalência de transtornos alimentares nos indivíduos obesos, que causam diversos danos na saúde física e mental. Objetivo: Avaliar o risco de desenvolvimento para transtornos alimentares em indivíduos obesos atendidos em duas clínicas especializadas no tratamento da obesidade de Fortaleza- CE e através da plataforma Formulários Google online. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo transversal, de caráter quantitativo e descritivo, do qual participaram 73 indivíduos, com idade entre 20 a 57 anos, sendo 24 homens e 49 mulheres. Os participantes foram avaliados através de um questionário socioeconômico e pelo Teste de Atitudes Alimentares (EAT-26). Resultados: Do total de participantes da pesquisa 32,9% (n=24) apresentaram risco para transtornos alimentares. A variável significativa para a presença de risco foi em relação ao IMC (valor-p=0,028). Apresentaram maior risco os participantes do sexo feminino (75,0%), manifestando extrema preocupação com o corpo e altos índices calóricos, podendo associar sua maior vulnerabilidade diante da sociedade e os padrões estabelecidos, também presentes no sexo masculino, porém com uma menor frequência e suscetibilidade. Conclusão: Desse modo destaca a importância para o desenvolvimento de mais estudos voltados a obesidade e seu comportamento alimentar.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • A cronodisrupção como fator de risco para o sobrepeso e
           obesidade'

    • Authors: Angela Zanatta Peruchi, Carolina Michels, Victor Marcelo Viana, Emily Schulz Carboni, Heitor Oliveira Santos, Thais Fernandes Luciano
      Pages: 556 - 568
      Abstract: Introdução: Concomitantemente com a incidência da obesidade, houve também uma redução do tempo de sono e/ou a troca do turno diurno para o turno noturno a fim atender as demandas do mercado de trabalho. Objetivo: O principal objetivo do presente estudo foi comparar se há diferença no índice de massa corporal (IMC) e glicemia de jejum entre os trabalhadores noturnos e diurnos. Materiais e Métodos: Foi realizado um estudo descritivo, do tipo qualitativo, com temporalidade transversal e amostragem do tipo censitário, que avaliou parâmetros antropométricos, bioquímicos e alimentares de trabalhadores noturnos e diurnos. Foram analisados 44 trabalhadores, dos quais, 19 trabalhavam no período diurno e 25 no período noturno. Resultados: Os trabalhadores noturnos habitualmente realizavam com maior frequência refeições noturnas em comparação com trabalhadores diurnos, principalmente levando em consideração a ceia, em que aproximadamente 82% e 18% (p<0,001) consumiam frequentemente esta refeição, respectivamente. Dos trabalhadores noturnos, 19 dos 25 estavam acima do IMC considerado adequado, no qual 14 dos 25 tiveram o sono classificado como ruim e com distúrbio. Já em relação aos trabalhadores diurnos, 10 dos 19 indivíduos estavam acima do IMC considerado adequado e relataram qualidade do sono com distúrbio e ruim. Não houve piora na glicemia em jejum nos trabalhadores noturnos. Conclusão: Trabalhadores noturnos, além de realizarem refeições noturnas com maior frequência, apresentaram tendência em ter IMC elevado ao ponto de sobrepeso, com a maioria da amostra tendo o sono classificado como ruim e com distúrbio.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Análise espacial da obesidade na população adulta usuária da atenção
           primaria à saúde do sistema único de saúde: Brasil, 2021

    • Authors: Victor Manuel Arocena Canazas, Cleidjane Gomes Faustino, Fernando Antônio de Medeiros
      Pages: 569 - 576
      Abstract: O Brasil experimenta nas últimas décadas uma rápida transição nutricional; o aumento da obesidade, que alcança todas as fases da vida, se tornou o agravo nutricional mais relevante em todos os níveis de atenção à saúde. Objetivo: Analisar a distribuição espacial da obesidade em adultos usuários da atenção primaria à saúde do Sistema Único de Saúde no Brasil em 2021. Materiais e Métodos: Estudo descritivo, exploratório; utiliza dados do Relatório do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) Web, do ano 2021. Foram estimadas prevalências de obesidade a partir do número de pessoas classificadas como obesas Grau I, II e III e população do SISVAN, suavizadas pelo estimador Bayesiano empírico. Utilizaram-se seguintes ferramentas da Análise Exploratória de Dados Espaciais (AEDE): mapas temáticos, Índice de Moran Global e Índice de Moran Local. Os dados foram analisados no software Geoda, versão 1.18. Resultados: Verifica-se autocorrelação espacial positiva e formação de agrupamentos de unidades federativas do tipo Alto-Alto nas regiões Sul e Sudeste e do tipo Baixo-Baixo na região Norte. Conclusão: A prevalência de obesidade entre as UF não é espacialmente aleatória; 7 unidades da federação conformaram dois agrupamentos populacionais prioritários para a atuação da prevenção, vigilância e controle da doença.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Influência do estresse no consumo alimentar de acadêmicos em uma
           faculdade no interior de Minas Gerais

    • Authors: Karina Thamires Antunes, Jéssica da Silva Alves Fernandes, Suzane Mota Marques Costa
      Pages: 577 - 586
      Abstract: Introdução: O ingresso em um curso superior sempre é cercado de grandes mudanças no dia a dia dos estudantes, caracterizando um momento de transição muito importante. Exigências acadêmicas e aumento de responsabilidades acabam gerando estresse, que podem interferir no consumo alimentar. Objetivo: Identificar as alterações e prejuízos no consumo alimentar em uma situação de estresse dos acadêmicos. Materiais e Métodos: É considerada uma pesquisa de campo do tipo quantitativo, onde se aplicou questionário de frequência alimentar e escala de estresse percebido (EPS-10) aplicada em dois momentos: na semana de provas e duas semanas após as provas. A análise estatística foi realizada no programa One Way ANOVA, onde utilizou-se o teste t para comparação entre os grupos.  Foram consideradas diferenças significativas com valores de p< 0,05. Resultado e discussão: Houve aumento do nível de estresse nos estudantes no período de provas, associado a excesso no consumo de álcool e de alimentos ricos em açúcar e gordura, bem como redução do consumo de cereais e tubérculos, frutas, verduras e legumes sendo destaques os alunos dos cursos de Engenharia Química, Farmácia e Enfermagem. Conclusão: Diante do exposto, foi possível observar a importância de avaliar o estado emocional e a alimentação dos estudantes do nível superior, uma vez que o estresse pode causar prejuízo no padrão alimentar e consequentemente no estado nutricional e na saúde a longo prazo.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Ortorexia nervosa em participantes de exercício físico de academias em
           Vitória de Santo Antão-PE

    • Authors: Jacielly Roberta Heráclio da Silva, Vitor Coêlho Silva Brandão, Wanessa de Souza Xavier, Raquel Araújo de Santana, Carmem Lygia Burgos Ambrósio
      Pages: 587 - 595
      Abstract: Introdução: Ortorexia Nervosa (ON) é uma desordem alimentar relacionada à preocupação excessiva em se alimentar de forma saudável, que pode gerar prejuízos físicos, psicológicos e sociais. Embora o exercício físico esteja ligado diretamente à saúde, pode ocorrer uma influência negativa no comportamento alimentar levando os indivíduos praticantes de exercício físico a estarem mais suscetíveis ao desenvolvimento de transtornos alimentares. Objetivo: Analisar a relação entre a prática de exercício físico e o risco de desenvolvimento de ON em frequentadores de academias de Vitória de Santo Antão-PE. Materiais e métodos: Estudo transversal de característica analítica em amostra de conveniência realizada em três academias de musculação na cidade de Vitória de Santo Antão-PE. Foram utilizados os questionários: ORTO-15 para identificar comportamento de risco de ON; Questionário de Frequência alimentar para análise de consumo alimentar; IPAQ para classificar nível de atividade física. O estado nutricional foi avaliado através do índice de massa corporal e percentual de gordura. Resultados: A amostra foi composta por 100 indivíduos, de ambos os sexos, com idade média de 27,6 ± 7,7 anos. Desses, 82% foram classificados como muito ativos e 18% como ativos. De acordo com os resultados do questionário ORTO-15 92% da amostra teve resultado positivo para ON. Não houve associação estatisticamente significativa entre ON e sexo, idade, percentual de gordura, nível de atividade física ou consumo alimentar. Conclusão: Os resultados do ORTO-15 indicam uma alta tendência para o desenvolvimento de ON no grupo estudado, mas independe do nível de atividade física dos indivíduos.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Bioimpedância elétrica na avaliação da composição corporal: uma
           revisão dos princípios biofísicos, diferentes tipos, aspectos
           metodológicos, validade e aplicabilidade de suas medidas

    • Authors: Irina Sidoine Sossou, Gabriella Elisa Magalhães da Silva, Claudia Eliza Patrocínio de Oliveira, Osvaldo Costa Moreira
      Pages: 596 - 604
      Abstract: A avaliação da composição corporal é um importante aspecto na determinação das condições físicas, em diferentes processos relacionados à saúde. Ela auxilia tanto em pesquisas, como em situação de emagrecimento ou prevenção/tratamento de doenças crônicas como o diabetes, a hipertensão arterial, a dislipidemia e doenças cardiovasculares. A bioimpedância elétrica (BIA), por ser um aparelho de fácil transporte, não invasivo e de uso rápido, vem ganhando grande destaque no mercado. Assim, o objetivo desse trabalho é revisar uso da BIA na avaliação da composição corporal, com foco em discutir os diferentes tipos de BIA, apresentar sua ideia central, seus principais aspectos metodológicos e a validade das medidas que ela oferece. De modo geral, é possível observar que existe uma variedade de aparelhos de BIA que se categorizam pelo número de eletrodos usados, pela região submetida à avaliação ou pela frequência usada. Em ambos os aparelhos, o funcionamento baseia-se na oposição entre a resistência e a reatância. Adicionalmente, a precisão das medidas deste método, apresenta resultados satisfatórios, quando observados alguns procedimentos e protocolos padronizados. Contudo, situações de hidratação anormal, mal nutrição severa, obesidade, doenças neuromusculares ou dermatológicas extensas requerem em um cuidado mais criterioso do avaliador na interpretação dos resultados.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Alimentação, corpo e imagem: transtornos alimentares entre
           universitárias da área da saúde

    • Authors: Cristiana Caldeira Brant Gabarra, Paula Bolbinski Guimarães Carneiro, Vanessa Alves Ferreira
      Pages: 605 - 619
      Abstract: Esta revisão narrativa teve como objetivo compreender a relação entre insatisfação com a imagem corporal (IC) e o risco de desenvolver transtornos alimentares (TA) e ortorexia nervosa (ON) em jovens universitárias da área das ciências da saúde. Para tal, realizou-se uma revisão de literatura nas bases de dados das bibliotecas eletrônicas MEDLINE, LILACS, BDENF, SciELO e IBECS. Os critérios para a inclusão dos estudos foram: artigos publicados na íntegra nos últimos quatro anos (2016 a 2020), em língua portuguesa, inglesa e espanhola, no Brasil e no exterior. Foram utilizados os seguintes descritores: imagem corporal; transtornos da alimentação e da ingestão de alimentos, anorexia nervosa, bulimia, comportamento alimentar; estudantes de ciências da saúde. Foram selecionados 11 artigos. Os resultados revelaram vários fatores envolvidos na relação da IC com os TAs e a ON, entre as jovens universitárias, entre eles: estado nutricional, checagem corporal, depressão, internalização do estigma do peso, influência da mídia, ruminação, processamento seletivo de imagens corporais, omissão de refeições, período do curso de graduação e rede de ensino, restrição cognitiva, alimentação emocional e alimentação descontrolada. Destaca-se uma ocorrência importante de IC e comportamentos de risco para TAs e ON em universitárias do curso de Nutrição. Conclui-se que há necessidade de implementar ações preventivas e de promoção da saúde nos espaços universitários.   
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • A influência de sites e blogs pró-ana e pró-mia no desenvolvimento e
           agravamento dos transtornos alimentares em adolescentes

    • Authors: Marília Somaggio Souza, Marina Garcia Manochio-Pina
      Pages: 620 - 631
      Abstract: Introdução: Dentre os transtornos alimentares (TAs), têm a anorexia nervosa (AN) e a bulimia nervosa (BN), que através de blogs e sites Pró-Ana e Pró-Mia presentes nas redes sociais, estão sendo vistos como um estilo de vida. Objetivo: Identificar por meio da literatura científica, a influência de sites e blogs Pró-Ana e Pró-Mia no desenvolvimento e agravamento dos TAs em adolescentes. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo com pesquisa bibliográfica transversal, realizado entre agosto e novembro de 2021. Foi utilizada a base de dados do Google Acadêmico, BVS e SciELO para a busca dos artigos. Quanto aos critérios de inclusão, obteve artigos dos últimos cinco anos por meio dos DeCS/MeSH em português e inglês. Os artigos encontrados abordam sobre os blogs Pró-Ana e Pró-Mia. No total foram encontrados 29 artigos. Quanto aos critérios de exclusão, foram eliminados os artigos que não atenderam ao objetivo proposto. Discussão: Através dos artigos e das buscas por esses blogs no Mozilla Firefox, foram encontrados blogs e sites que vão contra e aqueles que vão a favor das práticas anoréxicas e bulímicas. Resultados: Esses blogs e sites mostraram-se ter grande influência no agravamento e desencadeamento dos TAs por meio das dicas publicadas em suas páginas. Conclusão: Concluiu-se que os blogs Pró-Ana e Pró-Mia contribuem para o desenvolvimento e agravamento dos TAs. Por conseguinte, é importante ressaltar que mesmo sendo implementadas medidas contra esses blogs e sites, é fundamental ter mais condutas que ajudam a combater essas práticas anoréxicas e bulímicas executadas em suas páginas.
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
  • Alimentos disfuncionais: quando além das calorias vazias existe outro
           prejuízo adicional à saúde

    • Authors: Fabíola Pansani Maniglia
      Pages: 632 - 636
      Abstract: O propósito deste artigo é apresentar uma denominação alternativa para os alimentos industrializados ricos em açúcares refinados, gorduras não saudáveis, sódio e aditivos químicos, uma vez que não estão claras para a população as consequências no longo prazo de sua ingestão. Estes alimentos não só contribuem para o ganho de peso, mas também estão associados a outros efeitos deletérios ao organismo em função da sua composição e presença de aditivos químicos. Uma vez que os consumidores são atraídos por adjetivos que evidenciam potenciais benefícios de alguns alimentos, como a denominação de alimentos funcionais, este artigo sugere o emprego de uma denominação que alerte o consumidor para a necessidade de se evitar ou limitar a ingestão dos alimentos ultraprocessados. No sentido oposto aos alimentos funcionais, este artigo apresenta denominação de alimentos disfuncionais para aqueles alimentos ricos em açúcares refinados, gorduras não saudáveis, sódio e aditivos químicos que, além de não nutrirem o organismo, conferem prejuízos adicionais à saúde. 
      PubDate: 2022-11-17
      Issue No: Vol. 16, No. 102 (2022)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 3.236.146.28
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-