Publisher: PePSIC   (Total: 49 journals)   [Sort by number of followers]

Showing 1 - 49 of 49 Journals sorted alphabetically
Acta Comportamentalia     Open Access   (Followers: 4)
Barbaroi     Open Access  
Boletim de Psicologia     Open Access  
Cadernos de psicanálise (Rio de Janeiro)     Open Access   (Followers: 1)
Cadernos de Psicologia Social do Trabalho     Open Access   (Followers: 1)
Ciências & Cognição     Open Access   (Followers: 1)
Cógito     Open Access  
Construção Psicopedagógica     Open Access  
Contextos Clínicos     Open Access  
Cuadernos de Neuropsicología     Open Access   (Followers: 2)
Estilos da Clinica     Open Access  
Estudos de Psicanálise     Open Access   (Followers: 1)
Eureka (Asunción) en Línea     Open Access   (Followers: 1)
Gerais : Revista Interinstitucional de Psicologia     Open Access  
Ide     Open Access  
Jornal de Psicanálise     Open Access  
Mental     Open Access  
Natureza Humana     Open Access  
Pensando Familias     Open Access  
Psicologia da Educação     Open Access  
Psicologia em Pesquisa     Open Access  
Psicologia em Revista     Open Access  
Psicologia Ensino & Formação     Open Access  
Psicologia Hospitalar     Open Access   (Followers: 1)
Psicologia para América Latina     Open Access  
Psychê     Open Access  
Reverso     Open Access  
Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano     Open Access   (SJR: 0.229, CiteScore: 1)
Revista Brasileira de Psicodrama     Open Access  
Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva     Open Access  
Revista Brasileira de Terapias Cognitivas     Open Access  
Revista da Abordagem Gestáltica     Open Access   (SJR: 0.124, CiteScore: 0)
Revista da SBPH     Open Access  
Revista da SPAGESP     Open Access  
Revista de Etologia     Open Access  
Revista do NUFEN     Open Access  
Revista Mal-estar E Subjetividade     Open Access  
Revista Mexicana de Orientación Educativa     Open Access   (Followers: 1)
Revista Psicologia     Open Access  
Revista Psicologia e Saúde     Open Access  
Revista Psicologia Política     Open Access  
Revista Psicopedagogia     Open Access  
Salud & Sociedad: investigaciones en psicologia de la salud y psicologia social     Open Access  
SMAD, Revista Electronica en Salud Mental, Alcohol y Drogas     Open Access   (Followers: 2)
Stylus (Rio de Janeiro)     Open Access  
Temas em Psicologia     Open Access   (SJR: 0.173, CiteScore: 0)
Tempo Psicanalitico     Open Access   (Followers: 1, SJR: 0.113, CiteScore: 0)
Trivium : Estudos Interdisciplinares     Open Access  
Winnicott e-prints     Open Access  
Similar Journals
Journal Cover
Natureza Humana
Number of Followers: 0  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Print) 1517-2430 - ISSN (Online) 2175-2834
Published by PePSIC Homepage  [49 journals]
  • No title

    • Abstract: Este trabalho realiza aproximações entre os conceitos freudianos de narcisismo e de desamparo (Hilflosigkeit). O objetivo é refletir sobre o modo como o isolamento social e a pandemia de 2020 afetam nossas relações com o corpo, com as experiências de perda e de angústia diante do risco de adoecimento e morte. Discute-se que evitar o encontro com o desamparo fomenta modalidades de subjetivação por sujeição e por fixação melancólica, bem como atitudes de negação em relação à experiência da realidade. O excesso de demandas de amor e amparo reduz o sofrimento ao anseio por reasseguramento narcísico, o que limita a busca de transformação da experiência do desamparo e do próprio ato de sofrer. A partir do aporte teórico e clínico psicanalíticos, discutimos modalidades de reação social e subjetiva na atual configuração sociopolítica da pandemia. Concluímos que existe um egoísmo a ser abandonado, sob a pena de adoecermos muito mais. Este parece ser o caso da fixação aos sistemas fechados e totais.This paper approaches the Freudian concepts of narcissism and psychoanalysis (Hilflosigkeit). The objective is to reflect on how social isolation and the 2020 pandemic affect our relationship with the body, as well as experiences of loss and anguish related to the risk of illness and death. It is argued that avoiding encounters with helplessness promotes subjectivity modalities throughout subjection and melancholic fixation, as well as attitudes of denial related to the experience of reality. The excessive demand for love and support reduces suffering to the desire for narcissistic reassurance, which limits the search for transformation over the experience of helplessness and the very act of suffering itself. Based on theoretical and clinical psychoanalytic contribution, we discuss ways of social and subjective reaction in the socio-political configuration of the current pandemic context. We conclude that there is a selfishness to be abandoned, under the penalty of us becoming sicker. This seems to be the case of fixation to closed and total systems.
       
  • No title

    • Abstract: Este artigo busca analisar o aspecto mais cruel do fenômeno Bolsonaro, legitimado pela população: a indiferença ao genocídio impetrado à população mais pobre do país, por meio ao descaso do governo em tomar medidas que pudessem atenuar a pandemia. Por meio da análise da desilusão que essa indiferença revelou, tenta-se mostrar as três figuras do ressentimento manifestas no apoio e nas ações do governante: a de um severo supereu moralista; a da psicologia das massas, isto é, do ódio ao diferente, acirrado pelo racismo; e, por fim, da submissão incondicional e auto-sacrifício. Três figuras constituintes da psicologia dos filhos da horda primitiva, descritas por Freud em Visão geral das neuroses de transferência. A questão principal abordada no artigo, no entanto, é a relação da indiferença ao genocídio e o racismo brasileiro, compreendido em sua dimensão estrutural, histórica e atual.This article seeks to analyze the most cruel aspect of the Bolsonaro phenomenon, legitimized by the population: indifference to genocide imposed on the poorest population in the country, through the government's neglect to take steps that could mitigate the pandemic. Through the analysis of the disillusion that this indifference revealed, we try to show the three figures of resentment manifested in the government's support and actions: a severe moralist superego; the psychology of the masses, that is, the hatred of different, intensified by racism; and, finally, unconditional submission and self-sacrifice. Three constituent figures of the children's psychology on the primitive horde, described by Freud in Overview of transference neuroses. The main issue addressed in the article, however, is the relationship of indifference to genocide and Brazilian racism, understood in its structural, historical and current dimension.
       
  • No title

    • Abstract: Trata-se de examinar o ensaio O mal-estar na civilização, de Freud (1930), a partir de leituras feministas decoloniais, especialmente da obra Um feminismo decolonial, de Françoise Vergès (2020), e de Memórias da plantação, de Grada Kilomba (2019). Freud diz que há três ameaças feitas à civilização. Uma delas viria de cristãos que desnutriram a vida terrena com suas crenças na vida do além; outra teria sido feita por mulheres sedentas de sexo e de afetos familiares, dois aspectos que disputariam investimento libidinal com a cultura e o âmbito público da vida, espaços exclusivos de homens, únicos verdadeiramente capazes de sublimação; a última seria oriunda de cidadãos europeus simpatizantes dos povos colonizados. Não se trata aqui de julgar Freud anacronicamente por suas posições e elaborações teóricas pautadas em visões alinhadas aos processos de colonização e à misoginia. Apontar esses embaraçosos pontos é interessante hoje apenas na medida em que "ressitua" a psicanálise contemporânea e a coloca em alerta sobre esses lugares um tanto quanto retrógrados em termos civilizatórios. De qualquer maneira, o Moisés de Freud ainda é um texto freudiano que pode fazer frente aos tropeços do velho pai da psicanálise.It is a question of examining the essay Culture and its Discontents, written by Freud (1930), from a decolonial feminist perspective, especially from Françoise Vergès' (2020) A decolonial feminism and Grada Kilomba's (2019) Memories of plantation. Freud says that there are three threats made to civilization. One would come from Christians who have malnourished earthly life with their beliefs in the hereafter; another would have been made by women thirsty for sex and family affections, two aspects that would dispute libidinal investment with culture and the public sphere of life, spaces exclusive for men, the only ones truly capable of sublimation; the latter would come from European citizens sympathetic to the colonized peoples. It is not a matter of judging Freud anachronically by his positions and theoretical elaborations based on visions aligned with the colonization processes and misogyny. Pointing out these embarrassing points is interesting today only insofar as it re-situates contemporary psychoanalysis and puts it on alert about these places somewhat retrograde in civilizing terms. In any case, Freud's Moses is still a Freudian text that can face the stumbling blocks of the old father of psychoanalysis.
       
  • No title

    • Abstract: A fim de circunscrever minhas reflexões no tema deste colóquio, que tem pandemia em seu título assim como sofrimento e morte, proponho, como muitos colegas já fizeram e ainda o farão, resgatar noções freudianas sobre a pulsão de morte e sobre a cultura. Ao mesmo tempo, trarei alguns elementos para pensar a pandemia como Acontecimento, de acordo com o aparato conceitual dado por Gilles Deleuze, em que o conceito de pulsão de morte também será fundamental, entrando em novas composições. Se em Freud a pulsão de morte torna-se fundamental para compreender a agressividade e a repetição, Deleuze efetua algumas torções conceituais para associá-la sobretudo à criação.In order to delineate my reflections on the theme of this colloquium, which has the word pandemic in its title as well as suffering and death, I propose, as many colleagues have already done and will still do, to recapture the freudian notions about the death drive and the culture. At the same time, I will bring some elements to think about the pandemic as an Event, according to the conceptual apparatus given by Gilles Deleuze, in which the concept of death drive will also be fundamental, although entering into new compositions. If in Freud the death drive becomes central to understand aggression and repetition, Deleuze makes some conceptual torsions to associate it mainly with creation.
       
  • No title

    • Abstract: O presente escrito examina alguns aspectos do argumento de Freud em Além do Princípio de Prazer a fim de compreender a transição de inorgânico para orgânico e a importância da memória em processos vitais.The present paper examines some aspects of Freud's argument in Beyond the Pleasure Principle in order to understand the transition from inorganic to organic and the importance of memory in vital processes.
       
  • No title

    • Abstract: Em homenagem ao centenário da primeira edição do Além do princípio de prazer (1920-2020), propomos neste artigo uma história documental do texto freudiano supracitado. Dois elementos serão priorizados aqui, o contexto editorial mais amplo em meio ao qual a obra foi publicada e os manuscritos que deram origem à versão final do texto. Ao cabo deste estudo, duas hipóteses serão sustentadas, a de que o Além do princípio de prazer foi concebido por Freud como um trabalho clínico com pretensões científicas e a de que ele foi escrito em um diálogo constante com outros psicanalistas e pesquisadores.In tribute to the centenary of the first edition of Beyond the Pleasure Principle (1920-2020), we propose in this article a documental history of the Freudian text. Two elements will be prioritized here, the wider editorial context in which the work was published and the manuscripts that gave rise to the final version of the text. At the end of this study, two hypotheses will be sustained, that Beyond the Pleasure Principle was conceived by Freud as a clinical work with scientific pretensions and that it was written in a permanent dialogue with other psychoanalysts and researchers.
       
  • No title

    • Abstract: O objetivo deste artigo é destacar o caráter violento da ordem do significante da teoria lacaniana de modo que essa violência serve de fundamento para todas as outras que se desdobram no meio social. Dessa maneira, utilizamos a definição de violência apresentada por Slavoj Žižek para que se possa diferenciar a violência enquanto subjetiva, objetiva e do significante. Após isso, nos detemos em abordar a constituição do campo simbólico a partir da fantasia, para explicitar o caráter violento do significante que separa o sujeito da efetividade, permitindo a apreensão do mundo e a vida em sociedade, mas que impossibilita o combate à violência do significante. Por fim, apresentamos o ato de Antígona como uma possibilidade de combate à violência do significante.The purpose of this paper is to highlight the violent character of the signifier's order of the lacanian theory, of so that such violence serves as a foundation for all others that unfold in the social environment. Thus, we use the definition of violence presented by Slavoj Žižek to differentiate violence as subjective, objective and of the signifier. After that, we approach the constitution of the symbolic realm from the fantasy to explain the violent character of the signifier that separates the subject from the effectiveness, allowing the apprehension of the world and life in society, although making it impossible to fight the violence of the significant. Finally, we present Antigone's act as a possibility to combat the violence of the signifier.
       
  • No title

    • Abstract: A pandemia de corona vírus, com início em março de 2020 no Brasil, impôs aos indivíduos mudanças na realidade material. Com Freud (1900), estabelece-se que essa realidade compartilhada não é percebida por todos do mesmo modo, constituindo, com isso, outra realidade, a saber, a psíquica. Na obra freudiana, a castração aparece como elemento central para se pensar a formação da realidade psíquica em cada um, relação brevemente demonstrada neste trabalho. O objetivo deste artigo foi questionar as diferentes formações psíquicas geradas diante de um mesmo cenário, especificamente a melancolia. A escolha por essa patologia se deu pelo seu quadro depressivo presente atualmente em muitos relatos. Para tanto, relacionou-se a melancolia à castração, indicando o modo como esta é vivida nessa patologia. Na teoria freudiana, a castração é tomada como sinônimo da percepção da diferença da realidade material que acarreta uma perda de um estado de idealização narcísico. Diante dessa constatação, o melancólico se inebria, impossibilitado de renunciar ao estado de idealização. Conclui-se que as mudanças impostas pelo contexto atual podem ser vivenciadas de modo melancólico, enquanto repetição de um excesso de idealização que se recusa renunciar.The corona virus pandemic, which started in Brazil in March 2020, imposed to the individuals changes in their material reality. Freud (1900) established that this shared reality is not perceived in the same way by everyone, thus constituting another reality, the psychic one. In Freud's work, castration appears as a central element to think the formation of psychic reality in each one, a relation briefly demonstrated in this paper. The aim of this article was to inquire the different psychic formations generated in the same scenario, specifically melancholy. The choice for this pathology was due to its depressive condition, which can be found in many actual narratives. For that, melancholy was related to castration, indicating how it is experienced in this pathology. In Freud's theory, castration is understood as a synonym for the perception of the difference in material reality, which conducts to a loss of a narcissistic idealization state. Facing this fact, the melancholy would inhibit, unable to renounce the state of idealization. We conclude that the changes imposed by the current context can be experienced in a melancholic way, as a repetition of an excess of idealization that refuses to renounce.
       
  • No title

    • Abstract: Este artigo objetiva investigar, a partir do caminho percorrido pelo conceito de repressão nos textos de Freud de 1891 a 1915, possíveis formas de associar como a "tensão" entre as noções de realidade e percepção influencia a forma como um indivíduo recepciona um conteúdo perceptivo a partir de um estímulo externo (visual ou acústico), e se isso pode sofrer alguma "perturbação" em tempos de pandemia. Por "perturbação" entendemos tanto os casos em que os estímulos externos (mesmo que recepcionados pelos órgãos do sentido) encontram-se impossibilitados de se associar a uma cadeia de representações, quanto os casos em que os estímulos externos se apresentem distorcidos, para que seja suportável ao indivíduo o seu pertencimento a alguma rede de representações.This article aims to investigate, from the path taken by the concept of repression in Freud's texts from 1891 to 1915, possible ways of associating how the "strain", between the notions of reality and perception influences how an individual receives a perceptive content from an external stimulus (visual or acoustic), and whether this can suffer any "disruption" in times of pandemic. By "disturbance" we mean both cases in which external stimulus (even if received by the organs of the sense) are unable to associate themselves with a chain of representations, as the cases in which the external stimuli are distorted, to make it possible for the individual to belong to a network of representations.
       
  • No title

    • Abstract: Assistimos, nos últimos tempos, ao aumento de antigos e permanentes atos abusivos em várias partes do mundo e no Brasil. No tocante à pandemia, presenciamos também, junto com esse aumento, outro elemento que configura uma atitude dos indivíduos em relação ao conhecimento. Tal atitude, considerada por muitos como negacionismo, faz com que nos deparemos, diariamente, com inúmeras pessoas rejeitando o conhecimento já adquirido por nossa sociedade. A essa atitude, Bion (1958/1993) denominou de arrogância. Portanto, o presente trabalho pretende explicitar tal atitude e sua relação com o conhecimento e com a verdade.We have seen, in recent times, na increase in old and permanent abusive acts in various parts of the world and also in Brazil. Along with the pandemic, we witnessed another element that constitutes an attitude of individuals in relation to knowledge. Bion (1958/1993) called this attitude arrogance. Therefore, the present work intends to explain this attitude and its relation with knowledge and truth.
       
  • No title

    • Abstract: Diante das reações de negação à pandemia de Covid-19, bem como de desrespeito às recomendações sanitárias de isolamento social, procuramos, a partir de Sigmund Freud e de Georges Canguilhem, fornecer operadores conceituais para a circunscrição de tais movimentos, antagônicos à manutenção de uma vida em sociedade. Do primeiro autor, situamos como o fenômeno da regressão desencadeado diante de contingências ambientais revela vicissitudes na formação de uma coletividade engajada com ela mesma. Já do segundo, veremos como a sociedade, diferentemente de um órgão ou um organismo vivo, não possui finalidade intrínseca, gerando com isso infindáveis debates quanto a como deve ser seu ordenamento. Com isso, observamos que os movimentos de boicote às recomendações de autoridades de saúde são condizentes com uma sociedade pouco altruísta (Freud) e que somente sobrevive através de crises no que diz respeito a seus fins (Canguilhem). Ao final, colocamos que a noção de normatividade vital contribui para a proposição de uma vida em sociedade cuja criação e revisão incessante de seus modos de existência pode ser uma ferramenta para evitar, ou postergar, seu colapso.Considering the denials to the Covid-19 pandemic, as well as the disrespect for the sanitary recommendations of social isolation, this work seeks to provide, from the perspective of Sigmund Freud and Georges Canguilhem, conceptual operators for the circumscription of such movements, antagonistics to the maintaining of a life in society. From a Freudian perspective, we situate how the phenomenon of regression triggered in the face of environmental contingencies reveals vicissitudes in the formation of a community engaged with itself. Considering Canguilhem's perspective, we will see how society, unlike a living organ or organism, has no intrinsic purpose, thereby generating endless debates about how its ordination should be. With that, we observed that the boycott movements to the recommendations of health authorities are consistent with a society that is not altruistic (Freud) and that only survives through crises regarding to its purposes (Canguilhem). In the end, we propose that the notion of vital normativity contributes to the proposition of a life in society whose creation and incessant review of their ways of existence can be a tool to prevent, or postpone, their collapse
       
  • No title

    • Abstract: A pandemia e o isolamento social nos recolocaram velhas questões filosóficas e psicanalíticas ligadas à destrutividade humana e ao significado da cultura no conjunto da natureza. O negacionismo alimentado por informações falsas, especialmente, força-nos a pensar o papel da racionalidade nesse contexto e as razões pela quais as pessoas agem contra si mesmas, apesar de toda informação disponível que recomenda o isolamento como única alternativa à propagação do COVID-19. O objetivo deste artigo é refletir sobre essas questões e o que está no fundo destas, a saber, a irracionalidade inerente à existência e à vida dos impulsos do ponto de vista de Freud.The pandemic and the social isolation brought us back to old philosophical and psychoanalytic issues linked to human destructiveness and the meaning of culture in nature as a whole. Denialism fueled by false information, especially, forces us to think about the role of rationality in this context and the reasons why people act against themselves, despite all available information that recommends isolation as the only alternative to the spread of COVID-19. The purpose of this article is to reflect on these issues and what lies behind them, namely, the irrationality inherent to the existence and to the life of impulses from Freud's point of view.
       
  • No title

    • Abstract: Este artigo objetiva refletir sobre como a perspectiva de futuro tem incidido nos adolescentes em acolhimento institucional. Realizou-se uma revisão bibliográfica de artigos científicos e livros, utilizando-se os aportes psicanalíticos de D. W. Winnicott para a reflexão teórica. A perspectiva de futuro foi pensada pela noção de esperança, indicando a busca pela reparação de lacunas impostas pelo ambiente provedor. Os conceitos de esperança e regressão são centrais para evidenciar a possibilidade de retomada do amadurecimento saudável. Verificou-se que a esperança e a perspectiva de futuro são fatores protetivos nessa população. Também a manutenção do convívio familiar e comunitário, os vínculos afetivos na instituição e o vislumbre profissional favorecem a crença em um futuro construtivo, podendo ser moderadores dos impactos negativos.This article aims to reflect on how the future perspective has focused on adolescents in institutional shelter. A bibliographical review of scientific articles and books was performed, using D. W. Winnicott's psychoanalytical contributions for theoretical reflection. The future perspective was conceived by the notion of hope, indicating the search for the repair of gaps imposed by the provider environment. The concepts of hope and regression are central to highlighting the possibility of resuming healthy maturation. Hope and future prospects were found to be protective factors in this population. The maintenance of family and community life, the affective bonds in the institution and the professional glimpse also favor the belief in a constructive future and may be moderators of negative impacts.
       
  • No title

    • Abstract: Este artigo parte da interrogação da capacidade da escola oferecer a possibilidade da criança ser ela própria, em sua verdadeira essência (existencial e subjetiva), durante o processo educativo. Para tanto, far-se-á uso do conceito de Winnicott de falso self, a fim de desdobrar o problema proposto. Descreve, primeiramente, a definição de falso self sob a perspectiva winnicottiana. Após isso, para enriquecer o debate, será tomado como ponto de partida, o conto de Rubem Alves (2010) intitulado "Pinóquio às avessas". Por fim, sugere-se uma aproximação da moral da história com a ideia de Winnicott sobre o desenvolvimento saudável da personalidade do ser humano, que tem como princípio, a capacidade de vir a ser, e viver as experiências de modo significativo (e apropriado).This article is based on the question of the capacity of the school to offer the possibility of the child being itself, in its true essence (existential and subjective), during the educational process. For this purpose, the concept of Winnicott of false self will be used in order to unfold the proposed problem. It describes, firstly, the definition of false self under the Winnicottian perspective. After that, to enrich the debate, will be taken as a starting point, the tale of Rubem Alves (2010) entitled "Pinocchio in reverse." Finally, we suggest an approximation of the moral of the story with the idea of Winnicott on the healthy development of the personality of the human being, whose principle is the capacity to be, and to live the experiences in a significant (and appropriate).
       
  • No title

    • Abstract: O presente artigo trata do sentido do Ser, questão central da obra de Martin Heidegger, Ser e Tempo. Compreender o sentido do Ser por ele mesmo, sem que seja por referência a um ente específico é o objetivo de sua Ontologia Fundamental. Para tanto, Heidegger inicia sua investigação pelo sentido do Ser em geral através da busca pelo sentido do Ser do Dasein. Esse método pode levar à compreensão de que o sentido do Ser em geral é "retirado" do sentido do Ser do Dasein, o que impossibilitaria o estabelecimento da Ontologia Fundamental enquanto compreensão do Ser sem relação ao ente. Sendo assim, nosso objetivo é esclarecer que a temporalidade (Zeitlichkeit) é o sentido do Ser do Dasein, que é transcendente a ele, e que ao entendermos autenticamente a nossa existência já estamos lançando mão da temporalidade e não o contrário. Outrossim, veremos que há diferença entre a temporalidade (Zeitlichkeit) e a temporialidade (Temporalität) e que essa diferença será determinante para o entendimento da investigação diretriz da Ontologia Fundamental.This article deals with the meaning of Being, a central issue in the work of Martin Heidegger: Being and Time. Understanding the meaning of Being by itself, without reference to a specific being, is the objective of his Fundamental Ontology. For this, Heidegger begins his investigation of the meaning of Being in general through the search for the meaning of Being of Dasein. This method can lead to the understanding that the meaning of Being in general is "taken away from" the meaning of Being of Dasein, what would make impossible the establishment of Fundamental Ontology as an understanding of the Being without relation to the being. Therefore, our aim is to clarify that temporality (Zeitlichkeit) is the meaning of the Dasein's being, that it is transcendent to him, and that, when we authentically understand our existence, we are already using temporality and not the contrary. Furthermore, we will see that there is a difference between temporality (Zeitlichkeit) and temporality (Temporalität) and that this difference will be decisive for the understanding of the investigation of Fundamental Ontology.
       
  • No title

    • Abstract: O presente artigo trata do sentido do Ser, questão central da obra de Martin Heidegger, Ser e Tempo. Compreender o sentido do Ser por ele mesmo, sem que seja por referência a um ente específico é o objetivo de sua Ontologia Fundamental. Para tanto, Heidegger inicia sua investigação pelo sentido do Ser em geral através da busca pelo sentido do Ser do Dasein. Esse método pode levar à compreensão de que o sentido do Ser em geral é "retirado" do sentido do Ser do Dasein, o que impossibilitaria o estabelecimento da Ontologia Fundamental enquanto compreensão do Ser sem relação ao ente. Sendo assim, nosso objetivo é esclarecer que a temporalidade (Zeitlichkeit) é o sentido do Ser do Dasein, que é transcendente a ele, e que ao entendermos autenticamente a nossa existência já estamos lançando mão da temporalidade e não o contrário. Outrossim, veremos que há diferença entre a temporalidade (Zeitlichkeit) e a temporialidade (Temporalität) e que essa diferença será determinante para o entendimento da investigação diretriz da Ontologia Fundamental.This article deals with the meaning of Being, a central issue in the work of Martin Heidegger: Being and Time. Understanding the meaning of Being by itself, without reference to a specific being, is the objective of his Fundamental Ontology. For this, Heidegger begins his investigation of the meaning of Being in general through the search for the meaning of Being of Dasein. This method can lead to the understanding that the meaning of Being in general is "taken away from" the meaning of Being of Dasein, what would make impossible the establishment of Fundamental Ontology as an understanding of the Being without relation to the being. Therefore, our aim is to clarify that temporality (Zeitlichkeit) is the meaning of the Dasein's being, that it is transcendent to him, and that, when we authentically understand our existence, we are already using temporality and not the contrary. Furthermore, we will see that there is a difference between temporality (Zeitlichkeit) and temporality (Temporalität) and that this difference will be decisive for the understanding of the investigation of Fundamental Ontology.
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 54.198.139.112
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-