for Journals by Title or ISSN
for Articles by Keywords
help

Publisher: Dom Helder   (Total: 1 journals)   [Sort by number of followers]

Showing 1 - 1 of 1 Journals sorted alphabetically
Veredas do Direito : Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável     Open Access  
Journal Cover Veredas do Direito : Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável
  [0 followers]  Follow
    
  This is an Open Access Journal Open Access journal
   ISSN (Print) 1806-3845 - ISSN (Online) 2179-8699
   Published by Dom Helder Homepage  [1 journal]
  • Edição Completa

    • Authors: Revista Veredas do Direito
      Abstract: Edição completa - Revista Veredas do Direito v13 n27 2016
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • Apresentação

    • Authors: Elcio Nacur Rezende
      Pages: 7 - 9
      Abstract: A Revista Veredas do Direito: Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, detentora do Estrato A1 da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) do Ministério da Educação, nível mais elevado da classificação de periódicos científicos no Brasil, tem o prazer de apresentar mais um número.Fruto de pesquisa de renomados estudiosos de todo o mundo, os textos apresentados têm identidade com a área de concentração do Mestrado Acadêmico da Escola Superior Dom Helder Câmara, qual seja: o Direito Ambiental e o Desenvolvimento Sustentável.
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • OIL EXPLOITATION AT VIRUNGA PARK AS A THREAT TO THE ENVIRONMENT AND TO
           ENDANGERED ANIMAL SPECIES

    • Authors: Kiwonghi Bizawu, Magno Federici Gomes
      Pages: 11 - 29
      Abstract: This article aims at addressing the impasse created by the government of the Democratic Republic of Congo (DRC) when it granted to Soco, an English multinational company, the permit to exploit oil and start drilling inside the Virunga National Park in the province of North Kivu, Ituri area, which is protected by UNESCO as a Heritage of Humanity and recognized worldwide as the sanctuary of the mountain gorillas, okapis and several other endangered animals or animal species. The article is inspired in the international mobilization promoted by Non-Governmental Organizations (NGOs) such as the Human Rights Watch (HRW), Global Witness, World Wide Fund For Nature (WWF) and by other national and international human and animal rights movements, as well as by Ituri’s civil society. What is the future of Virunga Park in face of the economic development from oil exploitation to benefit poor riparian populations praised by the Central Government and the sustainable development based on the preservation and conservation of the Park recommended by the non-governmental organizations and the movements listed above? Considering the arguments of the Government in favor of economic development to fight the poverty and misery of the riparian populations, in one hand, and the UN’s opposite positioning through UNESCO, NGOs and the civil society, on the other hand, the dialectic method is going to be used by means of a descriptive research founded on a bibliographic survey.
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • LA PROTECTION JURIDIQUE INTERNATIONALE DE LA BIODIVERSITE MARINE

    • Authors: André De Paiva Toledo
      Pages: 31 - 62
      Abstract: Il s’agit d’un article sur le droit international de l’environnement relatif à la protection des ressources biologiques des océans. Il a été conçu pour traiter de l’importance des impacts environnementaux lors de l’utilisation de la biodiversité marine comme matière première de la production industrielle, en analysant les instruments juridiques internationaux créés pour la gestion durable des ressources biologiques. Cet ordre juridique est ainsi composé de divers instruments normatifs, notamment la Convention sur le droit de la mer qui, avec la Convention sur la diversité biologique, fournit les dispositions fondamentales de la protection environnementale des océans. Une étude systématique de cet ordre juridique international environnemental a été donc réalisée pour démontrer la nécessité du développement continu des mécanismes d’efficacité des mesures prises et de l’adoption de nouvelles mesures plus adaptées aux enjeux environnementaux fondés sur la pêche illicite, la pêche non réglementée des stocks chevauchants et grands migrateurs, la surpêche dans les espaces de juridiction nationale, la pêche prédatrice en haute mer et la prospection non contrôlée du patrimoine génétique marine. 
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • THE PRECAUTIONARY PRINCIPLE IN THE BRAZILIAN ENVIRONMENTAL LAW

    • Authors: Paulo de Bessa Antunes
      Pages: 63 - 88
      Abstract: The problem to be addressed in this article is related to the precautionary principle and its incorporation into the Brazilian law. As it is beknown, this principle has been widely cited by Brazilian case law and it is an important part of the legal and environmental scholarly production. However, it follows that its application has been made fairly randomly, and even so there is no clear and operational definition of its content. The hypothesis being examined is that since the Rio Declaration’s - in its translation into Portuguese - environmental legislation has termed as legal principle, which internationally is an approach, a precautionary measure, as can be seen in both the texts in English and French of the Rio Declaration and other relevant legal instruments. The methodology to be used is the research of the case law and relevant legal rules, as well as the examination of the scholarly production on the subject. As a result, the conclusion is that there is an overuse of the precautionary principle by the Brazilian courts, especially by the Superior Court of Justice and that, in this case, the Federal Supreme Court has played a moderating role in relation to the application of the precautionary principle.
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • DISPLACED BY DEVELOPMENT: ANALYSIS ON THE IMPLICATIONS OF THE PRINCIPLE OF
           PERMANENT SOVEREIGNTY OVER NATURAL RESOURCES

    • Authors: Cristiane Derani, Ligia Ribeiro Vieira
      Pages: 89 - 108
      Abstract: The forced displacement of people, so frequent nowadays, can be analyzed from different aspects, from its motivation to the responsibility that it generates. Changes to the environment through large development projects promote the emergence of what is understood as the "displaced by development”, a social cost that is undervalued comparing to the benefits of the economic gains. In order to analyze the reasons for that displacement, this paper aims at studying the principle of permanent sovereignty over natural resources as an important principle of International Law and it also aims at combining it to the evolution of the Right to Development, from an economistic perspective to a humanistic rationality. Highlighting these principles brings up the discussion of the legal status of those who become vulnerable in face of the development process: the displaced ones. The paper concludes that making their rights a core element can help putting into practice the ethical precepts of the development process for it to be seen as an opportunity for the expansion of human freedom.
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • ENVIRONMENTAL RECLAMATION AS STRATEGY FOR SUSTAINABILITY

    • Authors: Adriano Bressane, Admilson Írio Ribeiro, Gerson Araujo de Medeiros
      Pages: 109 - 133
      Abstract: The environmental change by the society is recurring and has been intensified since the first civilizations. However, the lack of conservationist practices has caused the emergence of degraded areas, whose recovery is fundamental for the sustainability. In this context, this paper aims at analyzing the environmental recovery as a public policy strategy supported in the Brazilian legislation. As methodology, a documental and analytical research was developed on the regulations, discussed at a multidisciplinary perspective, from the view of legal and engineering specialists, from the agricultural and environmental areas. As a result, it was identified a collection of rules pointing at a significant commitment on the definition of guidelines. On the other hand, this meaningful quantity of legal mechanisms, associated to misalignment, may cause damages to its effectiveness. In conclusion, we can consider that environmental reclamation is widely regulated, and it represents one of the main strategies of the environmental public policy adopted in Brazil. Nevertheless, it still requires advances to combine harmoniously practical and theoretical-conceptual aspects. Thus, considering the moment that Brazil is consolidating a new Forestry Code, we hope that the achieved outcomes can contribute to the debate and mobilization about the environmental reclamation as a strategy for sustainability. 
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • ANÁLISE DA DECISÃO CAUTELAR SOBRE A UTILIZAÇÃO DE ÁREAS DE
           PRESERVAÇÃO PERMANENTE (ADI Nº 3.540/2005) À LUZ DA TEORIA
           ARGUMENTATIVA DE MACCORMICK

    • Authors: Ana Maria D’Ávila Lopes, Diego Monte Teixeira
      Pages: 135 - 155
      Abstract: O presente trabalho objetiva analisar, à luz da teoria argumentativa de MacCormick, a decisão cautelar prolatada na ADI nº 3.540/2005, na qual se decidiu pela constitucionalidade da Medida Provisória no 2.166/2001, que regulamentou o uso das Áreas de Preservação Permanente. Para tal, realizou-se pesquisa na doutrina, legislação e jurisprudência nacionais, concluindo-se que a decisão não foi universalizável, já que se deu de forma excepcional em termos de admitir a regulamentação de um dispositivo do art. 225 da Constituição Federal por meio de Medida Provisória. Não foi também consistente, eis que os argumentos sistêmicos utilizados no voto do Ministro-Relator, com os quais concordou a maioria dos Ministros, mostraram-se contraditórios, e também não foi coerente, porque a invocação de alguns dispositivos constitucionais de caráter abstrato para fundamentá-la, por si só, não asseguraram que houve a inviolabilidade de outras normas do ordenamento. Se a decisão não está baseada em argumentos universalizáveis, consistentes e coerentes não pode ser considerada uma solução adequada, nem legítima, no Estado Democrático de Direito, e tampouco deve servir para orientar a análise de casos aparentemente similares como os veiculados nas ADIs nº 4901, nº 4902 e nº 4903 relativos ao novo Código Florestal.
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • A OBRIGATORIEDADE DO ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA E A OMISSÃO
           LEGISLATIVA MUNICIPAL

    • Authors: Wallace Paiva Martins Junior, Maria Isabel Leite Silva de Lima
      Pages: 157 - 177
      Abstract: Este artigo apresenta o diálogo entre o Direito Ambiental e o Direito Urbanístico para a construção das cidades sustentáveis e fornece um panorama sobre o Estudo de Impacto de Vizinhança, apresentando suas diferenças e similaridades em relação ao Estudo de Impacto Ambiental. A partir de conceitos sobre o direito de propriedade e sua função socioambiental e a aplicação dos princípios da prevenção e da precaução, o objetivo geral do artigo é analisar a interface das duas disciplinas, bem como avaliar a obrigatoriedade do Estudo de Impacto de Vizinhança em caso de omissão legislativa municipal. A metodologia se baseou numa pesquisa exploratória e qualitativa, utilizando-se o método hipotético-dedutivo e o procedimento bibliográfico. Concluiu-se pela necessidade de edição de lei municipal para manter a obrigatoriedade de apresentação do estudo, em razão do interesse local e da atribuição municipal, de acordo com o artigo 30 da Constituição Federal, além dos princípios da legalidade e da reserva legal, pois o artigo 36 do Estatuto da Cidade não é autoaplicável.
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • O TRATAMENTO JURÍDICO DOS RECURSOS HÍDRICOS NO BRASIL E NOS
           ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

    • Authors: Giovanna Paola Primor Ribas
      Pages: 179 - 207
      Abstract: O artigo tem como objetivo verificar se as políticas de recursos hídricos do Brasil e dos Estados Unidos tem sido eficientes frente aos complexos e recentes problemas ambientais. O método de abordagem utilizado foi o qualitativo e o crítico, ao passo que o de procedimento foi o comparativo. A técnica utilizada foi a pesquisa bibliográfica. Os Estados Unidos adotam um sistema puro de federalismo, segundo o qual cada Estado possui grande autonomia legislativa. Por isso existem mais de um sistema jurídico para a atribuição do direito às águas: riparian right e prior appropriation. Apesar de tanto o direito brasileiro, quanto o estadunidense incorporarem o conceito de água como um bem público, o regime americano permite o exercício do direito de propriedade sobre ela, os denominados water rights. Apesar de negar a existência de um direito real sobre as águas no sentido macroambiental, os water rights autorizam este exercício sobre uma parcela dela. Os sistemas hídricos do Brasil e dos EUA possuem pontos fortes e fracos que se complementam. Se o aparato burocrático do Brasil ainda não está de acordo com o seu sistema legal, a legislação hídrica estadunidense precisa ser aperfeiçoada a fim de permitir um acesso mais equitativo.
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • A ÁRDUA TAREFA DA REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL DOS AGRICULTORES FAMILIARES
           NA AMAZÔNIA LEGAL

    • Authors: Syglea Rejane Magalhães Lopes
      Pages: 209 - 241
      Abstract: A pesquisa aborda sobre a regularização ambiental do agricultor familiar. O objetivo foi analisar as exigências legais trazidas pela Lei nº 12.651/12 e suas regulamentações, e o impacto no agricultor familiar localizado no nordeste paraense (Bragança, Capitão Poço e Garrafão do Norte). Realizou-se pesquisa documental, com visitas aos sites dos órgãos ambientais e fundiários. E, pesquisa de campo, aplicando-se entrevistas abertas aos agricultores, para se levantarem suas percepções quanto a sua regularização fundiária e ambiental. Posteriormente, visando analisar as estratégias políticas elaboradas pelo governo federal, foram aplicadas entrevistas aos técnicos do: Ministério do Meio Ambiente (MMA), Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), Serviço Florestal Brasileiro (SFB). Por fim, entrevistaram-se técnicos dos órgãos fundiários e ambientais, tanto federais quanto estaduais, no Estado do Pará. Depois, os dados foram confrontados com exigências legais, com o intuito de se identificarem possíveis obstáculos ao cumprimento dessas normas. Os resultados apontam a difícil tarefa de regularização ambiental desses agricultores relacionadas a escassez de regularização fundiária, escolaridade, e instrumentos da política agrária, florestal e ambiental.  
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • COMUNIDADE DE PRINCÍPIOS E PRINCÍPIO RESPONSABILIDADE: O JUIZ HÉRCULES
           CONFUSO DIANTE DE UMA NATUREZA AMEAÇADA

    • Authors: Igor Suzano Machado
      Pages: 243 - 265
      Abstract: Partindo da teoria jurídica de Ronald Dworkin, pensador responsável por uma das mais contundentes e bem-acabadas críticas ao positivismo jurídico e sua pretensa independência entre Direito e Moral, o artigo lembra o quão dependente do liberalismo político é a proposta de reunião entre e Direito e Moral de Dworkin, para questionar se haveria espaço, na teoria dworkiniana, para o endosso de uma proposta ética que transcende as matrizes liberais tradicionais, de cunho individualista. Como exemplo dessa doutrina ética que vai além do liberalismo, é trazido à tona o “princípio responsabilidade” de Hans Jonas. Segundo Jonas, na atual conjuntura de progresso tecnológico, a humanidade deve assimilar uma nova ética, capaz de transcender a relação entre pessoas próximas e garantir o próprio futuro do planeta e da humanidade, ameaçados por novas tecnologias. Assim, por meio de pesquisa bibliográfica, o artigo pretende debater a possibilidade, ou não, da assimilação de um princípio responsabilidade dentro do “direito como integridade” de Dworkin, e, consequentemente, dentro da atividade de seu famoso juiz Hércules, conhecidamente pouco preocupado com questões de preservação ambiental, que, a seu ver, seriam questões políticas e não de princípio.
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • DESEQUILÍBRIOS DE PODER ENTRE OS MEDIANDOS E A NECESSÁRIA TUTELA DO
           ESTADO: ANÁLISE DA MEDIAÇÃO AMBIENTAL À LUZ DO CPC/2015

    • Authors: Ana Meire Vasconcelos Barros, Bleine Queiroz Caúla, Valter Moura do Carmo
      Pages: 267 - 289
      Abstract: O presente trabalho colima refletir sobre o possível desequilíbrio de forças entre mediandos nos conflitos do direito ambiental no Brasil e objetiva analisar a necessidade de tutela estatal no contexto da mediação ambiental, nos termos em que foi autorizada pelo novo Código de Processo Civil, aprovado pela Lei nº 13.105/2015, em vigor desde março de 2016. O diploma deixa transparecer a eleição de princípios específicos, dentre eles o Princípio da Promoção Estatal da Solução Consensual dos Conflitos, e os postulados que enquadram a autocomposição. Elege a vontade dos jurisdicionados como um valor a ser defendido pelo ordenamento jurídico. Entrementes, não promove uma ruptura mais radical com o CPC vetusto. Na mediação ambiental os benefícios alcançáveis são equiparados à mediação generalista: ampliação do acesso à justiça, agilidade, empoderamento das partes, efetividade das soluções acordadas. No entanto, merece realçar que os complicadores e riscos são claramente maiores que em outras áreas do direito. Os conflitos ambientais têm abrangência, continuidade temporal, implicações materiais e riqueza de significados que dificultam sua delimitação. As hipóteses do estudo foram investigadas recorrendo à pesquisa bibliográfica. Concluiu-se que a possibilidade de desigualdade entre os mediandos constitui risco à efetividade das soluções mediadas no contexto dos conflitos ambientais.
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A CIDADANIA, INSTRUMENTO DE REALIZAÇÃO DO
           DIREITO A UM MEIO AMBIENTE EQUILIBRADO NO BRASIL E EM PORTUGAL

    • Authors: Maria Anaber Melo e Silva, Marcia Rodrigues Bertoldi
      Pages: 291 - 314
      Abstract: Este artigo enfrenta a importância da educação ambiental e seu reflexo para a sociedade, a execução do direito humano e fundamental a um meio ambiente equilibrado, incluindo os aspectos jurídicos, o necessário exercício da cidadania para este fim e sua relação com o acesso à informação sobre questões ambientais. Sustenta que o processo de formação ambiental complexa, transdisciplinar, dentro e fora da escola, pode ser uma ferramenta para o almejado princípio, objetivo e urgente paradigma do desenvolvimento sustentável. A participação cidadã é um valoroso instrumento a ser alcançado com uso de instrumentos jurídicos que podem ser utilizados por meios judiciais e administrativos, entre eles a ação popular e o acesso às informações ambientais em razão de garantias constitucionais e normas infraconstitucionais. Ademais, a Administração Pública tem a responsabilidade legal de executar programas e ações efetivas e eficientes para uma educação ambiental planetária com a colaboração do Estado e da sociedade civil. Este trabalho utilizou-se do método de abordagem dedutivo e do auxiliar comparativo, mediante revisão bibliográfico-documental de caráter qualitativo.
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • UM LIMITE TEMPORAL PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA URBANA EM ÁREAS DE
           PRESERVAÇÃO PERMANENTE: AS ANÁLISES ECONÔMICA E COMPORTAMENTAL DO
           DIREITO E A PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE

    • Authors: Benjamin Miranda Tabak, Paulo Sérgio Ferreira Filho
      Pages: 315 - 340
      Abstract: O artigo fixa o marco temporal adequado que deve limitar a possibilidade de regularização fundiária urbana em áreas de preservação permanente, prevista no Novo Código Florestal, percorrendo, para tanto, análises normativa, econômica e comportamental das normas jurídicas pertinentes. Assim, primeiramente, delineiam-se os princípios que influenciam a interpretação das normas ambientais e o quadro de evolução legislativa acerca do tema, buscando aplicar a tradicional abordagem sobre o tema. Após, ampliando-se a abordagem, com foco nos efeitos concretos esperados da aplicação da norma ou de determinada interpretação, utiliza-se a análise econômica, trabalhando-se a ideia de incentivos e dos conceitos de cheap talk e risco moral. Por fim, a análise comportamental, lastreada no behaviorismo, dá o substrato teórico para relacionar as diferentes interpretações normativas e como estas influenciam o comportamento das pessoas atingidas, buscando-se a adequada proteção ao meio ambiente. Desse modo, a combinação de tais referenciais teóricos possibilita vislumbrar qual o marco temporal que melhor concilia a proteção ao meio ambiente, mitigando risco de novas degradações oriundas do processo de ocupação irregular, com a concessão de maior segurança jurídica às pessoas que hoje ocupam áreas não edificáveis. 
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
  • A EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 90 E POSSÍVEIS DESDOBRAMENTOS SOBRE O DIREITO
           SOCIAL AO TRANSPORTE EM AMBIENTES ARTIFICIAIS BRASILEIROS

    • Authors: Luigi Bonizzato, Alice Ribas Dias Bonizzato
      Pages: 341 - 369
      Abstract: O presente Artigo versa sobre a Emenda Constitucional nº 90 de 2015 e seus possíveis desdobramentos teóricos e fáticos. Desde o comportamento a ser tomado pelos Poderes da República Federativa do Brasil, até as mais variadas interpretações que podem surgir de diversos setores e grupos sociais, a referida Emenda, que inseriu o transporte no rol dos direitos sociais previstos no Art. 6º da Constituição de 1988, traz consigo a necessidade de se atentar para suas consequências. É certo que o direito ao transporte, essencial e intimamente ligado a vários outros direitos e dos quais muitos destes não podem prescindir, engloba a necessidade de um estudo interdisciplinar, que finda por exigir o exame de institutos de vários ramos do Direito e áreas do saber. Nesse rumo, em dois capítulos, partindo-se de um exame dos transportes nos ambientes urbanos e artificiais brasileiros, até se chegar, em capítulo subsequente, à própria análise da juridicidade desse direito social, a metodologia qualitativa, a partir de fontes bibliográficas ricas e diretamente voltadas aos temas abordados, determinou o recorte temático para o enfrentamento do que se propôs pesquisar e levantar neste breve Artigo.
      PubDate: 2016-12-20
      Issue No: Vol. 13, No. 27 (2016)
       
 
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
Fax: +00 44 (0)131 4513327
 
Home (Search)
Subjects A-Z
Publishers A-Z
Customise
APIs
Your IP address: 54.197.180.64
 
About JournalTOCs
API
Help
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-2016