A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  

  Subjects -> PHILOSOPHY (Total: 762 journals)
The end of the list has been reached or no journals were found for your choice.
Similar Journals
Journal Cover
Estudos Nietzsche
Number of Followers: 0  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Print) 2179-3441
Published by Universidade Federal do EspĂ­rito Santo Homepage  [12 journals]
  • Nietzsche e as mulheres

    • Authors: Ernani Pinheiro Chaves
      Abstract: Resenha do livro: Marton, Scarlett. Les ambivalences de Nietzsche. Types, Images et Figures Féminines. Paris: Éditions de la Sorbonne, 2021.
      PubDate: Mon, 14 Mar 2022 00:00:00 +000
       
  • A filosofia de Nietzsche e a tradição da ética das virtudes

    • Authors: Paul van Tongeren
      Abstract: Este artigo oferece um mapeamento das diferentes vias de acesso à questão acerca das relações entre Nietzsche e a ética das virtudes. Uma primeira questão diz respeito ao modo como a ética das virtudes contemporânea, em seu modelo predominantemente aristotélico, tem dialogado com a obra de Nietzsche. Uma segunda questão diz respeito ao modo como o próprio Nietzsche dialogou com as diversas tendências no interior dessa tradição da ética das virtudes. Uma terceira questão diz respeito ao modo como os intérpretes de Nietzsche têm avaliado a relevância da ética das virtudes, seja em suas versões contemporâneas revitalizadas, seja em suas versões antigas, para uma adequada compreensão de sua contribuição positiva no terreno da filosofia moral. Deve-se ter em mente, com isso, que tanto a tradição da ética das virtudes quanto a história de sua recepção por Nietzsche são multifacetadas. Discuto inicialmente a segunda pergunta, depois a primeira, para então relacionar a terceira às duas anteriores. Volto brevemente a elas de modo separado e, por fim, concluo chamando a atenção para um aspecto que até o momento tem sido relativamente negligenciado pela literatura.
      PubDate: Mon, 14 Mar 2022 00:00:00 +000
       
  • Para além da revolta: Nietzsche como pensador e crítico da
           transformação social

    • Authors: Martin Saar
      Abstract: As reflexões de Nietzsche sobre transformação e mudança social podem ser lidas como reações implícitas ao seu tempo, o “Zeitgeist”, e, como tal, inseridas no contexto do pensamento político e social do século XIX. Em comparação com os projetos de transformação que foram introduzidos na época (formação, esclarecimento, revolta e revolução), o pensamento de Nietzsche introduziu outra transformação radical que consiste em uma visão diferente de quem é realmente o sujeito da transformação social. Uma transformação abrangente e profunda da realidade social de acordo com Nietzsche deve estar ligada a uma autotransformação do eu individual, ao seu fortalecimento e aprofundamento. Tal transformação exterioriza o potencial transformador do eu, tornando-o construtivo para os outros. A transformação para Nietzsche tem que começar e terminar com sujeitos que mudam a si mesmos, com autotransformação.
      PubDate: Mon, 14 Mar 2022 00:00:00 +000
       
  • Nas raízes do perfeccionismo nietzschiano: a contribuição
           de Emerson

    • Authors: Benedetta Zavatta
      Abstract: O presente artigo procura iluminar a influência decisiva que a leitura do ensaísta Ralph Waldo Emerson exerceu sobre o ideal moral do perfeccionismo elaborado por Nietzsche. Este ideal pode ser definido como o processo de individualização que permite que cada um seja capaz de expressar a si mesmo de forma orignal e de viver em conformidade com seus próprios valores. Por meio de uma acurada análise da terceira Consideração Extemporânea, este artigo discute ainda os efeitos do perfeccionismo moral sobre a sociedade e a política.
      PubDate: Mon, 14 Mar 2022 00:00:00 +000
       
  • Perfeccionismo e realismo moral em Nietzsche

    • Authors: William Mattioli
      Abstract: O presente artigo pretende analisar os pressupostos teóricos da posição normativa avançada por Nietzsche no horizonte de sua crítica dos valores, e que tem sido considerada, no interior da literatura mais recente, como uma forma de perfeccionismo, na medida em que propõe a realização da grandeza e da excelência humanas como o valor mais elevado, em detrimento de valores como o bem estar, a felicidade, a sociabilidade, a igualdade, a compaixão e o altruísmo. Minha pergunta principal é: o que autoriza Nietzsche a atribuir um valor inegociável à excelência, em detrimento desses outros valores' Nesse sentido, meu interesse é analisar conceitualmente as bases da teoria normativa e metaética do perfeccionismo nietzscheano. A resposta que proponho para essas questões vai na direção de um realismo moral, em que “moral” indica o campo amplo dos valores tal como compreendidos à luz do modelo da vontade de poder. Essa interpretação sugere que é a vontade de poder que fornece a base teórica de justificação para o perfeccionismo nietzscheano. Minha argumentação geral se orienta pelo debate entre Donald Rutherford e Thomas Hurka, e eu busco defender a posição de Hurka contra as críticas de Rutherford.
      PubDate: Mon, 14 Mar 2022 00:00:00 +000
       
  • Disciplina, legislação e velocidade

    • Authors: Renan Rocha Cortez
      Abstract:             O artigo apresenta uma análise de um tema do perfeccionismo nietzschiano: o ideal de vida filosófica. Começa com uma abordagem dos critérios de identificação dos tipos superiores: as atividades filosóficas, políticas e artísticas, o êxito histórico e as características psicológicas. Argumento em favor da seguinte tese: o critério psicológico tem primazia, sendo necessário e suficiente, mas não elimina a relevância dos demais. Em seguida apresento as condições psicológicas que o filósofo precisa satisfazer para alcançar a excelência: (1) disciplina; (2) criação de valores; (3) especulação e (4) unidade orgânica. O artigo continua com uma avaliação de diferentes tipos psicológicos: o dogmático, que se afasta da excelência porque lhe falta disciplina rigorosa; o erudito, cuja imperfeição consiste em sua incapacidade de cumprir integralmente o primeiro critério e de satisfazer os demais; o cético fraco, que dispõe de disciplina, mas não está à altura das demandas legislativas e especulativas da vida filosófica; o espírito livre, que exibe um compromisso com determinadas virtudes intelectuais, e assim satisfaz as demandas da disciplina; também cumpre as exigências da especulação porque apresenta a hipótese da vontade de poder, mas satisfaz parcialmente o segundo critério, pois formula direcionamentos normativos iniciais, sem realizar a tarefa da criação dos valores, assunto do filósofo do futuro, o representante imaginário do ideal de vida filosófica. Em diversos momentos do texto, sobretudo na conclusão, indico que a articulação dos três critérios não pode ser realizada sem tensões: disso se segue que a excelência da vida filosófica não se confunde com nenhuma “paz interior”. O filósofo estimula um produtivo conflito entre o primeiro critério e os demais. A tensão não resulta em desordem anárquica, mas em “unidade orgânica”: a disciplina não inviabiliza a especulação veloz e a legislação ambiciosa, mas atua oferecendo contrapesos céticos. Concluo o artigo apresentando a vantagem hermenêutica da análise do ideal de vida filosófica: com ela entendemos o intrigante convívio entre ceticismo, ontologia audaciosa e propostas normativas monumentais.
      PubDate: Mon, 14 Mar 2022 00:00:00 +000
       
  • A nobreza na reflexão ética de Nietzsche

    • Authors: Ícaro Meirelles Figueredo
      Abstract: Este artigo tem como objeto de investigação as distintas considerações de Nietzsche acerca da nobreza, que desempenham um papel significativo nas suas reflexões maduras acerca da moralidade. Se em sua investigação genealógica o filósofo expõe um paradigma moral alternativo (a moral nobre) àquele que se tornou hegemônico no desenrolar da cultura ocidental (a moral dos escravos), encontramos ainda, em seus escritos desse período, uma tentativa de caracterizar a nobreza em seu próprio tempo. A atenção a essa tentativa de caracterização da nobreza na contemporaneidade permite constatar que o interesse de Nietzsche por essa noção não é meramente descritivo, mas se vincula a uma dimensão propositiva, revelando aspectos positivos da reflexão ética nietzschiana, que são indispensáveis a uma compreensão adequada de seu projeto filosófico tardio.
      PubDate: Mon, 14 Mar 2022 00:00:00 +000
       
  • Expediente

    • Authors: Antonio Edmilson Paschoal
      PubDate: Mon, 14 Mar 2022 00:00:00 +000
       
  • Editorial

    • Authors: Rogério Lopes
      Abstract: Editorial
      PubDate: Mon, 14 Mar 2022 00:00:00 +000
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 3.235.173.74
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-