A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  

        1 2 3 | Last   [Sort by number of followers]   [Restore default list]

  Subjects -> SOCIOLOGY (Total: 553 journals)
Showing 1 - 200 of 382 Journals sorted alphabetically
Acta Sociologica     Hybrid Journal   (Followers: 35)
Acta Sociológica     Open Access   (Followers: 1)
Acta Universitaria     Open Access   (Followers: 4)
Acta Universitatis Sapientiae, Social Analysis     Open Access  
Advanced Journal of Social Science     Open Access   (Followers: 4)
Advances in Applied Sociology     Open Access   (Followers: 16)
Advances in Appreciative Inquiry     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Advertising & Society Review     Full-text available via subscription   (Followers: 10)
AFFRIKA Journal of Politics, Economics and Society     Full-text available via subscription   (Followers: 4)
African and Asian Studies     Hybrid Journal   (Followers: 17)
African Identities     Hybrid Journal   (Followers: 15)
African Sociological Review : Revue Africaine de Sociologie     Open Access   (Followers: 3)
Ageing & Society     Hybrid Journal   (Followers: 39)
AlterNative : An International Journal of Indigenous Peoples     Full-text available via subscription   (Followers: 39)
Alternative Spirituality and Religion Review     Hybrid Journal   (Followers: 12)
American Behavioral Scientist     Hybrid Journal   (Followers: 21)
American Journal of Cultural Sociology     Hybrid Journal   (Followers: 19)
American Journal of Human Ecology     Open Access   (Followers: 11)
American Journal of Orthopsychiatry     Hybrid Journal   (Followers: 6)
American Journal of Sociological Research     Open Access   (Followers: 19)
American Journal of Sociology     Full-text available via subscription   (Followers: 296)
American Sociological Review     Hybrid Journal   (Followers: 238)
American Sociologist     Hybrid Journal   (Followers: 15)
Análise Social     Open Access   (Followers: 4)
Anduli : Revista Andaluza de Ciencias Sociales     Open Access  
Annales Universitatis Mariae Curie-Sklodowska, sectio I – Philosophia-Sociologia     Open Access  
Annals in Social Responsibility     Full-text available via subscription  
Annuaire du Collège de France     Open Access   (Followers: 6)
Annual Review of Sociology     Full-text available via subscription   (Followers: 205)
Anthropological Quarterly     Full-text available via subscription   (Followers: 53)
Anthropologie et Sociétés     Full-text available via subscription   (Followers: 9)
AntropoWebzin     Open Access   (Followers: 2)
Antyajaa : Indian Journal of Women and Social Change     Hybrid Journal  
Applied Research in Quality of Life     Hybrid Journal   (Followers: 11)
Arabian Humanities     Open Access   (Followers: 6)
Argumentos     Open Access   (Followers: 1)
Arte, Individuo y Sociedad     Open Access   (Followers: 3)
Artes Humanae     Open Access  
Arys: Antigüedad, Religiones y Sociedades     Open Access  
Asian Journal for Poverty Studies     Open Access   (Followers: 4)
Ateliers d'anthropologie     Open Access   (Followers: 7)
Atenea (Concepción)     Open Access  
Aztlan : A Journal of Chicano Studies     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Barn : Forskning om barn og barndom i Norden     Open Access  
Behavior Analysis in Practice     Full-text available via subscription   (Followers: 14)
Behavioural Public Policy     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Berliner Journal für Soziologie     Hybrid Journal   (Followers: 12)
BMS: Bulletin of Sociological Methodology/Bulletin de Méthodologie Sociologique     Hybrid Journal   (Followers: 4)
BOGA : Basque Studies Consortium Journal     Open Access   (Followers: 2)
Bronte Studies     Full-text available via subscription   (Followers: 7)
Caderno CRH     Open Access   (Followers: 1)
Cadernos CERU     Open Access  
Cahiers de l'Urmis     Open Access   (Followers: 1)
Cahiers Société     Open Access  
Canadian Ethnic Studies     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Canadian Graduate Journal of Sociology and Criminology     Open Access   (Followers: 6)
Canadian Journal of Sociology / Cahiers canadiens de sociologie     Open Access   (Followers: 9)
Canadian Journal of Women and the Law     Full-text available via subscription   (Followers: 4)
Canadian Review of Sociology / Revue Canadienne De Sociologie     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Canadian Social Science     Open Access   (Followers: 9)
Caribbean Studies     Full-text available via subscription   (Followers: 8)
Catalyst : A Social Justice Forum     Open Access   (Followers: 10)
Celebrity Studies     Hybrid Journal   (Followers: 13)
CERN IdeaSquare Journal of Experimental Innovation     Open Access  
Chinese Journal of Sociology     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Chinese Sociological Review     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
Chinese Sociology & Anthropology     Full-text available via subscription   (Followers: 8)
Chophayom Journal     Open Access  
Chrétiens et sociétés     Open Access   (Followers: 2)
Ciência & Tecnologia Social     Open Access  
Ciência & Trópico     Open Access  
Ciencia e Cultura     Open Access  
Ciencia, Cultura y Sociedad     Open Access  
Cities in the 21st Century     Open Access   (Followers: 17)
Citizenship Teaching & Learning     Hybrid Journal   (Followers: 6)
City & Community     Hybrid Journal   (Followers: 41)
City, Culture and Society     Hybrid Journal   (Followers: 23)
City: analysis of urban trends, culture, theory, policy, action     Hybrid Journal   (Followers: 26)
Ciudad Paz-ando     Open Access  
Clio. Femmes, Genre, Histoire - Articles     Open Access   (Followers: 10)
Clivatge. Estudis i testimonis sobre el conflicte i el canvi socials     Open Access  
Columbia Journal of Law and Social Problems     Full-text available via subscription   (Followers: 15)
Communication Monographs     Hybrid Journal   (Followers: 12)
Community Empowerment     Open Access   (Followers: 1)
Comparative Sociology     Hybrid Journal   (Followers: 38)
Comparative Studies in Society and History     Full-text available via subscription   (Followers: 54)
Configurações     Open Access  
Conflict and Society     Open Access   (Followers: 4)
Conflicto Social     Open Access  
Confluences Méditerranée     Full-text available via subscription  
Contemporary Family Therapy     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Contemporary Pacific     Full-text available via subscription   (Followers: 6)
Contemporary Sociology : A Journal of Reviews     Full-text available via subscription   (Followers: 31)
Contemporary Voice of Dalit     Full-text available via subscription  
COnTEXTES     Open Access   (Followers: 1)
Contexts     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Contributions to Indian Sociology     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Controversias y Concurrencias Latinoamericanas     Open Access  
Cosmopolitan Civil Societies : An Interdisciplinary Journal     Open Access   (Followers: 1)
Crime, Histoire & Sociétés     Open Access   (Followers: 9)
Criminologie     Open Access   (Followers: 2)
Critical Discourse Studies     Hybrid Journal   (Followers: 29)
Critical Horizons     Hybrid Journal   (Followers: 5)
Critical Sociology     Hybrid Journal   (Followers: 38)
Critical Studies on Terrorism     Hybrid Journal   (Followers: 56)
Cross-cultural Communication     Open Access   (Followers: 8)
Cuadernos de Extensión Universitaria de la UNLPam     Open Access  
Cuadernos de Marte     Open Access  
Cuadernos del CENDES     Open Access  
Cuban Studies     Full-text available via subscription   (Followers: 5)
Cultura y Representaciones Sociales     Open Access  
Culturales     Open Access   (Followers: 1)
Culture - Society - Education     Open Access   (Followers: 2)
Cultures & conflits     Open Access   (Followers: 10)
Current Opinion in Behavioral Sciences     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Current Research in Ecological and Social Psychology     Open Access   (Followers: 1)
Current Sociology     Hybrid Journal   (Followers: 47)
Dalogue and Universalism     Full-text available via subscription  
Debates en Sociología     Open Access   (Followers: 1)
Design and Culture : The Journal of the Design Studies Forum     Hybrid Journal   (Followers: 26)
Dhaulagiri Journal of Sociology and Anthropology     Open Access  
Diferencia(s)     Open Access  
Dilemas : Revista de Estudos de Conflito e Controle Social     Open Access  
disClosure : A Journal of Social Theory     Open Access   (Followers: 2)
Distinktion : Scandinavian Journal of Social Theory     Hybrid Journal   (Followers: 9)
Diversité urbaine     Full-text available via subscription  
East Central Europe     Hybrid Journal   (Followers: 10)
Economy and Sociology / Economie şi Sociologie     Open Access   (Followers: 1)
Ecopolítica     Open Access  
Educação, Escola e Sociedade     Open Access  
Éducation et socialisation     Open Access   (Followers: 1)
Em Debate     Open Access  
Emotion Review     Hybrid Journal   (Followers: 20)
Emotions and Society     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Enfances, Familles, Générations     Open Access   (Followers: 1)
Entramados : educación y sociedad     Open Access  
Entramados y Perspectivas     Open Access  
Environmental Sociology     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Environnement Urbain / Urban Environment     Open Access   (Followers: 10)
Espacio Abierto     Open Access  
Espiral     Open Access  
Espirales     Open Access  
Estudios Geográficos     Open Access   (Followers: 1)
Estudios sobre las Culturas Contemporáneas     Open Access  
Estudios Sociologicos     Open Access   (Followers: 7)
Estudos de Sociologia     Open Access   (Followers: 1)
Ethnicities     Hybrid Journal   (Followers: 23)
Ethnologia Actualis     Open Access  
Ethnologia Fennica     Open Access  
Ethnologies     Full-text available via subscription   (Followers: 4)
Études françaises     Full-text available via subscription   (Followers: 4)
European Journal for Sport and Society     Hybrid Journal   (Followers: 1)
European Journal of Cultural and Political Sociology     Hybrid Journal  
European Journal of Sociology     Hybrid Journal   (Followers: 37)
European Review of Applied Sociology     Open Access   (Followers: 1)
European Societies     Hybrid Journal   (Followers: 14)
European Sociological Review     Hybrid Journal   (Followers: 51)
Eutopía - Revista de Desarrollo Económico Territorial     Open Access  
Evaluation     Hybrid Journal   (Followers: 19)
Facta Universitatis, Series : Philosophy, Sociology, Psychology and History     Open Access  
Families, Relationships and Societies     Hybrid Journal   (Followers: 8)
Family & Community History     Hybrid Journal   (Followers: 18)
Family Relations     Partially Free   (Followers: 11)
Finance and Society     Open Access   (Followers: 4)
Fokus pa familien     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Forum Sociológico     Open Access  
Frontiers in Human Dynamics     Open Access  
Frontiers in Sociology     Open Access   (Followers: 2)
Games and Culture     Hybrid Journal   (Followers: 27)
Gender and Behaviour     Open Access   (Followers: 7)
Genre & histoire     Open Access   (Followers: 4)
Genre, sexualité & société     Open Access   (Followers: 6)
Glottopol : Revue de Sociolinguistique en Ligne     Open Access   (Followers: 3)
Good Society     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Grounded Theory Review : an International Journal     Open Access   (Followers: 4)
Group Analysis     Hybrid Journal   (Followers: 4)
Hábitat y Sociedad     Open Access  
Health Sociology Review     Hybrid Journal   (Followers: 14)
Health, Culture and Society     Open Access   (Followers: 13)
Heritage & Society     Hybrid Journal   (Followers: 14)
Hispania     Partially Free   (Followers: 2)
Homo Ludens     Open Access  
Hospitality & Society     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Housing and Society     Hybrid Journal   (Followers: 6)
Human Behavior, Development and Society     Open Access  
Human Figurations : Long-term Perspectives on the Human Condition     Open Access  
Humanidades em diálogo     Open Access  
Humanity & Society     Hybrid Journal   (Followers: 4)
identidade!     Open Access  
Inclusión y Desarrollo     Open Access  
Indes : Zeitschrift für Politik und Gesellschaft     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Indonesian Journal of Sociology and Education Policy     Open Access   (Followers: 1)
Information, Communication & Society     Hybrid Journal   (Followers: 70)
Insights into Regional Development     Open Access   (Followers: 2)
Interdisciplinary Journal of Partnership Studies     Open Access  
Interfaces Brasil/Canadá     Open Access   (Followers: 1)
International Area Studies Review     Hybrid Journal   (Followers: 3)
International Journal of Applied Sociology     Open Access   (Followers: 5)
International Journal of Community Well-Being     Hybrid Journal  
International Journal of Comparative Sociology     Hybrid Journal   (Followers: 14)

        1 2 3 | Last   [Sort by number of followers]   [Restore default list]

Similar Journals
Journal Cover
Ciência & Trópico
Number of Followers: 0  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Print) 0304-2685 - ISSN (Online) 2526-9372
Published by Fundação Joaquim Nabuco Homepage  [3 journals]
  • Desastres e oficinas para preparo dos profissionais da saúde em
           Petrópolis - Rio de Janeiro

    • Authors: LUIZ HENRIQUE SÁ, Samira Younes Ibrahim
      Abstract: Quando ocorrem desastres, os profissionais da saúde são convocados para o trabalho de emergencia. É frequente o modelo de treinamento em que os servidores recebem orientações e determinações sem possibilidade de diálogo e de soluções conjuntas. Por isso, com uma abordagem diferenciada, foram realizadas oficinas com profissionais da atenção básica do Município de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Essa localidade foi uma das mais afetadas no desastre da Região Serrana em janeiro de 2011. Neste relato de experiência, destacam-se o diálogo e a vivência anterior dos participantes que estiveram em situações de desastres, evidenciando o sofrimento social pelo qual eles passaram e a importância da prática do acolhimento. A dimensão emocional foi reconhecida como a mais vulnerável. A prevenção, a solidariedade e a intersetorialidade foram acentuadas como inexistentes. Salienta-se a necessidade de união e de compromisso entre os poderes, municipal, estadual e federal, para que ocorra a recuperação social. Os resultados trazem aspectos norteadores revelando que se fazem necessárias uma atualização das políticas públicas em desastres e a oferta de orientações com relação ao cuidado integral.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art12
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • Metodologias para Índices de Vulnerabilidades Socioambientais, Dinâmicas
           de contágio da COVID 19 e Índice Brasileiro de Privação em Saúde

    • Authors: sergio luiz dias portella, José Manuel Mendes, Pedro Santos, Malú Grave, Maria Yuri Travassos Ichihara
      Abstract: O artigo trata de três metodologias para mapeamento de vulnerabilidades em aplicação em territórios brasileiros e portugueses. A primeira, Modelo VS-CES-OSIRIS (Universidade de Coimbra e Universidade de Lisboa) de análise multivariada dos componentes Criticidade e Capacidade de Suporte para desastres e emergências, busca criar índices comparativos de vulnerabilidade social entre territórios. A metodologia já foi aplicada em todo o território português, em diferentes escalas espaciais. Pesquisadores de referência: José Manuel Mendes (CES/UCoimbra), José Luís Zêzere e Pedro Santos (IGOT/ULisboa). A segunda metodologia foi desenvolvida pelo Núcleo de Atendimento em Computação de Alto Desempenho (Nacad/UFRJ), e busca mapear a dinâmica de contágio da Covid-19, em parceria com pesquisadores italianos (Lombardia) e americanos (Geórgia), incorporando a variação da epidemia no espaço. Pesquisadores de referência: Malú Grave e Álvaro Coutinho (Nacad/UFRJ). A terceira metodologia ficou conhecida como Índice Brasileiro de Privação em Saúde, para análise das desigualdades de saúde no Brasil, desenvolvido pelo Cidacs/Fiocruz (BA). Pesquisadora de referência: Maria Yury Ichihara (Fiocruz Bahia). Palavras-chave: Indicadores de vulnerabilidade. Contágio Covid-19. Desigualdade em saúde. Índice de Privação em Saúde.  
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art4
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • Desastres, desigualdades, violências e processos de
           democratização

    • Authors: Jose Esteban Castro
      Abstract: O artigo discute o significado da violência no surgimento, manutenção e erosão das ordens socioecológicas. Ele se concentra na interconexão entre a violência contra comunidades marginalizadas, afetadas pela rápida expansão de formas frequentemente criminosas de acumulação primitiva promovidas ou implementadas diretamente por governos e atores privados multinacionais, muitas vezes com o apoio tácito ou explícito de instituições internacionais cujo mandato original foi preservar a paz e promover o desenvolvimento universal. Ainda apresenta evidências do impacto global de conflitos e violência relacionados ao meio ambiente, complementados com exemplos empíricos da América Latina, relacionados à expansão das atividades extrativistas e aos impactos desigualmente distribuídos de eventos extremos geofísicos ou climáticos, entre outros, que continuam a induzir formas amplas e múltiplas de resistência social. O autor enfatiza a produção de desigualdade e injustiça estruturais por meio da violência organizada sistematicamente e da criminalização de atores sociais que visam a defender seus territórios, meios de subsistência e direitos básicos. O argumento destaca a contradição fundamental entre o compromisso discursivo com os princípios e processos democráticos por parte de governos e instituições internacionais e as ilegalidades e atrocidades violentas cometidas nos territórios contra comunidades indefesas. Discute os desafios enfrentados pelos cientistas sociais para produzir entendimentos e explicações mais avançadas e complexas desses processos, que possam contribuir para a construção de ordens socioecológicas mais humanas. Palavras-chave: Violências socioecológicas. Ordens socioecológicas. Processos de democratização. Desigualdade estrutural e injustiça. América Latina.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art8
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • Desastres ecológicos e a saúde: plêiade de ampla magnitude e baixa
           percepção

    • Authors: Marcia Chame, Luciana Sianto
      Abstract: Desastres são eventos de alto impacto de origens distintas e determinados no tempo e no espaço. Nos últimos anos, os desastres vêm aumentando em frequência e intensidade em razão das alterações climáticas, desmatamentos, urbanização, adensamento populacional, ocupação irregular do solo, entre outros fatores, resultando em mortes e em prejuízos financeiros. Os desastres ambientais integram e acumulam diversas classes de desastres, o que eleva a complexidade de sua gestão. Os desastres ecológicos retroalimentam e magnificam desastres ambientais e podem levar ao rompimento da capacidade de manutenção dos ciclos biológicos vitais, ao colapso dos serviços ambientais com severas implicações no estresse fisiológico dos indivíduos e comunidades, não só humana, e à perda da biodiversidade. O potencial dos desastres ecológicos de provocar ameaças de magnitude incalculável e não previsíveis, como as pandemias, aumentam a vulnerabilidade de países, populações e pessoas mais pobres. Tratar a emergência de zoonoses como consequência de desastres ecológicos possibilitaria fortalecer a integração entre ferramentas tecnológicas, como o Sistema de Informação em Saúde Silvestre – SISS-Geo (Fiocruz), ações da gestão de desastres e a vigilância em saúde com o monitoramento da biodiversidade. Além do mais, ações conjuntas, integradas e participativas são oportunas para o avanço na percepção e conscientização dos riscos destas emergências nas sociedades, empresas e especialmente nos governos. Palavras-chave: Zoonoses. Emergência de doenças. Colapso ecológico. Patógenos. Biodiversidade.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art2
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • Os desastres e a ambientalidade crítica do capitalismo

    • Authors: Henri Acselrad
      Abstract: O presente texto discute as possíveis articulações entre as noções de crise ambiental e de desastre, de um lado, e os processos de reprodução e crise do capitalismo, de outro. Assumindo uma perspectiva crítica com relação às concepções que reificam a tecnología e atribuem a crise ecológica ao poder destrutivo das técnicas, o trabalho desenvolve a hipótese de que os indicadores de desregulação climática e os desastres a eles associados resultam de uma determinada forma de coordenação das práticas espaciais, que tem por base a distribuição desigual dos riscos ambientais e tecnológicos. Palavras-chave: Capitalismo. Desastres. Crise. Desregulação. Risco.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art6
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • A atuação em Saúde Mental e Atenção Psicossocial em um desastre da
           mineração em Mariana (MG): um relato de experiência

    • Authors: Marcela Alves de Lima Santos, Maíra Almeida Carvalho, Cláudia Maria Filgueiras Penido
      Abstract: Este relato de experiência tem como objetivo discutir o contexto e as vivências desenvolvidas no campo da Saúde Mental e Atenção Psicossocial, no município de Mariana (MG), desde o desastre da Samarco/Vale/BHP Billiton, em 2015. Para isso, foram acionadas as memórias do saber construído com trabalhadoras da saúde mental e pesquisadoras no território atingido, em interlocução com atingidos e trabalhadores de saúde. Após os primeiros cuidados psicossociais, foi possível constituir um Plano de Ação envolvendo toda a Rede de Atenção Psicossocial de Mariana  que previa, em seu escopo, a criação de uma equipe voltada para as necessidades psicossociais da população atingida. Foram discutidos os desafios dessa construção no Sistema Único de Saúde de forma síntone às especificidades das demandas dessa população vulnerabilizada e o prolongamento do desastre, compreendido como processo em curso no cotidiano de pessoas atingidas e na dinâmica do território. Em conclusão, foi ressaltada a necessidade de práticas alinhadas à dinâmica e realidades das comunidades atingidas, voltadas para a potencialidade dos cuidados construídos no território e em interlocução com o direito à saúde e cidadania. Palavras-chave: Saúde Mental. Atenção Psicossocial. Desastres. Atenção Primária à Saúde.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art11
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • Desempenho do Núcleo de Atuação em Desastres e Grandes Empreendimentos
           da Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo: Experiências e
           desafios na desnaturalização dos desastres

    • Authors: Rafael Mello Portella Campos
      Abstract: A Defensoria Pública, instituição de justiça cuja função é promover os direitos humanos e a defesa jurídica dos vulneráveis, habitualmente atua na defesa de comunidades atingidas por contextos de crises e desastres. É por meio dessa experiência que se construiu o Núcleo de Atuação em Desastres e Grandes Empreendimentos (NUDEGE) da Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo, cujas atribuições visam a defesa do direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, a orientação jurídica e a promoção dos direitos humanos de pessoas vítimas de desastres e de impactos por grandes empreendimentos. O presente trabalho apresenta um compilado de experiências no seu primeiro ano de atuação. Palavras-chave: Defensoria pública. Mobilização do Direito. Desnaturalização dos desastres.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art13
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • Apontamentos para produção de saber e mobilização comunitária: pelas
           redes de redes

    • Authors: sergio luiz dias portella, Simone Santos Oliveira
      Abstract: A complexidade dos desafios socioambientais do século XXI aponta para a busca de cooperação, e que conhecimento, gestão e comunidades se articulem de uma maneira inovadora e criativa. A superação da produção de conhecimentos assimétricos, unilaterais e impositivos deve seguir na direção da criação de dispositivos cooperativos que promovam a igualdade, mas também respeitem a diversidade das redes. Apresentamos nosso élan cuidadoso do II Seminário Internacional de Desnaturalização de Desastres, do ponto de vista da mobilização comunitária, que se constitui em um conjunto de reflexões que consideramos fundamental para o enfrentamento da conformação que os nexos sócio-históricos da sociedade brasileira vêm tomando nos últimos anos, que nos transformou em exemplo mundial de desigualdade distributiva de riqueza e que compromete os próprios modos de andar a vida atuais. Estamos diante da necessidade de uma tecnologia social que seja capaz de dar visibilidade às redes comunitárias, estabilizando-as, evitando que, na combinação das redes de gestão e sociotécnicas, se olhe para as redes comunitárias como uma massa informe, desprovida de laços e de saber. Sem isso, nossas dificuldades diante dos desastres, emergências e mudanças climáticas serão devastadoras. Contra-atacamos essa tendência porque todas as vidas importam! Palavras-chave: Desnaturalização de desastres. mobilização comunitária. Redes. Resistências. Crises ampliadas.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art15
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • A História do conceito de Desnaturalização de Desastres

    • Authors: Virginia García-Acosta
      Abstract: No percurso da apresentação da história da formulação do conceito de desnaturalização, sua importância e relevância para o momento atual nas ciências sociais, são consideradas as importantes implicações do conceito de desnaturalização com os conceitos de construção social da prevenção e vulnerabilidades sociais associadas aos desastres. Neste artigo, então, destaca-se que estratégias adaptativas de sucesso são construídas a partir das estruturas organizacionais de comunidades. No caso da pandemia COVID-19, também é considerada a importância de sua desnaturalização biológica. Conclui-se com este texto que temos muito a aprender no campo dos desastres, da desnaturalização, das resistências que surgiram e das mobilizações em andamento e que ainda estão por vir. Palavras-chave: Desnaturalização de desastres. Construção social da prevenção. Vulnerabilidades sociais. COVID-19.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art9
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • Mudanças climáticas na agenda global: O que aprendemos com as
           Conferências das Partes (COP) e o que está em jogo na COP 26

    • Authors: Ole Joerss, Caroline Rodrigues da Silva, Mirtes Aparecida dos Santos
      Abstract: Em novembro de 2021, ocorreu a 26º Conferência das Partes (COP 26) em Glasgow, na Escócia. As Conferências reúnem anualmente os 195 países signatários da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (1994), cujo objetivo inicial foi estabilizar a emissão de gases do efeito estufa na atmosfera, limitando, assim, o aquecimento global. De acordo com o Relatório sobre Clima, do Painel Intergovernamental sobre as Mudanças Climáticas (IPCC), publicado em agosto de 2021, as mudanças climáticas não são um fenômeno pouco palpável ou de futuro distante. Segundo dados do IPCC, a temperatura do planeta alcançará o limite de +1,5 ºC em relação à era pré-industrial por volta de 2030, dez anos antes do previsto nas estimativas de 2018. Portanto, as consequências das mudanças climáticas já se fazem presentes: a crise hídrica e seus impactos sobre o setor hidrelétrico brasileiro, bem como a aproximação da Floresta Amazônica do seu “ponto de não retorno”, ou seja, de não conseguir mais se regenerar devido ao aumento do desmatamento, são alguns exemplos. Este artigo pretendeu contribuir com reflexões que visem a desnaturalizar causas e efeitos da crise climática existente. Para tanto, foram tratados os seguintes pontos: i) resgate do histórico das Conferências das Partes e da participação da sociedade civil brasileira na agenda global do clima; ii) debate sobre como a COP 26 pode fortalecer falsas soluções para as mudanças climáticas e qual sua relação com os conflitos nos territórios dos povos e comunidades tradicionais; iii) Debate sobre as alternativas que os povos e comunidades tradicionais têm criado para o enfrentamento das mudanças climáticas. Palavras-chave: Conferência das Partes. Mudanças climáticas. IPCC. COP 26. Ambiente.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art3
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • A Era dos Desastres no Brasil: da fase agônica da democracia eleitoral à
           sobrevida do capitalismo rentista

    • Authors: Norma Valencio
      Abstract: Nas últimas décadas, o Brasil tem sido palco de uma preocupante regularidade de ocorrência de desastres, o que suscita indagações acerca de quais processos, de natureza social, têm contribuído para perpetuar e/ou incrementar o problema. As narrativas difusas que reportam os desastres como processos caóticos, devido aos elementos disruptivos da dinâmica socioespacial que os constituem bem como à ampliação do horizonte de incertezas para os grupos sociais que os vivenciam, têm justificado o acionamento tecno-político de um modus operandi de excepcionalidade na gestão pública, que se baseia numa narrativa de controle do caos e compromisso com o retorno à normalidade. Ocorre que, ambiguamente, aquilo que se anuncia como excepcionalidade vem se tornando o estado normal da gestão pública, no espraiamento e recorrência das decretações de emergências, cabendo considerar que, sob o seu manto, se aninha um projeto de poder autoritário. Sob um prisma sociológico, este artigo visa a problematizar as narrativas complementares centradas no binômio caos/normalidade e refletir como elas instrumentalizam o processo sociopolítico de esgarçamento do Estado democrático de direito ao passo que blindam a lógica do capitalismo rentista, cujo resultado seria conduzir a sociedade brasileira em direção a um ciclo de políticas públicas disjuntivas, ao esgarçamento das promessas do Estado democrático de direito e à atomização social, aqui metaforicamente denominado como sendo a Era dos Desastres no país. Essa reflexão é feita através do destaque às contribuições do debate contemporâneo, no campo crítico, que aludem ao processo sociopolítico da fragilidade da democracia eleitoral e ao processo socioeconômico de blindagem ao capitalismo rentista, componentes de uma indisfarçável pulsão catastrófica. Palavras-chave: Democracia. Capitalismo. Direitos humanos. Desastres. Brasil
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art7
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • Estratégias de mobilização comunitária, redes e
           resistências

    • Authors: Antenora Maria da Mata Siqueira
      Abstract: O artigo apresenta questões relativas aos processos de luta e resistência vivenciados por lideranças comunitárias brasileiras. Deu-se ênfase às estratégias utilizadas para a mobilização de sujeitos individuais e/ou coletivos – notadamente moradores dos lugares em que vivem ou viviam –, bem como às redes formadas, que delas fazem parte e seus objetivos. O conteúdo empírico do texto é oriundo dos depoimentos elaborados e apresentados pelas lideranças no II Seminário de Desnaturalização dos Desastres e Mobilização. Foi possível evidenciar que as estratégias são diversificadas e criativas, entre elas: 1) sensibilização e engajamento das pessoas mais próximas para ações diversas, incluindo elaboração de blogs e manifestações; 2) ampliação desse coletivo com a adesão de aliados institucionais na elaboração de estudos, jornais, vídeos e projetos para obtenção de recursos; 3) apresentação dos pleitos e projetos aos órgãos públicos e corporações, e 4) estruturação de redes. Palavras-chave: Mobilização social. Conflito. Racismo ambiental. Risco.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art14
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • A desnaturalização das crises globais e o conhecimento
           necessário em saúde

    • Authors: Luiz Augusto Cassanha Galvão
      Abstract: Ao usar como referência a "autópsia social" da onda de calor de Chicago de 1995, o artigo examina as crises globais, particularmente as mudanças climáticas, seus quadros teóricos e as informações disponíveis para analisar o problema. Em comparação com o quadro de autópsia social, o modelo analítico atual é insuficiente para revelar os processos sociais e políticos subjacentes das crises globais. A ausência de um quadro analítico adequado desafia o estabelecimento de políticas públicas adequadas para enfrentar a atual crise global. Isso também favorece a "naturalização" dos processos, escondendo o componente político-social, que se revela como uma evidência de saúde, mas não como um processo social de longo prazo e determinante. Palavras-chave: Mudança climática. Agenda 2030. Autópsia social. desnaturalização de desastres. Vulnerabilidade socioambiental. ODS3.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art1
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • Desastres como indícios da crise do capitalismo'

    • Authors: Allan Lavell
      Abstract: O artigo trata da polêmica questão: seriam os desastres indícios da crise do capitalismo' O capitalismo passou por múltiplos estágios ao longo da história e, em sua última fase, mais global, temos o neoliberalismo que, dos anos 1980 em diante, se desenvolve em resposta ao keynesianismo e ao estado de bem-estar. Mas esse neoliberalismo tem expressões e relações com outras facetas como a globalização, o capitalismo financeiro e continua em transição para o que hoje se chama de capitalismo cibernético.  Assim, a questão dos desastres como indicadores de crise exige que desagreguemos o significado e a realidade do neoliberalismo como prática. E depois disso, é preciso relacioná-lo com os fatores de risco que emergem na prática dessa ideologia particular em termos de economia. E, então, ter a habilidade de entender como o risco foi construído e, consequentemente, quando esse risco atinge as condições do desastre dado, qual seu papel e como ele indica relação com a crise do capitalismo, baseando-se na compreensão do processo de construção social do risco. Palavras-chave: Capitalismo, crise, desastres sistêmicos, construção social do risco.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art5
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • Por que a naturalização de desastres continua' Algumas inquisições
           a partir de uma perspectiva da vulnerabilidade social e do Direito

    • Authors: Claudia Nantezon, Aurora V. S. Besalú Parkinson
      Abstract: Com base na revisão realizada nas decisões judiciais relacionadas aos danos associados às mudanças climáticas na Argentina, é revisado o papel do Direito como instrumento privilegiado para reduzir ou aumentar a vulnerabilidade social frente aos desastres. Ao indagar sobre o Direito exercido para a resolução de conflitos legais no domínio da justiça, revelam-se processos ambíguos de identificação de responsabilidades. A sua relação com a construção de vulnerabilidades sociais suscita uma reflexão sobre como essa ambiguidade amplifica o risco, alimenta a incerteza institucional, gera e regenera a descrença da população na defesa dos seus direitos e realimenta a naturalização dessas catástrofes. Nesse campo, então, a desnaturalização é um exercício amplo e abrangente que permitiria às pessoas exercerem seus direitos com menos incertezas emergentes da ambivalência do litígio, instituindo processos de desambiguação para que as decisões protejam os direitos de maneira equivalente para todos. Palavras-chave: Direito. Vulnerabilidade social. Desastres. Naturalização. Ambiguidade.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)art10
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
  • Nota Editorial

    • Authors: Alexandrina Saldanha Sobreira de Moura, Sergio Portella, Simone Oliveira
      Abstract: O Comitê Editorial da Revista Ciência & Trópico, periódico interdisciplinar com dimensões internacionais, cujo objetivo é contribuir para a divulgação de pesquisas atuais e consistentes nas áreas de Ciências Humanas e Ciências Sociais, sente-se mais uma vez honrado em poder dedicar este número à discussão sobre desnaturalização dos desastres em parceria com os profissionais da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Rio de Janeiro. A dimensão internacional da temática leva a compreender por que desnaturalizar a concepção dos desastres e fortalecer os movimentos comunitários é condição essencial para que novos regimes de produção do saber possam emergir, fortalecendo redes e resistências na criação de novos modos de atuar na vida, tornando as pessoas capazes de enfrentar desafios, indicados pelas mudanças climáticas e provocados pelo atual modelo de desenvolvimento. Sempre coube à Fundação Joaquim Nabuco trabalhar em parceria com instituições de excelência que buscam conhecer a realidade para transformá-la e lançar desafios com esteios em novas convicções. Essa é a segunda oportunidade de aprofundar o debate com a Fundação Oswaldo Cruz sobre a desnaturalização dos desastres no cenário internacional, agravada pelos caminhos sombrios de uma pandemia. Ressalte-se, ainda, que tudo o que se acenou para uma futura crise gerada pelas mudanças climáticas já estava presente nos desastres socioambientais, os quais que se expressam não apenas em indicadores, mas no comprometimento absoluto da felicidade. É difícil reconhecer que nós mesmos, sociedade, governos, stakeholders do desenvolvimento, organizações internacionais, engendramos o comprometimento da justiça social expressa nas desigualdades sociais cada vez mais evidentes no rastro do flagelo da COVID-19. Temos que saber construir, como na xilogravura de J. Borges, a nossa Casa no Sítio, o lugar em que cabem as cores da reconstrução e da esperança. Concluindo este número, além de cumprir uma missão institucional, ampliando horizontes temáticos, fortalecendo debates de todos os matizes e garantindo a liberdade de expressão de todos os que submetem seus artigos à apreciação dos inúmeros pareceristas que merecem nossos agradecimentos pelo trabalho sério que garante a continuidade e a renovação da Ciência & Trópico. Na qualidade de Editora-chefe e pesquisadora da Fundaj, agradeço o trabalho do Editor assistente, Luis Henrique Lopes, dos editores convidados, Sérgio Portella e Simone Oliveira, da Fiocruz, da revisora da Fundação Joaquim Nabuco, Solange Carvalho, dos colegas da Iconografia, em nome de Albertina Malta, que está sempre pronta a promover o acervo artístico da Fundaj, da Editora Massangana e de todos que compartilham ideias, cores e a força do compromisso de seguir adiante.
      PubDate: 2021-12-29
      DOI: 10.33148/cetropicov45n2(2021)notaeditorial
      Issue No: Vol. 45, No. 2 (2021)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 3.235.24.113
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-