for Journals by Title or ISSN
for Articles by Keywords
help
  Subjects -> HEALTH AND SAFETY (Total: 1288 journals)
    - CIVIL DEFENSE (18 journals)
    - DRUG ABUSE AND ALCOHOLISM (86 journals)
    - HEALTH AND SAFETY (520 journals)
    - HEALTH FACILITIES AND ADMINISTRATION (377 journals)
    - OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY (105 journals)
    - PHYSICAL FITNESS AND HYGIENE (101 journals)
    - WOMEN'S HEALTH (81 journals)

HEALTH AND SAFETY (520 journals)                  1 2 3 | Last

Showing 1 - 200 of 203 Journals sorted alphabetically
16 de Abril     Open Access  
A Life in the Day     Hybrid Journal   (Followers: 9)
Acta Informatica Medica     Open Access   (Followers: 1)
Acta Scientiarum. Health Sciences     Open Access  
Adultspan Journal     Hybrid Journal  
Advances in Child Development and Behavior     Full-text available via subscription   (Followers: 10)
Advances in Public Health     Open Access   (Followers: 22)
African Health Sciences     Open Access   (Followers: 2)
African Journal for Physical, Health Education, Recreation and Dance     Full-text available via subscription   (Followers: 6)
African Journal of Health Professions Education     Open Access   (Followers: 5)
Afrimedic Journal     Open Access   (Followers: 2)
Air Quality, Atmosphere & Health     Hybrid Journal   (Followers: 3)
AJOB Primary Research     Partially Free   (Followers: 3)
American Journal of Family Therapy     Hybrid Journal   (Followers: 11)
American Journal of Health Economics     Full-text available via subscription   (Followers: 12)
American Journal of Health Education     Hybrid Journal   (Followers: 28)
American Journal of Health Promotion     Hybrid Journal   (Followers: 23)
American Journal of Health Studies     Full-text available via subscription   (Followers: 10)
American Journal of Preventive Medicine     Hybrid Journal   (Followers: 21)
American Journal of Public Health     Full-text available via subscription   (Followers: 187)
American Journal of Public Health Research     Open Access   (Followers: 28)
American Medical Writers Association Journal     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
Analytic Methods in Accident Research     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Annali dell'Istituto Superiore di Sanità     Open Access  
Annals of Global Health     Open Access   (Followers: 9)
Annals of Health Law     Open Access   (Followers: 3)
Annals of Tropical Medicine and Public Health     Open Access   (Followers: 15)
Applied Biosafety     Hybrid Journal  
Applied Research In Health And Social Sciences : Interface And Interaction     Open Access   (Followers: 1)
Archives of Medicine and Health Sciences     Open Access   (Followers: 3)
Arquivos de Ciências da Saúde     Open Access  
Asia Pacific Journal of Counselling and Psychotherapy     Hybrid Journal   (Followers: 8)
Asia Pacific Journal of Health Management     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
Asia-Pacific Journal of Public Health     Hybrid Journal   (Followers: 8)
Asian Journal of Gambling Issues and Public Health     Open Access   (Followers: 3)
Association of Schools of Allied Health Professions     Full-text available via subscription   (Followers: 6)
Atención Primaria     Open Access   (Followers: 1)
Australasian Journal of Paramedicine     Open Access   (Followers: 2)
Australian Advanced Aesthetics     Full-text available via subscription   (Followers: 4)
Australian Family Physician     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Australian Indigenous HealthBulletin     Free   (Followers: 6)
Autism & Developmental Language Impairments     Open Access   (Followers: 4)
Behavioral Healthcare     Full-text available via subscription   (Followers: 6)
Best Practices in Mental Health     Full-text available via subscription   (Followers: 7)
Bijzijn     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Bijzijn XL     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Biomedical Safety & Standards     Full-text available via subscription   (Followers: 8)
BLDE University Journal of Health Sciences     Open Access  
BMC Oral Health     Open Access   (Followers: 5)
BMC Pregnancy and Childbirth     Open Access   (Followers: 18)
BMJ Simulation & Technology Enhanced Learning     Full-text available via subscription   (Followers: 7)
Brazilian Journal of Medicine and Human Health     Open Access  
Buletin Penelitian Kesehatan     Open Access   (Followers: 2)
Buletin Penelitian Sistem Kesehatan     Open Access  
Bulletin of the World Health Organization     Open Access   (Followers: 16)
Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia     Open Access   (Followers: 1)
Cadernos Saúde Coletiva     Open Access   (Followers: 1)
Canadian Family Physician     Partially Free   (Followers: 12)
Canadian Journal of Community Mental Health     Full-text available via subscription   (Followers: 11)
Canadian Journal of Human Sexuality     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Canadian Journal of Public Health     Full-text available via subscription   (Followers: 19)
Case Reports in Women's Health     Open Access   (Followers: 3)
Case Studies in Fire Safety     Open Access   (Followers: 12)
Central Asian Journal of Global Health     Open Access   (Followers: 2)
Central European Journal of Public Health     Full-text available via subscription   (Followers: 4)
CES Medicina     Open Access  
Child Abuse Research in South Africa     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Child's Nervous System     Hybrid Journal  
Childhood Obesity and Nutrition     Open Access   (Followers: 11)
Children     Open Access   (Followers: 2)
CHRISMED Journal of Health and Research     Open Access  
Christian Journal for Global Health     Open Access  
Ciência & Saúde Coletiva     Open Access   (Followers: 2)
Ciencia y Cuidado     Open Access  
Ciencia, Tecnología y Salud     Open Access  
ClinicoEconomics and Outcomes Research     Open Access   (Followers: 2)
CME     Hybrid Journal   (Followers: 1)
CoDAS     Open Access  
Community Health     Open Access   (Followers: 2)
Conflict and Health     Open Access   (Followers: 8)
Curare     Open Access  
Current Opinion in Behavioral Sciences     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Day Surgery Australia     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
Digital Health     Open Access  
Dramatherapy     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Drogues, santé et société     Full-text available via subscription  
Duazary     Open Access   (Followers: 1)
Early Childhood Research Quarterly     Hybrid Journal   (Followers: 13)
East African Journal of Public Health     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Eating and Weight Disorders - Studies on Anorexia, Bulimia and Obesity     Hybrid Journal   (Followers: 16)
EcoHealth     Hybrid Journal   (Followers: 3)
Education for Health     Open Access   (Followers: 5)
electronic Journal of Health Informatics     Open Access   (Followers: 4)
ElectronicHealthcare     Full-text available via subscription   (Followers: 3)
Elsevier Ergonomics Book Series     Full-text available via subscription   (Followers: 5)
Emergency Services SA     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde     Open Access  
Environmental Disease     Open Access  
Environmental Sciences Europe     Open Access   (Followers: 1)
Epidemics     Open Access   (Followers: 4)
Epidemiologic Perspectives & Innovations     Open Access   (Followers: 4)
Epidemiology, Biostatistics and Public Health     Open Access   (Followers: 19)
Ethics, Medicine and Public Health     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Ethiopian Journal of Health Development     Open Access   (Followers: 8)
Ethiopian Journal of Health Sciences     Open Access   (Followers: 7)
Ethnicity & Health     Hybrid Journal   (Followers: 13)
European Journal of Investigation in Health, Psychology and Education     Open Access   (Followers: 2)
European Medical, Health and Pharmaceutical Journal     Open Access  
Evaluation & the Health Professions     Hybrid Journal   (Followers: 9)
Evidence-based Medicine & Public Health     Open Access   (Followers: 5)
Evidência - Ciência e Biotecnologia - Interdisciplinar     Open Access  
Expressa Extensão     Open Access  
Face à face     Open Access   (Followers: 1)
Families, Systems, & Health     Full-text available via subscription   (Followers: 8)
Family & Community Health     Partially Free   (Followers: 12)
Family Medicine and Community Health     Open Access   (Followers: 5)
Family Relations     Partially Free   (Followers: 11)
Fatigue : Biomedicine, Health & Behavior     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Food and Public Health     Open Access   (Followers: 11)
Frontiers in Public Health     Open Access   (Followers: 7)
Gaceta Sanitaria     Open Access   (Followers: 3)
Galen Medical Journal     Open Access  
Geospatial Health     Open Access  
Gesundheitsökonomie & Qualitätsmanagement     Hybrid Journal   (Followers: 11)
Giornale Italiano di Health Technology Assessment     Full-text available via subscription  
Global Health : Science and Practice     Open Access   (Followers: 5)
Global Health Promotion     Hybrid Journal   (Followers: 16)
Global Journal of Health Science     Open Access   (Followers: 9)
Global Journal of Public Health     Open Access   (Followers: 12)
Global Medical & Health Communication     Open Access   (Followers: 1)
Globalization and Health     Open Access   (Followers: 5)
Hacia la Promoción de la Salud     Open Access  
Hastings Center Report     Hybrid Journal   (Followers: 3)
HEADline     Hybrid Journal  
Health & Place     Hybrid Journal   (Followers: 15)
Health & Justice     Open Access   (Followers: 5)
Health : An Interdisciplinary Journal for the Social Study of Health, Illness and Medicine     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Health and Human Rights     Free   (Followers: 8)
Health and Social Care Chaplaincy     Hybrid Journal   (Followers: 7)
Health and Social Work     Hybrid Journal   (Followers: 48)
Health Behavior and Policy Review     Full-text available via subscription   (Followers: 1)
Health Care Analysis     Hybrid Journal   (Followers: 14)
Health Inform     Full-text available via subscription  
Health Information Management Journal     Hybrid Journal   (Followers: 12)
Health Issues     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
Health Policy     Hybrid Journal   (Followers: 35)
Health Policy and Technology     Hybrid Journal   (Followers: 1)
Health Professional Student Journal     Open Access   (Followers: 1)
Health Promotion International     Hybrid Journal   (Followers: 21)
Health Promotion Journal of Australia : Official Journal of Australian Association of Health Promotion Professionals     Full-text available via subscription   (Followers: 10)
Health Promotion Practice     Hybrid Journal   (Followers: 15)
Health Prospect     Open Access   (Followers: 1)
Health Psychology     Full-text available via subscription   (Followers: 46)
Health Psychology Research     Open Access   (Followers: 18)
Health Psychology Review     Hybrid Journal   (Followers: 39)
Health Renaissance     Open Access  
Health Research Policy and Systems     Open Access   (Followers: 10)
Health SA Gesondheid     Open Access   (Followers: 2)
Health Science Reports     Open Access  
Health Sciences and Disease     Open Access   (Followers: 2)
Health Services Insights     Open Access   (Followers: 2)
Health Systems     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Health Voices     Full-text available via subscription  
Health, Culture and Society     Open Access   (Followers: 11)
Health, Risk & Society     Hybrid Journal   (Followers: 11)
Healthcare     Open Access   (Followers: 1)
Healthcare in Low-resource Settings     Open Access   (Followers: 1)
Healthcare Quarterly     Full-text available via subscription   (Followers: 8)
HERD : Health Environments Research & Design Journal     Full-text available via subscription  
Highland Medical Research Journal     Full-text available via subscription  
Hispanic Health Care International     Full-text available via subscription  
HIV & AIDS Review     Full-text available via subscription   (Followers: 10)
Home Health Care Services Quarterly     Hybrid Journal   (Followers: 5)
Hong Kong Journal of Social Work, The     Hybrid Journal   (Followers: 2)
Hospitals & Health Networks     Free   (Followers: 4)
IEEE Journal of Translational Engineering in Health and Medicine     Open Access   (Followers: 3)
IMTU Medical Journal     Full-text available via subscription  
Indian Journal of Health Sciences     Open Access   (Followers: 2)
Indonesian Journal for Health Sciences     Open Access   (Followers: 1)
Inmanencia. Revista del Hospital Interzonal General de Agudos (HIGA) Eva Perón     Open Access  
Innovative Journal of Medical and Health Sciences     Open Access  
Institute for Security Studies Papers     Full-text available via subscription   (Followers: 6)
interactive Journal of Medical Research     Open Access  
International Health     Hybrid Journal   (Followers: 5)
International Journal for Equity in Health     Open Access   (Followers: 7)
International Journal for Quality in Health Care     Hybrid Journal   (Followers: 33)
International Journal of Applied Behavioral Sciences     Open Access   (Followers: 2)
International Journal of Behavioural and Healthcare Research     Hybrid Journal   (Followers: 7)
International Journal of Circumpolar Health     Open Access   (Followers: 1)
International Journal of Community Medicine and Public Health     Open Access   (Followers: 5)
International Journal of E-Health and Medical Communications     Full-text available via subscription   (Followers: 2)
International Journal of Environmental Research and Public Health     Open Access   (Followers: 20)
International Journal of Evidence-Based Healthcare     Hybrid Journal   (Followers: 8)
International Journal of Food Safety, Nutrition and Public Health     Hybrid Journal   (Followers: 16)
International Journal of Health & Allied Sciences     Open Access   (Followers: 3)
International Journal of Health Care Quality Assurance     Hybrid Journal   (Followers: 9)
International Journal of Health Geographics     Open Access   (Followers: 6)
International Journal of Health Policy and Management     Open Access   (Followers: 3)
International Journal of Health Professions     Open Access   (Followers: 2)
International Journal of Health Promotion and Education     Hybrid Journal   (Followers: 13)

        1 2 3 | Last

Journal Cover Arquivos de Ciências da Saúde
  [0 followers]  Follow
    
  This is an Open Access Journal Open Access journal
   ISSN (Print) 1807-1325 - ISSN (Online) 2318-3691
   Published by Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto Homepage  [1 journal]
  • El Valor Social de Enfermería

    • Authors: Luz Angélica Muñoz
      Pages: 1 - 1
      Abstract: Los profesionales de enfermería y de la salud enfrentan escenarios de gran complejidad, debido a profundas desigualdades y vulnerabilidad social. Entendidas las desigualdades como la diferencia sistemática y estructural en el estado de salud entre y dentro de los grupos sociales. Por otro lado, la vulnerabilidad  social está definida como un fenómeno universal, complejo y multidimensional que afecta a individuos, familias, comunidades y sociedades en su totalidad. La vulnerabilidad social, contiene al menos tres dimensiones: peligros internos del grupo (pobreza),  peligros externos al grupo (terremotos) y capacidad de afrontamiento hacia ambos tipos de peligro, que a su vez pueden ser  internos, como la organización comunitaria ante desastres y externos tal como las políticas de Estado. Según diversos autores la interacción entre estos componentes, debería explicar en gran medida el riesgo de estos grupos de enfermar o de alterar su percepción de bienestar. El valor social de la Enfermería refleja sobre los alcances teóricos de la formación de la profesión con respecto a la misión social del cuidado profesional, y en virtud de las amenazas que vivencian comunidades vulnerables como también sus efectos en la salud de los propios profesionales. De esa manera, como los Objetivos de Desarrollo Sostenible 2016-2020 (PNUD) destacan, las enfermeras tienen un rol vital en la construcción de la resiliencia de las comunidades para responder a las diversas condiciones de salud. La resiliencia (del latin resilio, significa volver a saltar, rebotar, reanimarse), se define como la capacidad de los seres humanos sometidos a los efectos de una adversidad, de superarla, e incluso salir fortalecidos de una situación. Por ello, es necesario comprender el concepto y su aplicación de modo a señalar como la Enfermería  puede potenciar la resiliencia social, participando en el enfrentamiento de los desastres naturales y los profundos conflictos sociales vividos. De este modo, trabajar en resiliencia comunitaria es participar  activamente  en la superación de la vulnerabilidad social. Diversos autores han escrito e investigado sobre la práctica de la Enfermería. Silvina Malvárez (2006), en su Conferencia inaugural en Valencia, España, señala que Enfermería es una profesión de las ciencias sociales, cuyo objeto de estudio e intervención es el cuidado humano. Éste implica la constitución, vivencia, desarrollo, protección y recuperación de la salud y tiene como beneficiarios al sujeto humano como ser cultural, a la familia dentro de una comunidad y a la sociedad. La historia ha dado a la Enfermería la incomparable misión social del cuidado de la vida. De esa manera, el futuro de la salud depende principalmente del papel social para conseguir una atención adecuada en cantidad y calidad. Esta profesión sufre la influencia de las interacciones con los individuos, el grupo social, el ambiente y la organización. Como práctica social, la Enfermería es una profesión dinámica, sujeta a cambios constantes, siendo necesario creer que éstos son posibles y que deben ser implantados.  Estas acciones transformadoras son frutos de reflexiones sobre los nuevos problemas, siempre guiándose por el principio ético de mantener o restaurar la dignidad en todos los ámbitos de la vida. Creemos firmemente que con el desarrollo científico y su base ético política de los  valores del derecho a la salud, de la equidad, de la excelencia, tolerancia, solidaridad y cuidado como valor existencial, la Enfermería puede avanzar sustantivamente a través de la investigación y educación, para una práctica social científica y valórica plena.    
      PubDate: 2017-08-28
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • VALOR ADICIONAL DA FLUORDESOXIGLICOSE MARCADA COM FLÚOR-18 NA AVALIAÇÃO
           DE VIABILIDADE MIOCÁRDICA

    • Authors: Cristiano Augusto Batista, Adriana Iozzi Joaquim, Ricardo José Rambaiolo Ferrari
      Pages: 3 - 5
      Abstract: Introdução: A avaliação da viabilidade miocárdica em pacientes com doença arterial coronariana (DAC) e disfunção ventricular associada é uma ferramenta importante na seleção de pacientes com cardiomiopatia isquêmica, susceptíveis de beneficiarem-se da revascularização do miocárdio. Relato de Caso: Paciente hipertenso em uso regular das medicações e acompanhamento ambulatorial desde 2011, com evento coronariano isquêmico em 2013. O cateterismo cardíaco mostrou lesões no ramo interventricular anterior da coronária esquerda (DA) e artéria coronária direta (CD) que foram tratadas com endoprótese. O paciente começou a desenvolver dispneia aos esforços moderados sendo submetido à cintilografia do miocárdio com sestamibi-99mTc que demostrou isquemia na parede anterior do ventrículo esquerdo e ecocardiograma sem disfunção ventricular. Foi tratado com otimização das medicações, entretanto, no exame cintilográfico de controle, a área isquêmica mostrou-se como hipoperfusão persistente. Um novo cateterismo demonstrou reestenose das endopróteses. Para avaliação de viabilidade do miocárdio, foi utilizada a cintilografia com tálio-201 que não mostrou captação do traçador em território do ramo interventricular anterior. Como o paciente continuou sintomático foi realizada nova tentativa de pesquisa de viabilidade miocárdica com Fluordesoxiglucose-18F, o qual demonstrou parede anterior do ventrículo esquerdo viável. Conclusão: O relato confirma a maior sensibilidade da Tomografia por emissão de pósitrons/tomografia computadorizada com Fluordesoxiglucose 18F na detecção de miocárdio viável.
      PubDate: 2017-07-04
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • RIM EM FERRADURA EM PACIENTE COM DOENÇA RENAL POLICÍSTICA:
           RELATO DE CASO

    • Authors: Nazir Elias Chalela Ayub, Maria Eugênia Santos de Brito, Miguel Bonfitto, Caio Branício Prato, Sergio Luis Aparecido Brienze
      Pages: 6 - 8
      Abstract: Introdução: A doença renal policística é, em grande parte, um acometimento genético autossômico dominante com presença de cistos renais, podendo haver perda da função renal e outras manifestações, como cistos hepáticos, aneurisma cerebral e doenças cardiovasculares. O rim em ferradura é uma anomalia renal mais comum, ocasionada por um defeito na fusão durante a embriologia. É, em geral, assintomático, podendo estar associado com doença renal policística, nefrolitíase, hipertensão renovascular, entre outros. A associação entre as duas entidades é rara, sobretudo seu diagnóstico, quando na maioria dos casos, ocorre em exames de rotina. Objetivo: Relatar o caso raro de um paciente com rim em ferradura associado a doença renal policística. Materiais e Métodos: Revisão do prontuário, registro fotográfico dos métodos diagnósticos e revisão da literatura. Resultados: Paciente masculino, 76 anos, hipertenso e com hiperplasia prostática benigna foi admitido com oligúria, disúria, dor abdominal há cerca de uma semana com piora progressiva. Relatava ainda febre e uso de sonda vesical de demora para tratamento de retenção urinária há 9 meses. Após exames laboratoriais e tomografia de abdome, foi diagnosticado com pielonefrite aguda e doença renal e hepática policística associado com rim em ferradura. Conclusão: Obtivemos com o caso relatado e a revisão da literatura uma melhor caracterização dos sinais e sintomas do rim em ferradura em paciente com doença renal policística  
      PubDate: 2017-07-04
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • GRUPOS DE PESQUISA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE E O USO DA HISTÓRIA
           ORAL

    • Authors: Beatriz Dittrich Schmitt, Rafaela Bertoldi, Janice Zarpellon Mazo
      Pages: 9 - 13
      Abstract: Introdução: O Brasil, na última década, destaca-se por sua produtividade científica advinda dos grupos de pesquisa. Estudos sobre os grupos de pesquisa estão em evidência, no entanto, não foram identificados trabalhos que enfoquem a utilização da metodologia “História Oral” nas Ciências da Saúde. Objetivo: Verificar a distribuição geográfica, evolução e produção científica dos Grupos de Pesquisa em Ciências da Saúde no Brasil que utilizam a História Oral. Material e Métodos: Trata-se de uma pesquisa documental descritiva e exploratória, com coleta de dados realizada no Diretório dos Grupos de Pesquisa do Brasil (disponível online), utilizando-se o termo “História Oral”. A busca das informações ocorreu no campo “nome do grupo”, “nome da linha de pesquisa” e “palavra-chave da linha de pesquisa”, nos meses de abril e maio de 2016. Resultados: Encontraram-se 12 grupos de pesquisa relacionados com as áreas: Educação Física, Enfermagem, Medicina e Saúde Coletiva certificados por suas instituições. A maioria dos grupos está vinculada às instituições públicas, possui dois líderes doutores e se localiza nas regiões Sudeste e Sul, seguidos pelas regiões Nordeste e Norte. O ano de formação dos grupos variou de 1982 a 2013, bem como a quantidade de linhas de pesquisa. Os recursos humanos envolvidos foram 287 indivíduos (pesquisadores, estudantes, técnicos e estrangeiros). A produção científica dos líderes indica predomínio de trabalhos publicados em anais de congresso, artigos publicados em periódicos, publicação de livros e capítulos de livros e artigos aceitos para publicação, nessa ordem. Conclusão: As particularidades do território brasileiro contribuíram na criação e no desenvolvimento dos grupos de pesquisa em história oral.
      PubDate: 2017-07-05
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • DOAÇÃO DE LEITE MATERNO: FATORES QUE CONTRIBUEM PARA ESTA
           PRÁTICA

    • Authors: Julyeth Nascimento Abreu, Ytallo Juann Alves Silva Pereira, Jaisane Santos Melo Lobato, Iolanda Graepp Foutoura, Marcelino Santos Neto, Floriacy Stabnow Santos
      Pages: 14 - 18
      Abstract: Introdução: Bancos de leite humano são responsáveis pela promoção do aleitamento materno, coleta, processamento e controle de qualidade do leite distribuído, apresentando ainda função importante no contexto da saúde pública, no âmbito da promoção à saúde infantil, como estratégia de segurança alimentar e nutricional. Objetivo: Identificar os fatores que contribuem para a doação de leite materno, as vantagens e as dificuldades percebidas pelas doadoras, além de conhecer o seu perfil sociodemográfico. Casuística e Métodos: Estudo descritivo, transversal, quantitativo, realizado com 50 doadoras de um hospital da Região Nordeste do Brasil, credenciado na iniciativa Hospital Amigo da Criança, entre janeiro e março de 2014. Foi realizada uma entrevista individual no domicílio da doadora para preenchimento de formulário estruturado, que continha questões de caracterização pessoal, conhecimento sobre banco de leite humano e doação de leite, e motivos e desvantagens para a doação. Resultados: Os fatores que contribuíram para a doação de leite materno foram o fato de a mulher ser primípara (54,0%), ter recebido orientação sobre aleitamento materno (78,0%) e sobre o banco de leite humano (68,0%), e ter recebido apoio para doação (80,0%). Dentre as vantagens apontadas pelas entrevistadas para doação do leite materno, 90% acreditavam que beneficiaria a saúde da criança receptora, enquanto que o fato de machucar as mamas (28%) foi apontado como principal desvantagem para este ato. Quanto ao perfil das doadoras, a idade variou de menos de 19 (26,0%) anos e mais de 35 (8%), 46,0% eram casadas, 56,0% eram donas de casa, 48,0% tinham Ensino Médio e 42,0% tinham renda familiar de até um salário mínimo. Conclusão: Os inúmeros benefícios para a saúde do bebê, o amor e a solidariedade foram fatores contribuintes para a doação do leite materno. A doação é uma experiência positiva, e o apoio familiar é fator facilitador à prática da doação.
      PubDate: 2017-07-05
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM INDIVÍDUOS COM
           ESPONDILITE ANQUILOSANTE

    • Authors: Francieli Rosin, Matheus Santos Gomes Jorge, Caroline Zanin, Lia Mara Wibelinger
      Pages: 19 - 24
      Abstract: Introdução: A espondilite anquilosante é uma doença crônica, progressiva e inflamatória que produz dor, agravos osteomioarticulares e altera a expansibilidade torácica, a capacidade funcional e a qualidade de vida. Objetivos: Verificar os efeitos de um programa de intervenção fisioterapêutica em indivíduos com espondilite anquilosante. Casuística e Métodos: Trata-se de um estudo longitudinal e intervencionista. Fizeram parte da amostra quatro indivíduos do gênero feminino, com média de idade de 55,25±3,30 anos. Os indivíduos foram submetidos a uma avaliação inicial que consistiu na coleta de dados e na aplicação de testes e protocolos específicos: o Teste de Schober, o Teste de Stibor e os Testes de Inclinação Anterior e Lateral do tronco, a avaliação da expansibilidade torácica, a aplicação da Escala Visual Analógica e a aplicação do Questionário de Qualidade de Vida SF-36. Após a avaliação inicial os indivíduos foram submetidos a um programa de intervenção baseada na cinesioterapia, que foi realizado em grupo, com frequência de duas sessões semanais e duração de 1 hora por sessão, totalizando 15 sessões. Resultados: Não houve diferença estatística nos resultados das variáveis dor, expansibilidade torácica e qualidade de vida. No entanto, houve aumento da mobilidade da coluna vertebral, por meio do teste de Stibor (p≤0,05). Conclusão: De acordo com os protocolos e testes de avaliação utilizados, o programa de exercícios cinesioterapêuticos realizados neste estudo com portadores de espondilite anquilosante não alterou as variáveis dor, expansibilidade torácica e qualidade de vida. Porém, foi eficaz na mobilidade da coluna vertebral, de acordo com o teste de Stibor.
      PubDate: 2017-07-05
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • HISTÓRIA ORAL DE VIDA TEMÁTICA DE MULHERES EM RELAÇÃO
           À EPISIOTOMIA

    • Authors: FRANCISCA ELIDIVÂNIA DE FARIAS CAMBOIM, Karine Lucena Alves, Kamila Nethielly Souza Leite, Rosa Martha Ventura Nunes, Silvia Ximenes Oliveira, José Cleston Alves Camboim
      Pages: 25 - 32
      Abstract: Introdução: A gravidez é um momento de expectativas, responsável por promover mudanças físicas e psicológicas na mulher, causando alterações permanentes em seu modo de vida. É fundamental que no momento do parto a mulher tenha conhecimento de seus direitos, para que desta forma se sinta mais segura e confiante e o trabalho de parto aconteça tranquilamente. Objetivos: Analisar o conhecimento das mulheres diante da prática da episiotomia; apresentar as consequências físicas e emocionais decorrentes da realização da episiotomia e relatar a importância de informar as mulheres sobre seus direitos durante o parto. Casuística e Método: Trata-se de pesquisa qualitativa, na qual foi utilizado o recurso da História Oral de Vida Temática, realizada na Maternidade Dr. Peregrino Filho, no município de Patos - PB, com cinco multigestas que estavam no puerpério imediato, eram maiores de 18 anos e tinham vivenciado o procedimento de episiotomia em gestações anteriores. A coleta de dados se deu após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa das Faculdades Integradas de Patos. Resultados: Quando questionadas quanto ao conhecimento da episiotomia, todas as mulheres relataram não terem conhecimento sobre esse assunto. Comprovou-se como principais alterações emocionais, o medo de realizar algum esforço físico em função da presença da episiorrafia. Como alterações físicas, as participantes do estudo apontaram dor, dificuldade de locomoção no leito, ardência, prurido, dificuldade para micção e evacuação, e dispareunia como principais incômodos físicos. Conclusões: Percebeu-se que todas as participantes do estudo experimentaram algum tipo de consequência física e/ou emocional, após serem submetidas ao procedimento da episiotomia. A opinião de todas as mulheres sobre a episiotomia foi formada de uma maneira negativa, relacionada a “um corte que não é bom” e que só fariam novamente se fosse realmente necessário.
      PubDate: 2017-07-05
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A PACIENTES DIALÍTICOS:
           DIFICULDADES, DESAFIOS E PERSPECTIVAS

    • Authors: Felipe Santana e Silva, Francidalma Soares Sousa Carvalho Filha
      Pages: 33 - 37
      Abstract: Introdução: A doença renal crônica vem sendo objeto de crescente atenção pelo sistema de saúde brasileiro nas últimas décadas, considerando-se as condições de evolução progressiva da doença sem alternativas de melhoras rápidas e a demanda pelo uso de terapias de alta complexidade para o seu tratamento. No âmbito da atenção ao paciente dialítico, é fundamental a utilização da Sistematização da Assistência de Enfermagem, um instrumental tecnológico ou modelo metodológico importantíssimo para o cuidado profissional de enfermagem, com ênfase inicial na identificação de problemas para, em seguida realizar-se a classificação e formulação dos Diagnósticos de Enfermagem. Objetivos: Identificar as principais dificuldades na aplicação da Sistematização da Assistência de Enfermagem pelos enfermeiros e os problemas de enfermagem dessa clientela no Centro de Diálise. Casuística e Métodos: Tratou-se de uma pesquisa avaliativa com abordagem quanti-qualitativa, realizada com sete enfermeiros de um Centro de Diálise do município de Caxias-MA. Resultados: Constatou-se que as principais dificuldades encontradas pelos enfermeiros para implantar a Sistematização da Assistência de Enfermagem são: sobrecarga de funções; falta de tempo, desinteresse e pouca interação entre os profissionais da instituição, pouco conhecimento sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem. Além disso, a pesquisa apontou que a Hipertensão Arterial Sistêmica é a principal doença de base que acomete os pacientes do Centro de Diálise. Conclusão: Para que o cuidado prestado aos clientes se torneais eficaz, sugere-se que haja uma postura dos gestores das unidades de Diálise para atenção a carga de trabalho e dimensionamento de pessoal adequado a demanda das atividades do enfermeiro para a realização da Sistematização da Assistência de Enfermagem.
      PubDate: 2017-07-05
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • PERFIL CLÍNICO, EPIDEMIOLÓGICO E LABORATORIAL DAS INFECÇÕES DE
           CORRENTE SANGUÍNEA EM NEONATOS

    • Authors: Thainá Rocha Sossolote, Isabela de Souza Colombo, Márcia Wakai Catelan, Tatiana Elias Colombo
      Pages: 38 - 43
      Abstract: Introdução: A taxa de mortalidade neonatal por sepse é elevada, atingindo 68% no Brasil de 2000 a 2008, indicando a neces­sidade de priorizar ações preventivas de infecções relacio­nadas à assistência à saúde nessa faixa etária. Objetivo: Identificar as infecções de corrente sanguínea laboratorialmente confirmadas, o perfil de suscetibilidade antimicrobiana, assim como os fatores associados ao óbito na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de um hospital de referência do interior de São Paulo. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo observacional, retrospectivo e descritivo que foi realizado na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de um hospital do interior de São Paulo. Foram analisadas as prescrições médicas de antimicrobianos e os prontuários dos pacientes identificados com infecção de corrente sanguínea laboratorialmente confirmadas a partir de relatórios de infecção relacionada à assistência à saúde da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar no período de janeiro de 2014 a janeiro de 2016. Resultados: Durante o período do estudo, foram internados 852 pacientes na Unidade de Terapia Intensiva, sendo 40 (4,69%) pacientes notificados com infecção de corrente sanguínea laboratorialmente confirmada. Destes, 14 (35%) eram recém-nascidos com peso entre 751 a 999 g. As bactérias mais prevalentes nas unidades foram Escherichia coli (4/14) e Staphylococcus epidermidis (9/15) com letalidade de 50 e 11,11%, respectivamente. Dentre os fungos, as leveduras Candida parapsilosis (5/11) e Candida albicans (4/11), com letalidade de 60 e 25%, respectivamente. Com relação ao perfil de suscetibilidade antimicrobiana, foi observada resistência às cefalosporinas de terceira e quarta geração, além do perfil de sensibilidade aos carbapenêmicos (imipenen, meropenen) e glicopeptídeos (vancomicina). Conclusão: Com a identificação dos microrganismos isolados e o padrão de resistência, mostramos o perfil de suscetibilidade antimicrobiana, assim como os fatores associados ao óbito, conforme relatado nos resultados.
      PubDate: 2017-07-05
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • DESMAME DE TRAQUEOSTOMIA EM PACIENTES NEUROLÓGICOS RESPONSIVOS E
           ARRESPONSIVOS

    • Authors: Adriano Petrolini Mateus, Evelyn Aline Boscolo Ruivo, Eliane Aparecida de Melo Troncoso, Viviane Kubayashi, Lucas Lima Ferreira, Alexandre Lins Werneck
      Pages: 44 - 50
      Abstract: Introdução: A traqueostomia é um procedimento eletivo e preventivo de sequela laríngea, utilizado com frequência para tratamento da insuficiência respiratória em pacientes críticos. O momento compreendido entre a desinsuflação do cuff, seguido pela troca da cânula plástica para metálica, até a retirada é denominado desmame de traqueostomia. Objetivo: Comparar o nível de dependência ventilatória e o tempo de internação em pacientes neurológicos traqueostomizados responsivos e arresponsivos. Casuística e Métodos: Estudo retrospectivo de análise de prontuário com dados de pacientes internados na unidade de terapia semi-intensiva, submetidos à avaliação fisioterapêutica para possibilidade de troca de cânula por meio do teste de desinsuflação do balonete. Resultados: Foram incluídos 18 pacientes, divididos em dois grupos: Grupo 1, constituído por pacientes responsivos (38,88%; 7) e, Grupo 2, representado por pacientes arresponsivos (61,11%; 11). O Grupo 2 apresentou idade estatisticamente maior (p = 0,01). Após a realização da traqueostomia, os pacientes dos Grupos 1 e 2 permaneceram com a cânula plástica, em média 27 ± 16,47 e 22 ± 12,43 dias, respectivamente. Foi observada diferença estatística significativa (p = 0,02) no que se refere à alta, visto que os pacientes do Grupo 1 ficaram menos tempo internados. Dentre os pacientes que tiveram alta no Grupo 1, 33,33% (2) foram liberados com traqueostomia metálica livre, sendo que 50% (3) estavam em treino de oclusão e 16,66% (1) foram decanulados. Conclusão: Os pacientes responsivos com distúrbios neurológicos apresentaram maior nível de independência ventilatória na alta hospitalar e permaneceram menos tempo internados em comparação aos pacientes arresponsivos.
      PubDate: 2017-07-05
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • RELEVÂNCIA DO NUTRICIONISTA NA DIMINUIÇÃO DE
           REINTERNAÇÕES HOSPITALARES

    • Authors: Ana Flávia de Freitas Zanin, Renata Montanhim Lima, Carolina de Almeida Fidelis Lima, Silvia Maria Albertini, Neuseli Marino Lamari
      Pages: 51 - 59
      Abstract: Introdução: O comprometimento do estado nutricional de pacientes internados tem relação direta com reinternações e óbito. A intervenção nutricional, conduzida pelo nutricionista, pode diminuir potencialmente as reinternações. Objetivo: Justificar a importância do Nutricionista na Equipe Multidisciplinar e sua contribuição na redução de reinternações em pacientes internados nas enfermarias de Geriatria, Neurologia e Neurocirurgia. Casuística e Métodos: Estudo descritivo observacional, realizado com 99 pacientes reinternados no Hospital de Base de São José do Rio Preto/SP, Brasil. A caracterização, situação nutricional e valor de internação pago pelo SUS foram obtidos por questionário, prontuário eletrônico e Conta da Autorização de Internação Hospitalar. Resultados: Os pacientes em risco nutricional ou desnutridos ficaram mais tempo internados. Oitenta (80,8%) pacientes internados não foram submetidos à avaliação nutricional em todas reinternações. O valor de internação pago pelo SUS nos pacientes com excesso de peso foi maior, e aqueles com risco nutricional ou desnutrição permaneceram mais tempo internados. Conclusão: O nutricionista na equipe multidisciplinar, em todos os níveis de atenção à saúde, contribui na recuperação do estado nutricional, na prevenção das doenças crônicas, na diminuição das reinternações e do tempo de internação.
      PubDate: 2017-07-05
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • FUNCIONALIDADE E COMPLICAÇÕES EM PACIENTES GRAVEMENTE ENFERMOS
           REINTERNADOS NO HOSPITAL

    • Authors: Larissa Bombarda Dias, Cristiane Carnaval Gritti, Suzana Margareth Lobo, Neuseli Marino Lamari, Maysa Alahmar Bianchin
      Pages: 60 - 64
      Abstract: Introdução: Pacientes com longo tempo de internação em Unidade de Terapia Intensiva, especialmente os que necessitam de sedação e de suporte ventilatório prolongado, estão sujeitos a maior perda de massa muscular e óssea. Objetivos: Avaliar a funcionalidade, as complicações decorrentes do processo de hospitalização em pacientes reinternados e com necessidade de suporte ventilatório após alta da Unidade de Terapia Intensiva e descrever intervenções possíveis da Terapia Ocupacional. Casuística e Métodos: Estudo de coorte prospectivo realizado no Hospital de Base de São José do Rio Preto – SP, entre os meses de Junho e Outubro de 2014. Foram incluídos pacientes adultos readmitidos no hospital e que em algum momento da internação atual fizeram uso da ventilação mecânica em unidades de cuidados intensivos. Foi elaborado um questionário sobre as Atividades de Vida Diária, capacidade de deambulação e complicações decorrentes do processo de hospitalização. Resultados: O total de internações, em enfermarias, foi de 11.979 pacientes, dos quais 544 (4,5%) eram reinternados. Destes, um total de 200 pacientes fizeram uso de ventilação mecânica invasiva em algum momento da hospitalização e foram incluídos no estudo. Após a alta das Unidades de Terapia Intensiva mais de 80 % dos pacientes apresentavam dependência funcional parcial ou total para as Atividades de Vida Diária. Verificou-se ainda alta prevalência de perda de peso (51%), 13% desenvolveram lesão cutânea por pressão, 12% necessitaram de sonda enteral para suporte nutricional e 11% precisaram de traqueostomia. Mais da metade dos pacientes apresentaram tempo de internação prolongada. Conclusão: A maioria dos pacientes reinternados e que necessitaram de ventilação mecânica apresentaram complicações e importante comprometimento funcional após alta da Unidade de Terapia Intensiva. É relevante refletir sobre a inserção da equipe multidisciplinar na assistência hospitalar durante a internação, entre eles o terapeuta ocupacional, objetivando reduzir complicações secundárias, novas reinternações e os custos desse processo.
      PubDate: 2017-07-05
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • PERFIL E FATORES ASSOCIADOS AO TRAUMA EM VÍTIMAS DE ACIDENTES DE
           TRÂNSITO ATENDIDAS POR SERVIÇO MÓVEL DE URGÊNCIA

    • Authors: Damião da Conceição Araújo, Fernanda Gomes de Magalhães Soares Pinheiro, Miriam Geisa Virgens Menezes, Suellen da Graça Santos Lima, Carolina Santos Souza Tavares, Andreia Centenaro Vaez
      Pages: 65 - 70
      Abstract: Introdução: Os acidentes de trânsito constituem um problema de saúde pública. As vítimas podem adquirir morbidades permanentes ou temporárias e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência se tornou mecanismo essencial para minimizar as lesões nas vítimas. Objetivo: Descrever o perfil e os fatores associados ao trauma em vítimas de acidentes de trânsito atendidas por um Serviço Móvel de Urgência, localizado no munícipio de Aracaju, Sergipe. Material e Métodos: Estudo transversal, retrospectivo e descritivo realizado em um Serviço de Atendimento Móvel de Urgência localizado no município de Aracaju, Sergipe. Foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Tiradentes, parecer nº 100811. A amostra constituiu-se de 453 ocorrências de vítimas de acidentes de trânsito. A coleta de dados ocorreu por meio do acesso aos boletins de ocorrências. Os dados foram armazenados em planilhas eletrônicas do software EpiInfoTM 7, e analisados com o auxílio do programa BioEstat 5.0. Resultados: A análise dos dados revelou que as vítimas eram adultos jovens do sexo masculino; a queda de moto e colisão moto-carro foi o principal tipo de acidente e os finais de semana constituíram o período de maior ocorrência. A natureza das lesões, em sua maioria, foram escoriações, ferimento corte contuso e fratura fechada. As regiões corporais mais atingidas no trauma foram os membros superiores e inferiores e a cabeça. Os fatores associados aos acidentes de trânsito foram o sexo masculino, consumo de bebidas alcoólicas e a ausência dos equipamentos de proteção individual. Conclusão: O estudo apontou o perfil das vítimas de trauma por acidentes atendidos por Serviço Móvel de Urgência, bem como os fatores associados. Os achados podem ser úteis aos profissionais, gestores e pesquisadores na construção do conhecimento pertencente a esse escopo e nortear a construção de ações e políticas públicas de saúde.
      PubDate: 2017-07-05
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • ANÁLISE ESPACIAL DOS CASOS HUMANOS DE LEISHMANIOSE VISCERAL

    • Authors: Damião da Conceição Araújo
      Pages: 71 - 75
      Abstract: Introdução: A leishmaniose visceral é uma doença parasitária de distribuição mundial, que em razão da sua magnitude e espectro, é considerada um problema de saúde pública. Uma ferramenta atual que permite o seu estudo abrangente é o geoprocessamento em saúde, pois, permite elaborar cenários epidemiológicos da incidência/prevalência dos casos, e, assim, nortear ações e políticas públicas de saúde.  Objetivo: Analisar geoespacialmente os casos humanos de leishmaniose visceral no estado de Sergipe, Brasil, de 2010-2015. Material e Métodos: Estudo ecológico, descritivo e retrospectivo, realizado a partir dos dados coletados dos casos humanos de leishmaniose visceral no estado de Sergipe, disponíveis no Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Ministério da Saúde, no período de 2010 a 2015. Utilizou-se o programa TerraView 4.2.2 para a análise por meio da estatística espacial com nível de significação de 95% e do estimador de densidade de kernel sobre os casos confirmados da doença. Resultados: Foram confirmados 382 casos de leishmaniose visceral no estado de Sergipe, no período de 2010 a 2015. A distribuição espacial dos casos demonstrou alta concentração no litoral do estado, com maior frequência e taxa de incidência no município de Aracaju. Houve a formação de clusters com autocorrelação espacial positiva entre os municípios, revelando achados epidemiológicos semelhantes. Conclusão: A análise espacial permitiu delinear o cenário epidemiológico dos casos humanos de leishmaniose visceral no estado de Sergipe, durante o período de 2010-2015. Esses achados podem ser úteis para uso na vigilância dos casos, atuação dos profissionais e gestores em saúde, bem como para nortear outras pesquisas.
      PubDate: 2017-07-05
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • A PERCEPÇÃO DA SEXUALIDADE DO PACIENTE CORONARIANO

    • Authors: Líscia Divana Carvalho Silva, Ariella Freitas Barros, Ana Hélia de Lima Sardinha, Rosilda Silva Dias
      Pages: 76 - 81
      Abstract: Introdução: A sexualidade é considerada um direito humano e uma necessidade básica, pertencente à qualidade de vida do indivíduo. A compreensão do conhecimento, percepção, sentimentos e emoções que permeiam o significado da sexualidade tornam-se fundamentais para a qualidade das relações afetivas. Objetivo: Conhecer a percepção do paciente coronariano sobre sua sexualidade. Casuística e Métodos: Estudo descritivo-analítico que investiga a percepção de 29 pacientes coronarianos sobre sua sexualidade. A coleta de dados ocorreu por meio de entrevista no ambulatório de cardiologia do Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão, durante os meses de outubro a dezembro de 2015. A inferência e interpretação dos dados foram embasadas na análise do diário de campo, depoimentos do questionário e nas leituras das temáticas relacionadas. Resultados: A maioria dos entrevistados afirma que a sexualidade faz parte de sua vida (79,3%), estabelecem uma ligação entre a vida sexual e a vida amorosa (75,9%). A coronariopatia não exerceu grandes mudanças na sexualidade (58,6%), porém, para aqueles que confirmaram mudanças, estas se relacionaram a diminuição da frequência (56,7%), intensidade (43,3%) e desejo (36,7%). As causas relacionadas foram cansaço, dispneia, arritmia, taquicardia, dor precordial e lombar. Os aspectos que influenciam na forma como vivenciam a sexualidade são o desejo de realizar o ato sexual (70,0%), o incentivo do parceiro (53,3%) e o medo de sofrer um ataque cardíaco (50,0%). Conclusão: Os pacientes coronarianos vivenciam a sexualidade com algumas restrições. Os significados da sexualidade estão imbricados em sentimentos de afetividade e busca de prazer, evidenciando-se uma forte ligação entre a vida sexual e a vida amorosa, recebendo valores diversos o que reforça sua dimensão multifatorial
      PubDate: 2017-07-05
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • COMPORTAMENTO DA ENDEMIA DA HANSENÍASE COM BASE NOS SINAIS CARDINAIS

    • Authors: Susilene Maria Tonelli Nardi, Heloisa da Silveira Paro Pedro, Lara Rosan Fortunato Seixas, Kelly Christine da Cunha Amorim, Renata da Cunha, Ana Carolina Pupin de Freitas, Luciângela de Oliveira Pereira de Angelo, Vania Del´Arco Paschoal
      Pages: 82 - 87
      Abstract: Introdução: Para que a eliminação da hanseníase no município seja mantida de maneira eficaz, são necessários estudos que explorem melhor a endemia ao longo dos anos adotando outros recursos que não só indicadores epidemiológicos preconizados pelo Ministério da Saúde. Objetivo: Analisar a endemia da hanseníase por meio da classificação operacional, baciloscopia, idade e deficiência física no diagnóstico. Material e Métodos:Coletamos dados clínicos e epidemiológicos no período de 02/01/1998 a 31/07/2015.Consideramos baciloscopia positiva e negativa; paucibacilares e multibacilares e pacientes Graus 1 e 2 com deficiências físicas. Resultados:Um total de 470 casos foi incluído. A média de idade foi de 49,1 (DP 15,67) anos, predomínio dos multibacilares (64,7%), com deficiência (45,3%) e baciloscopia positiva (30%). Na análise univariada, a baciloscopia positiva foi significante para homens, multibacilares e com deficiência (valor p<0,05). Na análise multivariada, ter baciloscopia positiva aumenta para multibacilares (OR=39,13) e para homens (OR=2,27). A linha de tendência dos indicadores de prevalência, incidência e taxa de casos novos com Grau 2, mostram-se em declínio. Conclusão: Os resultados indicam diagnóstico tardio e geram a hipótese de endemia alta, embora sua análise por meio dos indicadores epidemiológicos mostra-se em declínio.
      PubDate: 2017-07-06
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • PERFIL DE IDOSOS COM DOENÇAS CARDIOVASCULARES NO MOMENTO DA ADMISSÃO
           PARA REABILITAÇÃO CARDÍACA

    • Authors: Murilo Romano de Oliveira, Fabiana de Campos Gomes, João Simão de Melo Neto
      Pages: 88 - 94
      Abstract: Introdução: Idosos são frequentemente acometidos por doenças cardiovasculares que levam a alta incidência de morbidade e mortalidade. Um programa de reabilitação cardíaca é composto por intervenções que visar proporcionar melhores condições física, psicológica e social ao paciente cardíaco. Objetivo: Caracterizar o perfil de idosos com doenças cardiovasculares durante admissão em um centro de reabilitação cardíaca (RC) fase ambulatorial. Casuística e Métodos: Estudo retrospectivo e não-randomizado. Foram analisados prontuários de pacientes idosos com doença cardíaca admitidos para RC, no setor de Fisioterapia Cardiorrespiratória de uma clínica escola da cidade de São José do Rio Preto, no período de março de 2002 à dezembro de 2010. Os dados coletados foram submetidos à análise estatística. Resultados: Analisou-se 35 prontuários (19 homens), com média de idade de 70,5 ± 6,6 anos. O diagnóstico médico e fator de risco prevalente na amostra total foi doença arterial coronariana (51,5%) e sedentarismo (90%), respectivamente. O Diabetes Mellitus tipo 2 em idosos com doenças cardiovasculares foi associado ao sexo masculino, enquanto dislipidemia e obesidade ao feminino. A dor foi significativamente relacionada ao sexo feminino (p=0,005, teste de Fisher), enquanto parestesia ao masculino (p≤0,05, teste de Fisher). Idosos ex-tabagista (p=0,025, teste de Fisher) e fumante (p=0,056, teste de Fisher) possuem associação com os sexos masculino e feminino, respectivamente. Além disso, a osteoporose apresentou cerca de nove vezes associação ao sexo feminino que o masculino (Odds Ratio: 8,50, Intervalo de confiança= 1,458-49,560; p=0,005, teste de Fisher).  Conclusão: Os distúrbios coronarianos são as principais indicações médicas. Os pacientes idosos com doenças cardiovasculares admitidos para RC ambulatorial apresentam características específicas aos sexos, conforme demonstrado previamente nos resultados. Desta forma, este estudo proporciona a possibilidade de investimento em prevenção e orientações de tratamento.
      PubDate: 2017-07-06
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • ANÁLISE COMPARATIVA DA FORÇA MUSCULAR E FUNCIONALIDADE DE IDOSAS
           PRATICANTES DE HIDROGINÁSTICA E TREINAMENTO FUNCIONAL

    • Authors: Daniel Vicentini de Oliveira, Nayara Perles Jardim, Daniel Eduardo da Cunha Leme, Mateus Dias Antunes, José Roberto Andrade do Nascimento Júnior
      Pages: 95 - 99
      Abstract: Introdução: O processo do envelhecimento está associado às morbidades incapacitantes, e o exercício físico é uma intervenção eficaz para minimizar os efeitos deletérios na função e estrutura do corpo ao longo da vida. Especialmente as modalidades realizadas na água dentre elas a hidroginástica e os exercícios funcionais são benéficos com resultados efetivos para a saúde física e mental nesta população. Objetivo: Comparar a força muscular e capacidade funcional de idosas praticantes exclusivamente de hidroginástica ou treinamento funcional. Casuística e Métodos: Estudo transversal, realizado com 65 idosas, sendo 40 praticantes exclusivamente de hidroginástica (Grupo 1) e 25 praticantes do treinamento funcional (Grupo 2). As participantes foram avaliadas em relação às variáveis sociodemográficas; força muscular de membros inferiores e superiores e funcionalidade nas Atividades Básicas de Vida Diária e Atividades Instrumentais de Vida Diária. Utilizou-se o teste de U de Mann-Whitney para a comparação entre Grupo 1 e Grupo 2, além do teste de Spearman para análise da correlação entre força muscular e capacidade funcional. Resultados: Ambos os grupos apresentaram índices elevados de independência nas Atividades Básicas de Vida Diária e pontuaram desfavoravelmente para força muscular de membros inferiores. Entretanto, para as Atividades instrumentais de vida diária, a maioria foi classificada como independente e dependente parcialmente, em Grupo 1 e Grupo 2, respectivamente. Apenas a funcionalidade nas Atividades Instrumentais de Vida Diária apresentou diferença significativa com maiores escores para o Grupo 1 em relação ao Grupo 2 (p = 0.001).  Conclusão: Idosas praticantes de hidroginástica apresentam melhor capacidade funcional nas Atividades Instrumentais de Vida Diária, comparadas às praticantes de treinamento funcional.
      PubDate: 2017-07-06
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
  • ATUAÇÃO DA EQUIPE DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA ATENÇÃO AO IDOSO EM
           SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA: REVISÃO INTEGRATIVA

    • Authors: Adriana Lima de Goes, Kariane Gomes Cezario
      Pages: 100 - 105
      Abstract: Introdução: A identificação da violência intrafamiliar contra o idoso auxilia na redução dos danos gerados, sendo a Estratégia Saúde da Família, espaço propício para o enfrentamento dessa problemática, pois, com sua atuação, o profissional pode interromper o ciclo de violência a que o idoso possa estar sendo submetido. Objetivo: Identificar a produção científica relativa à atuação da Equipe da Estratégia Saúde da Família na atenção ao idoso em situação de violência. Material e Métodos: Trata-se de Revisão Integrativa, realizada nas bases de dados Lilacs, Medline e Scielo, no período compreendido entre 2011 e 2015, com a questão norteadora: quais as ações da Equipe de Saúde da Família na atenção aos idosos em situação de violência' Os descritores utilizados foram: violência, idoso e atenção primária à saúde. A amostra foi constituída por sete artigos que responderam à questão central da pesquisa. Resultados: Os achados demonstraram que os profissionais percebem a violência familiar e o seu papel como estratégia de atuação. Comprovou-se que atuam no fenômeno de forma superficial e desarticulada, deixando uma lacuna na longitudinalidade do cuidado. Com isso, a Estratégia Saúde da Família deixa de cumprir seu papel de coordenadora da rede de cuidados. Conclusão: Observa-se a ausência de análise mais profunda com relação aos determinantes sociais e sua relevância para uma atuação mais ampla no contexto da violência intrafamiliar.
      PubDate: 2017-07-06
      Issue No: Vol. 24, No. 2 (2017)
       
 
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
Fax: +00 44 (0)131 4513327
 
Home (Search)
Subjects A-Z
Publishers A-Z
Customise
APIs
Your IP address: 54.225.54.120
 
About JournalTOCs
API
Help
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-2016