Subjects -> HEALTH AND SAFETY (Total: 1527 journals)
    - CIVIL DEFENSE (22 journals)
    - DRUG ABUSE AND ALCOHOLISM (88 journals)
    - HEALTH AND SAFETY (721 journals)
    - HEALTH FACILITIES AND ADMINISTRATION (381 journals)
    - OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY (113 journals)
    - PHYSICAL FITNESS AND HYGIENE (120 journals)
    - WOMEN'S HEALTH (82 journals)

HEALTH AND SAFETY (721 journals)                  1 2 3 4 | Last

Showing 1 - 200 of 203 Journals sorted alphabetically
16 de Abril     Open Access   (Followers: 1)
ACM Transactions on Computing for Healthcare     Hybrid Journal  
Acta Informatica Medica     Open Access   (Followers: 2)
Acta Scientiarum. Health Sciences     Open Access   (Followers: 2)
Adultspan Journal     Hybrid Journal  
Advances in Child Development and Behavior     Full-text available via subscription   (Followers: 11)
Advances in Public Health     Open Access   (Followers: 29)
Adversity and Resilience Science : Journal of Research and Practice     Hybrid Journal   (Followers: 2)
African Health Sciences     Open Access   (Followers: 6)
African Journal for Physical Health Education, Recreation and Dance     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
African Journal of Health Professions Education     Open Access   (Followers: 5)
Afrimedic Journal     Open Access   (Followers: 3)
Ageing & Society     Hybrid Journal   (Followers: 37)
Aging and Health Research     Open Access   (Followers: 5)
Air Quality, Atmosphere & Health     Hybrid Journal   (Followers: 8)
AJOB Empirical Bioethics     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Akademika     Open Access  
American Journal of Family Therapy     Hybrid Journal   (Followers: 6)
American Journal of Health Economics     Full-text available via subscription   (Followers: 18)
American Journal of Health Education     Hybrid Journal   (Followers: 35)
American Journal of Health Promotion     Hybrid Journal   (Followers: 23)
American Journal of Health Sciences     Open Access   (Followers: 11)
American Journal of Health Studies     Full-text available via subscription   (Followers: 13)
American Journal of Preventive Medicine     Hybrid Journal   (Followers: 32)
American Journal of Public Health     Full-text available via subscription   (Followers: 182)
American Journal of Public Health Research     Open Access   (Followers: 29)
Analytic Methods in Accident Research     Hybrid Journal   (Followers: 8)
Annales des Sciences de la Santé     Open Access  
Annali dell'Istituto Superiore di Sanità     Open Access  
Annals of Clinical Medicine and Public Health     Open Access   (Followers: 11)
Annals of Global Health     Open Access   (Followers: 10)
Annals of Health Law     Open Access   (Followers: 6)
Applied Biosafety     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Applied Ergonomics     Hybrid Journal   (Followers: 17)
Apuntes Universitarios     Open Access   (Followers: 1)
Archive of Community Health     Open Access   (Followers: 1)
Archives of Community Medicine and Public Health     Open Access   (Followers: 1)
Archives of Medicine and Health Sciences     Open Access   (Followers: 5)
Archives of Suicide Research     Hybrid Journal   (Followers: 9)
Archivos de Prevención de Riesgos Laborales     Open Access  
Arquivos de Ciências da Saúde     Open Access  
Asia Pacific Journal of Counselling and Psychotherapy     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Asia Pacific Journal of Health Management     Full-text available via subscription   (Followers: 4)
Asia-Pacific Journal of Public Health     Hybrid Journal   (Followers: 11)
Asian Journal of Gambling Issues and Public Health     Open Access   (Followers: 4)
Asian Journal of Medicine and Health     Open Access   (Followers: 1)
Asian Journal of Social Health and Behavior     Open Access  
Atención Primaria     Open Access   (Followers: 2)
Atención Primaria Práctica     Open Access  
Australasian Journal of Paramedicine     Open Access   (Followers: 7)
Australian Advanced Aesthetics     Full-text available via subscription   (Followers: 4)
Australian Family Physician     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Australian Indigenous HealthBulletin     Free   (Followers: 5)
Autism & Developmental Language Impairments     Open Access   (Followers: 13)
Bijzijn XL     Hybrid Journal  
Biograph-I : Journal of Biostatistics and Demographic Dynamic     Open Access   (Followers: 3)
Biomedical Safety & Standards     Full-text available via subscription   (Followers: 7)
Biosafety and Health     Open Access  
Biosalud     Open Access  
Birat Journal of Health Sciences     Open Access  
BLDE University Journal of Health Sciences     Open Access  
BMC Oral Health     Open Access   (Followers: 5)
BMC Pregnancy and Childbirth     Open Access   (Followers: 20)
Brazilian Journal of Medicine and Human Health     Open Access  
British Journal of Health Psychology     Hybrid Journal   (Followers: 48)
Buletin Penelitian Kesehatan     Open Access  
Buletin Penelitian Sistem Kesehatan     Open Access  
Bulletin of the World Health Organization     Open Access   (Followers: 21)
Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia     Open Access  
Cadernos de Saúde     Open Access  
Cambridge Quarterly of Healthcare Ethics     Hybrid Journal   (Followers: 14)
Canadian Family Physician     Partially Free   (Followers: 12)
Canadian Journal of Community Mental Health     Full-text available via subscription   (Followers: 13)
Canadian Journal of Human Sexuality     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Canadian Journal of Public Health     Hybrid Journal   (Followers: 25)
Cannabis and Cannabinoid Research     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Carta Comunitaria     Open Access  
Case Reports in Women's Health     Open Access   (Followers: 4)
CASUS : Revista de Investigación y Casos en Salud     Open Access  
Central Asian Journal of Global Health     Open Access   (Followers: 2)
CES Medicina     Open Access  
CES Salud Pública     Open Access  
Child and Adolescent Obesity     Open Access   (Followers: 3)
Child's Nervous System     Hybrid Journal  
Childhood Obesity and Nutrition     Open Access   (Followers: 11)
Chinese Journal of Physiology     Open Access  
CHRISMED Journal of Health and Research     Open Access   (Followers: 1)
Christian Journal for Global Health     Open Access   (Followers: 1)
Ciencia & Salud     Open Access  
Ciencia & Trabajo     Open Access  
Ciencia e Innovación en Salud     Open Access  
Ciencia y Cuidado     Open Access   (Followers: 1)
Ciencia y Salud     Open Access   (Followers: 1)
Ciencia y Salud Virtual     Open Access  
Ciencia, Tecnología y Salud     Open Access  
Cities & Health     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Cleaner and Responsible Consumption     Open Access   (Followers: 3)
Clinical and Experimental Health Sciences     Open Access   (Followers: 1)
ClinicoEconomics and Outcomes Research     Open Access   (Followers: 1)
CME     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Community Health     Open Access   (Followers: 5)
Conflict and Health     Open Access   (Followers: 8)
Contact (CTC)     Open Access  
Contraception and Reproductive Medicine     Open Access   (Followers: 1)
Cuaderno de investigaciones: semilleros andina     Open Access  
Cuadernos de la Escuela de Salud Pública     Open Access  
Current Opinion in Behavioral Sciences     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Current Opinion in Environmental Science & Health     Hybrid Journal  
D Y Patil Journal of Health Sciences     Open Access  
Das österreichische Gesundheitswesen ÖKZ     Hybrid Journal  
Day Surgery Australia     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
Design for Health     Hybrid Journal  
Digital Health     Open Access   (Followers: 9)
Disaster Medicine and Public Health Preparedness     Hybrid Journal   (Followers: 12)
Diversity and Equality in Health and Care     Open Access   (Followers: 9)
Diversity of Research in Health Journal     Open Access  
Dramatherapy     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Drogues, santé et société     Open Access   (Followers: 2)
Duazary     Open Access  
Düzce Üniversitesi Sağlık Bilimleri Enstitüsü Dergisi / Journal of Duzce University Health Sciences Institute     Open Access  
Early Childhood Research Quarterly     Hybrid Journal   (Followers: 22)
East African Journal of Public Health     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Eating and Weight Disorders - Studies on Anorexia, Bulimia and Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 23)
EcoHealth     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Education for Health     Open Access   (Followers: 8)
ElectronicHealthcare     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
Emerging Trends in Drugs, Addictions, and Health     Open Access   (Followers: 3)
Ensaios e Ciência : Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde     Open Access  
Environmental Disease     Open Access   (Followers: 3)
Environmental Sciences Europe     Open Access   (Followers: 2)
Epidemics     Open Access   (Followers: 6)
EsSEX : Revista Científica     Open Access  
Estudios sociales : Revista de alimentación contemporánea y desarrollo regional     Open Access  
Ethics & Human Research     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Ethics, Medicine and Public Health     Full-text available via subscription   (Followers: 6)
Ethiopian Journal of Health Development     Open Access   (Followers: 7)
Ethiopian Journal of Health Sciences     Open Access   (Followers: 6)
Ethnicity & Health     Hybrid Journal   (Followers: 15)
Eurasian Journal of Health Technology Assessment     Open Access  
EUREKA : Health Sciences     Open Access  
European Journal of Health Communication     Open Access   (Followers: 3)
European Medical, Health and Pharmaceutical Journal     Open Access   (Followers: 2)
Evaluation & the Health Professions     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Evidência - Ciência e Biotecnologia - Interdisciplinar     Open Access  
Exploratory Research in Clinical and Social Pharmacy     Open Access   (Followers: 3)
Expressa Extensão     Open Access  
F&S Reports     Open Access  
Face à face     Open Access  
Families, Systems, & Health     Full-text available via subscription   (Followers: 8)
Family & Community Health     Hybrid Journal   (Followers: 13)
Family Medicine and Community Health     Open Access   (Followers: 8)
Family Relations     Partially Free   (Followers: 11)
FASEB BioAdvances     Open Access  
Fatigue : Biomedicine, Health & Behavior     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Finnish Journal of eHealth and eWelfare : Finjehew     Open Access  
Food and Public Health     Open Access   (Followers: 11)
Food Hydrocolloids for Health     Open Access   (Followers: 4)
Food Quality and Safety     Open Access   (Followers: 2)
Frontiers in Digital Health     Open Access   (Followers: 4)
Frontiers in Neuroergonomics     Open Access  
Frontiers in Public Health     Open Access   (Followers: 7)
Frontiers of Health Services Management     Partially Free   (Followers: 6)
Gaceta Sanitaria     Open Access   (Followers: 2)
Galen Medical Journal     Open Access  
Ganesha Journal     Open Access  
Gazi Sağlık Bilimleri Dergisi     Open Access  
Geospatial Health     Open Access   (Followers: 1)
Gestão e Desenvolvimento     Open Access  
Gesundheitsökonomie & Qualitätsmanagement     Hybrid Journal   (Followers: 8)
Giornale Italiano di Health Technology Assessment     Full-text available via subscription  
Global Advances in Health and Medicine     Open Access  
Global Challenges     Open Access  
Global Health : Science and Practice     Open Access   (Followers: 7)
Global Health Annual Review     Open Access   (Followers: 2)
Global Health Journal     Open Access   (Followers: 2)
Global Health Promotion     Hybrid Journal   (Followers: 15)
Global Journal of Health Science     Open Access   (Followers: 5)
Global Journal of Public Health     Open Access   (Followers: 15)
Global Medical & Health Communication     Open Access   (Followers: 1)
Global Mental Health     Open Access   (Followers: 9)
Global Reproductive Health     Open Access  
Global Security : Health, Science and Policy     Open Access  
Global Transitions     Open Access  
Global Transitions Proceedings     Open Access   (Followers: 4)
Globalization and Health     Open Access   (Followers: 7)
Hacia la Promoción de la Salud     Open Access  
Hastane Öncesi Dergisi     Open Access  
Hastings Center Report     Hybrid Journal   (Followers: 7)
HCU Journal     Open Access  
HEADline     Hybrid Journal  
Health & Place     Hybrid Journal   (Followers: 19)
Health & Justice     Open Access   (Followers: 5)
Health : An Interdisciplinary Journal for the Social Study of Health, Illness and Medicine     Hybrid Journal   (Followers: 11)
Health and Human Rights     Open Access   (Followers: 9)
Health and Research Journal     Open Access  
Health and Social Care Chaplaincy     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Health and Social Work     Hybrid Journal   (Followers: 62)
Health Behavior and Policy Review     Full-text available via subscription   (Followers: 5)
Health Behavior Research     Open Access   (Followers: 2)
Health Care Analysis     Hybrid Journal   (Followers: 13)

        1 2 3 4 | Last

Similar Journals
Journal Cover
Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia
Number of Followers: 0  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Online) 2358-8306
Published by Rede Unida Homepage  [2 journals]
  • EDUCAÇÃO EM FISIOTERAPIA NOS CENÁRIOS DE APRENDIZAGEM DA ATENÇÃO
           PRIMÁRIA À SAÚDE: ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA

    • Authors: Mariana Job Kasper, Luiz Fernando Calage Alvarenga, Ramona Fernanda Ceriotti Toassi
      Abstract: Este estudo analisou a produção científica sobre o processo de formação do fisioterapeuta em cenários de aprendizagem da Atenção Primária à Saúde (APS), identificando práticas de ensino realizadas nesses espaços. Tratou-se de revisão integrativa de literatura na base de dados da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), utilizando três combinações de descritores controlados, acrescidos do operador boleano ‘AND’: Fisioterapia/Ensino/APS; Diretrizes Curriculares Nacionais/Ensino Superior/Sistema Único de Saúde; Fisioterapia/Estágios/APS. Os critérios de inclusão contemplaram artigos de pesquisa sobre a temática, publicados de 2002 a 2019, em português, inglês ou espanhol. Foram analisados 12 artigos. Práticas de ensino na APS foram observadas nos estágios curriculares do último ano do curso, sendo pouco frequentes nas etapas iniciais da graduação. A APS também foi identificada como cenário de formação em disciplinas curriculares obrigatórias envolvendo saúde da comunidade/saúde coletiva e no Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde. Destacaram-se, como atividades desenvolvidas por estudantes de Fisioterapia na APS, atenção domiciliar/visitas às famílias, atividades no território com estudantes de diferentes cursos da saúde e realização de grupos de educação/promoção da saúde. Na perspectiva da interprofissionalidade, a APS mostrou-se um espaço integrador de ações entre as diferentes profissões da saúde. Barreiras para a inserção da APS nos currículos da Fisioterapia associaram-se a fragilidades na formação de docentes e preceptores para atuarem na APS, aspectos relativos à dinâmica das universidades (horários, recessos escolares, alta rotatividade de estudantes) e dos serviços (estrutura física frágil, rotatividade e baixo número de profissionais capacitados para atuação na APS, desconhecimento de usuários/gestores/demais profissionais da saúde em relação à atuação do fisioterapeuta na APS e ausência do fisioterapeuta de referência). Pesquisas ampliando essa estratégia de busca envolvendo mais bases de dados e descritores são recomendadas. Práticas curriculares pautadas na rede de cuidado em saúde que contemplem a APS devem ser estimuladas na formação do fisioterapeuta.
      PubDate: 2021-12-14
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a8
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • AS PERCEPÇÕES DE TRABALHADORES SOBRE A PRÁTICA FISIOTERAPÊUTICA NA
           INCAPACIDADE PARA O TRABALHO

    • Authors: Ana Lúcia Gadelha de Moura, Kátia Suely Queiroz Silva Ribeiro, Maria Cláudia Gatto Cardia, Bianca Araújo Barbalho, Merlayne Pâmela de Oliveira e Silva, Robson da Fonseca Neves
      Abstract: Objetivo: compreender a prática fisioterapêutica na incapacidade para o trabalho na percepção de trabalhadores. Método: trata-se de uma pesquisa qualitativa que utilizou a entrevista semiestruturada em profundidade com 14 trabalhadores metalúrgicos com incapacidade prolongada para o trabalho em consequência de doenças e/ou acidentes do trabalho, os quais foram selecionados no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest). Para análise dos dados, foi aplicada a Análise de Enunciação. Resultados: duas categorias emergiram do trabalho de campo: a primeira, práticas fisioterapêuticas na incapacidade para o trabalho, na qual abordaram-se os aspectos alívio das dores e a burocracia da reabilitação; a segunda, reflexões sobre a fisioterapia na incapacidade para o trabalho, em que se abordou a reinserção do trabalhador para o trabalho e para a vida cotidiana. Discutiu-se a necessidade de as ações de fisioterapia ultrapassarem o espaço da atuação assistencial. Conclusões: há necessidade de refletir a respeito das abordagens usadas na reabilitação fisioterapêutica da incapacidade para o trabalho. Para isso, sugere-se discutir mais essa temática na formação acadêmica e nos espaços de educação continuada, sobretudo no que se refere a adotar abordagens biopsicossociais nos processos de avaliação e intervenção fisioterapêutica nas práticas voltadas à incapacidade.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a2
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • ANÁLISE DO PERFIL PROFISSIONAL DOS EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA
           UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU

    • Authors: Débora Ewelyn Scheidt, Amanda Paola Goetzinger, Julia Silveira Ramos Keske, José Francisco Gontan Albiero
      Abstract: Objetivos: investigar a situação atual e as perspectivas da atuação fisioterapêutica dos egressos formados em Fisioterapia pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (Furb); confrontar os dados com pesquisa semelhante realizada há dez anos; conhecer a percepção dos egressos sobre sua formação correlacionando com sua trajetória profissional. Métodos: pesquisa quantitativa de caráter exploratório com amostragem por conveniência de 181 egressos formados na Furb entre os anos de 2007 e 2016. Foi aplicado questionário on-line composto por 15 questões fechadas e de múltipla escolha com itens referentes a suas atividades profissionais divididas em quatro categorias: I) quanto à formação; II) quanto ao primeiro emprego; III) quanto à situação atual; IV) quanto à especialização profissional. Resultados: a maior parte dos participantes considerou sua formação sólida, capaz de conceder segurança na vida profissional. Destacam a estrutura da universidade e as experiências de estágio como pontos fortes. Evidenciam rapidez para entrada no mercado de trabalho e satisfeitos com sua situação profissional. Mostraram-se comprometidos com sua permanente qualificação por meio de cursos e pós-graduações. Conclusão: a avaliação da graduação utilizando a percepção dos egressos mostra-se um importante e viável elemento para aprimorar a formação de futuros profissionais de maneira constante.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a3
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • DETERMINANTES DO AMBIENTE EDUCACIONAL EM UMA ESCOLA DE FISIOTERAPIA: UMA
           AVALIAÇÃO PSICOMÉTRICA

    • Authors: Thaísa Paiva de Oliveira, Dione Marçal Lima, Alessandra Vitorino Naghettini
      Abstract: O objetivo do presente estudo foi explorar áreas com aspectos negativos e positivos no ambiente educacional pela percepção dos alunos de graduação em fisioterapia e investigar sua relação com as características demográficas dos entrevistados. Trata-se de um estudo transversal analítico que utilizou o instrumento DREEM (Dundee Ready Education Environment Measure), na perspectiva de cinco dimensões: percepção da aprendizagem, percepção quanto aos docentes, autopercepção do acadêmico, percepção da atmosfera educacional, percepção das relações sociais. Foram avaliados os 50 itens do questionário, interpretados pelo escore, cujo valor máximo geral foi 200 e sua relação com características sociodemográficas. Todos os 232 estudantes matriculados na instituição foram convidados a participar da pesquisa; destes, 179 discentes de fisioterapia (77,15%) nos diferentes períodos do curso em 2016/1 responderam ao questionário. A média do escore global da percepção discente sobre o ambiente educacional foi de 126/200. Na avaliação das dimensões, observaram-se os seguintes escores: percepção da aprendizagem, 30/48; percepção quanto aos docentes 28/44; autopercepção do acadêmico, 21/32; percepção da atmosfera educacional, 30/48; e percepção das relações sociais, 17/28. Baseado no escore DREEM Global, o estudo revelou um ambiente educacional mais ‘positivo’ que ‘negativo’. Questões individuais indicaram melhor pontuação em itens como: “ter amigos na faculdade” e “confiança na aprovação das disciplinas”. Entretanto, foi destacada pontuação negativa nos itens que se referem a “ausência de apoio a estudantes estressados” e “ênfase na memorização de conteúdos”. O instrumento DREEM se mostrou confiável para avaliação do ambiente educacional no curso de fisioterapia, definindo áreas que apresentam maior necessidade de intervenção.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a4
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • RELAÇÃO ENTRE A PRESSÃO ARTERIAL SISTÊMICA COM A ESCALA DE SONOLÊNCIA
           DE EPWORTH EM ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS TRABALHADORES DIURNOS

    • Authors: João Carlos Moreno Azevedo, Joani Pereira Passos, Patricia Xavier Hommerding Frasson
      Abstract: Introdução: a qualidade do sono em estudantes universitários gera alterações comportamentais e no aprendizado. A hipertensão arterial sistêmica é uma doença prevalente, com alta morbimortalidade mundial. A Escala de Sonolência Epworth mede os níveis de sonolência diurna. Objetivo: analisar a correlação da pressão arterial com o escore de sonolência Epworth em estudantes universitários. Métodos: estudo observacional com estudantes universitários que trabalhavam em período diurno. Foram excluídos usuários de substâncias psicoativas ou psicotrópicas e os que apresentam asma, bronquite, rinite, insuficiência cardíaca e obesidade. Resultados: foram avaliados 92 estudantes (69,6% mulheres), com idade média de 22,7 ± 3,1 anos, IMC de 19,4 ± 3,8 kg/m2, em que a média do escore de sonolência foi de 10,3 ± 3,7. Não houve correlação significativa com a pressão arterial e escore de sonolência avaliado pela Escala de Sonolência Epworth. Conclusões: as variáveis analisadas não apresentaram correlação significativa nessa amostra.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a5
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • O TRABALHO DO FISIOTERAPEUTA NOS NÚCLEOS AMPLIADOS DE SAÚDE DA FAMÍLIA
           E ATENÇÃO BÁSICA (NASF-AB) EM REGIÃO METROPOLITANA

    • Authors: Marcia Maristela S. da S. Lima, Larissa S. Santana, Ítalo Ricardo Santos Aleluia, Fabiane Costa Santos Fontoura, Elzo Pereira Pinto Júnior
      Abstract: Compostos por equipes multiprofissionais, incluindo a participação de fisioterapeutas, os Núcleos de Apoio à Saúde da Família (Nasf-AB) foram criados para ampliar o escopo das ações de Atenção Primária à Saúde e apoiar a inserção da Estratégia Saúde da Família na rede de serviços de saúde. Tendo isso em vista, o objetivo deste estudo foi analisar o processo de trabalho do fisioterapeuta nos Nasf-AB, em quatro sistemas municipais de saúde da Região Metropolitana (RM) de Salvador, na Bahia. Para tanto, realizou-se um estudo de múltiplos casos sob abordagem qualiquantitativa, a partir de entrevistas semiestruturadas, investigando os seguintes aspectos: infraestrutura das unidades; formação profissional; relação com equipe multiprofissional e comunidade; desafios e perspectivas da gestão municipal e gerência das unidades. Os dados foram processados no software Nvivo, versão 10.0, e submetidos a uma análise de conteúdo. Os principais dificultadores relacionaram-se à formação acadêmica do fisioterapeuta centrada na reabilitação, à falta de material para assistência e de transporte para locomoção na área de abrangência e ao pouco conhecimento sobre as atribuições do fisioterapeuta por parte da equipe. A boa relação com a gerência da unidade e com a comunidade foram facilidades destacadas. A oferta de cursos de capacitação, melhores condições para locomoção dos profissionais, bem como a definição das atribuições dos profissionais, parecem ser imprescindíveis para um processo de trabalho mais eficaz. O maior desafio pautou-se na mudança do modelo de atenção, a fim de centrar as práticas de saúde do fisioterapeuta na prevenção e na promoção da saúde.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a6
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • CRIANÇAS COM DISTÚRBIOS DO SONO APRESENTAM ALTERAÇÃO NO POSICIONAMENTO
           DA CABEÇA E DO OMBRO'

    • Authors: Maria Eduarda Radigonda Paranzini, Paola Janeiro Valenciano, Celita Salmaso Trelha, Dirce Shizuko Fujisawa
      Abstract: Objetivo: verificar a correlação entre distúrbios de sono e alteração do posicionamento da cabeça e do ombro em crianças escolares. Metodologia: trata-se de estudo transversal, com amostra de conveniência de 40 crianças entre 8 e 12 anos. Foram coletados dados pessoais e antropométricos. A avaliação postural foi por meio da Fotogrametria, com variáveis relacionadas com o posicionamento da cabeça e do ombro nas vistas frontal e sagital. A qualidade do sono foi avaliada pelo Questionário de Hábitos de Sono das Crianças (CSHQ-PT). O teste Shapiro-Wilk foi utilizado para verificar a normalidade dos dados. Para análise de correlação, foi utilizado o Coeficiente de Correlação de Spearman. A significância foi estabelecida em 5%. Resultados: as alterações encontradas foram referentes ao alinhamento horizontal dos acrômios, indicando inclinação à esquerda no plano frontal. Na vista sagital, os resultados evidenciaram a protusão dos ombros bilateralmente. A correlação ocorreu entre a ansiedade associada ao sono e alinhamento horizontal da cabeça (vista lateral direita), e entre a resistência em ir para a cama e o ângulo dos ombros. Quanto maior a pontuação da ansiedade, menor o grau de alinhamento horizontal da cabeça (anteriorização); e quanto maior a resistência de ir para a cama, maior o ângulo dos ombros (protusão). Conclusão: Na prática clínica, deve-se ter atenção especial à qualidade do sono e à evolução postural na infância.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a7
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • CORRELAÇÃO DA QUALIDADE VIDA E SONOLÊNCIA DIURNA EM
           ESTUDANTES DE FISIOTERAPIA

    • Authors: George Alberto da Silva Dias, Aline Silva Castro, Leonardo Breno do Nascimento de Aviz, Shaumin Vasconcelos Wu, Jamylle Silva Campos, Angélica Homobono Nobre, Biatriz Araújo Cardoso Dias
      Abstract: Distúrbios do ciclo sono/vigília são considerados um problema de saúde pública e repercutem diretamente na qualidade de vida. Assim, objetivou-se correlacionar a qualidade de vida e a sonolência diurna em estudantes de fisioterapia. Trata-se de um estudo observacional, descritivo e analítico do tipo transversal. Participaram do estudo 123 discentes do curso de Fisioterapia, sendo selecionados por meio da amostragem não probabilística por conveniência. Para a análise da qualidade de vida, foi utilizado o questionário World Health Organization Quality of Life Assessment (WHOQOL-bref), e para sonolência diurna, a escala de sonolência de Epworth. Utilizaram-se os testes análise de variância (Anova um critério) com post hoc de Teste t, o teste t Student e a regressão linear múltipla, com nível alfa de significância de 5% (p≤0,05). Observou-se que o quarto ano do curso apresentou pior resultado para qualidade de vida no domínio físico e ambiente, e ao se comparar com as outras séries do curso, apenas o domínio físico foi menor. Com relação à sonolência diurna, não foi observada diferença significante entre os anos. Porém, ao realizar a correlação da qualidade de vida com a sonolência diurna, houve correlação para os alunos do primeiro e segundo. Assim, conclui-se que, para qualidade de vida, o ano mais acometido é o quarto, principalmente no domínio físico. Ademais, não houve diferença com relação à sonolência. No entanto, quando os alunos do primeiro ano apresentam melhor percepção da qualidade de vida no domínio relação social, mais sonolentos eles se percebem; e quanto melhor a percepção no domínio ambiente, menos sonolentos eles se percebem. Outrossim, nos alunos do segundo ano, quanto melhor percepção da qualidade de vida no domínio relações sociais, menos sonolentos eles estão.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a9
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • SMARTPHONE USAGE TIME, POSTURE OF THE CERVICAL REGION AND ASSOCIATED
           FACTORS IN TEENAGE UNIVERSITY STUDENTS

    • Authors: Ana Paula Vasconcellos Abdon, Paula Pessoa de Brito Nunes, Nylla Kettilla Freitas Diógenes Medeiros, Cesário Rui Callou Filho, Letícia Cristina Paiva Tavares, Gyslane Felix Sousa, Mirna Albuquerque Frota, Daniela Gardano Bucharles Mont’Alverne
      Abstract: Objective: This study aimed to assess the relationship between smartphone usage time and postural alignment in teenage university students and the associated factors. Methods: We carried out a cross-sectional study with 133 teenage university students (18-19 years old) between April and November 2018 in Fortaleza, Ceará, Brazil. Questionnaires were used to collect information on socioeconomic status, health conditions, smartphone usage time and level of physical activity. The alignment of the cervical region was assessed using photogrammetry in anatomical position and while texting on the smartphone. Horizontal alignment of the head (HAH), horizontal alignment of the acromion (HAA) and vertical alignment of the head (VAH) were measured. Bivariate and multivariate analyses were performed to check for factors associated with smartphone usage time (>6 hours a day). Results: There were higher rates of girls (66.9%; n=89), people in the lower social class (71.4%; n=95), frequent drinkers (66.9%; n=89), people who complained of headache (83.5%; n=111) and people who used smartphones for more than 6 hours a day (72.9%; n=97). The multivariate analysis showed an association of smartphone usage time (>6 hours a day) with cervical anteriorization, estimated by measuring the VAH (OR=1.053; p=0.007 – left side), female gender (OR=2.729; p=0.046), frequent drinking (OR=2.636; p=0.038) and complaint of headache (OR=5.617; p=0.002). Conclusions: There was a high percentage of adolescents who excessively used smartphones for more than 6 hours a day. Prolonged smartphone use was associated with female gender, alcohol consumption, headache and changes in cervical alignment.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a11
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL EM MEMBROS INFERIORES DE PUÉRPERAS EM UMA
           UNIDADE DE SAÚDE DO ESTADO DE PERNAMBUCO

    • Authors: Ana Carolina Moreira Viana, Bárbara Nathália Souza Lieuthier, Valéria Conceição Passos de Carvalho, Érica Patrícia Borba Lira Uchôa, Marina de Lima Neves Barros
      Abstract: Introdução: o puerpério é caracterizado um período após o parto, que apresenta alterações fisiológicas e biomecânicas, entre elas o edema de membros inferiores, no qual pode ser usada a técnica de drenagem linfática manual como uma indicação terapêutica para a redução do edema. Objetivo: avaliar o efeito da drenagem linfática na redução de edema de membros inferiores de puérperas atendidas em uma unidade de saúde do estado de Pernambuco. Método: estudo do tipo quase-experimental, antes e depois, com 58 puérperas, de dezembro de 2016 a março de 2017. A coleta de dados foi realizada por meio do questionário sociobiodemográfico, a avaliação, com o teste de cacifo, perimetria e goniometria; logo após, aplicada a drenagem linfática e a reavaliação. Foi realizada uma análise descritiva, o teste qui-quadrado e o de Wilcoxon. Resultados: a amostra foi composta por 34,48% das puérperas com idade entre 18 e 25 anos e/ou mais de 30 anos, em que 27,59% apresentaram queixas no puerpério, nas quais em 31,25% destacaram-se o edema. Pode-se observar que todos os valores da perimetria apresentaram p-valores < 0,001, e quando avaliada a goniometria, os únicos movimentos que não melhoraram foram a flexão e a extensão dos joelhos. Possibilita-se inferir, para a população estudada, que a drenagem linfática foi eficaz. Conclusões: a intervenção fisioterapêutica se mostrou eficaz; na comparação da perimetria e goniometria, antes e depois, constatou-se que a drenagem linfática obteve uma redução significante do edema de MMII nas puérperas.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a13
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • ÍNDICE DE QUALIDADE DO SONO E SUA RELAÇÃO COM BIOMARCADORES DE RISCO
           CARDIOMETABÓLICO EM ADULTOS COM OBESIDADE

    • Authors: Larissa dos Santos Leonel, Willen Remon Tozetto, Anne Ribeiro Streb, Jucemar Benedet, Giovani Firpo Del Duca
      Abstract: Introdução: os distúrbios do sono estão associados a graves consequências para a saúde, tais como obesidade e mortalidade precoce. Alguns biomarcadores têm exibido sensibilidade para diagnóstico de apneias obstrutivas do sono. Objetivo: verificar a relação do índice de qualidade do sono com biomarcadores de risco cardiometabólico em adultos com obesidade. Métodos: conduziu-se um estudo transversal em adultos com IMC ≥ 30 kg/m². A qualidade do sono foi obtida pelo Índice de Pittsburgh, cujas pontuações mais altas refletem piores resultados. Os biomarcadores coletados mediante punção venosa foram creatinofosfoquinase (CK), interleucina 6 (IL-6), proteína C-reativa (PCr), glicemia em jejum. Empregaram-se regressões lineares bruta e ajustada considerando o nível de significância de 95%. Resultados: entre os 71 adultos com obesidade, 43 eram mulheres (x 34,8±7,0 anos), com escore global de qualidade de sono de 9,6±2,7 pontos. O índice global de qualidade do sono foi inversamente associado à creatinofosfoquinase (β= -0,008) e diretamente à glicemia em jejum (β= 0,049). Conclusões: conclui-se que, em adultos com obesidade, a redução de creatinofosfoquinase e o aumento da glicemia foram associados à piora da qualidade do sono.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a1
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • COMPREENDENDO O CORPO HUMANO POR MEIO DE METODOLOGIAS ATIVAS DE
           ENSINO-APRENDIZAGEM: ABORDAGEM EXTENSIONISTA COM ESCOLARES DO ENSINO
           MÉDIO

    • Authors: Isaac de Andrade Santos, Ially Fraga Batista Andrade, Johnatan Weslley Araujo Cruz, Gabriel Pereira de Oliveira Souza, Marcela Ralin de Carvalho Deda Costa
      Abstract: Objetivo: avaliar a eficácia das metodologias ativas de ensino-aprendizagem como ferramenta para o ensino da anatomofisiologia humana aos alunos do Ensino Médio (EM) de escolas públicas da cidade da Lagarto/SE. Métodos: trata-se de um estudo transversal com abordagem qualitativa e quantitativa, realizado entre julho e dezembro de 2018. As atividades de aprendizagem foram desenvolvidas semanalmente, por meio de módulos temáticos sobre Anatomofisiologia do Sistema Cardiorrespiratório (ASCR) e Reprodutor Humano (ASRH), com grupos de até 25 alunos. Para construção do aprendizado, foram utilizadas diversas metodologias ativas, com mensuração dessa aprendizagem mediante avaliações somativas e formativas iniciais e finais, além de avaliações das atividades propostas nas aulas. Resultados: participaram deste estudo 70 sujeitos, de modo que 89% eram do gênero feminino, e 50% cursavam a 3ª série do EM. Em relação aos módulos, todos os sujeitos participaram do módulo ASCR; destes, apenas 20 continuaram com as atividades do módulo ASRH. Após análises estatísticas por meio do Wilcoxon Test, foi evidenciado impacto positivo do uso de metodologias ativas no aprendizado por intermédio das notas obtidas na 2ª avaliação somativa nos módulos ASCR (p<0.0001) e ASRH (p=0.0038), assim como na avaliação formativa dos módulos ASCR (p<0.0001) e ASRH (p=0.007). As avaliações das atividades propostas demonstram grande aceitabilidade dos alunos às novas formas de aprender. Conclusões: a utilização de metodologias ativas e seus diversos recursos para o ensino da anatomofisiologia demonstram grande eficácia e direcionam à construção de uma visão crítico- reflexiva por parte dos alunos, facilitando o processo ensino-aprendizagem.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a14
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA NA PNEUMATOCELE: DISCUTINDO EVIDÊNCIAS

    • Authors: Paloma Lopes Francisco Parazzi, Juliana Cardoso, Fabiula J. Mata Belém, Janaina C. Scalco, Andrezza B. D áquino, Camila Isabel Santos Schivinski
      Abstract: Introdução: a fisioterapia respiratória tem sido elencada no manejo de pacientes com pneumatocele com o objetivo de manter a integridade pulmonar e prevenir complicações causadas pela ruptura da parede da cavidade e da instalação de processo infeccioso nela. No entanto, são poucas as evidências dessa terapêutica, sendo relevante a apresentação da literatura existente sobre o tema. Objetivo: verificar as pesquisas que contemplaram o uso de fisioterapia respiratória em pacientes com diagnóstico de pneumatocele e sua repercussão terapêutica. Métodos: a revisão de literatura foi realizada por meio de pesquisa nas bases de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs), PubMed (Ovid) e Physiotherapy Evidence Database (PEDro), acessadas até abril de 2019. Utilizaram-se combinações entre palavras-chave: pneumatocele, lung abscess, pneumonia, lung cystic, bullous lung disease. Resultados: identificou-se um total de 988 artigos, dos quais foram elencados 93 títulos relacionados com o assunto; destes, foram selecionados 16 estudos para avaliação dos resumos, cuja leitura direcionou para eleição de 6 artigos na íntegra para compor a presente revisão. Conclusões: os artigos selecionados evidenciam efeitos positivos da aplicação de recursos e técnicas fisioterapêuticas em indivíduos com pneumatocele, como melhora da função pulmonar, diminuição de sintomas e melhora da qualidade de vida. Porém, ainda se faz necessária a realização de estudos controlados, com amostras satisfatórias, para comprovação da segurança e eficácia desse procedimento terapêutico.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a12
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
  • PET-SAÚDE: PRÁTICAS INTERPROFISSIONAIS COMO FERRAMENTA PARA PROMOÇÃO
           DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE EM UMA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

    • Authors: Marta Caroline Araújo da Paixão, Alice Pequeno Brito, Lauro Nascimento de Souza, Carlos Eduardo Ramos Ataide, Jéssica de Fátima Lima Lourinho, Luciane Lobato Sobral
      Abstract: Contextualização: a educação em saúde visa motivar os indivíduos a adotarem e manterem padrões de vida sadios e a tornarem-se autônomos de suas decisões e do seu processo de participação em saúde. A interprofissionalidade é um modelo em que profissões aprendem juntas sobre o trabalho colaborativo. Descrição da experiência: o presente relato traz a experiência de acadêmicos do Programa de Educação para o Trabalho em Saúde/Interprofissionalidade (PET-Saúde/Interprofissionalidade) inseridos em uma Estratégia Saúde da Família (ESF). Foram criadas estratégias e ações para estimular a participação dos usuários no processo de desenvolvimento da autonomia no cuidado da saúde. Entre os temas abordados, estavam sobre Prevenção ao Suicídio (Setembro Amarelo), Prevenção do Câncer de Mama (Outubro Rosa), Prevenção a Hanseníases (Janeiro Roxo) e Prevenção a Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) e uso de métodos preservativos. Resultados e Impactos: o PET-Saúde/Interprofissionalidade possibilitou aos acadêmicos uma inserção na atenção básica, permitindo perceber a realidade local, bem como as potencialidades e fragilidades do serviço de saúde, o desenvolvimento de habilidades de comunicação e a prática interdisciplinar. Conclusões: as atividades realizadas e o contato com os usuários do serviço oportunizaram aos acadêmicos aplicar seus conhecimentos teóricos e práticos de forma interprofissional; e as intervenções foram vistas de forma positiva pela comunidade. Além disso, ocorreu maior integração entre a equipe da unidade após reuniões e discussões acerca das ações realizadas, favorecendo, assim, o processo de alinhamento entre a equipe e a população assistida pela ESF.
      PubDate: 2021-12-13
      DOI: 10.18310/2358-8306.v8n18.a10
      Issue No: Vol. 8, No. 18 (2021)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 3.81.172.77
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-