for Journals by Title or ISSN
for Articles by Keywords
help
Followed Journals
Journal you Follow: 0
 
Sign Up to follow journals, search in your chosen journals and, optionally, receive Email Alerts when new issues of your Followed Jurnals are published.
Already have an account? Sign In to see the journals you follow.
Journal Cover   Geo UERJ
  Follow
    
  This is an Open Access Journal Open Access journal
   ISSN (Print) 1415-7543 - ISSN (Online) 1981-9021
   Published by Universidade do Estado do Rio de Janeiro Homepage  [13 journals]
  • ACÚMULO DE DEPOSIÇÃO DE LIXO EM AMBIENTES COSTEIROS: A
           PRAIA OCEÂNICA DE PIRATININGA – NITERÓI – RJ

    • Authors: Saulo Cezar Guimarães Farias
      Abstract:
      DOI : http://dx.doi.org/10.12957/geouerj.2014.9884 O estágio final das atividades produtivas e consumistas de uma sociedade é a geração de grande quantidade de material de descarte, superior a capacidade da natureza e desta sociedade de eliminá-lo e/ou reutilizá-lo.A produção excessiva de lixo na contemporaneidade compromete o equlíbrio dos ambientes naturais do planeta e a qualidade de vida dos seres que neles sobrevivem. Este trabalho apresenta uma crítica pautada nos conceitos de vulnerabilidades socioambientais das ciências ambientais aos resultados obtidos na coleta de material, observação e pesquisa de campo realizado em um período sazonal e estacionalentre os anos de 2002 e 2003, que teve como objetivo monitorar a poluição, deslocamento e deposição de lixo na praia de Piratininga, Niterói-RJ. Os resultados indicaram que a região é poluída por diversos agentes antrópicos, diretos e indiretos, incidindo descontinuamente e de maneira desigual por toda extensão da praia. Foram observados pelo menos quatro grandes agentes poluidores:as correntes marinhas, os turistas, o comércio local e a ação das ressacas sobre ocalçadão,desmontado-o.A pesquisa aponta para a importância de ações coordenadas entre o poder público, sociedade e iniciativa privada para diminuir a poluição na região e para uma conscientização dos problemas que o lixo causa na praia de Piratininga e nos ambientescosteiros do país. 
      PubDate: 2015-01-08
      Issue No: Vol. 2 (2015)
       
  • APRESENTAÇÃO

    • Authors: Glaucio José Marafon, Antonio Soares da Silva, Mônica Sampaio Machado
      Abstract:
      DOI : http://dx.doi.org/10.12957/geouerj.2014.14434
      Issue No: Vol. 2
       
  • RELAÇÕES CAMPO-CIDADE E A COMERCIALIZAÇÃO
           AGRÍCOLA: notas sobre o espaço fluminense

    • Authors: Glaucio José Marafon, Rogério Seabra
      Abstract:
      DOI : http://dx.doi.org/10.12957/geouerj.2014.14406 As transformações em curso no campo revelam uma necessária separação semântica entre rural e agrícola. As atividades no/do campo, mesmo que pontuais, incorporam o setor de serviços, principalmente, para o caso da Região Serrana Fluminense, o turismo em áreas rurais. Ao mesmo tempo, a produção serrana mantém a função de abastecimento para a capital fluminense e seu entorno, mesmo diante de muitas alterações no campo que, consequentemente,rebatem na forma e nas normas previstas na comercialização. O texto analisa elementos afins presentes nas mudanças no campo a partir da sua relação com as cidades, dentro do contexto da comercialização agrícola e pensando, portanto, as conexões reticulares nesses espaços. 
      Issue No: Vol. 2
       
  • NORMATIVAS URBANAS NO BRASIL IMPERIAL: A CIDADE E A VIDA URBANA NA
           LEGISLAÇÃO BRASILEIRA (1822 – 1850)

    • Authors: Doralice Sátyro Maia
      Abstract:
      DOI : http://dx.doi.org/10.12957/geouerj.2014.14407 A legislação brasileira no que diz respeito ao tratamento das suas cidades e da vida urbana no período imperial revela inspirações nos movimentos para a construção dos Estados Liberais ou do Novo Regime que se davam nos países europeus e nos Estados Unidos. Neste período, muito embora existissem as resoluções municipais, estas eram na maioria das vezes determinadas pela legislação nacional. O propósito deste artigo é mostrar como a cidade e a vida urbana foram regulamentadas pelas leis e pelos decretos que compuseram a Legislação Brasileira, particularmente na primeira metade do século XIX a partir da instalação do que se denomina Brasil Imperial. Desta forma, o intervalo temporal corresponde ao período de 1822 a 1850. A opção por este recorte deu-se em função da preocupação por demonstrar como a legislação brasileira vai redefinindo os regulamentos, as normativas e mesmo o tratamento da cidade e do urbano desde a instalação de uma nova forma de governar e também da construção do Estado Brasileiro. Já a definição do marco final – 1850 -, legitima-se em função da aprovação da Lei de Terras que provocará a partir de então grandes alterações no tratamento da terra tanto rural como urbana e, por conseguinte, do solo urbano com a instituição da propriedade privada. Primeiramente expõe-se a opção metodológica por analisar os documentos oficiais e posteriormente elege-se para análise as principais legislações que tratam da forma administrativa do espaço citadino e particularmente dos documentos que se referem às atribuições das Câmaras Municipais e, por conseguinte, das Posturas Municipais.
      Issue No: Vol. 2
       
  • METROPOLIZAÇÃO DO ESPAÇO, GESTÃO TERRITORIAL E
           RELAÇÕES URBANO-RURAIS: ALGUMAS INTERAÇÕES
           POSSÍVEIS

    • Authors: Alvaro Ferreira, João Rua, Regina Célia de Mattos
      Abstract:
      DOI : http://dx.doi.org/10.12957/geouerj.2014.14408 O artigo desenvolve a hipótese de acordo com a qual a reprodução do espaço, no mundo contemporâneo, aprofunda a contradição entre o processo de produção social do espaço e sua apropriação privada. A metropolização do espaço, num sentido amplo, contribui para transformar as dinâmicas espaciais urbano-metropolitanas em todas as escalas territoriais. O espaço é um produto social e é produzido com intenções que interferem na vida cotidiana. O planejamento e a gestão territorial num momento de agudização das contradições sociais e de práticas excludentes, em todas as escalas geográficas, são definidos na relação com os direitos coletivos e individuais. Em outras palavras, eles operam na presunção de que, por um lado, existe a lógica territorial dos grupos sociais afetados/dominados pelas geometrias de poder, por outro lado, está a lógica dos que gerenciam os projetos de desenvolvimento. A recente corrida global por terra produziu um dramático implemento dos investimentos na compra de terras no Brasil. A tendência atual acentua os processos em curso de elevação dos preços da terra bem como as consequências desses processos. O trabalho enfoca as interações entre a gestão territorial e as relações urbano-rurais integrados pela metropolização do espaço vista como o processo espacial dominante nos dias atuais. 
      Issue No: Vol. 2
       
  • MANAGING WITHOUT GROWTH

    • Authors: Rodrigo de Campos Macedo
      Abstract:
      DOI : http://dx.doi.org/10.12957/geouerj.2014.14409
      Issue No: Vol. 2
       
 
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
Fax: +00 44 (0)131 4513327
 
About JournalTOCs
API
Help
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-2015