Subjects -> EARTH SCIENCES (Total: 771 journals)
    - EARTH SCIENCES (527 journals)
    - GEOLOGY (94 journals)
    - GEOPHYSICS (33 journals)
    - HYDROLOGY (29 journals)
    - OCEANOGRAPHY (88 journals)

OCEANOGRAPHY (88 journals)

Showing 1 - 77 of 77 Journals sorted by number of followers
Deep Sea Research Part II: Topical Studies in Oceanography     Hybrid Journal   (Followers: 29)
Deep Sea Research Part I : Oceanographic Research Papers     Hybrid Journal   (Followers: 23)
Estuaries and Coasts     Hybrid Journal   (Followers: 23)
Limnology and Oceanography     Hybrid Journal   (Followers: 22)
Progress in Oceanography     Hybrid Journal   (Followers: 21)
Journal of Marine Biology & Oceanography     Hybrid Journal   (Followers: 19)
New Zealand Journal of Marine and Freshwater Research     Hybrid Journal   (Followers: 18)
Journal of Physical Oceanography     Hybrid Journal   (Followers: 18)
Frontiers in Marine Science     Open Access   (Followers: 17)
Journal of Marine Sciences     Open Access   (Followers: 17)
Coastal Engineering     Hybrid Journal   (Followers: 15)
Advances in Oceanography and Limnology     Open Access   (Followers: 15)
Journal of Oceanography     Hybrid Journal   (Followers: 14)
Maritime Studies     Open Access   (Followers: 13)
International Journal of Oceanography     Open Access   (Followers: 12)
Advances in Statistical Climatology, Meteorology and Oceanography     Open Access   (Followers: 11)
Atmospheric and Oceanic Science Letters     Open Access   (Followers: 10)
Bulletin of Marine Science     Full-text available via subscription   (Followers: 9)
Fisheries Oceanography     Hybrid Journal   (Followers: 8)
Journal of Oceanography and Marine Science     Open Access   (Followers: 7)
Open Journal of Marine Science     Open Access   (Followers: 6)
Limnology and Oceanography: Methods     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Journal of Operational Oceanography     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Physical Oceanography     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Paleoceanography and Paleoclimatology     Full-text available via subscription   (Followers: 5)
Marine Science     Open Access   (Followers: 5)
Limnology and Oceanography: Fluids and Environments     Full-text available via subscription   (Followers: 5)
Ocean Yearbook Online     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Journal of Oceanology and Limnology     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Limnology and Oceanography Letters     Open Access   (Followers: 4)
Journal of Marine Science and Engineering     Open Access   (Followers: 4)
African Journal of Marine Science     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Oceanology     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Journal of Aquatic Sciences     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Limnology and Oceanography e-Lectures     Open Access   (Followers: 3)
Journal of Coastal Development     Open Access   (Followers: 3)
Ciencias Marinas     Open Access   (Followers: 3)
Journal of Marine Science and Application     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Journal of Ocean Engineering and Marine Energy     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Tropical Oceanography     Open Access   (Followers: 2)
Indian Journal of Geo-Marine Sciences     Open Access   (Followers: 2)
Mediterranean Marine Science     Open Access   (Followers: 2)
Regional Studies in Marine Science     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Annals of Marine Science     Open Access   (Followers: 2)
Limnology and Oceanography: Bulletin     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Annals of Limnology and Oceanography     Open Access   (Followers: 2)
Development and Applications of Oceanic Engineering     Open Access   (Followers: 2)
Journal of Ocean Engineering and Technology     Open Access   (Followers: 1)
Ocean Life     Open Access   (Followers: 1)
Marine Systems & Ocean Technology     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Journal of Ocean University of China (English Edition)     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Marine Life Science & Technology     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Journal of Ocean Engineering and Science     Open Access   (Followers: 1)
Coastal Engineering Proceedings : Proceedings of the International Conference on Coastal Engineering     Open Access   (Followers: 1)
Marine Technology Society Journal     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Scientia Marina     Open Access   (Followers: 1)
Western Indian Ocean Journal of Marine Science     Open Access   (Followers: 1)
Asian Journal of Fisheries and Aquatic Research     Open Access  
Thalassas : An International Journal of Marine Sciences     Hybrid Journal  
Oceans     Open Access  
Aquatic Research     Open Access  
Jurnal Kelautan Tropis     Open Access  
Acta Aquatica : Aquatic Sciences Journal     Open Access  
Depik Jurnal Ilmu-Ilmu Perairan, Pesisir dan Perikanan     Open Access  
Journal of Agricultural and Marine Sciences     Open Access  
Turkish Journal of Maritime and Marine Sciences     Open Access  
Arquivos de Ciências do Mar     Open Access  
Scientific Drilling     Open Access  
Jurnal Kelautan : Indonesian Journal of Marine Science and Technology     Open Access  
Oceanologia     Open Access  
Revista de Gestão Costeira Integrada     Open Access  
Revista Ciencias Marinas y Costeras     Open Access  
Egyptian Journal of Aquatic Research     Open Access  
China Ocean Engineering     Hybrid Journal  
Revista de Biología Marina y Oceanografía     Open Access  
Latin American Journal of Aquatic Research     Open Access  
Acta Oceanologica Sinica     Hybrid Journal  
Similar Journals
Journal Cover
Tropical Oceanography
Number of Followers: 2  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Print) 1679-3013
Published by Universidade Federal de Pernambuco Homepage  [37 journals]
  • CARACTERIZAÇÃO DOS SEDIMENTOS DA LAGOA DE ARITUBA– RN
           (AMBIENTE LAGUNAR)

    • Authors: Graziela Hanny CLAUDINO, Ingrid Taiacolo SANTOS
      Abstract: Este trabalho tem como principal intuito analisar os sedimentos da Lagoa de Arituba, localizada em Nísia Floresta – RN. A Lagoa está próxima ao Oceano Atlântico, onde, há estudos indicando que existiu uma conexão lagoa-oceano muitos anos atrás (Santos, 2020). A Lagoa apresentava uma conexão com o oceano, isso indica que os sedimentos presentes nela podem ter características parecidas com os de praia. Conforme a Lagoa é abastecida pelo lençol freático dulciaquícola, que é proveniente das dunas, acredita-se que a conexão da Lagoa com o oceano atlântico indica que há uma mistura de água marinha e lacustre (Medeiros, 2001; Santos, 2020). É atualmente uma Lagoa que apresenta muito turismo, casas próximas, comércio de turismo, pedalinho, local para se sentar e alimentação. Parte de sua vegetação das margens foi retirada com o intuito de liberar um espaço para criação de um centro de lazer e balneário (Santos, 2020).
      PubDate: 2022-09-22
      DOI: 10.5914/tropocean.v49i2.255748
      Issue No: Vol. 49, No. 2 (2022)
       
  • A TEMÁTICA DOS OCEANOS NO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM): UMA
           AVALIAÇÃO CRÍTICA

    • Authors: Maria Luiza Rocha COUTINHO, Anna Carolina Felipe DA SILVA
      Abstract: O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) foi criado em 1998 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) como forma de avaliar as habilidades e competências dos concluintes do Ensino Médio. Em 2009, passou a ser usado como principal via de acesso ao ensino superior no Brasil (INEP, 1998). Um dos principais objetivos das questões do ENEM, sobretudo o da redação, é abordar temas da atualidade em um contexto aplicado, integrando as várias áreas do saber científico e do cotidiano, de forma a buscar a interdisciplinaridade e a valorização dos direitos humanos de modo a estimular a solução de problemas do mundo dinâmico.
      PubDate: 2022-09-22
      DOI: 10.5914/tropocean.v49i2.255749
      Issue No: Vol. 49, No. 2 (2022)
       
  • AÇÕES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO FORMA DE MITIGAÇÃO AOS INCIDENTES
           COM TUBARÕES NO LITORAL DE PERNAMBUCO

    • Authors: Maria Luiza Rocha COUTINHO, Emmanuelly Creio FERREIRA, Mariana Guimarães de AZEVÊDO, Paulo Guilherme Vasconcelos de OLIVEIRA, Pollyana Christine Gomes ROQUE
      Abstract: A Educação Ambiental (EA) é identificada como ramo do ensino, cujo objetivo é a disseminação do conhecimento e valorização do meio ambiente, a partir de uma metodologia de linguagem de fácil compreensão aos cidadãos de todas as classes sociais. Preconizando-a como componente essencial e permanente da educação, instituído pela Política Nacional de Educação Ambiental (SEMAS, 2015). Estando ainda, assegurada pela Constituição Federal de 1988, Art.º225, Inciso VI, o qual determina que a EA esteja presente em todos os níveis de ensino, bem como a conscientização pública para a preservação do meio ambiente.
      PubDate: 2022-09-22
      DOI: 10.5914/tropocean.v49i2.255750
      Issue No: Vol. 49, No. 2 (2022)
       
  • CARACTERÍSTICAS DOS SEDIMENTOS SUBSUPERFICIAIS DO MANGUEZAL DA PRAIA
           DA PEDRA, RIO FORMOSO (PE)

    • Authors: Maria Amanda Cabral DA SILVA, Roberto Lima BARCELLOS
      Abstract: Os estuários são ambientes costeiros presentes na interface terra-mar. Por se tratar de uma área que sofre com a hidrodinâmica de ambas as forças, do rio e do oceano, o estuário é um ambiente importante para o ciclo sedimentar, com caráter dominante de ambiente deposicional (Santos e Barcellos, 2017). Assim, as características dos sedimentos como a textura, ajudam a interpretar a dinâmica sedimentar em estuários e ambientes correlatos que os compõem como os manguezais. Estes são ecossistemas distribuídos em regiões intermarés, na interface terra-mar, da região tropical a subtropical do globo, que estão presentes em ambientes de características adversas, como, altas salinidade e temperatura, locais de alta taxa de sedimentação e solos lamosos e anaeróbicos (Giri et al., 2011). Mangues, assim como estuários, são filtros efetivos que removem grandes quantidades de carbono orgânico total (COT) e nutrientes, embora o destino deste material filtrado seja pouco compreendido (Sanders et al., 2014). Deste modo, os estuários desempenham um papel fundamental na ciclagem de carbono e outros elementos biogênicos por meio da troca e modificação de matéria orgânica (MO) fornecida do continente para a zona costeira e oceanos, sendo locais importantes para a produção, respiração e transformação de matéria orgânica. Dentre os elementos biogênicos nos sedimentos destaca-se o carbonato de cálcio, indicativo da influência marinha na sedimentação (Paropkari et al., 1991). O presente trabalho tem como objetivo a caracterização dos sedimentos subsuperficiais da praia da pedra, Rio Formoso (PE).
      PubDate: 2022-09-22
      DOI: 10.5914/tropocean.v49i2.255751
      Issue No: Vol. 49, No. 2 (2022)
       
  • MODELAGEM NUMÉRICA DA HIDRODINÂmICA NO PORTO DE SUAPE-PE: PROPOSTA DE
           MITIGAÇÃO AMBIENTAL SOB A LUZ DA OCEANOGRAFIA

    • Authors: Anna Carolina Felipe DA SILVA, Núbia Chaves GUERRA, Paulo Estevão Lemos de OLIVEIRA
      Abstract: O Porto de SUAPE, localizado no litoral sul do Estado de Pernambuco, corresponde a uma região estuarina e costeira com grande diversidade de ecossistemas e biodiversidade e significativas áreas de manguezais, recifes e mata atlântica. Devido a situação geográfica e a localização estratégica em relação às principais rotas de navegação, calado favorável, quebra-mares naturais e pela extensa área disponível, a cerca de km de Recife, levou a implementação de um Complexo Industrial Portuário (CIP SUAPE), um dos maiores projetos de desenvolvimento da economia do País, além de ser um dos portos mais importantes do continente sul-americano, interligado a mais de 160 portos em todos os continentes. Dentre outras importantes operações de embarque e desembarque, ocorre os de petróleo e seus derivados, que possuem alto risco potencial de contaminação que podem causar severos acidentes ecológicos aos ecossistemas da região (TPF Engenharia Ltda, 2021).
      PubDate: 2022-09-22
      DOI: 10.5914/tropocean.v49i2.255753
      Issue No: Vol. 49, No. 2 (2022)
       
  • PERSPECTIVA SOCIAL DE UMA MARISQUEIRA SOBRE O DERRAMAMENTO DE PETRÓLEO NO
           LITORAL SUL DE PERNAMBUCO

    • Authors: Vanessa Pereira Alves DA SILVA, Ana Vitória Lopes DOS SANTOS, Camila Gardenea de Almeida BANDIM, Janete da Costa NASCIMENTO, Thainá Caetano DA SILVA
      Abstract: Desastres ambientais de origem antropogênica ocorrem em diferentes partes do mundo, inclusive no Brasil. Muitos envolvem o vazamento de petróleo bruto, sendo este um poluente agressivo que afeta ambientes de maneiras tanto físicas, como socioeconômicas (Silva, 2021).Em agosto de 2019 manchas negras provindas de um incidente, ainda sem culpados, envolvendo petróleo cru surgiram no Nordeste brasileiro, prejudicando os ecossistemas presentes em áreas estuarinas e afetando a economia das comunidades do entorno que dependem exclusivamente da pesca artesanal.Diante dessa problemática o objetivo deste trabalho é evidenciar os impactos do vazamento de óleo e a apresentar perspectiva da comunidade marisqueira no litoral Sul de Pernambuco, onde as áreas de mangues foram bastante impactadas, afetando as comunidades marisqueiras que vivem entorno desse estuário.
      PubDate: 2022-09-22
      DOI: 10.5914/tropocean.v49i2.255754
      Issue No: Vol. 49, No. 2 (2022)
       
  • DESASTRE COM ÓLEO BRUTO DE 2019 NA COSTA BRASILEIRA: EFEITO SOBRE AS
           ANGIOSPERMAS MARINHAS

    • Authors: Joel Francolino da SILVA JÚNIOR, Thomaz Henrique Arruda de LIMA, Maria Cecilia Santana de LIMA, Karine Matos MAGALHÃES
      Abstract: No final de agosto de 2019, manchas de óleo começaram a ser avistadas ao longo da costa brasileira, especialmente na costa nordestina (Magalhães et al., 2021). Diante de sua extensão de impacto no Brasil, esse desastre vem sendo considerado como o maior derramamento de óleo bruto da história do país, além de ser um dos mais extensos registrados no mundo (Pena et al., 2020). Estudos publicados sobre o ocorrido relatam que as características geoquímicas apresentadas pelo petróleo bruto apontam que sua origem venha das bacias da Venezuela (Oliveira et al., 2020), mas não confirmam a origem do derramamento, dessa forma, não há responsável pela prestação contas sobre os custos ambientais desse desastre (Magalhães et al., 2021).
      PubDate: 2022-09-22
      DOI: 10.5914/tropocean.v49i2.255755
      Issue No: Vol. 49, No. 2 (2022)
       
  • HIDROCARBONETOS DE PETRÓLEO DISSOLVIDOS E/OU DISPERSOS NAS ÁGUAS DA
           REGIÃO DE TAMANDARÉ– PE

    • Authors: Evelin Landin Ribeiro VITÓRIO, Lino Angel Valcárcel ROJAS, Eliete ZANARDI-LAMARDO
      Abstract: Entre agosto de 2019 e janeiro de 2020, mais de 4000 toneladas de resíduo de petróleo bruto atingiram centenas de praias, estuários, recifes e manguezais ao longo de todo o nordeste e parte do sudeste do país (Escobar, 2019). A região de Tamandaré (Pernambuco) foi uma das mais atingidas no NE. Dentre os principais constituintes do petróleo estão os hidrocarbonetos (~98%), que têm sido associados a vários tipos de efeitos: desde morte por asfixia ao desenvolvimento de câncer e mutações (NRC, 2003). Com o foco em áreas sensíveis, este estudo analisou as concentrações dos hidrocarbonetos de petróleo dissolvidos e/ou dispersos (HPDD) nas águas da praia de Tamandaré e do estuário do Rio Formoso, ambos localizados no município de Tamandaré em Pernambuco.
      PubDate: 2022-09-22
      DOI: 10.5914/tropocean.v49i2.255757
      Issue No: Vol. 49, No. 2 (2022)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 3.238.72.180
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-