Journal Cover
Biota Amazônia
Number of Followers: 5  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Online) 2179-5746
Published by Universidade Federal do Amapá Homepage  [10 journals]
  • A PESCA ILEGAL DO TAMBAQUI NOS RIOS NEGRO, SOLIMÕES E AMAZONAS: UMA
           ANÁLISE DOS EFEITOS DA LEI DO DEFESO

    • Authors: Cidiane Melo Oliveira, Bruce Gavin Marshall, Carlos Edwar de Carvalho Freitas, Carlos Augusto Rodrigues do Nascimento, Raniere Garcez Costa Sousa
      Pages: 1 - 5
      Abstract: Com o declínio dos estoques pesqueiros no Brasil, sobretudo na bacia Amazônica, foi criada a Lei do Defeso para auxiliar na recuperação dos estoques pesqueiros e na proteção de seus ambientes. O tambaqui (Colossoma macropomum) é uma das espécies de peixes mais sobreexplotada, onde já se reconhece a sua diminuição em muitos rios da Amazônia. Sendo assim, com o foco de investigar a eficácia do emprego da Lei do Defeso e sua aplicabilidade na defesa do tambaqui, dados das apreensões registradas pelo IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) foram analisados para o período de 1993 a 2012 (20 anos), ocorridas nos rios Negro, Solimões e Amazonas. Os resultados mostraram que incidiram variações no número de apreensões de tambaquis entre os diferentes rios estudados durante o período de 20 anos, mas essas variações foram fracas, quando comparadas aos períodos de 10 anos antes e após a criação da Lei do Defeso. No entanto, foi registrado também, uma diminuição de 24,4% no número de infrações após a implementação da referida Lei, o que pode ser atribuído a várias possibilidades: 1) diminuição dos estoques da espécie na área do estudo; 2) ocorrência de grandes cheias e secas influenciadas por fenômenos naturais como o El Niño e a La Niña, que impactaram fortemente os estoques de peixes nos períodos de 2002-2003 e 2009, respectivamente; 3) reduzido efetivo de pessoal fiscalizador, em virtude da diminuição do efetivo de pessoal no IBAMA; e 4) dificuldades em fiscalizar regiões muito extensas, incluindo os locais remotos. Sendo assim, mesmo com a perceptível queda no número de apreensões de tambaqui na região do estudo, os resultados sugerem que o emprego da Lei do Defeso e do seu referido seguro para os pescadores, não alcançaram a finalidade desejada, e ainda, podem estar influenciando negativamente na sustentabilidade dos estoques de tambaquis da região, principalmente pelo incentivo ao ingresso de novos pescadores em virtude da oferta do seguro.Palavras-chave: Estoque pesqueiro, pescarias, seguro defeso.
      PubDate: 2020-06-30
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p1-5
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • VARIAÇÃO ECOMORFOLÓGICA EM POPULAÇÕES DE Astyanax aff. paranae
           EIGENMANN, 1914, DE DIFERENTES SUB-BACIAS NO ALTO RIO PARANÁ

    • Authors: Amanda Caroline dos Santos Siqueira Cano, Kátia Aparecida Nunes Hiroki, Afonso Pelli, Fagner de Souza
      Pages: 6 - 10
      Abstract: Astyanax paranae, Eigenmann, 1914, conhecido popularmente como lambari do rabo vermelho, é amplamente distribuído na bacia do alto rio Paraná. Esta ampla distribuição torna esta espécie de grande interesse para pesquisadores de diversas áreas (ecologia, genética, taxonomia, dentre outras). Uma das áreas que tenta entender a dinâmica ecológica das espécies é a ecomorfologia, que tem como ideia central a influência do ambiente nas adaptações morfológicas dos organismos. Baseado neste conceito, testamos a hipótese de que em rios com características hidrodinâmicas distintas influenciam os aspectos ecomorfológicos das populações de A. aff. paranae. Objetivamos analisar a variação ecomorfológica em diferentes ambientes lóticos na bacia do alto rio Paraná. Para a análise das diferenças ecomorfológicas foram utilizados 15 exemplares de cada ambiente lótico, de maneira que em cada indivíduo foram tomadas 26 medidas morfométricas e calculadas seis áreas corporais. Logo depois, foram calculados 22 índices ecomorfológicos com base nos valores de áreas e medidas corporais. Foram encontradas diferenças nos índices ecomorfológicos relacionados as características natatórias e estratégias de obtenção de recursos, evidenciando a influência das características ambientais sobre a seleção de caracteres morfológicos peculiares em cada ambiente. Esta variação foi, principalmente, constatada na relação entre o Rio Uberaba e os córregos, Indaiá, Biguaçu, Jurema, Japira e Caviúna, demonstrando que além da característica ambiental, os fatores biogeográficos também propiciaram a estrutura morfológica das populações.Palavras-chave: Divergência Intraespecífica, Ecologia de Populações, Ecomorfologia, Impactos Antrópicos, Lambari.
      PubDate: 2020-06-30
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p6-10
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • VARIABILIDADE MORFOLÓGICA EM Trachypogon NEES (ANDROPONEAE/PANICOIDEAE)
           EM ÁREAS DE SAVANAS DA AMAZÔNIA BRASILEIRA

    • Authors: Antônio Elielson Sousa da Rocha, Salustiano Vilar da Costa Neto
      Pages: 11 - 13
      Abstract: Três espécies do gênero Trachypogon são citadas para a região amazônica, porém a delimitação destes táxons é questionada. Neste estudo estão sendo apresentadas e discutidas as variações morfológicas em 12 populações do gênero na região. Para o estudo foram utilizadas Análise de Coordenadas Principais (PCoA) utilizada para avaliar a variação morfológica entre as populações e Análise de Componentes Principais (PCA) para apontar a variável morfológica com maior variação. Os resultados não evidenciaram separação destas populações. Apenas a altura das plantas foi informativa o que não é suficiente e nos leva a inferir, diante da amostragem realizada, que na região ocorre apenas uma espécie, T. spicatus.Palavras-chave: Morfologia, Poaceae, Savana Amazônica.
      PubDate: 2020-06-30
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p11-13
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • FILOGENIA MOLECULAR DE CLUPEIFORMES E O POSICIONAMENTO DE ALGUNS TÁXONS
           DAS REGIÕES DO ATLÂNTICO OCIDENTAL E AMAZÔNIA

    • Authors: Cleonilde da Conceição Silva Queiroz, Rosália Furtado Cutrim Souza, Simoni Santos Silva, Claudio Alberto Gellis de Mattos Dias, Amanda Alves Fecury, Euzébio de Oliveira, Divino Bruno da Cunha, Horacio Schneider, Iracilda Sampaio
      Pages: 14 - 19
      Abstract: A taxonomia dos arenques, sardinhas e anchovas a partir de caracteres morfológicos e moleculares tem sido amplamente abordada, mas as relações filogenéticas entre a maioria dos táxons são pouco resolvidas. O presente estudo utilizou o gene ribossômico mitocondrial 16S, e adicionando dados de sequência para 14 espécies de sardinha neotropical de habitats marinhos e de água doce, 10 das quais aparecem pela primeira vez em análises filogenéticas moleculares. Os resultados das análises bayesiana, máxima verossimilhança e parcimônia suportam fortemente a monofilia das famílias Pristigasteridae e Engraulidae, mas não foram capazes de recuperar a monofilia da família Clupeidae. Chirocentridae e Sundasalangidae, aparecem em arranjos politômicos entre algumas linhagens de Clupeidae/Clupeiformes. Curiosamente, Odontognathus mucronatus e Pellona harroweri, espécies do Atlântico Ocidental que foram incluídas em uma análise filogenética molecular pela primeira vez, sendo espécies-chave, quebraram a monofilia de Pellona e Ilisha dentro de Pristigasteridae. Exemplos adicionais de parafilia e/ou polifilia foram observados para vários gêneros tradicionais, como Sardinella, Anchoa e Engraulis. A presente análise resolveu com sucesso alguns aspectos relevantes de sua taxonomia e abriu várias questões que exigirão um esforço adicional de amostragem e novas análises filogenéticas para melhor esclarecer a taxonomia desse rico grupo de peixes.Palavras-chaves: Clupeiformes, filogenia molecular, Amazônia, sardinhas, mitocondrial.
      PubDate: 2020-06-30
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p14-19
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • ABUNDÂNCIA E DENSIDADE DAS LARVAS DE PEIXES E SUA RELAÇÃO COM NÍVEL
           DAS ÁGUAS NA CONFLUÊNCIA DOS RIOS SOLIMÕES E NEGRO E NO LAGO CATALÃO,
           AMAZONAS-BRASIL

    • Authors: Eduardo dos Reis Paes, Sthefanie do Nascimento Gomes de Souza, Rosseval Galdino Leite
      Pages: 20 - 24
      Abstract: Avaliou-se a desova de peixes em ambiente fluvial e lacustre através da abundância do ictioplâncton em intervalos de cota de 2 em 2 m de acordo com o ciclo dos rios. Para coleta, utilizou-se uma rede tipo cônico-cilíndrica com um fluxímetro acoplado para registrar o volume de água e assim calcular a densidade de larvas/10 m3. Observou-se que a assembleia de Characiformes migradores realiza um escalonamento de desova no rio Solimões com maior densidade de larvas/10 m3 entre as cotas de 20 a 26 m. Branquinhas (Curimatídeos) e jaraquis (Semaprochilodus spp.) realizam uma única desova entre as cotas de 21 a 23 m. Sardinhas (Triportheus auritus e T. elongatus) e pacu (Mylossoma spp.) desovam de forma parcelada nas cotas de 18 a 20 m e 21 a 19 m na vazante. Os Aracús (Anostomídeos e Hemiodontideos) iniciam a desova antes das branquinhas na cota de 19 m. No lago Catalão, constatamos a desova de Clupeiformes com a presença de ovos na cota de 19 m e de Triportheus albus (Characidae) e Plagioscion squamosissimus (Scianidae, Perciformes) nas cotas de 19 a 21 m. No rio Solimões, ocorre uma intensa desova de Clupeiformes(ANOVA One-way F=3,79; df=35 p=0,0001966) entre as cotas de 18 e 16 m. Conclui-se que, através das cotas, é possível estimar com mais precisão o local e a época da desova dos peixes na Amazônia, gerando informações que podem servir de base para criação de estratégias e subsidiar programas de defeso mais abrangentes visando a conservação e preservação das espécies.Palavras-chave: Ictioplâncton, cota do rio, desova, peixes migradores, recursos pesqueiros.
      PubDate: 2020-06-30
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p20-24
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • ANÁLISE DA MORFOMETRIA CORPORAL, RENDIMENTO DE CORTE E SENSORIAL DA
           PESCADA BRANCA Plagioscion squamosissimus (HECKEL, 1840)

    • Authors: Ronaldo do Nascimento Oliveira Filho, Joel Artur Rodrigues Dias, Francisco Alex Lima Barros, Victor dos Santos França, Rodrigo Yudi Fujimoto, Carlos Alberto Martins Cordeiro
      Pages: 25 - 29
      Abstract: A presente pesquisa teve como objetivo avaliar as características sensoriais, morfométricas e rendimentos de cortes da pescada-branca Plagioscion squamosissimus. Para isso foram utilizados 60 espécimes distribuídos em quatro categorias de peso (<300g; 301-400g; >401-500g e >501g), para então serem avaliadas as análises sensoriais aos parâmetros de temperatura, coloração, aspectos dos olhos, brânquias, escamas, mucosidade, integridade, odor e firmeza abdominal e muscular, mensuração morfométrica de comprimento total (CT), comprimento padrão (CP), comprimento da cabeça (CC), comprimento do tronco (CTR), altura do tronco (AL), altura da cabeça (AC) e largura do tronco (LG), e relações morfométricas para (CC/CP), (CC/AC), (CP/CT), (LG/CTR), (LG/AL) e (AL/CTR), Índice de perfil (IND PER) e Índice de cabeça (IND CAB). Avaliação dos cortes classificados como: tronco limpo (TL), filé com pele (FCP), filé sem pele (FSP), resíduos (RES), cabeça (CAB), carcaça (CARC) e sobras (SBR) e seu rendimento em porcentagem. A pescada branca nas categorias de peso <300g e 301-400g apresentaram boa avaliação sensorial, e as melhores relações morfométricas corporais e de rendimento de corte, que indicam potencialidade de abate para industrialização, com os rendimentos de filé sem pele (FSP) de 49%. Essas caraterísticas impactam diretamente à eficácia do seu processamento na agregação de valor aos cortes de carne comercializados de forma refrigerada ou congelada.Palavras-chave: Cortes da carne, espécie nativa, processamento, tecnologia do pescado.
      PubDate: 2020-07-28
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p25-29
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • CONTAMINAÇÃO PARASITÁRIA DE HORTALIÇAS COMERCIALIZADAS EM
           SUPERMERCADOS E FEIRAS LIVRES NO MUNICÍPIO DE BELÉM-PARÁ.

    • Authors: Marilena Lima Galvão, Simone Martins de Paula, Tatiane Rodrigues de Oliveira, Sergio Marcelo Rodriguez Málaga
      Pages: 30 - 33
      Abstract: A análise dos padrões higiênico-sanitário dos alimentos, especialmente as hortaliças consumidas cruas, é uma ferramenta importante para o desenvolvimento e implantações de políticas eficazes para a segurança alimentar. O presente estudo objetivou avaliar a qualidade higiênico-sanitária de hortaliças comercializadas em feiras livres e supermercados no município de Belém, em relação a sua contaminação parasitária. Para isso, 75 amostras de hortaliças foram adquiridas de forma aleatória, as quais foram processadas e analisadas individualmente pelo método de sedimentação espontânea. Os resultados apontam que 21,3% das hortaliças analisadas apresentaram pelo menos uma estrutura parasitária. Deste total, 56,3% das amostras foram provenientes dos supermercados e 43,8% coletadas em feiras livres. Observou-se, ainda, que 93,8% das amostras contaminadas apresentaram poliparasitismo. Entre as espécies de hortaliças estudadas, a couve apresentou maior índice de contaminação com 52% das amostras positivas, seguido por 8% de positividade nas amostras de alface e 4% nas amostras de coentro. Os enteroparasitos de maior prevalência encontrados foram ovos de Ascaris sp. (20%), seguido de ovos de Trichuris sp. (16%). Os resultados deste estudo ressaltam o relevante papel das hortaliças na transmissão de enteroparasitoses, bem como, a necessidade da adoção de medidas preventivas e de fiscalização por parte do sistema de vigilância sanitária, que resultem na melhora da qualidade higiênica das hortaliças consumidas pela população.
      PubDate: 2020-07-28
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p30-33
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • UMA COLEÇÃO DE CARNIVORA DERIVADA DE ATIVIDADES DE CAÇA DA SOCIEDADE
           AWÁ-GUAJÁ DO ESTADO DO MARANHÃO, BRASIL

    • Authors: Artur Chahud
      Pages: 34 - 37
      Abstract: Uma assembléia osteológica composta por vertebrados, proveniente de depósitos de descarte alimentício da Sociedade Etnográfica Guajá, Estado do Maranhão, Brasil, contém significativa diversidade biológica e está sendo examinada do ponto de vista taxonômico e tafonômico. Para a tafonomia foram observados o número de indivíduos, alteração óssea, bioturbação e articulação, enquanto a identificação dos espécimes consultou as obras dedicadas à taxonomia e comparou com espécimes conhecidos. Mamíferos da Ordem Carnivora são comuns na região amazônica e é compreensível que tenham feito parte da cultura de diversos povos indígenas. Entre os espécimes analisados foram observadas três famílias; Felidae, constituída de pelo menos duas espécies, Puma concolor e uma indeterminada, Mustelidae, representada pela espécie Eira barbara, e Procyonidae, composta por duas espécies Potos flavus e Nasua nasua, sendo esta a espécie mais representativa. Palavras-chave: Tafonomia, Felidae, Mamíferos, Mustelidae, Procyonidae.
      PubDate: 2020-07-29
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p34-37
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • JUVENIS DE PEIXES ASSOCIADOS A MACRÓFITAS AQUÁTICAS EM AMBIENTES DE
           VÁRZEA NA AMAZÔNIA CENTRAL, BRASIL

    • Authors: Suzana Carla da Silva Bittencourt, Diego Maia Zacardi, Thiago Monteiro, Luiza Nakayama, Helder Lima Queiroz
      Pages: 38 - 45
      Abstract: O estudo objetivou analisar a composição e a diversidade das assembleias de juvenis de peixes associadas às macrófitas aquáticas em lagos e canais de várzea na Amazônia Central. As amostragens foram realizadas durante os anos de 2010 e 2011, no médio Solimões, com o uso de um peneirão retangular (1,5 x 1,0 m e malhagem de 500 µm). Foram capturados 2.412 exemplares, pertencentes a 8 ordens, 27 famílias e 77 gêneros distribuídos em 117 espécies. O grupo dos Characiformes foi o mais representativo com 38,27% dos indivíduos capturados, em todos os períodos de coleta. A abundância relativa foi maior nos canais, representando 66,54% do total coletado, com o registro de 55 espécies. Das espécies identificadas, 29 são consideradas de importância comercial e de subsistência para a região (88,49% dos indivíduos coletados). Seis dessas espécies frequentemente dominam os desembarques dos mercados locais: Semaprochilodus insignis Jardine & Schomburgk, Cichla monoculus Spix & Agassiz, Mylossoma albiscopum Cope, Triportheus auritus Günther, Astronotus ocellatus Agassiz e Pygocentrus nattereri Kner. Os indivíduos identificados em nível específico foram classificados em seis categorias tróficas: detritívoros, herbívoros, onívoros, piscívoros, carnívoros e iliófagos. A maior riqueza de espécies foi encontrada nas categorias onívora e carnívora, com 48 e 18 espécies, respectivamente. Estes resultados corroboram a hipótese de que a diversidade de espécies de peixes destes hábitats está associada à complexidade estrutural, formada pelos caules e raízes das macrófitas.Palavras-chave: peixes, vegetação flutuante, planície alagada, sazonalidade.
      PubDate: 2020-07-30
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p38-45
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • ATIVIDADE ANTIBACTERIANA DO ÓLEO ESSENCIAL E EXTRATOS DE Lippia sidoides
           (CHAM.) VERBENACEAE E DO TIMOL FRENTE À Aeromonas hydrophila

    • Authors: Cláudia Majolo, Ana Maria Souza Silva, Patrícia Castro Monteiro, Franmir Rodrigues Brandão, Francisco Célio Maia Chaves, Edsandra Campos Chagas
      Pages: 46 - 49
      Abstract: Dentre os agentes etiológicos envolvidos com doenças bacterianas na piscicultura destaca-se a Aeromonas hydrophila, sendo o emprego de plantas com potencial bioativo uma alternativa para o seu controle em substituição ao uso de antibióticos. Várias propriedades biológicas têm sido atribuídas ao óleo essencial e extratos de Lippia sidoides (Cham.) Verbenaceae. Sendo assim, o objetivo deste estudo foi avaliar a atividade antibacteriana do óleo essencial, extrato aquoso e etanólico de L. sidoides, bem como de seu composto majoritário frente à A. hydrophila. Para isto, o extrato etanólico foi obtido através do contato das folhas trituradas com álcool etílico e posterior filtração a vácuo e remoção do solvente. O extrato aquoso por maceração com água destilada e filtração a vácuo, e o óleo essencial por hidrodestilação. Posteriormente, a atividade antibacteriana foi avaliada determinando a concentração inibitória mínima (CIM) e a concentração bactericida mínima (CBM) através da técnica de microdiluição. Os resultados deste estudo permitiram evidenciar a atividade antibacteriana tanto dos dois tipos de extratos de L. sidoides, bem como de seu óleo essencial e do timol frente à A. hydrophila. Entretanto, verificou-se maior atividade do timol, seguida do extrato etanólico, óleo essencial e extrato aquoso. A CIM e a CBM para o timol foram de: 78,13 µg mL-1 e 104,17 µg mL-1, para o extrato etanólico: 520 µg mL-1 e 625 µg mL-1, para o óleo essencial e extrato aquoso: 1.250 µg mL-1 para CIM e CBM. Evidenciou-se neste estudo forte atividade antibacteriana do composto timol e extrato etanólico.Palavras-chave: Concentração inibitória mínima, concentração bactericida mínima, alecrim-pimenta, terpeno.
      PubDate: 2020-07-30
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p46-49
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE PESQUEIRA DAS COMUNIDADES DO ENTORNO DO
           PARQUE ESTADUAL MONTE ALEGRE, PARÁ, BRASIL

    • Authors: Ivoneide Ferreira Silva, Tony Marcos Porto Braga, Keid Nolan Silva Sousa
      Pages: 50 - 59
      Abstract: O presente trabalho teve como objetivo caracterizar a atividade pesqueira realizada por comunidades do entorno do Parque Estadual Monte Alegre, uma Unidade de Conservação de proteção integral, localizada em sua totalidade nos limites da APA Paituna, uma Unidade de Conservação de uso sustentável. Os dados foram coletados de janeiro a novembro de 2014, em seis comunidades localizadas no entorno do Parque. Fez-se uso de entrevistas, com auxílio de questionários semiestruturados, com os pescadores indicados como especialista em pesca e que estivesse na atividade a mais de 15 anos. As informações coletadas foram digitalizadas em bancos de dados relacionais e analisadas com estatística descritiva. Os pescadores do entorno do PEMA fazem dois tipos de uso dos recursos pesqueiros: consumo e venda. Os lagos são os ambientes mais utilizados, sendo que os mais piscosos estão localizados fora da Unidade de Conservação. Utilizam-se de embarcações de pequeno porte como o casco e canoa com remo, a canoa motorizada e o barco com motor de centro. A malhadeira foi o arreio mais utilizado e durante o ano todo. O rendimento pesqueiro tem o seu pico na vazante quando ocorre à migração do “peixe gordo”, foram identificadas 35 etnoespécies de peixes, que correspondem a 33 espécies biológicas. A atividade de pesca é associada a outras atividades como a agricultura e a pecuária, particularmente no período da cheia e do defeso. A economia do entorno do PEMA está assentada notadamente, sobre a pesca, uma atividade relevante tanto para a subsistência quanto para o comércio.Palavras-chave: áreas protegidas, etnoconhecimento, recursos pesqueiros, esforço pesqueiro, recursos naturais.
      PubDate: 2020-06-30
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p50-59
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • CARACTERIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DOS PACIENTES ATENDIDOS NO CENTRO DE
           TRATAMENTO DE QUEIMADOS DO AMAPÁ

    • Authors: Lucas Vinícius Rezende de Morais, Luan Matos de Souza, Bianca Santana de Albuquerque, Camila Alves Corrêa Neiva, Luíza Alves Cantanhede, Nayara de Castro Valente, Claudio Alberto Gellis de Mattos Dias, José Augusto Pupio Reis Júnior, Daniel Monteiro Fernandes, Amanda Alves Fecury
      Pages: 60 - 63
      Abstract: Queimaduras são lesões causadas por fontes de calor, geralmente restritas à pele. Seu grau de importância e gravidade varia de acordo com sua origem, podendo ser classificada de diferentes maneiras, seja ela por profundidade desta lesão, por extensão ou por agente causador. Este estudo teve como objetivo quantificar os casos de queimaduras dos pacientes atendidos no Hospital de Emergências (HE) do Estado do Amapá, no município de Macapá, no período de 2012 a 2015. Os registros coletados foram analisados quanto ao sexo, idade, causas, superfície corporal queimada, grau de queimadura, tempo de internação, agente causador e mortalidade. O estudo foi submetido e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CAAE:66761717.8.0000.0003). Dos 1460 registros analisados houve predominância do masculino (54,04%); prevalência de queimaduras no grupo de indivíduos de 0 a 18 anos (44,52%); predomínio de lesões de segundo grau (38,97%); alta no mesmo dia da internação (70,41%); 0 e 10% da área corpórea atingida (73%); e o líquidos superaquecidos foram os agentes mais prevalentes (53,9%).Os fatos parecem apontar para uma falta de orientação acerca dos EPIs e cuidados na prática laboral. O cuidado e orientação parental, em casa, poderia ajudar na prevenção de acidentes com líquidos superaquecidos.Palavras-chave: Queimaduras, Epidemiologia, Hospital de Emergência.
      PubDate: 2020-06-30
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p60-63
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • PADRÕES DE OCUPAÇÕES DE CONCHAS DE GASTRÓPODES POR Clibanarius
           vittatus (BOSC, 1802): UM ESTUDO DE CASO NA COSTA AMAZÔNICA

    • Authors: Karina Suelen Santana Reis, Raynara Costa Mello, Clea Camila de Souza Rocha, Cesar França Braga
      Pages: 64 - 67
      Abstract: Os caranguejos eremitas são decápodes, anomuros cosmopolitas, que ocupam especialmente as conchas de moluscos gastrópodes. Seu padrão de ocupação de conchas foi descrito em várias regiões do mundo, mas ainda é pouco estudado na costa amazônica. O objetivo deste artigo foi estudar o padrão de ocupação das conchas de gastrópodes pelo caranguejo eremita Clibanarius vittatus (Bosc, 1802) de acordo com o sexo. Foram tomadas medidas morfométricas do caranguejo e da concha, o sexo do caranguejo foi determinado para análises comparativas da ocupação da concha. As coletas foram realizadas na Praia de Ajuruteua, Bragança, Pará, em março e outubro de 2015. Um total de 729 caranguejos eremitas da espécie Clibanarius vittatus foram encontrados em sete conchas de gastrópodes: Stramonita haemastoma, S. trinitatensis, Coralliophila caribaea, S. mariae, Latiaxis mansfieldi, Natica lívida e N. marochiensis. Os machos eram os maiores, seguidos por fêmeas ovígeras e indivíduos intersexuais, e ocupavam as maiores conchas. A estação chuvosa parece afetar a reprodução do caranguejo eremita na região nordeste do estado do Pará. Independentemente do sexo, os caranguejos eremitas mostraram preferência pelo uso de conchas das espécies S. haemastoma (53,22%) e S. trinitatensis (43,07%). Essas conchas, além da alta disponibilidade local, possuem atributos que beneficiam a reprodução e sobrevivência de C. vittatus. Além disso, os machos parecem selecionar conchas maiores porque se ajustam a um tamanho corporal maior e as fêmeas ovígeras as selecionam para proteção dos ovos.Palavras-chave: Estuário do rio Caeté, concha, metabiose, caranguejo eremita, proto-cooperação.
      PubDate: 2020-06-30
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p64-67
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
  • NOVO REGISTRO DE OCORRÊNCIA DAS AVES Ognorhynchus icterotis (PSITTACIDAE)
           E Atlapetes fuscoolivaceus (PASSERELLIDAE) PARA O LESTE DOS ANDES DA
           COLÔMBIA: AMEAÇAS LOCAIS E IMPLICAÇÕES PARA A CONSERVAÇÃO

    • Authors: Deyla Paula de Oliveira, Juan Miguel Ruiz-Ovalle
      Pages: 68 - 72
      Abstract: Apresentamos novos registros de ocorrência para duas espécies de aves ameaçadas, Ognorhynchus icterotis e Atlapetes fuscoolivaceus da bacia do rio Cabrera, noroeste do Departamento de Huila na Colômbia. Também descrevemos algumas observações sobre seu comportamento, hábitat e as ameaças sofridas por essas espécies nessa localidade. As espécies foram encontradas em uma paisagem de florestas sub-andina e andina, entre 1500 e 2600 m de altitude, ampliando dessa forma a área de distribuição de A. fuscoolivaceus e sendo encontrada uma possível nova população das duas espécies na localidade.Palavras-chave: bandos, desmatamento, fragmentação, palmeiras.
      PubDate: 2020-06-30
      DOI: 10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v10n2p68-72
      Issue No: Vol. 10, No. 2 (2020)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 3.227.249.155
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-