Publisher: Universidade do Estado do Rio de Janeiro   (Total: 44 journals)   [Sort by number of followers]

Showing 1 - 44 of 44 Journals sorted alphabetically
Abusões     Open Access   (Followers: 1)
Ballot     Open Access  
Caderno Seminal     Open Access  
Cadernos de Estudos Sociais e Políticos     Open Access   (Followers: 2)
Cadernos do Desenvolvimento Fluminense     Open Access  
Cadernos do IME : Série Estatística     Open Access   (Followers: 1)
Cadernos do IME : Série Informática     Open Access   (Followers: 1)
Cadernos do IME : Série Matemática     Open Access   (Followers: 1)
Childhood & Philosophy     Open Access   (Followers: 9)
DEMETRA : Alimentação, Nutrição & Saúde     Open Access  
e-Mosaicos : Revista Multidisciplinar de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cultura do Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira     Open Access  
Ekstasis : Revista de Hermenêutica e Fenomenologia     Open Access   (Followers: 1)
Em Pauta : Teoria Social e Realidade Contemporânea     Open Access   (Followers: 1)
Epos : Genealogias, Subjetivaçãoes e Violências     Open Access   (Followers: 1)
Espaço e Cultura     Open Access  
Estudos e Pesquisas em Psicologia     Open Access   (Followers: 1)
Geo UERJ     Open Access  
História, Natureza e Espaço - Revista Eletrônica do Grupo de Pesquisa NIESBF     Open Access   (Followers: 1)
Intellèctus     Open Access   (Followers: 1)
Jornal Brasileiro de TeleSSaúde     Open Access  
Logos : Comunicação e Universidade     Open Access  
Matraga - Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ     Open Access  
Palimpsesto : Revista da Pós-Graduação em Letras da UERJ     Open Access  
Pensares em Revista     Open Access  
Periferia     Open Access  
Physis : Revista de Saúde Coletiva     Open Access   (Followers: 1)
Polêm!ca     Open Access  
Psicologia e Saber Social     Open Access   (Followers: 1)
Revista da Faculdade de Direito da UERJ     Open Access   (Followers: 1)
Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ     Open Access  
Revista de Finanças Públicas, Tributação e Desenvolvimento     Open Access   (Followers: 1)
Revista Direito e Práxis     Open Access   (Followers: 1)
Revista Eletrônica de Direito Processual     Open Access  
Revista Enfermagem UERJ     Open Access   (SJR: 0.248, CiteScore: 0)
Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto     Open Access  
Revista Internacional de Ciências     Open Access   (Followers: 1)
Revista Maracanan     Open Access   (Followers: 1)
Revista Neiba, Cadernos Argentina Brasil     Open Access  
Revista Quaestio Iuris     Open Access   (Followers: 2)
Revista Tamoios     Open Access  
Revista Teias     Open Access  
Soletras Revista     Open Access   (Followers: 2)
Sustinere : Revista de Saúde e Educação     Open Access  
Textos Escolhidos de Cultura e Arte Populares     Open Access  
Similar Journals
Journal Cover
Sustinere : Revista de Saúde e Educação
Number of Followers: 0  

  This is an Open Access Journal Open Access journal
ISSN (Online) 2359-0424
Published by Universidade do Estado do Rio de Janeiro Homepage  [44 journals]
  • Editorial

    • Authors: Thereza Cristina Ferreira Camello
      Pages: 1 - 3
      Abstract: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.52326
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Percepção de profissionais de saúde sobre utilização de tecnologias
           de informação e comunicação

    • Authors: Tânia Harumi Uchida, Mitsue Fujimaki, Josely Emiko Umeda, Maura Sassahara Higasi, Pablo Guilherme Caldarelli
      Pages: 4 - 22
      Abstract: As Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) são ferramentas necessárias para a qualificação da gestão em saúde. O objetivo do trabalho foi avaliar a aceitação de profissionais de saúde sobre a utilização das TICs nos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) para a construção coletiva e práticas interprofissionais na qualificação da gestão e atenção à saúde. Inicialmente foram capacitados especializandos em saúde pública da Escola de Saúde Pública do Paraná para utilização de ferramentas livres do Google para compartilhamento de documentos, planilhas, agenda e realização de webconferências. Após a capacitação, foram realizadas entrevistas com um roteiro semiestruturado. As transcrições foram realizadas manualmente e posteriormente, analisadas pela análise de conteúdo de Bardin, utilizando o software ATLAS.ti 8.0. Os resultados apontaram fatores facilitadores para a utilização das TICs: "aceitação das TICs no serviço" e "reconhecimento das TICs como auxiliar para a prática da EPS", e barreiras como: "desconhecimento sobre as TICs e ferramentas livres do Google" e "falta de entendimento do conceito e da prática da educação permanente em saúde (EPS)". A capacitação oportunizou novos modelos mentais sobre o processo de trabalho e a apropriação tecnológica. Além disso, contribuiu para a reflexão coletiva e o desenvolvimento do senso crítico, que podem auxiliar na prática da EPS, na otimização do trabalho e na consolidação da interprofissionalidade.
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.51280
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Avaliação do conhecimento sobre a pandemia Covid-19 entre estudantes de
           graduação do interior do estado Rio Grande do Norte

    • Authors: Talita Araujo de Souza, Sávio Marcelino Gomes, Maria Helena Rodrigues Galvão, Isabelle Ribeiro Barbosa
      Pages: 23 - 43
      Abstract: Esse estudo tem por objetivo avaliar o conhecimento sobre a pandemia do Covid-19 entre estudantes de graduação da área da saúde. Configura-se como um estudo transversal, do tipo pesquisa de opinião pública, realizado com estudantes dos cursos de Enfermagem, Nutrição, Psicologia e Fisioterapia do campus da UFRN no município de Santa Cruz. A amostra foi composta por os 282 estudantes, a coleta ocorreu por formulários eletrônicos no Google forms®, divulgado através das mídias sociais (WhatsApp, Facebook e Instagram). Foi realizada análise bivariada utilizando o teste Qui-quadrado e exato de Fischer. Os estudantes possuem um conhecimento adequado acerca da doença, a maior parte disse ter recebido orientação, conhece a paramentação adequada para prevenção, acha que sua saúde mental está prejudicada e acredita que a suspensão das aulas trará impacto no seu desenvolvimento acadêmico. A média de acertos sobre os aspectos biológicos foi de 6,57, enquanto dos aspectos epidemiológicos foi de 3,10. Não houve diferença significativa quando comparado entre os cursos. O conhecimento dos estudantes sobre o Covid-19 foi considerado regular. Esses resultados apontam para a necessidade das atualizações diárias sobre a doença entre os estudantes.
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.50821
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Limitações acerca da implantação de softwares do Sistema Único de
           Saúde na Atenção Básica

    • Authors: Josélia Batista Dias de Souza, Thiago Fernandes Borges, Marcos Fernandes-Sobrinho
      Pages: 44 - 65
      Abstract: O presente artigo busca analisar os principais dilemas inerentes à implantação dos softwares CDS e PEC no âmbito da gestão da informação em saúde, bem como identificar os ideais teóricos da política do e-sus AB com a criação e a disponibilidade aos municípios de tais tecnologias. No intuito de se chegar a esses propósitos que seguem uma abordagem qualitativa aplicou-se diferentes métodos. Inicialmente, empregou-se no campo da tipologia dos procedimentos metodológicos, a pesquisa bibliográfica e a pesquisa documental em bases relacionadas ao tema, e em segundo momento, empregou-se a pesquisa de campo a partir da realização de entrevista semiestruturada com profissionais que atuam no setor de Atenção Básica de um município de pequeno porte, localizado ao norte do Estado de Goiás. As reflexões em literaturas pertinentes conduzem ao entendimento da essencialidade desses softwares para a melhoria do processo de coleta, atualização e aproveitamento de dados dos cidadãos a fim de se promover um atendimento integralizado aos mesmos na esfera da saúde pública primária. Enfim, tem-se a compreensão de que tais sistemas apresentam-se como inovações incrementais para o processo informacional do SUS. Por intermédio da investigação compreendeu-se que os sistemas estão sendo implantados de forma gradual nas Unidades Básicas de Saúde do local, e apesar disso, tem-se limitações relacionadas ao acesso de recursos tecnológicos e à capacitação profissional, de forma que entraves como esses colaboram para que estes avanços, ainda permaneçam incipientes em territórios demograficamente menores no Brasil.   
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.43164
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Representações da tríplice escolar sobre parasitoses intestinais na
           zona rural de Paulo Afonso – Bahia

    • Authors: Maria Tairla Viana Gonçalves, Deyvison Rhuan Vasco-dos-Santos, Erika dos Santos Nunes
      Pages: 66 - 84
      Abstract: O estudo das representações acerca das parasitoses intestinais auxilia na compreensão dos casos de adoecimentos e contribuem para tomada de ações voltadas a melhoria da saúde coletiva, especialmente da população pediátrica. Nesse contexto, a pesquisa teve como objetivo investigar as representações da tríplice escolar (discentes, pais/responsáveis e docentes) de seis escolas municipais da zona rural de Paulo Afonso – Bahia sobre enteroparasitoses. Para coleta de dados, foram administrados formulários semiestruturados específicos para cada seguimento da pesquisa e as informações categorizadas e analisadas com base na literatura especializada. No total, 63 discentes, 55 responsáveis e 9 docentes foram entrevistados. Referente aos agentes etiológicos, os discentes (68,2%) e pais (60,0%) não detinham conhecimento quanto a definição ou nomeação adequada, enquanto, os docentes (77,4%), sim. Quanto a transmissão, discentes (55,5%) e pais (60,0%) não souberam responder ou responderam incorretamente, dentre os docentes (66,7%) responderam corretamente e (22,2%) parcialmente correto. Acerca do hábitat, (80,9%) dos alunos, (69,1%) dos pais e (88,9%) dos professores responderam corretamente, sendo os órgãos mais citados: intestino grosso e delgado. Sobre os sintomas, discentes (22,2%) e pais (36,4%) reportaram dor de barriga e os docentes (66,7%) falta de apetite. Quanto a prevenção, (25,4%) dos discentes não souberam responder e (19,0%) responderam incorretamente, enquanto (50,9%) dos pais e (88,9%) dos docentes responderam corretamente. Considerando as fragilidades sobre o conceito e ciclo de vida dos parasitos, torna-se necessário a realização de intervenções educativas, visando formar multiplicadores de conhecimento e minimizar os casos de infecções em prol da qualidade de vida individual e coletiva.
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.50649
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Análise geo-espacial de malária no município de Cametá - PA, no
           período de 2008 a 2018

    • Authors: Lucas Henrique da Silva e Silva, Rammon David Estumano Cohen, Beatriz Oliveira Miranda, André Luis Pinto Furtado, Marcelo Coelho Simões, Cléa Nazaré Carneiro Bichara, Jéssica Herzog Viana
      Pages: 85 - 101
      Abstract: A malária é uma doença parasitária grave, que representa um importante problema de saúde pública. O presente estudo teve como objetivo avaliar os principais aspectos epidemiológicos da malária no período de 2008 a 2018. Trata-se de um estudo descritivo – exploratório desenvolvido no município de Cametá, Pará, Brasil. As amostras foram obtidas do banco de dados SIVEP-Malária do Ministério da Saúde e a ferramenta Google Earth, para mapeamento das prováveis áreas de infecção. No ano de 2012, foram notificados 2340 casos
      de agravos de malária no município, representando uma redução de 83% em comparação ao ano de 2011, a incidência parasitária anual foi de 13,73 casos/1000 habitantes em 2011 e 2,34 casos/1000 habitantes no ano de 2012, representando uma redução de 83%. No entanto, houve um aumento de 68,4% no ano de 2018 em relação ao ano de 2017. Identificou-se que a espécie de Plasmodium predominante foi o P. vivax com 23.723 casos, seguido do P.
      falciparum com 86 casos e um caso com o P. malariae. Observou-se que 418 casos foram confirmados no teste rápido para alguma espécie parasitária que não seja P. falciparum e 15 casos houve a presença de duas espécies de Plasmodium. O georeferenciamento permitiu observar áreas de prováveis infecções na zona urbana do município, bem como nas áreas rurais do distrito. É de suma importância a descentralização do sistema de saúde, para que as
      medidas de tratamento, principalmente os medicamentos antimaláricos, e prevenção estejam ao alcance dos indivíduos que vivem em áreas de risco da infecção.
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.50813
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Uso do Atlas Esgotos: Despoluição de Bacias Hidrográficas no
           desenvolvimento de trabalhos científicos

    • Authors: Maíra Araújo de Mendonça Lima, Bruna Magalhães de Araujo, Sérgio Rodrigues Ayrimoraes Soares, Ana Silvia Pereira Santos
      Pages: 102 - 123
      Abstract: O documento “Atlas Esgotos: Despoluição de Bacias Hidrográficas” foi publicado pela Agência Nacional de Águas (ANA), no ano de 2017 e apresenta um caráter de grande relevância para o desenvolvimento da gestão de recursos hídricos e saneamento ambiental no Brasil. Sua abordagem é abrangente e apresenta dados sanitários de todos as 5.570 sedes urbanas brasileiras. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo, avaliar a inserção dos dados apresentados por este documento, no desenvolvimento de trabalhos científicos. Para tanto foi utilizada como metodologia a Revisão Sistemática da Literatura, por meio de buscas realizadas através da palavra chave “Atlas Esgotos” e suas variações. Deste modo, para realização da pesquisa, foram analisadas publicações efetuadas no período entre 2017 e 2019, utilizando o Google Scholar como principal mecanismo de busca. De acordo com o estudo realizado, foram encontradas e selecionadas 129 publicações, onde 12% são provenientes de periódicos, 5% de livros, 33% de anais de congressos, e 50% de trabalhos de conclusão de curso. No que diz respeito à forma como o Atlas Esgotos tem sido utilizado nas pesquisas científicas, concluiu-se que 71% das publicações realizam apenas citação dos seus dados, 25% utilizam os dados a título de comparação com outras fontes ou demais cenários, e 4% aplicam, de fato, os dados do Atlas Esgotos para desenvolvimento de suas respectivas pesquisas.
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.48890
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Growth and quality of Handroanthus heptaphyllus (Vell.) Mattos. seedlings
           as a function of controlled release fertilizer doses

    • Authors: Adrielly Costa Souza, Marcos André Piedade Gama, Dênmora Gomes Araújo, Gabriel Pinheiro Silva, Jéssy Anni Vilhena Senado
      Pages: 124 - 136
      Abstract: Controlled-release fertilizers are great allies in the production of seedlings. However, there is a lack of studies focusing on the use of these fertilizers in native forest species. This study aimed to evaluate the effect of different doses of controlled release fertilizers (CRF) on the development and quality of seedlings of Handroanthus heptaphyllus (Vell.) Mattos. The experiment was carried out under greenhouse conditions with plastic cover for a period of 150 days. The pots were distributed in randomized blocks, using twenty plants per experimental unit. The treatments consisted of four doses of CFR Osmocote® (0, 4.1, 8.2 and 12.3 g dm-3) in the formulation NPK 15-09-12, with four replications. The following variables were evaluated: seedling height (H), stem diameter (SD), root length (RL), number of leaf pairs (NLP), leaf area (LA), shoot dry mass (SDM), root dry mass (RDM), total dry mass (TDM), H/SD ratio, Dickson's quality index (DQI) and relative chlorophyll content (SPAD). All evaluated parameters responded significantly to the increasing doses of the CRF. The best responses were found for the doses between 8.5 to 9.5 g dm-3, considering the evaluated experimental conditions.
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.48582
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Filosofia da ciência e evolução: uma contribuição ao ensino. Parte 1:
           Por que ciência'

    • Authors: Francisco José de Figueiredo, Levy Aquino de Oliveira
      Pages: 137 - 163
      Abstract: Evolução é um conceito-chave para o ensino das Ciências Biológicas, tendo em vista que integra áreas diversas dentro da ideia de relações históricas entre organismos e seus atributos por causas naturais. Porém, tem sido negligenciada ou omitida em salas de aula por várias razões. Uma delas é a falta de treinamento básico de professores do ensino médio em Filosofia da Ciência. Consequentemente, nesses “tempos líquidos”, alunos têm ingressado nas universidades mostrando deficiência na compreensão e assimilação de conceitos científicos básicos, não distinguindo ciência de outras formas do saber. Atualmente o conhecimento é acessível a todos, principalmente na internet. Porém, aquele que melhor condiz com a realidade tornou-se muito restrito e modular. Nesse hiato, pseudociências têm ocupado lugar de destaque entre ciência e religião, usando jargão científico, mas imunizando evidências contrárias, banindo validação externa, investindo em evidências negativas e adotando explicações ad hoc. Ao contrário desse tipo de abordagem, ciência oferece métodos de analise rigorosos nos quais o ceticismo é aplicado na investigação de argumentos e fatos. Em sociedades cuja disfunção social é evidente e aguda, a noção de realidade tende a ser substituída por fantasia ou alienação e, com isso, há proliferação de todo tipo de informação sem base racional. Diante disso, conceitos da Filosofia da Ciência e ferramentas do método científico constituem eficazes recursos na avaliação de ideias correntes numa sociedade que preza pela liberdade de pensamento e expressão. Saber quais são essas ferramentas é fundamental para o entendimento e avaliação de aplicações e implicações da teoria evolutiva.
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.50782
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Filosofia da ciência e evolução: uma contribuição ao ensino. Parte 2.
           O que é uma teoria'

    • Authors: Francisco José de Figueiredo, Levy Aquino de Oliveira
      Pages: 164 - 202
      Abstract: A falta de conhecimento básico em filosofia da ciência por parte de professores e alunos tem proporcionado, em diversos níveis, impedimentos quanto à assimilação de conceitos fundamentais da investigação científica, notadamente hipótese, lei, fato e teoria. Consequentemente, o ambiente social subjacente torna-se propício para a disseminação de informações falsas e a instalação de propostas pseudocientíficas. Como pré-requisito para a compreensão do metafenômeno evolutivo, conceitos básicos e outros correlatos são analisados e discutidos, com exemplos aplicados ao evolucionismo moderno.  A estrutura interna de uma teoria científica é discutida à luz de diferentes correntes de pensamento da filosofia da ciência contemporânea e a legitimidade da teoria evolutiva é avaliada.  Categorizações das ciências são apresentadas e discutidas com ênfase na questão da historicidade. Assume-se que o conflito entre ciência e religião pode ser atribuído à falta de distinção explícita entre linguagens literal e simbólica; as duas formas de aquisição de conhecimento possuem caminhos e objetivos diferentes e podem conviver em regime de iluminação recíproca em sociedades com reduzida disfunção social. Apesar das controvérsias e debates quanto a mecanismos e processos envolvidos, a teoria evolutiva gera predições, mostra elevado acúmulo de evidências empíricas e resiliência ao acomodar novos dados. Acrescida de influxos recentes, permanece como a melhor explicação para a história da biodiversidade em nosso planeta. A proposta alternativa de “criacionismo científico” não se sustenta pela total falta de evidências empíricas, baseando-se em argumentos tautológicos, falaciosos ou intestáveis.
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.50835
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Filosofia da ciência e evolução: uma contribuição ao ensino. Parte 3.
           Por que evolução'

    • Authors: Francisco José de Figueiredo, Levy Aquino de Oliveira
      Pages: 203 - 252
      Abstract: A ciência, como uma entre várias formas do saber, se destaca por apresentar rigorosos métodos de investigação da realidade objetiva. Conhecer a natureza da ciência, suas potencialidades e limites, é pré-requisito para distingui-la de formas rivais de conhecimento e avaliar sua eficácia. Isto contribui para uma análise crítica de diferentes propostas difusas na sociedade como tentativas para descrição e explicação do mundo físico. Entre elas estão àquelas ligadas às origens, como a história da biodiversidade no planeta Terra. Nesse artigo, a demarcação entre ciência e não ciência é explorada. Uma vez que há diferentes tipos de ciências (“hards” and “softs), com diferentes metodologias, a questão demarcatória permanece problemática. O critério de vulnerabilidade se apresenta como eficiente nas ciências históricas em que os indivíduos naturais recebem papel importante. Porém, justificativas subjacentes podem levar a uma condição de indesejável regressão infinita. Com o intuito de se avaliar o status científico da teoria evolutiva, aspectos conceituais são apresentados comparativamente em contexto histórico e filosófico, desde o início da Neosíntese até sua atual versão estendida. Grandes transições e rupturas epistemológicas são discutidas e seus impactos, avaliados. Dentro da metodologia encaminhada por Imre Lakatos, a teoria evolutiva constitui um programa de investigação científica progressivo, gerando diversas predições testáveis e acumulando evidências. A teoria tem sofrido reformulações recentes acomodando diversas novidades, entre elas a revolução da biologia molecular e biologia do desenvolvimento. Apesar das controvérsias e do polifiletismo conceitual quanto aos processos evolutivos envolvidos, a Neosíntese mostra-se resiliente, permanecendo como a melhor explicação para a história da biodiversidade no planeta Terra.
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.50943
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • A visita domiciliar como estratégia de cuidado em saúde: reflexões a
           partir dos Núcleos Ampliados de Saúde da Família e Atenção Básica

    • Authors: Túlio Romério Lopes Quirino, Adriana Lobo Jucá, Luana Padilha da Rocha, Maria Soraida Silva Cruz, Sémares Genuino Vieira
      Pages: 253 - 273
      Abstract: O artigo discute as visitas domiciliares como estratégia de cuidado em saúde no âmbito da Atenção Básica à Saúde, no Brasil, tomando como base a organização de práticas de saúde pelas equipes dos Núcleos Ampliados de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB). Partindo da sistematização de experiências coletivas e da problematização do fazer cotidiano, em um espaço de Educação Permanente em Saúde desenvolvido com inspiração nas técnicas do Grupo Operativo, as reflexões empreendidas derivam de oficina realizada junto a profissionais do NASF-AB, da cidade do Recife, Pernambuco, assim como da experiência acumulada por seus autores no desenvolvimento de visitas domiciliares a usuários e famílias sob seus cuidados. Da experiência narrada, revelam-se como resultados apontamentos práticos traduzidos em questões a serem consideradas pelas equipes de saúde nos processos de planejamento, operacionalização e avaliação das visitas domiciliares, tomando sua potência produtiva em concretizar atos de saúde centrados no cuidado e na melhoria da situação de saúde da população assistida. O artigo conclui que ao se pautarem nas relações estabelecidas e nas diversas trocas de saberes que delas emergem, as visitas configuram-se como potentes estratégias técnico-assistenciais e pedagógicas para o processo de cuidado em saúde, desvelando efeitos positivos no acompanhamento de usuários e famílias.
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.50869
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Quarentena da COVID-19 no Brasil: necessidade ou política do excesso
           contra o desconhecido' Uma crítica ao plano brasileiro de
           contingência, frente às orientações do relatório do Imperial College
           Team

    • Authors: Walner Mamede
      Pages: 274 - 299
      Abstract: O ensaio apresenta uma reflexão acerca de variáveis, aparentemente, não valoradas, na luta contra o coronavírus, sem pretender uma resposta definitiva diante da ausência de dados científicos. A discussão foi realizada a partir de informações fornecidas na Internet por especialistas, às quais adicionaram-se os poucos dados científicos existentes sobre a crise atual, discutindo a relação entre o plano nacional brasileiro contra o COVID 19, as informações da OMS e o Relatório do Imperial College. Assim, inferiu-se a necessidade de melhorar informações sobre o contexto brasileiro para melhorar também a política de combate ao COVID-19 em território nacional, sem negligenciar nosso compromisso como nação-membro da comunidade internacional, mas indicando a importância de se contextualizar a política de acordo com as nossas próprias necessidades, em nome da eficiência e da economicidade.
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.50902
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Entrevista com o Dr. Francisco José de Freitas

    • Authors: Francisco José de Freitas, Revista SUSTINERE
      Pages: 300 - 304
      Abstract: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.52330
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Editora Conexão 7: trajetória em perspectiva de ideologia étnica,
           produção de literatura e crise em modelos de negócio

    • Authors: Hudson Mina
      Pages: 305 - 309
      Abstract: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
      PubDate: 2020-07-16
      DOI: 10.12957/sustinere.2020.52329
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
  • Nas Prateleiras

    • Authors: Revista SUSTINERE
      Pages: 310 - 311
      Abstract: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
      PubDate: 2020-07-16
      Issue No: Vol. 8, No. 1 (2020)
       
 
JournalTOCs
School of Mathematical and Computer Sciences
Heriot-Watt University
Edinburgh, EH14 4AS, UK
Email: journaltocs@hw.ac.uk
Tel: +00 44 (0)131 4513762
 


Your IP address: 3.89.87.12
 
Home (Search)
API
About JournalTOCs
News (blog, publications)
JournalTOCs on Twitter   JournalTOCs on Facebook

JournalTOCs © 2009-