Publisher: Universidade Federal de São Carlos   (Total: 3 journals)   [Sort by number of followers]

Showing 1 - 3 of 3 Journals sorted alphabetically
Agenda Política     Open Access   (Followers: 2)
Crítica Educativa     Open Access   (Followers: 1)
Laplage em Revista     Open Access   (Followers: 1)
Similar Journals
Journal Cover
Crítica Educativa
Number of Followers: 1  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Online) 2447-4223
Published by Universidade Federal de São Carlos Homepage  [3 journals]
  • Educação escolar pública, gratuita, laica e de qualidade socialmente
           referenciada: um direito por conquistar no Brasil

    • Authors: Marcos Francisco Martins
      Pages: 1 - 2
      Abstract: Faz a crítica à educação como direito negado no contexto nacional e apresenta uma síntese do conteúdo que os leitores(as) encontram no v. 3, n. 3, da Crítica Educativa.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.288
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Apresentação Dossiê temático Educação de
           Jovens e Adultos como Direito

    • Authors: Dulcinéia de Fátima Ferreira, Francisco Evangelista, Adriana Alves Fernandes Costa
      Pages: 3 - 4
      Abstract: Apresentação Dossiê temático Educação de Jovens e Adultos como Direito.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.287
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Interpelaciones identitarias y efectivización del derecho a la educación
           de jóvenes migrantes en contextos escolares de la Argentina.

    • Authors: Lucía Vera Groisman, Veronica Hendel
      Pages: 5 - 24
      Abstract: En este artículo nos proponemos analizar una serie de situaciones escolares vinculadas tanto a procesos de enseñanza y aprendizaje formal, como a procesos más amplios de socialización escolar de jóvenes migrantes y descendientes, en tanto nos permiten pensar algunas dinámicas de desigualdades desde un abordaje que problematiza el cumplimiento efectivo del derecho a la educación de las juventudes migrantes o descendientes de migrantes en la Argentina en la actualidad. Para ello intentamos delimitar las modalidades de interpelación de identificaciones nacionales, étnicas y de clase y las tensiones que atraviesan a estos jóvenes, a partir de mandatos escolares que conviven en forma aparentemente contradictoria. El trabajo se basa en el análisis de material documental y de los registros etnográficos realizados en una escuela secundaria de la Ciudad de Buenos Aires y otra del Gran Buenos Aires, durante los últimos años.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.277
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Interrogando o direito à educação: oferta e demanda por Educação de
           Jovens e Adultos no estado do Rio de Janeiro

    • Authors: Enio Serra, Jaqueline Ventura, Márcia Alvarenga, Emilio Reguera
      Pages: 25 - 41
      Abstract: O presente artigo tem como objetivo socializar e analisar dados referentes à redução de matrículas e à relação entre demanda e oferta de Educação de Jovens e Adultos (EJA) no estado do Rio de Janeiro. A partir da base de dados sobre os indicadores, o texto desenvolve análises acerca das políticas públicas implementadas nos últimos anos para essa modalidade da educação básica. Tais informações e discussões se originam de três pesquisas que, a partir de diferentes bases empíricas, e apoiadas na teoria social crítica, analisam esses fenômenos em recortes espaciais diversos, com foco em diferentes aspectos. Sendo assim, encontram-se presentes no texto questões relativas à diminuição de matrículas do ensino médio na modalidade EJA em municípios fluminenses, à dimensão espacial da relação entre oferta e demanda por escolarização de jovens e adultos na cidade do Rio de Janeiro e aos processos de redução da oferta de EJA de nível fundamental em um município localizado no leste metropolitano do estado. Como resultado de suas análises, as pesquisas apontam para o grave quadro de redução de matrículas e para o descompasso entre demanda e oferta, situação que reitera a negação do direito à educação para jovens e adultos trabalhadores.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.243
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • A EJA em Rio Claro e o direito à educação

    • Authors: Valéria Aparecida Vieira Velis
      Pages: 42 - 55
      Abstract: Este artigo tem como objetivo apresentar e analisar dados levantados junto à Secretaria de Educação do Município de Rio Claro - SP sobre o campo da política pública de EJA, no que diz respeito à afirmação de direitos, num esforço de contribuir para o acervo da Educação de Jovens e Adultos. Expõe-se um pequeno histórico da EJA no Brasil e em Rio Claro, trazendo características da gestão educacional dessa modalidade da educação básica. Apresenta também pontos relevantes para a construção de uma escola de qualidade para tal modalidade educacional, que garanta a participação direta dos sujeitos, consolide práticas educativas comprometidas com um currículo adequado e contribua para uma concepção de educação ao longo da vida. Com este texto, pretende-se ampliar as oportunidades de análise documental sobre o tema e de investigação sobre a configuração da Educação de Jovens e Adultos no que se refere à afirmação do direito à educação.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.242
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Reflexões sobre ser jovem na Educação de Jovens e Adultos
           no Brasil

    • Authors: Adriana Alves Fernandes Costa, Francisco Evangelista
      Pages: 56 - 65
      Abstract: Sustentado em pesquisa documental e bibliográfica, o artigo aborda o direito de ser/aprender dos jovens que estão na Educação de Jovens e Adultos. Para isso, concebe a referida modalidade educativa como um lugar constituído de direitos dos sujeitos plurais que a compõe. Acenamos para a compreensão da cultura produzida por tais educandos, uma vez que as suas possíveis formas de ser e estar no mundo apontam configurações de potencialização de compreensão de delineamentos da EJA como espaço de produção de conhecimentos da pluralidade juvenil que converge com os saberes/conhecimentos de outras pessoas que estão em outra fase da vida (adultos e idosos). Assim, o texto indica a necessidade de considerar as singularidades imersas nas multiplicidades presentes nos distintos espaços educativos em que os jovens vivem, produzindo juventudes ainda pouco enxergadas pelos espaços educativos, essencialmente a escola. O texto ainda procura refletir qual o sentido da Educação de Jovens e Adultos no fazer do educador para a vida do educando.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.285
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Educação de jovens e adultos como educação popular:
           direito a ser conquistado

    • Authors: Dulcinéia de Fátima Ferreira, Ana Maria de Campos
      Pages: 66 - 77
      Abstract: Abordamos neste trabalho o modo como a Educação de Jovens e Adultos – EJA – vem sendo desenvolvida, de modo geral, nas instituições de ensino no Brasil. Revisitamos concepções teóricas e metodológicas ligadas à epistemologia da Educação Popular, com o propósito de reafirmarmos a potência desta práxis educativa no campo da EJA. Desejamos com este estudo contribuir para que a EJA se configure como Educação Popular, pois entendemos que este é ainda um direito a ser conquistado, em face da compreensão acerca do jogo de forças existente na sociedade capitalista ocidental, o qual interfere diretamente na sociabilidade humana. O modo de vida e de sobrevivência imposto aos jovens e adultos pertencentes às classes populares, em contextos de vulnerabilidade social, repercute significativamente em seus percursos escolares, e, em muitas vezes, os seus direitos educativos são negados ou subtraídos. São diversas as formas de exclusão, de silenciamento e de produção do sentimento de impotência. Nesse contexto é que nos comprometemos com a EJA tendo como centro da nossa atenção a realidade política, social e econômica do nosso País. A partir de pesquisas, de estudos situados e em diálogo com diversos outros pesquisadores desse campo, compreendemos ser urgente e indispensável revermos e reinventarmos as concepções e metodologias ainda em curso na Educação de Jovens e Adultos. Ao nosso ver, vivenciar a EJA a partir da Educação Popular possibilita a ampliação dos horizontes de vida dos educandos e educandas, bem como de educadoras e educadores, para além da lógica do capital. Assim, nosso propósito é o de contribuir no caminho da reinvenção da EJA como Educação Popular.                                                         
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.286
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Gestão escolar democrática e EJA: o ideal e o real nas escolas
           públicas municipais

    • Authors: Rita de Cássia Chagas Carvalho, Antonio Amorim, Maria Sacramento Aquino, Mariana Moraes Lopes
      Pages: 78 - 90
      Abstract: O artigo traz uma análise sobre a gestão escolar democrática na Educação de Jovens e Adultos - EJA, baseada nos olhares dos gestores das escolas públicas municipais de Xique-Xique, na região do Vale do São Francisco, na Bahia. Neste sentido, a investigação teve como objetivo analisar a materialização da gestão democrática em EJA, mobilizada pelos gestores das escolas municipais, destacando o real e o ideal no contexto das escolas. Utilizamos a abordagem qualitativa para consolidar a investigação, com a pesquisa participante como procedimento técnico. Os resultados obtidos caminham na direção de constatar que, apesar do limite encontrado para a efetivação da gestão democrática em EJA, ela é uma realidade no âmbito escolar, mesmo que ainda esteja em seus primeiros passos, havendo uma mobilização dos gestores para efetivar este processo.   
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.228
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Dilemas da educação de jovens e adultos em um presídio
           feminino de Belo Horizonte

    • Authors: Lúcio Alves de Barros, Caio César Sousa Marçal, Karen Swerts Maldonado Moreira
      Pages: 91 - 107
      Abstract: A atuação no campo da educação inclui o desafio de enfrentar a complexidade em relação ao ensino para jovens e adultos nos presídios. É inconteste que a política de segurança pública no Brasil tem sido interrogada, especialmente ao sistema penitenciário, comumente retratado com um espaço que não promove a ressocialização dos internos.  Este trabalho tem por escopo analisar o dia a dia dos docentes que estão na instituição escolar estabelecida no Complexo Penitenciário São Pedro Nolasco, localizado na cidade de Belo Horizonte. Pesquisar as relações sociais dos atores, sobretudo entre os professores e as mulheres encarceradas que participam desta teia, é o intento maior dessa pesquisa. O trabalho em apreço é de caráter qualitativo e exploratório, onde buscou-se a percepção, valores, crenças e significados expostos pelos entrevistados, assim como a observação do cenário da educação no sistema prisional. Os resultados indicam que o ambiente prisional não oferece condições favoráveis para as presas e para o exercício do trabalho dos docentes.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.250
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • O direito à educação profissional na Rede Federal: novas perspectivas
           para a educação de jovens e adultos

    • Authors: Michelle Chaves da Silva
      Pages: 108 - 119
      Abstract: O artigo debate o direito à educação profissional integrada à educação básica, na Modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA) na Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (RFEPCT), em especial a experiência realizada pelas instituições federais de educação profissional na implantação do Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (Proeja), iniciado no ano de 2006. Trata-se de pesquisa bibliográfica e documental das políticas de educação básica articulada à educação profissional destinadas às classes trabalhadoras. Nesse sentido, busca compreender, no contexto de reorganização da educação profissional no Brasil nos anos 2000, os desafios, limites e possibilidades perante o processo de inclusão educacional de jovens e adultos nos cursos e programas das instituições federais de educação profissional. 
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.240
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Desafios da realidade brasileira: a Educação para Jovens e Adultos com
           deficiência em áreas rurais

    • Authors: Taísa Grasiela Gomes Liduenha Gonçalves, Katia Regina Moreno Caiado, Juliana Vechetti Mantovani Cavalante
      Pages: 120 - 131
      Abstract: Recentemente, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou as notas estatísticas do censo escolar da educação básica referentes ao ano de 2016.  Posto isto, o objetivo do estudo consiste em verificar esse cenário educacional a partir da análise dessas notas estatísticas, baseando-se nos índices de distorção idade-série, de não aprovação e de matrículas na Educação de Jovens e Adultos (EJA), bem como nos recursos das escolas urbanas, rurais e para o público-alvo da educação especial. Também foram realizadas entrevistas com dois alunos que participaram de um projeto de EJA em assentamento, com uma professora e com uma diretora que vivem e trabalham em uma comunidade quilombola. Os resultados revelam a não materialização da educação escolar mostrada pela taxa de distorção idade-série e pela taxa de não aprovação, as quais, por conseguinte, poderão resultar em matrículas da EJA. As escolas urbanas e, principalmente, as localizadas em áreas rurais apresentam precariedade ou inexistência de recursos. O público-alvo da educação especial ainda encontra dificuldade de acesso à escola, por falta de infraestrutura e adequação. Por fim, ao ligar elementos como educação do campo, educação especial e EJA, intensifica-se a não efetivação do direito ao conhecimento formal de qualidade e ao sucesso escolar.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.265
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Caminhos a Hamburgo: efeitos do movimento CONFINTEA V no Brasil nas lutas
           pelo direito de jovens e adultos à educação

    • Authors: Raquel Silveira Martins de Melo, Fernanda Aparecida Oliveira Rodrigues Silva
      Pages: 132 - 145
      Abstract: Convocadas pela UNESCO, as Conferências Internacionais de Educação de Adultos (CONFINTEAs) acontecem a partir de 1949 com objetivo de induzir os Estados-membros a ações e avaliações sobre a EJA. O interesse aqui é considerar efeitos no processo para a participação do Brasil na V CONFINTEA (Hamburgo/Alemanha,1997) no que tange ao direito de jovens e adultos à escolarização. Esse momento trouxe ganhos significativos no cenário brasileiro como a reunião dos estudiosos, militantes, governos locais e interessados em geral que decidiram dar continuidade às reuniões preparatórias de forma a acompanhar as políticas públicas e a efetivação do direito de brasileiros à escolarização, constituindo assim os movimentos do Fórum de EJA e do Encontro Nacional de EJA (ENEJA). Busca-se fazer análise das primeiras cinco edições do ENEJA sob a hipótese de que esse período lançou bases para a preparação da CONFINTEA VI realizada em 2009, no Belém do Pará/Brasil. O artigo se inicia pelo resgate histórico das Conferências, seguido dos Fóruns e seus desdobramentos. Busca nos relatórios sínteses dos ENEJAs elementos de lutas pelas políticas públicas nacionais de efetivação do direito à educação.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.254
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Formação de Jovens e Adultos trabalhadores no sistema educacional
           brasileiro: percursos da EPT e da EJA

    • Authors: Paula Rochele Silveira Becher, Roselene Moreira Gomes Pommer
      Pages: 146 - 159
      Abstract: O presente artigo aborda aspectos históricos referentes à organização da Educação Profissional e Tecnológica no Brasil, relacionando sua trajetória à Educação de Jovens e Adultos e à organização social do mundo do trabalho, destacando, especialmente a partir da organização das políticas públicas educacionais brasileiras, alguns dos desafios e possibilidades impostos a estas modalidades educacionais. As reflexões aqui apresentadas são recortes da dissertação de mestrado desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica da Universidade Federal de Santa Maria, intitulada “O Ensino de História no PROEJA: reflexões sobre o ensino integrado pelo viés da formação omnilateral”. A partir da legislação e bibliografias pertinentes, é possível observar os diferentes ideários que disputam espaço na organização da educação profissional de jovens e adultos trabalhadores. Também se evidencia o longo caminho a ser percorrido para que as políticas públicas voltadas a essas modalidades sejam ampliadas, buscando suprir as demandas existentes a partir das necessidades concretas do público que as acessa. 
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.237
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Materialismo histórico e dialético: possibilidades metodológicas no
           ensino de História na EJA

    • Authors: Custódio Jovêncio Barbosa Filho, Douglas Christian Ferrari de Melo, Maria Aparecida Coelho de Oliveira
      Pages: 160 - 170
      Abstract: Este estudo buscou, a partir de algumas experiências teóricas e práticas, analisar as contribuições que o materialismo histórico e dialético tem proporcionado como metodologia do ensino de História na Educação de Jovens e Adultos. Nos caminhos percorridos para a elaboração deste estudo, utilizou-se como aporte teórico-metodológico a pesquisa-ação e um estudo bibliográfico como categoria de coleta e análise dos dados. O resultado alcançado neste estudo foi de que diante da possibilidade de se trabalhar com mais autonomia por parte dos educadores de EJA, o materialismo histórico e dialético contribui de maneira efetiva no processo de ensino de História nesta modalidade educacional.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.241
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • A Educação de Jovens e Adultos e a Pedagogia Histórico-Crítica: uma
           aproximação necessária

    • Authors: Marcela de Moraes Agudo, Lucas André Teixeira
      Pages: 171 - 184
      Abstract: Este ensaio teórico visa a buscar reflexões, questionamentos e possibilidades de pensarmos a Educação de Jovens e Adultos em uma perspectiva histórico-crítica. Para isso, nos fundamentamos na Pedagogia Histórico-Crítica e na Psicologia Histórico-Cultural para nos auxiliar nas reflexões acerca da Educação de Jovens e Adultos na contemporaneidade. Compreender alguns conceitos como motivo, necessidade e vontade são fundamentais para compreender os estudantes que estão na Educação de Jovens e Adultos e os desafios que envolvem a permanência e o desenvolvimento deles na vida escolar, considerando suas condições concretas de vida. Tomando como referência o processo pedagógico da Educação de Jovens e Adultos, a problematização se apresenta um momento fundamental no processo de ensino e de aprendizagem na formação da concepção de mundo desses estudantes. Neste sentido, compreendemos os sentidos e os significados do estudo formal, sistematizado e escolar como direcionadores para a valorização do conhecimento científico e de seu fundamental papel na formação humana.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.248
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Inclusão digital, empoderamento e educação ao longo da vida: conceitos
           em disputa no campo da Educação de Jovens e Adultos

    • Authors: Bruno dos Santos Joaquim, Lucila Pesce
      Pages: 185 - 199
      Abstract: O presente artigo configura-se, em termos metodológicos, como um estudo teórico-conceitual, que tem por objetivo desenvolver uma análise teórica da disputa semântica existente entre o mainstream e a perspectiva crítica/humanista, no uso de três conceitos fundamentais para os estudos sobre inclusão digital na Educação de Jovens e Adultos: a) inclusão digital; b) empoderamento; c) educação ao longo da vida. Eles se configuram como arenas de disputa entre forças conservadoras, que têm por base o pensamento liberal e forças progressistas, que têm por fundamento a contestação das relações de poder. O conceito de inclusão digital pode ser entendido apenas como acesso aos bens tecnológicos ou como pressuposto para o exercício da cidadania. O conceito de empoderamento é apropriado pelo pensamento liberal, em seu sentido de emancipação individual, enquanto a perspectiva freireana o entende como um processo de emancipação de classe. O conceito de educação ao longo da vida se constituiu, por um lado, a partir de uma concepção de capacitação para o mercado e, por outro, a partir da concepção de formação integral. O processo de inclusão digital na EJA não pode se furtar a dialogar com as duas tendências, pois a qualificação dos sujeitos adultos para a vida profissional é parte de seus objetivos, mas é preciso estar atento, para que esta não se torne sua finalidade maior. 
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.244
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Educação de jovens e adultos e o ensino de história e cultura
           afro-brasileira e africana

    • Authors: Natalino Neves da Silva
      Pages: 200 - 213
      Abstract: O ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana articulado à Educação de Jovens e Adultos (EJA) emerge como uma perspectiva complexa que caminha em direção à criação e recriação de práticas educativas. Neste artigo, buscamos focalizar marcos político-legais voltados para promover a Educação das Relações Étnico-Raciais nessa modalidade de ensino. Constata-se que a existência desses marcos resulta do protagonismo do movimento social negro. As ações sociopolíticas realizadas historicamente por esse ator social são aqui entendidas como matriz de conhecimento. Levando em consideração alguns dos princípios extraídos dessa matriz, notabiliza-se como central o entendimento referente às especificidades de gênero, classe, étnico-raciais, etárias, entre outras, dos sujeitos jovens, adultos e velhos. Nessa perspectiva, a luta pelo direito à educação está intrinsecamente relacionada à luta pelo direito à diferença.  
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.260
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Atividades investigativas: a formação de professores no contexto
           da EJA

    • Authors: Alan Ricardo Kemczinski, Jonatas Uilian do Nascimento, Túlio Storti Ortolani, Vinícius Moura Rocha, Elaine Gomes Matheus Furlan, Tathiane Milaré
      Pages: 214 - 229
      Abstract: O presente artigo relata uma experiência desenvolvida no âmbito das atividades de estágio em uma escola estadual pública, no interior de São Paulo. A partir das vivências no contexto da EJA, foram realizadas atividades de caráter investigativo para o ensino de Química por um grupo de estagiários que evidenciou a necessidade de planejar, desenvolver e avaliar atividades que proporcionassem a participação efetiva dos alunos, desde a oralidade e a escrita, explicitando suas expectativas e trajetórias, até o envolvimento nas discussões, reflexões, levantamento de hipóteses e organização de trabalho em grupo. As atividades desenvolvidas compreenderam técnicas da Química Forense e a realização de experimentos de caráter investigativo e contextualizado, direcionadas para as condições e realidade das turmas de EJA acompanhadas durante o ano de 2017. A atividade possibilitou o envolvimento de toda comunidade escolar, estudantes, professores, equipe de gestão escolar e estagiários, futuros professores de química, em um processo reflexivo sobre a formação e profissão docente. 
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.271
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Reflexões sobre a formação inicial de docentes em educação de jovens
           e adultos

    • Authors: Sita Mara Lopes Sant' Anna, Ananda Heloisa de Mello, Odilon Antônio Stramare
      Pages: 230 - 244
      Abstract: Este texto reflete sobre os sentidos da formação inicial de professores da EJA, com base na experiência de estágio de estudantes de Licenciatura em Pedagogia, da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - UERGS. Diante da pouca oferta pública de anos iniciais na modalidade, desenvolveu uma atividade de Extensão, como campo de estágio, denominada: Oficinas de alfabetização e letramento - EJA. Nesse contexto, efetivaram-se as práticas pedagógicas, a partir de princípios advindos da própria EJA, como nos apontam Arroyo (2006) e Dresch (2012). Sob o olhar da Pesquisa Qualitativa em Educação, aplicou-se questionário organizado de forma semiestruturada, objetivando-se buscar compreender os sentidos e significados da formação inicial.  Como principais resultados, destacam-se sentidos e sentimentos permeados por uma série de conflitos. Além de críticas que fazem à própria formação, pairam, nos pronunciamentos das acadêmicas, sentidos de um bem-estar e uma satisfação em ocupar o lugar de ser professor (a) da EJA.  
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.272
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Possibilidades e expectativas sobre a educação profissional: uma
           aproximação entre realidades observadas no Brasil e em Portugal

    • Authors: Márcia Regina Barbosa, Luís Alcoforado
      Pages: 245 - 262
      Abstract: Este trabalho lança um olhar exploratório sobre a educação profissional, a importância da elevação do nível de escolarização na fase adulta, propondo uma aproximação entre as realidades observadas em um instituto de formação no Brasil (BR) e outro em Portugal (PT). Por compreender que a educação profissional, no Brasil e em Portugal, é abalizada pelos interesses da elite e pela “promessa de ascensão social”, faz-se mister a amplitude dessa discussão no campo educacional. Esperamos que esse estudo contribua para análises interpretativas no âmbito da educação profissional, aproximando as realidades dos dois países em questão. Nesse intento, realizamos duas entrevistas semiestruturadas com os coordenadores pedagógicos dos institutos pesquisados, levantamos reflexões das políticas públicas que se voltam para esse nível de ensino, em seguida desenvolvemos uma aproximação dos cenários observados. Os dados foram organizados e categorizados por unidades de significação, conforme propõe Bardin (2011). Analisados à luz de normativos e a partir de estudos de autores como, Cruz (2017) e Tavares (2012). Ao final, o estudo sugere que as realidades observadas nos dois países se aproximam em pleitos de grande relevância, o que hipoteticamente se explica pelos reflexos de uma herança colonial, ao passo que se distanciam em outros aspectos, não menos importantes, o que aponta para avanços conquistados pelos dois países.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.278
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Ensino infantil: reflexões sobre a periodização como núcleo da
           organização do trabalho pedagógico

    • Authors: Eliana Cláudia Graciliano, Silvia Pereira Gonzaga de Moraes
      Pages: 263 - 277
      Abstract: O presente texto de cunho bibliográfico resulta de reflexões do Grupo de Pesquisa e Ensino "Trabalho Educativo e Escolarização" (GENTEE- UEM) e se trata de um estudo parcial da pesquisa de mestrado: “Organização do ensino pré-escolar: o que dizem as pesquisas da teoria histórico-cultural'”. Nossa intencionalidade aqui é a de socializar/mobilizar discussões sobre encaminhamentos para o ensino infantil, assumindo a defesa da periodização do desenvolvimento infantil enquanto núcleo da organização do trabalho pedagógico às crianças pequenas. Ancora-se em autores que compõem a Teoria Histórico-Cultural e se destina aos profissionais da educação que atuam em instituições educativas de ensino infantil, que buscam instrumentos para oportunizarem vivências promotoras de aprendizagens que libertem, desde a infância, os indivíduos da lógica neoliberal impregnada na educação básica. Nessa ótica, a Educação Infantil necessita urgentemente desenvolver trabalhos educativos que privilegiem a criança de forma plena.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.202
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • A formação profissional em Serviço Social: apontamentos sobre a
           qualidade do ensino a distância

    • Authors: Luciene Araújo, Gilcélia Góis, Mariana Gama e Silva, Francisca Tayane Ferreira Freire
      Pages: 278 - 291
      Abstract: Neste artigo, procuramos retratar sobre a atual política educacional de ensino superior no Brasil, objetivando discorrer sobre os rebatimentos desta política na formação profissional de assistentes sociais pela modalidade de Educação a Distância (EaD). Para tanto, utilizamos de uma revisão de literatura para apreender o assunto, embasando-se em teóricos como Pereira (2009), Libâneo (2012) e escritos do conjunto CFESS/CRESS (2001, 2014). A partir disto, é possível afirmar que esta modalidade de ensino se constitui em mais uma estratégia do capital para consolidar a mercantilização e desmonte da política pública de educação, negando o direito à educação superior gratuita e de qualidade, sendo alvo de severas críticas realizadas pelas entidades de Serviço Social, uma vez que acarreta o escamoteio de um processo educacional crítico, rebatendo diretamente na atuação profissional.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.255
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Deficiência visual e formação de professores: para uma
           revisão conceitual

    • Authors: Rogério Drago, Vanessa Pita Barreira Burgos Manga
      Pages: 292 - 310
      Abstract: Este artigo tem como proposta discutir e analisar documentalmente a formação de professores no contexto da deficiência visual. Tal proposta faz-se necessária por entendermos que o trabalho docente com alunos com deficiência visual, assim como para os demais sujeitos que compõem o público-alvo da educação especial, requer professores com uma formação que busque ampliar o debate e o entendimento acerca de conceitos como cidadania, conhecimento, aprendizagem, desenvolvimento, deficiência, dentre outros, para que o trabalho cotidiano seja promotor de uma inclusão que entenda o sujeito com deficiência como sujeito cognoscente. Neste sentido, este texto está dividido em três partes que abordam, respectivamente: o histórico da escolarização do aluno cego; os dispositivos legais que se relacionam à Educação Especial, no contexto da inclusão, em relação à educação de crianças cegas; e a formação de professores na perspectiva da inclusão. Entendemos que tais discussões podem contribuir para que os professores se vejam e se percebam como sujeitos essenciais para o processo inclusivo.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.239
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Educação patrimonial histórico-crítica: modelo de proposta pedagógica
           para Irati-PR

    • Authors: Diego Geovan dos Reis, Poliana Fabíula Cardozo, Viviane Cristina Princival
      Pages: 311 - 322
      Abstract: Este estudo analisa e correlaciona os embasamentos teóricos da Pedagogia Histórico-Crítica e da Educação Patrimonial objetivando mostrar como a metodologia dos estudos patrimoniais pode ser compreendida e aplicada no contexto histórico-crítico. É realizada também uma investigação do plano municipal de ensino da cidade de Irati, estado do Paraná e por fim é proposto um modelo didático de como a Educação Patrimonial Histórico-Crítica pode ser aplicada na educação formal do município. A metodologia utilizada é dialética-materialista tendo como princípio ontológico a análise da condição histórica dos alunos. Conclui-se que não há estudos patrimoniais no plano do município e que é possível incluir a Educação Patrimonial em um contexto histórico crítico.
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.233
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Quando é preciso manter sob vigilância o ensino de Geografia

    • Authors: Bruno Nunes Batista
      Pages: 323 - 339
      Abstract: A fim de alcançar um estado final de perfeição, um personagem vem sendo discutido, festejado e, muitas vezes, combatido: o professor de Geografia. Este artigo procura colocar em debate, no entanto, que tal ator escolar não é uma invenção recente, tampouco um sujeito natural, mas o resultado de relações de saber que instituíram uma formação discursiva sólida e estável, abrigada sob o nome ensino de Geografia. Discurso que delimita o que se deve, quem deve, e como se deve falar sobre tal linguagem, trata-se de uma prática que, contudo, não escapa às forças de poder que, desde meados da primeira metade do século XX, sob o arco da acumulação flexível do capital, da competitividade, do consumo e da individualidade, convencionamos chamar de neoliberalismo. 
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.259
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
  • Lista de avaliadores(as) de trabalhos submetidos à Crítica
           Educativa no ano de 2017

    • Authors: Marcos Francisco Martins
      Pages: 340 - 341
      Abstract: Lista de avaliadores(as) de trabalhos submetidos à Crítica Educativa no ano de 2017 
      PubDate: 2018-01-19
      DOI: 10.22476/revcted.v3i3.290
      Issue No: Vol. 3, No. 3 (2018)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 3.229.142.175
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-