for Journals by Title or ISSN
for Articles by Keywords
help

Publisher: PUCSP   (Total: 30 journals)   [Sort by number of followers]

Showing 1 - 30 of 30 Journals sorted alphabetically
Algazarra : Revista do Centro de Pesquisa Comunicação e Cultura : Barroco e Mestiçagem     Open Access  
Aurora. Revista de Arte, Mídia e Política     Open Access  
CADUS - Revista de Estudos de Política, História e Cultura     Open Access  
Cognitio : Revista de Filosofia     Open Access  
Cordis : Revista Eletrônica de História Social da Cidade     Open Access   (Followers: 1)
Distúrbios da Comunicação     Open Access  
Ecopolítica     Open Access  
Ensino da Matemática em Debate     Open Access  
FronteiraZ. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária     Open Access  
Hypnos. Revista do Centro de Estudos da Antiguidade     Open Access  
Intercâmbio. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem     Open Access  
Interdisciplinaridade. Revista do Grupo de Estudos e Pesquisa em Interdisciplinaridade     Open Access  
Interespe. Interdisciplinaridade e Espiritualidade na Educação     Open Access  
J. on Innovation and Sustainability     Open Access   (Followers: 7)
Leitura Flutuante. Revista do Centro de Estudos em Semiótica e Psicanálise     Open Access  
Lutas Sociais     Open Access  
Paralaxe     Open Access  
Pensamento & Realidade. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração     Open Access  
Pesquisa & Debate. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Economia Política     Open Access  
Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba     Open Access  
Revista de Carreiras e Pessoas (ReCaPe)     Open Access  
Revista de Cultura Teológica     Open Access  
Revista de Estudos da Religião (REVER)     Open Access  
Revista de Produção Discente em Educação Matemática     Open Access  
Revista do Instituto GeoGebra Internacional de São Paulo     Open Access  
Revista do Núcleo de Estudos de Religião e Sociedade (NURES)     Open Access  
Revista Eletrônica de Biologia     Open Access  
Revista Eletrônica Espaço Teológico     Open Access   (Followers: 1)
Teoliterária : Revista Brasileira de Literaturas e Teologias     Open Access  
Último Andar     Open Access  
Journal Cover Distúrbios da Comunicação
  [0 followers]  Follow
    
  This is an Open Access Journal Open Access journal
   ISSN (Print) 0102-762X - ISSN (Online) 2176-2724
   Published by PUCSP Homepage  [30 journals]
  • Cotidiano de uma residência terapêutica e a produção
           de subjetividade

    • Authors: Dayse Andrade Bispo Silva, Maria Cristina Gonçalves Vicentin
      Pages: 196 - 207
      Abstract: As Residências Terapêuticas (RTs) são casas para pessoas com transtornos mentais ou uso abusivo de álcool e outras drogas, para os quais a falta de moradia e a precariedade da rede social são questões prioritárias em seus projetos de vida. Recebem principalmente ex-internos dos hospitais psiquiátricos, posicionando-se assim como um dos instrumentos fundamentais para a política de redução de leitos psiquiátricos no Brasil. Este artigo visa discutir o cotidiano de uma RT e seus efeitos de produção de subjetividade por meio de cenas observadas na residência ou no bairro em que se insere. É resultado de pesquisa de mestrado em Psicologia Social, desenvolvida pelo Núcleo Lógicas Coletivas e Institucionais, que tem como referência a Análise Institucional e a Micropolítica. As cenas foram construídas a partir da observação participante e do registro do cotidiano em diário de campo realizada por seis meses numa RT no município de São Paulo. A residência contava com oito moradores do sexo masculino, entre 24 e 60 anos. As cenas foram analisadas de acordo com sua relação com os objetivos da reabilitação psicossocial. Pôde-se concluir que esta RT tem operado efeitos, nos moradores, de reconstrução dos sentidos/valores; de reconstrução do tempo, da responsabilização e de ampliação da contratualidade social. A análise das cenas permitiu também levantar questões presentes no cotidiano relativas à tensão entre estar e habitar.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p196-207
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • O olhar clínico sobre os fatores prognósticos das afasias

    • Authors: Camila Neves, Melissa Catrini
      Pages: 208 - 217
      Abstract: Objetivo: Identificar o modo como os fatores prognósticos têm sido abordados e sua implicação nos alicerces teórico-metodológicos que fundamentam o raciocínio clínico com relação ao prognóstico no campo da afasiologia. Método: Foi realizada pesquisa bibliográfica nas bases de dados SciELO, PubMed e Periódicos CAPES, utilizando as palavras-chaves “afasia”, “prognóstico” e “fatores” e seus correspondentes em inglês. Foram incluídos artigos publicados entre 2005 e 2015, em português, inglês ou francês, que relacionassem o prognóstico da afasia a uma variável (fator). Resultados: Foram selecionados 15 artigos, nos quais foram identificados 29 fatores prognósticos. Destes, os mais citados foram idade, extensão e local da lesão, sexo e escolaridade. No entanto, idade, sexo e escolaridade não foram considerados como significantes para a previsão do prognóstico na maioria dos artigos. Discussão: Em geral, as pesquisas que envolvem fatores prognósticos relacionados às afasias são analisadas sob uma perspectiva organicista, o que leva à homogeneização dos pacientes e das manifestações sintomáticas de linguagem, desconsiderando os aspectos subjetivos e sociais em favor dos aspectos orgânicos. Isto se deve à uma concepção específica de cura e sucesso terapêutico, sendo refletida na escolha da metodologia da pesquisa. Conclusão: Faz-se necessário estudar os aspectos subjetivos e sociais, através de um olhar clínico que contemple a pluralidade sintomática. Para isso, um método qualitativo de pesquisa seria mais indicado.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p208-217
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Caracterização da memória de adultos e idosos
           hospitalizados

    • Authors: Kelly da Silva, Adriano Freitas do Santos, Patricia Zuanetti, Rodrigo Dornelas, Raphaela Barroso Guedes-Granzotti
      Pages: 218 - 226
      Abstract: Introdução: as alterações de memória podem influenciar a comunicação interferindo assim na qualidade de vida do individuo. Objetivo: caracterizar a memória semântica, memória operacional e de curto prazo em adultos e idosos hospitalizados. Materiais e Método: participaram trinta pacientes, adultos e idosos, internados na ala de clínica médica de um Hospital Regional. Todos foram submetidos às provas de recordação de um recado, repetição de palavra e dígitos (ordem direta e inversa), fluência verbal semântica e fonológica e à prova de abstração e memória semântica. Resultados: 76,7% dos pacientes apresentaram alguma dificuldade na recordação do recado. A mediana de pontuação na prova de repetição foi 5,5 para palavras, 5,0 para dígitos e 4,0 para dígitos na ordem inversa. A Fluência Verbal Semântica e Fonológica apresentaram-se relacionadas. Na tarefa de abstração e memória semântica a maior dificuldade foi na interpretação de provérbios populares. Conclusão: um número expressivo de pacientes apresentou dificuldade em alguma das provas de memória.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p218-226
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Fonoaudiologia e saúde pública: análise bibliométrica

    • Authors: Ligia Patron Witwytzkyj, Renata da Silva Cardoso Rocha Tavares
      Pages: 227 - 236
      Abstract: Objetivo: Analisar as perspectivas atuais referentes à Fonoaudiologia e Saúde Pública e apresentar sua evolução e tendências. Métodos: Estudo quantitativo de caráter bibliométrico, tendo a Biblioteca Virtual em Saúde - BVS como base de dados para a pesquisa. Foram selecionados os 30 primeiros artigos elencados por ordem de relevância pelo critério Qualis da Capes. Resultados: As publicações sobre o tema estão em crescimento. Os objetivos mais frequentes na amostra foram referentes à análise da prática profissional, 56% do total, e as conclusões mais expressivas, 23%, foram sobre a importância da inserção do fonoaudiólogo na equipe multidisciplinar. Conclusão: Os fonoaudiólogos preferem submeter seus artigos à publicação em revistas reconhecidas pela classe. A publicação científica deve ser incentivada entre os profissionais que atuam em vários contextos e têm experiências para compartilhar e contribuir com o crescimento da profissão. As discussões sobre o tema Fonoaudiologia e saúde pública são um crescente, seja pelo aumento das publicações científicas, pela maior inserção do profissional na área ou também pela reformulação das grades curriculares das universidades. 
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p227-236
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Mudanças curriculares no Curso de graduação em
           Fonoaudiologia da UNIFESP

    • Authors: Selma Mie Isotani, Clara Regina Brandão de Ávila, Rosana Fiorini Puccini
      Pages: 237 - 250
      Abstract: Objetivos: Neste estudo, foi de interesse verificar as mudanças no Curso de Fonoaudiologia da UNIFESP após a criação do SUS (1988), após a edição das Diretrizes Curriculares Nacionais – DCN (2002) e com a participação da Fonoaudiologia no programa de reorientação profissional, Pró-Saúde II (2007). Método: Análise documental (parecer CEP nº 32544): considerados o documento de reconhecimento do Curso de Fonoaudiologia da Escola Paulista de Medicina/UNIFESP (1977) os Projetos Político Pedagógicos produzidos pela Diretoria acadêmica do Curso de graduação em Fonoaudiologia da UNIFESP (2002, 2005, 2011); Procedimentos: Os documentos foram analisados segundo: criação de disciplinas, aumento de carga horária, mudanças de direcionamento de ênfase nas disciplinas já existentes, participação dos docentes nas atividades, contratação de profissionais. Resultados: Os documentos registraram mudanças ao longo do tempo, sendo relevantes: a criação da disciplina de Saúde coletiva I: o território e seus problemas em 2002, mudança de nomenclatura desta disciplina em 2005 para Saúde coletiva I: planejamento e organização de serviços de saúde, e nova mudança de nomenclatura em 2011 para Saúde, adoecimento e sociedade: concepções e práticas; criação em 2011 da disciplina de Epidemiologia; criação da disciplina de aproximação à prática: atuação em Atenção Básica; criação da disciplina de LIBRAS; ampliação da atuação fonoaudiológica em proteção e promoção à Saúde; e criação de disciplinas eletivas e optativas. Conclusão: Houve mudanças no Curso de Graduação em Fonoaudiologia da UNIFESP, após o SUS, após a edição das DCN e principalmente após o Pró-Saúde II, registradas nos documentos analisados, obedecendo ao recomendado pelas DCN.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p237-250
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Atuação fonoaudiológica em disfunção temporomandibular em dois casos:
           análise comparativa dos efeitos da terapia tradicional e o uso da
           bandagem terapêutica associada

    • Authors: Nayara Camila de Jesus Hernandes, Lorena Locateli Ribeiro, Cristiane Faccio Gomes, Andréa Pereira da Silva, Vivian Ferreira Dias
      Pages: 251 - 261
      Abstract: Objetivo: verificar e comparar os efeitos da terapia fonoaudiológica tradicional e o uso associado da bandagem terapêutica no tratamento de disfunções temporomandibulares musculares em dois casos. Descrição e histórico de procedimentos: O estudo foi composto por dois indivíduos do sexo feminino, ambos com trinta e três anos de idade, diagnosticados com disfunção temporomandibular através do Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders. O primeiro indivíduo denominado como TT foi submetido à terapia fonoaudiológica tradicional em disfunção temporomandibular e o segundo indivíduo denominado como TB, além desses mesmos recursos contou com a utilização de bandagem elástica no músculo masseter bilateral. Os seguintes parâmetros foram verificados de forma qualitativa e descritiva: sinais e sintomas, intensidade de dor e amplitude dos movimentos funcionais mandibulares. Resultados: Os sinais e sintomas presentes no início da terapia foram cessados em ambas as terapêuticas. O paciente TB teve o quadro álgico reduzido em um número reduzido de sessões em relação ao seu par. Ambas as terapêuticas mostram-se efetivas quanto ao aumento de excursões mandibulares. Conclusão: A fonoterapia utilizando-se de técnicas tradicionais e a aplicação da bandagem elástica associada a estas demonstram benefícios terapêuticos em sujeitos com disfunção temporomandibular. O uso da bandagem elástica aparenta ter promovido eficiência terapêutica em menor tempo.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p251-261
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Associação entre o aleitamento materno, introdução alimentar e
           desenvolvimento neuropsicomotor nos primeiros seis meses de vida

    • Authors: Taisa Ribeiro de Souza Oliveira, Larissa Santos Souza, Rodrigo Dornelas, Danielle Ramos Domenis, Kelly da Silva, Raphaela Barroso Guedes-Granzotti
      Pages: 262 - 273
      Abstract: Introdução: o aleitamento materno tem função primordial para o desenvolvimento nutricional, emocional, físico, do sistema motor oral, assim como no desenvolvimento neuropsicomotor infantil. Objetivo: investigar a associação do desenvolvimento neuropsicomotor, da introdução alimentar com o aleitamento materno de lactentes nos primeiros seis meses de vida. Método: 16 lactentes, sem fatores de risco para atraso no desenvolvimento, foram acompanhados mensalmente desde a maternidade até os seis meses para a avaliação do desenvolvimento neuropsicomotor por meio do Teste de Triagem Denver II e da rotina alimentar e hábitos orais por meio de um questionário. Resultados: no primeiro mês, 87,5% dos lactantes foram amamentados em seio materno, mas em 62,5% houve a introdução precoce de chá, água e outros leites e, 68,7% apresentavam hábitos orais. No sexto mês 18,7% realizavam aleitamento materno exclusivo, 43,75% aleitamento misto e 37,5% faziam uso de leite artificial, sendo que 84,6% já haviam introduzido sólidos. 56,25 % mantinham os hábitos orais. Quanto à avaliação do desenvolvimento, na maternidade, todos apresentaram respostas adequadas. No sexto mês na área pessoal social, 93,75% apresentavam desenvolvimento adequado, e 6,25% estavam avançadas. No motor fino adaptativo, 87,5 % adequado, 6,25% avançados e 6,25% apresentavam risco. Na linguagem 100% estavam adequadas à idade e, no motor grosseiro, 31,25% estavam adequadas e 68,75% avançadas. Conclusão: os lactentes que permaneceram em aleitamento materno apresentaram um melhor desenvolvimento neuropsicomotor e uma menor incidência de hábitos orais deletérios, não havendo diferença quanto à introdução alimentar.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p262-273
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Efeitos na voz e deglutição após treino de força muscular expiratória
           na Doença de Parkinson

    • Authors: Thamara Munhoz Ferraz de Camargo Sarpi, Mayara Fieri, Carla Sales Chamouton, Ana Carolina Constantini
      Pages: 274 - 283
      Abstract: O presente trabalho teve como objetivo avaliar os possíveis efeitos de um treino de força muscular expiratória na voz e deglutição de sujeitos com Doença de Parkinson. A Doença de Parkinson é neurodegenerativa e possui dentre seus sintomas alterações na voz e na deglutição. Devido à rigidez muscular geral, característica da doença, os músculos respiratórios também são afetados, gerando alterações em todo o sistema respiratório e influindo diretamente nos sintomas vocais e de disfagia. Seis participantes diagnosticados com doença de Parkinson foram submetidos ao treinamento proposto, que consistiu em uma intervenção fonoaudiológica com duração total de oito semanas com aplicação exclusiva de exercícios de força muscular expiratória em grupo uma vez por semana, e também em domicílio duas vezes por semana. Antes e após a intervenção, foi realizada a auto-avaliação da deglutição, avaliação vocal e dos parâmetros da capacidade respiratória, além de uma avaliação intermediária. Foi possível encontrar nos resultados da avaliação pós-intervenção, de uma maneira geral, melhora nos parâmetros respiratórios, com aumento nas medidas coletadas da capacidade respiratória. Os parâmetros vocais utilizados não foram sensíveis a possíveis mudanças ocasionadas pelo treinamento. As variações nos resultados podem ser relacionadas ao tempo de doença de cada um e às suas manifestações individuais. No decorrer do treinamento proposto, os sujeitos apresentaram maior destreza em realizar os exercícios, melhorando sua execução e mostrando que houve aprendizado motor durante o treinamento proposto. Entretanto, sugere-se a realização de exercícios de força muscular expiratória em concomitância com outros tipos de intervenções para melhores resultados.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p274-283
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Adesão e satisfação de professores participantes do Programa Integral
           de Reabilitação Vocal

    • Authors: Bárbara Oliveira Souza, Iara Guirão Tonon, Evelyn Vanessa Silva Souza, Bárbara de Faria Morais Nogueira, Silvana Pereira da Silva, Karoline Ribeiro, Adriane Mesquita de Medeiros
      Pages: 284 - 291
      Abstract: Objetivo: analisar a adesão e a satisfação de professores participantes de um Programa Integral de Reabilitação Vocal – PIRV. Método: estudo realizado com prontuários de 31 professores da rede municipal de ensino de Belo Horizonte - MG, atendidos em um projeto de extensão universitária. Foram analisadas as variáveis: idade, sexo, tempo de profissão, ciclo de ensino, turnos de trabalho, número de vezes em que os exercícios foram realizados em casa, frequência de participação dos professores e opinião/satisfação sobre o PIRV. Foi realizada a análise descritiva dos dados e medidas de associação entre as variáveis utilizando o teste Qui-Quadrado de Pearson ou Exato de Fisher. Resultados: observou-se um número reduzido de média de faltas (0,37) durante o período de execução do PIRV. Quanto à opinião dada pelos participantes, a maioria foi excelente (74,19%). Nenhum professor executou em casa a quantidade de exercícios recomendados pelo treinamento (84 repetições). 48,4% dos participantes realizaram os exercícios entre 41 a 69 repetições no total. Não houve significância estatística na análise da associação entre as variáveis utilizadas no estudo e o número de exercícios realizados em casa. Conclusão: os professores apresentaram boa adesão ao PIRV quanto à presença nas sessões e dificuldade na realização dos exercícios em casa conforme a recomendação. Quanto à opinião dos participantes, observou-se satisfação em relação ao programa.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p284-291
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Recursos de biossegurança na avaliação audiológica básica: estudo
           comparativo entre o uso do protetor descartável de fone de ouvido e o uso
           do policloreto de vinila (PVC)

    • Authors: Maria Raquel Speri, Fabiana Cristina Araújo, Marilia Pinheiro Pontes, Jaciara Fonseca Silva
      Pages: 292 - 301
      Abstract: Objetivo: O estudo comparou o efeito do Protetor Descartável de Fone de Ouvido® e do filme PVC (Policloreto de Vinila) nos limiares de audibilidade para tons puros, fala e o efeito deste último material nos limiares do reflexo acústico, afim de verificar a possibilidade de adoção destes materiais como medidas de biossegurança. Método: Realizado com 72 indivíduos de 18 a 40 anos, com audição normal, em uma clínica escola de fonoaudiologia de uma universidade federal. Resultados: Nos limiares do reflexo acústico, não houve diferença estatisticamente significante entre os materiais utilizados. Já na audiometria e no LRF (Limiar de Reconhecimento de Fala) houve uma pequena diferença nos limiares, porém manteve-se dentro do intervalo de segurança de 95%. Conclusão: Diante dos resultados e recomendação da American Speech-Language-Hearing Association – ASHA pode-se afirmar que o Protetor Descartável de Fone de Ouvido® e o filme PVC não interferem na avaliação audiológica.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p292-301
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • A relação da perda auditiva com tontura e zumbido na
           população idosa

    • Authors: Ana Carla Oliveira Garcia, Aline Cabral Oliveira, Barbara Cristina da Silva Rosa, Teresa Momensohn Santos
      Pages: 302 - 308
      Abstract: Introdução: A perda auditiva relacionada a sintomas de tontura e zumbido pode ser um fator de limitação do idoso com consequências psicossociais. Com o decorrer da idade as alterações vestibulares e outros sintomas auditivos associados aumentam. Objetivos: Verificar a relação da perda auditiva e queixas relacionadas à tontura, zumbido e distúrbios da comunicação em uma população de idosos. Método: Trata-se de um estudo retrospectivo que contou com análise de 468 registros de idosos cadastrados no período de 2011 a 2015 em Serviço de Reabilitação Auditiva. Foram coletados dados referentes à idade, sexo, queixas auto relatadas de zumbido, dificuldade de compreensão de fala e tontura, bem como os resultados da avaliação audiométrica , simetria entre as orelhas no caso de perda auditiva, grau de deficiência auditiva e lateralidade. Resultado: A amostra foi composta por 295 (63%) prontuários de sujeitos do sexo feminino e 173 (37%) do sexo masculino com idade média de 72,7 anos. A queixa “ouvir e não compreender” foi encontrado em 64,7% dos idosos seguido por queixa de zumbido (45,1%) e tontura (20,3%).Observou-se que a tontura tem relação significativa com queixar-se de não entender a fala (p<0,001;R=0,17) e presença de zumbido (p<0,001;R=0,32).Em 77,7% dos prontuários houve o registro de perdas classificadas como moderada a moderadamente severa, do tipo simétrica (80,6%) e bilateral (96,8%). Conclusão: A partir destes achados, gestores locais poderão elaborar um planejamento adequado, visando à melhoria na qualidade do serviço e de vida desta população idosa.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p302-308
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Potencial evocado auditivo de longa latência (P300) em adolescentes

    • Authors: Maria da Soledade Rolim do Nascimento, Elisangela Barros Soares-Mendonça, Mariana Carvalho Leal, Lilian Ferreira Muniz, Alcides da silva Diniz
      Pages: 309 - 317
      Abstract: Introdução: O P300 é um procedimento objetivo para avaliação da função auditiva. O eliciar de seus componentes envolve áreas corticais relacionadas à percepção, atenção, memória auditiva e mecanismos de cognição. Objetivo: avaliar as latências dos componentes N1, N2, P1, P2 e P3 em adolescentes segundo variáveis sócio-econômico-demográficas, educacionais, e estado nutricional. Método: Estudo do tipo série de casos envolvendo 32 adolescentes de 13 a 18 anos, de ambos os sexos, das escolas públicas do Recife - PE. Foram analisados os componentes do P300 com 200 estímulos mediante uso do equipamento Smart Ep Intelligent Hearing Systems (I.H.S). Resultados: Observou-se que os adolescentes com repetência escolar apresentaram prolongamento da latência do componente P1 maior (p= 0,04), quando comparados aos adolescentes sem registro de repetência escolar, assim como adolescentes da maior classe social apresentaram melhor latência (p= 0,03) no componente P3, quando comparados com aqueles de menor classe social. Conclusão: Prolongamento na latência dos componentes P1 e P3 foram encontrados em adolescentes com repetência escolar e com nível socioeconômico mais baixo.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p309-317
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Desempenho em consciência fonológica e erros de escrita de crianças
           submetidas a diferentes métodos de alfabetização

    • Authors: Cassiane Maria Schafer, Larissa Fernanda Quitaiski, Vanessa Giacchini
      Pages: 318 - 329
      Abstract: Objetivo: avaliar as habilidades de consciência fonológica e a escrita de crianças expostas a diferentes métodos de alfabetização. Métodos: a amostra foi composta por 29 crianças (9 alfabetizadas pelo Método Fônico e 20 alfabetizadas pelo Método Silábico), com idade entre 7:0 e 8:0 anos, sem equiparação de sexo. As crianças estavam matriculadas no 2º ano do Ensino Fundamental, cursaram as séries anteriores na mesma escola, não haviam realizado nenhuma intervenção fonoaudiológica e não possuíam alterações cognitivas, psicológicas ou emocionais detectáveis. Todas as crianças foram submetidas à avaliação da consciência fonológica por meio da Prova de Consciência Fonológica e à avaliação da escrita por meio do Roteiro de Observação Ortográfica. Os acertos e erros foram tabulados considerando as especificações de cada um dos testes. Posteriormente, os dados foram submetidos à análise estatística descritiva e teste de Mann Whitney. Resultados: Não houve diferença estatisticamente significante em nenhum dos aspectos analisados. Foi observado melhor desempenho das crianças do Grupo Silábico na maioria das tarefas do teste de Consciência Fonológica, exceto na prova de transposição fonêmica em que o Grupo Fônico foi melhor, e em rima que ambos os grupos apresentaram resultados iguais. Quanto aos resultados no Roteiro de Observação Ortográfica, os resultados foram similares entre os grupos. Conclusão: no presente estudo, o Grupo Silábico apresentou desempenho superior na maior parte das atividades de Consciência Fonológica, e uma menor média de erros ortográficos por criança na avaliação dos erros de escrita através do Roteiro de Observação Ortográfica.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p318-329
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Conhecimento de professores sobre estimulação da linguagem via
           narração de histórias

    • Authors: Aline Roberta Aceituno da Costa, Thais Cristina Barbosa Mariano, Ariadnes Nobrega de Oliveira, Patrícia Abreu Pinheiro Crenitte
      Pages: 330 - 341
      Abstract: Objetivo: Este trabalho investigou o comportamento de contar histórias de professores e o preparo para a utilização das mesmas como entretenimento e como ferramenta de estimulação da linguagem. Métodos: 19 professoras de ensino infantil foram entrevistadas quanto a: 1) Formação e preparo para contar histórias; 2) Objetivos ao contar histórias; 3) Conhecimentos sobre aquisição e desenvolvimento da linguagem e atividades de estimulação. Resultados: Os dados revelam que as professoras realizam atividades de contação de histórias em suas práticas cotidianas com alta frequência, creem que tal atividade se destaca positivamente no desenvolvimento da linguagem oral e escrita da criança, assim como na estimulação da criatividade, da imaginação e da memória. Porém, apresentam parco conhecimento sobre como realizar o preparo das histórias e o próprio preparo para realizar a atividade, sobre desenvolvimento de linguagem infantil e sobre como operacionalizar a inserção de atividades intencionais de estimulação de linguagem na narrativa oral. Conclusão: os professores realizam atividades de narração de histórias em suas práticas cotidianas e acreditam ser fator fundamental no desenvolvimento da linguagem oral e escrita da criança, bem como a da criatividade, imaginação, aprendizado e memória, porém, os profissionais receberam pouco ou nenhum preparo formal e não se expõem a apresentações profissionais.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p330-341
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Associação entre desenvolvimento de linguagem e ambiente escolar em
           crianças da educação infantil

    • Authors: Julie Mary Mourão Alves, Amanda de Jesus Alvarenga Carvalho, Stella Carolina Gonçalves Pereira, Andrezza Gonzalez Escarce, Lúcia Maria Horta Figueiredo Goulart, Stela Maris Aguiar Lemos
      Pages: 342 - 353
      Abstract: Objetivo: Investigar a associação entre o desenvolvimento de linguagem, a qualidade do ambiente escolar, escolaridade parental, sexo e idade de crianças na faixa etária de quatro a seis anos, matriculadas em Unidades Municipais de Educação Infantil de Belo Horizonte. Métodos: Trata-se de estudo observacional analítico transversal com amostra probabilística. Estudou-se 169 crianças de quatro a seis anos, matriculadas em cinco Unidades Municipais de Educação Infantil. Os instrumentos utilizados foram: questionário estruturado, protocolo de Avaliação do Desenvolvimento da Linguagem e Early Childhood Environment Rating Scale-Revised. Realizou-se análise descritiva dos dados e associação entre as variáveis de exposição e os eventos. Foram consideradas associações estatisticamente significativas aquelas que apresentaram valor p≤0,05%. Resultados: 47,9% e 52,1% das crianças pertenciam ao sexo masculino e feminino, respectivamente, com predomínio da faixa etária de cinco anos (62,7%). 22,5% das crianças apresentaram algum distúrbio no desenvolvimento da linguagem. Predominaram responsáveis com ensino médio completo e superior incompleto (42,6%). A pontuação da média global da ECERS-R indicou qualidade de nível entre mínimo e bom; a maior média quanto à qualidade do ambiente escolar refere-se à sub escala Interação, que corresponde ao nível entre bom e excelente. Houve associação com significância estatística somente entre o desenvolvimento da linguagem e a sub escala interação e idade. Conclusão: O desenvolvimento da linguagem apresentou associação com significância estatística com a idade e o domínio interação da escala ECERS-R. Não houve associação com significância estatística entre o resultado da linguagem e as variáveis: ambiente escolar, domínio linguagem e raciocínio da escala ECERS-R, sexo e escolaridade parental.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p342-353
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Desenvolvimento da linguagem na síndrome de Down: análise da
           literatura

    • Authors: Ivonaldo Leidson Barbosa Lima, Isabelle Cahino Delgado, Marianne Carvalho Bezerra Cavalcante
      Pages: 354 - 364
      Abstract: A síndrome de Down é uma condição genética resultante da presença extra de um cromossomo 21, que pode gerar diversos problemas de saúde durante o desenvolvimento do sujeito. Uma dessas alterações é o atraso no desenvolvimento da linguagem e cognição da criança, que apresenta um déficit maior na linguagem expressiva do que na compreensiva. Por isso, a intervenção fonoaudiológica precoce é essencial para a promoção de uma melhor habilidade comunicativa do sujeito com a síndrome. Nesse sentido, este estudo objetivou analisar as produções científicas nacionais acerca do desenvolvimento da linguagem e comunicação na síndrome de Down e intervenções precoces nessa população. Para isso, foi realizada uma busca em bases de dados de artigos, teses e dissertações, utilizando a combinação dos descritores “linguagem”, “síndrome de Down” e “desenvolvimento da linguagem”. Foram obtidas 106 publicações que tiveram seus títulos e resumos analisados. Após essa análise inicial, foi identificado que 20 estudos contemplavam a temática pesquisada, estes foram analisados integralmente. Constatou-se que é consensual a presença de um déficit no desenvolvimento da linguagem, quando comparado com o processo de crianças com desenvolvimento típico; que há um maior uso das produções gestuais nessa população e isso pode favorecer a aquisição lexical; e que a intervenção fonoaudiológica é eficaz no desenvolvimento da linguagem na síndrome de Down.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p354-364
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Plano terapêutico fonoaudiológico pautado no conceito de gêneros do
           discurso de Bakhtin: aspectos teórico-metodológicos

    • Authors: Rita de Cassia Fernandes Signor, Ana Paula Santana
      Pages: 365 - 376
      Abstract: A noção de gêneros do discurso ganhou expressividade no Brasil a partir da década de 1990, quando, por meio dos Parâmetros Curriculares de Língua Portuguesa, foi proposta uma ressignificação nas formas de ensino e aprendizagem. Estratégias para o desenvolvimento de competências em leitura e escrita começaram a ser pensadas através da língua em uso, a língua que se dá nos gêneros orais e escritos que medeiam as interações humanas. Embora a teoria de gêneros tenha sido adaptada para a esfera da educação, pode, desde que respeitadas as especificidades do contexto, ser estendida ao campo terapêutico. Se no contexto da escola se usa a expressão “proposta didática”, na esfera da clínica elabora-se um “plano terapêutico fonoaudiológico” (PTF) voltado para escolares com queixas de dificuldades de leitura e escrita. O objetivo deste trabalho é apresentar os aspectos teórico-metodológicos envolvidos na elaboração de plano terapêutico embasado na teoria bakhtiniana de gêneros do discurso. A exposição de caráter teórico-metodológico está dividida em duas seções: na primeira são abordadas as bases conceituais e, na sequência, são apresentados os aspectos metodológicos para a implementação do referido PTF.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p365-376
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • O trabalho em rede nos casos de alta complexidade e de alta
           vulnerabilidade: a experiência de uma UBS

    • Authors: Carmen Ligia Cucê Nobre, Adriano de Oliveira, Julia Hatakayama Joia, Luiza Santa Cruz, Luiza Franco, Keyla Raquel F. de Oliveira, Janaina Eleuterio, Maria Luiza Rezende, Silvia Regina Rocha
      Pages: 377 - 384
      Abstract: Este estudo tem como objetivo apresentar e analisar os processos de formação de redes de atenção à saúde em torno de casos complexos e em contextos de alta vulnerabilidade, atendidos pela Estratégia Saúde da Família na UBS XXX, na região da Brasilândia, São Paulo. Tais processos foram desenvolvidos a partir de oficinas de escrita realizadas pelo Pró-Saúde-PUCSP em parceria com a Supervisão Técnica de Saúde da Freguesia do Ó/Brasilândia da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo. As oficinas se constituíram como forma de mobilizar o relato de experiências e a reflexão sobre a prática profissional. Partiu-se de três casos índices atendidos na Unidade Básica de Saúde que demandaram uma configuração de redes ampliadas de cuidado que se estenderam para além do atendimento multiprofissional da Unidade e do apoio do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF). Foram tecidas reflexões em torno dos diferentes modelos de assistência em saúde, da resolubilidade de tais casos e a da corresponsabilidade dos atores envolvidos no cuidado. Concluiu-se que a formação de rede aproxima os profissionais do território, explora a potencialidade de assistência e possibilita uma abordagem mais integrada, proporcionando um atendimento mais humanizado.
      PubDate: 2017-06-29
      DOI: 10.23925/2176-2724.2017v29i2p377-384
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • O impacto da tecnologia dos aparelhos auditivos nas situações de vida
           diária: a perspectiva do paciente

    • Authors: Grazielle de F. Almeida, Jacqueline P. Tenório, Karine Maria do N. Lima, Mariana B. de S. Santos, Kelly C. L. Andrade
      Pages: 385 - 387
      Abstract: Cox RMI, Johnson JA, Xu J. Impact of hearing aid technology on outcomes in daily life I: the patients’ perspective. Ear & Hearing. 2016; Jul-Aug;37(4):224-37.
      PubDate: 2017-06-29
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Efeito do implante coclear unilateral e bilateral simultâneo no
           zumbido: um estudo prospectivo

    • Authors: Mariana Batista de Souza Santos, Jacqueline Pimentel Tenório, Karine Maria do Nascimento Lima, Grazielly de Farias Almeida, Kelly Cristina Lira de Andrade
      Pages: 388 - 391
      Abstract: Van Zon A et al. Effect of unilateral and simultaneous bilateral cochlear implantation on tinnitus: A Prospective Study. Laryngoscope. Apr, 2016; 126(4):956-61.
      PubDate: 2017-06-29
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Benefícios do treinamento auditivo para o desenvolvimento das habilidades
           auditivas em crianças usuárias de implante coclear

    • Authors: Grazielle de Farias Almeida, Karine Maria do Nascimento Lima, Mariana Batista de Souza Santos, Kelly Cristina Lira de Andrade
      Pages: 392 - 394
      Abstract: Roman S, Rochette F, Triglia J-M, Daniele Schön D, Bigand E. Cox RMI, Johnson JA, Xu J. Auditory training improves auditory performance in cochlear implanted children. Hearing Research. 2016; 337: 89-95.
      PubDate: 2017-06-29
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Dissertações

    • Authors: Distúrbios da Comunicação
      Pages: 395 - 396
      Abstract: Dissertações
      PubDate: 2017-06-29
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
  • Tese

    • Authors: Distúrbios da Comunicação
      First page: 397
      Abstract: Tese
      PubDate: 2017-06-29
      Issue No: Vol. 29, No. 2 (2017)
       
 
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
Fax: +00 44 (0)131 4513327
 
Home (Search)
Subjects A-Z
Publishers A-Z
Customise
APIs
Your IP address: 54.225.57.120
 
About JournalTOCs
API
Help
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-2016